sexta-feira, 27 de abril de 2012

Vida na nuvem

Tem gente que faz a gente se sentir uma velhinha coróca. Tenho um colega de trabalho assim. Tudo dele está na nuvem. Não, ele não é avoado e fica contando carneirinhos o dia todo. Não estou falando das nuvens branquinhas lá em cima do céu. Mas do mundo digital.

Ele não tem agenda. Ela está na Google Agenda, onde é possível não só marcar seus compromissos como compartilhar eventos com outros interessados. Arquivos gravados em pastinhas no computador é coisa do passado. Está tudo no Google Docs, onde ele também pode dividir com outros, sem ter que ficar anexando e-mails. Aliás, e-mail pra ele já está meio ultrapassado, só usa porque a maioria ainda está presa a esta antiga (?) ferramenta. Ah, as contas do banco. Eu que me achava super organizada com minha pastinha com divisórias para os comprovantes de cada coisa fiquei constrangida quando ele me disse que não guarda nada destas coisas. Ainda tentei argumentar. Mas fui vencida: “Para que se está tudo arquivado no seu banco, é só ir lá e imprimir se precisar”.

Senti-me ainda mais ultrapassada quando demonstrei uma certa preocupação com relação à privacidade destes dados. E mais uma vez perdi a parada: “Estes dados não ficam disponíveis para todo mundo, só para você e com uma senha que só você sabe”.

Acabei me convencendo do quanto essas ferramentas são mesmo revolucionárias, porque elas conseguiram até aposentar o próprio PC, que é a sigla de personal computer. Ou seja, com a vida na nuvem, ninguém precisa nem mesmo carregar pra lá e pra cá o micro. Necessita apenas de qualquer micro conectado à rede para trabalhar e se comunicar.

Essas coisas me fascinam e ao mesmo tempo plantam um certo temor de ficar para trás. Mas que venham mais facilidades que nos dão cada vez mais liberdade (tanto de expressão quanto de ir e vir) e que eu tenha fôlego pra entender tudo isso, mesmo quando me tornar de verdade uma velhinha coróca.


Patrícia, A Solteira

7 comentários:

Bruna Angeli disse...

Nossa acho isso tudo o máximo, só que me falta um pouco de paciência para fuçar ou correr atrás de aprender, o Google Docs é realmente o máximo, fiz um curso de excel avançado que o Prof. só mencionou as possibilidades que ele oferece...meu ex-chefe também é super antenado nisso, já a esposa, aff nunca vi gostar tanto de um papel...Espero ter mais paciência e também não ficar para trás...

27 de abril de 2012 06:51
Andarilho disse...

Eu tb comecei a passar quase tudo pra nuvem.

27 de abril de 2012 09:10
Danielle Cosme disse...

Nossa, eu me senti um pouco assim, a um ano atraz quando comecei a trabalhar numa empresa de TI. O mundo da TI é um universo paralelo, uma linguagem unica, tudo na nuvem, tudo gerenciado por um software, qualquer dispositivo (pc) que tiver um agente instalado pode ser "vigiado" de qualquer lugar, basta estar conectado à rede..é um BBB dos computadores. No começo estranhei , mas agora amo tudo isso.
Danille Cosme
http://apalavraescolhida.blogspot.com.br

27 de abril de 2012 10:21
Carol disse...

Fico até com medo.
I love papel. Dá vontade de abraçar uma caixa de sulfite e cantar..."Não se vá, não me abandone, por favor...pois sem você vou ficar loucaaa..."

27 de abril de 2012 14:21
Priscilla Santos disse...

É, pensando bem, preciso me atualizar... rsrsrs
Adorei!

Bjs,
Pri.
entrintecendo.blogspot.com

27 de abril de 2012 18:06
Anônimo disse...

Menina,
outro dia eu passei na frente de uma "microcamp" e quase me inscrevi. E de pensar que há dez anos eu tirava sarro de quem fazia "SOS computadores". "Esse povo que não sabe nem abrir e-mail...tsc tsc".
Mal sei usar o sistema desse nosso blog, hahahaha

Mas vamos ter que nos atualizar, ora pois, que jeito...

bjs

deb na terra

28 de abril de 2012 19:43
Evelin disse...

Adoro a vida nas nuvens! Até hoje não sei usar agenda física =/

Beijos

Evelin

2 de maio de 2012 10:57