segunda-feira, 18 de junho de 2012

As primeiras férias


Nós nunca tínhamos ficado tanto tempo juntos. Assim, direto, 37 dias, da manhã à noite, sem nos separarmos. Nas férias mais longas das nossas vidas, aprendi que viajar juntos é um jeito maravilhoso de se aproximar ainda mais do outro, de fortalecer os laços, valorizar a companhia, se apaixonar um pouco mais.

E isso não se deve apenas à delícia de viver experiências inesquecíveis ao lado de quem se ama. É claro que eu vou guardar sempre no coração a tarde em que estivemos no topo da Torre Eiffel pela primeira vez, de onde só saímos à noite, com a cidade luz brilhando para nós (o clichê do clichê, mas eu preciso dizer: Paris é um deslumbre total, recomendo mil vezes, a todos, um tour por lá). Mas foi nessa viagem também que nós fizemos nossas malas juntos, incluindo peças de um e de outro em cada bagagem, como medida preventiva para casos de extravios. Que eu tive paciência de esperar que ele garimpasse vinis por mais de duas horas nas lojas da Champs Elysées, que ele me aguentou ficar quase uma hora tomando café da manhã todos os dias nos três hotéis em que ficamos de Paris à Lisboa (Portugal é TUDO também, aproveitando a deixa, me senti bem demais naquele país, que saudade),  nosso roteiro. Ou que, mesmo detestando o equipamento, ele me deixou dormir com o ar-condicionado ligado na segunda parte do nosso descanso, em Maceió, um prazer que eu só tenho lá.
                 
Houve momentos, claro, em que as diferenças gritaram e as brigas tiveram espaço. Mas nada que não tenha sido resolvido rápido. E bem. Até essas situações tiveram a sua utilidade na nossa história, afinal, agora a gente se conhece melhor, tem mais conhecimento de causa a respeito daquilo que irrita o outro. Perguntar alguma coisa no meio da rua para ele, sem que ele me peça para fazê-lo, por exemplo, nunca mais, porque eu sei que ele detesta, prefere descobrir por conta própria. E tudo bem: minhas próprias demandas já são suficientes para alugar o tempo dos coitados dos desconhecidos que cruzam o meu caminho mundo afora, vítimas dessa perguntadeira aqui.

Foi realmente especial, nunca vou esquecer. Que venham as próximas férias. E as próximas viagens rumo à descoberta de nós dois.

Much love,

Isabela – A Casada 

6 comentários:

Andarilho disse...

Que post romântico.

18 de junho de 2012 08:48
Evelin disse...

Que bom que deu tudo certo!

A próxima será ainda melhor!

(Que a próxima seja em Belém/Marajó/PA :) hehehe)

Com relação a aproximação, super entendo, pois confesso que passei a gostar ainda mais do meu namorado justamente pela convivência...

bjs

Evelin

18 de junho de 2012 08:54
Anônimo disse...

Férias, eu quero férias...

E, sim, são ótimas para aprendermos mais sobre o outro e sobre nós mesmos.

Beijos,

Guarda Belo

18 de junho de 2012 11:02
Carol disse...

Belíssima!!

Que luxo.

Quero saber mais sobre essas férias!!

Um beijo

18 de junho de 2012 17:34
Albuq disse...

Acho que viajar junto faz parte prá fortalecer a relação.

18 de junho de 2012 18:06
Anônimo disse...

Oi, Isabela! Viajar é bom demais e a com quem a gente ama é melhor ainda. As descobertas a dois ganham novos significados que só fortalecem a relação. Que venham mais e mais. Felicidades sempre!

Marcia A.

19 de junho de 2012 10:08