segunda-feira, 2 de abril de 2012

Ah, que lindo comendo macarrão!

Gente apaixonada é assim, insuportável. Tenho uma amiga que vive dizendo: “Hoje não estou a fim de ambiente com casais apaixonados”. E eu entendo. Eles não desgrudam (porque mais do que dois minutos sem se tocar já é motivo de saudade). Os olhares cruzados todo o tempo, como se nada mais interessante houvesse em volta. E os beijos... Lentos, roçantes, molhados, entremeados por cheiros, infindáveis... E o papo só gira em torno das qualidades de um e de outro. “Sabia que ele sabe tocar violão”? E os sorrisos... Abertos, exagerados e jogando a cabeça para trás. Ao comerem, trocam beijos mesmo com as bocas sujas de molho. “Argh”, diriam. Mas, para eles, a necessidade de um beijo a cada segundo é muito maior, por isso, simplesmente se esquecem das etiquetas. Além disso, acham um ao outro simplesmente irresistíveis mastigando. “Ah, que lindo que você fica comendo macarrão!”. E vivem limpando a boquinha um do outro com o guardanapo, bem lentamente, e mantendo o olho no olho. Entram numa espécie de catarse com este simples gesto.

Definitivamente, ficam ridículos para o resto da humanidade não-apaixonada. E o humor? Nunca perdem a paciência. Acham tão bonitinho um ao outro nervoso que esquecem porque um ou outro estava nervoso. Agarram-se no supermercado, no semáforo fechado, no restaurante, no consultório, no portão. Simplesmente não se pode virar as costas para esse tipo de gente que, pronto, estão lá já atracados.

E assim circulam... Circulam, não, flutuam, como se só o hoje existisse. Que bom seria se este estado de graça dos primeiros momentos de paixonite aguda permanecesse. Mas já que não é assim, melhor esquecer o restante da humanidade mesmo. Afinal, tem coisa melhor do que querer estar dia e noite grudado em alguém? Morrer de rir do sem graça? Achar lindo um desajeito? Charmoso um desalinho? Não enxergar a olheira, os pés sujos, o furo na camiseta, a maquiagem borrada, a unha lascada, uma gordurinha aqui e ali. Ganhar presentes, flores, poesias, torpedos, emails, bilhetes, chocolates. Ai... ai... Uma semana cheia de amor para todos vocês. <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3 <3

Patrícia, A Solteira

6 comentários:

Andarilho disse...

Que romântico.

2 de abril de 2012 08:43
Anônimo disse...

Hoje casada, vivo um relacionamento apaixonado há 12 anos. Parece mentira, mas é possível um casal se manter apaixonado. Ter interesses em comum com meu marido parece me ajudar a estreitar esta camaradagem. Porém, acho que não há fórmulas para explicar como manter um relacionamento sem nunca ter dormido brigado, sem nunca ter terminado ou ameaçado ir embora com as malas no meio da madrugada. Em uma sociedade em que tudo isso é comum, parece que sou eu a alienígena....

2 de abril de 2012 08:57
Flá disse...

Aiiiiii,é verdade, quando a gente não está nessa vibe apaixonada isso tudo parece meio irritante! HAUIHAuihaiuhiauhiahia,mas bem me lembro de estar assim,toda boba,fazendo tudo isso-ou pior! Como me aguentaram? hAUIHuaihuiaHUhauiA
Aproveitem,apaixonados...é muito bom!

2 de abril de 2012 12:46
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Nossa, Pat, verdade, todos os casais muito apaixonados são ridículos, hahaha!!!

Beijos, beijos,

Bela - A Casada

2 de abril de 2012 15:41
Carol Leão disse...

Estou me sentindo assim, meio ridicula. Tão Bom ! hehehe

3 de abril de 2012 13:05
Evelin disse...

Consegui me sentir mais ridícula agora hahahaha

Beijos

Evelin

8 de abril de 2012 10:45