terça-feira, 17 de novembro de 2009

Sobre cuecas na gaveta das calcinhas. Ou vice-versa...

Se encontraram por acaso, saíram poucas vezes e se divertiram muito. Enquanto o cara tomava banho, ela entreolhou o guarda-roupa com a porta encostada. O convite para dar uma espiada foi irresistível. Levantou, abriu a porta e tomou um susto. Estava tudo milimetricamente no lugar, sem exceção.

Camisas impecavelmente passadas e dependuradas na arara. As gavetas eram de dar inveja a qualquer um com ph.D em organização. Cada camiseta estava dobrada exatamente do mesmo jeito, a maioria da cor branca, tinindo de limpas. As meias ocupavam parte de uma das gavetas, todas agrupadas num canto, um grupo de bolinhas branquinhas, iguais flocos de neve. Um gato ali iria ter motivos para se esbaldar por meses.

O cara era organizado e de raciocínio analítico e o guarda-roupa era o raio x mais fiel de sua personalidade. Fechou a porta, voltou pra cama e viu na parte debaixo do criado-mudo o livro de cabeceira; que atendia pelo instigante título de "Matemática Financeira". Abriu o compêndio e fechou na mesma hora. Só de imaginar aquele assunto, sentiu um tédio enorme.

Sei lá, mas teve a estranha sensação de que suas calcinhas jamais compartilhariam o mesmo espaço daquelas cuecas. Era tudo arrumadinho demais para o seu gosto. Não havia espaço para erro, para algo fora do lugar, para o acaso. Ali, o acaso de uma camisa escorregar do cabide, de uma meia ir parar no meio das cuecas, de qualquer coisa que pudesse estar fora do lugar. Aquela arrumação toda era perturbadora.

Só que naquele instante, este pensamento não ocupou a cabeça por mais de cinco segundos. Tempos depois, quando tudo terminou, aquele guarda-roupa disse mais que qualquer palavra. Dizem que homens solteiros quando são organizados se tornam mais maníacos por arrumação do que as mulheres em situação semelhante. É, pode ser...

Giovana - A Solteira

PS: este post foi inspirado num artigo enviado pelo Gerassimos, que já foi entrevistado aqui. Gera, obrigada pela dica! :O)

PS: Confira o artigo neste link.

8 comentários:

Nina disse...

Ah, lendo esse posto, lembrei-me da música linda de Chico e Tom, Eu te amo:

"Como, se na desordem do armário embutido
Teu paletó enlaça o meu vestido
E o meu sapato inda pisa no teu

Como, se nos amamos feito dois pagãos
Meus seios ainda estão nas tuas mãos
Me explica com que cara eu vou sair"

Na vida a gente tem que deixar um espaço para que o improviso traga boas surpresas, não é?

beijo!

17 de novembro de 2009 07:23
g e r a disse...

Por nada Gio!
Sempre eh bom colaborar....
O texto ficou muito bom e aproveitando para comentar sobre o assunto, quando a "vida" se torna regrada ao extremo passa a virar monotonia, sem graca!!!
Tem que variar de vez enquando..
Beijao,
g e r a

17 de novembro de 2009 07:47
Andarilho disse...

A minha casa é o oposto de organização, hahaha

17 de novembro de 2009 14:17
Joel Wallis disse...

Mulheres! Reclamam quando o guarda roupa está uma bagunça e também quando está arrumado.
UHAUHAUHAHUAUHAHAHUH

17 de novembro de 2009 15:20
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Eu curto um organizadinho assim...mas desde que ele deixe eu fazer alguma baguncinha na vida dele! :-P

Lindo texto, amiga!

beijocas

Dedé

17 de novembro de 2009 15:23
André disse...

o que que é guarda-roupa mesmo?

17 de novembro de 2009 19:32
Paulinha Costa disse...

Eu já conheci alguns assim, o resultado foi engraçado.
Eu sou uma bagunceira de marca maior, é bom ter alguém mais organizado por perto, equilibra ... Sem excessos, claro
Bjsss

18 de novembro de 2009 08:47
SAL disse...

achei tuuuuuuuuudo esse post!!!
amei amei amei!!!

vale a reflexão dessa organização no armário e a contraditória bagunça q alguns fazem na vida da gente!!!

bjo

18 de novembro de 2009 13:52