quarta-feira, 11 de abril de 2012

Sobre solteirice, felicidade e solidão


Me fez muito bem entrevistar, para o blog da revista Herbarium, a psicóloga norte-americana Bella dePaulo. Especializada em solteirice, ela levantou pontos muito interessantes sobre a vida sem marido (ou mulher). Não que eu nunca tivesse refletido sobre o assunto, claro. Já refleti bastante e inclusive registrei pedaços da minha opinião aqui, mas Bella (Com esse nome, ela só podia ser ótima, né? Hahaha!!!) me fez pensar além.

Em primeiro lugar: por que tanta gente se incomoda com o fato de que o mundo está cheio de pessoas que não se casaram? Por que os casados são aqueles que mais querem arrumar casamento para os outros? “(...) Algumas pessoas consideram assustador que tanta gente esteja vivendo só e amando essa escolha. Isso vai contra a crença delas de que é preciso estar casado para ser feliz”. Achei perfeito. É a velha história da diferença que incomoda. Por que é tão difícil aceitar que os outros tenham feito escolhas opostas às nossas? Ai gente, que preguiça dessa superficialidade. Que preguiça de lembrar o óbvio: exibir uma aliança na mão esquerda não é garantia de felicidade para ninguém, nunca foi.

Outra questão que eu achei ótima: abaixo o mito de que os solteiros estão fadados à solidão na velhice. “Alguns estudos feitos nos Estados Unidos apontaram que os solteiros ajudam mais seus parentes, amigos e vizinhos do que muitos casados. Isso além de manter contato com esses grupos com mais freqüência. Muitas vezes, os casais dedicam quase todo o seu tempo e atenção para o parceiro. Nesse caso, quando o casamento acaba, eles descobrem que estão sozinhos, que não têm ninguém ao lado deles já que, até então, só tiveram olhos para o companheiro. Já os solteiros, especialmente as solteiras, normalmente dedicam parte do seu tempo aos parentes e amigos ao longo de toda a vida adulta. Isso significa que eles têm menos chances de ficarem solitários na velhice.” Viram só? Eu só tenho a acrescentar um comentário: para mim, ter um filho ou permanecer ao lado do marido só para ter quem cuide da gente lá na frente é de um egoísmo sem tamanho. Melhor economizar para poder pagar um bom lar de idosos no futuro. Eu já fiz matéria sobre um tão luxo, glamour e riqueza perto da Av. Paulista que fiquei com vontade de me mudar no dia seguinte.

Obrigada pelas reflexões, Bella! Vamos tratar de ser felizes. E, como a gente adora registrar aqui, independentemente do estado civil.

Besos a todos, muito amor,

Isabela – A Casada que acredita que a solteirice pode ser ótema também 

6 comentários:

Andarilho disse...

É o famoso 'antes só do que mal acompanhado(a)'.

11 de abril de 2012 09:51
Evelin disse...

A maioria das pessoas que conheço, esquecem dos amigos quando estão com namorado/noivo/marido. Sempre considerei um erro. Aí termina, lembra que amigos existem.

Minha ex chefe é um exemplo de solteira feliz. Não teve filhos nem marido e já está na casa dos 60. É a pessoa mais bem resolvida que conheci na vida.

E que bom que podemos ser feliz "sozinho" srs

beijos

Evelin

11 de abril de 2012 10:22
Renata Gama disse...

Moro sozinha e sou solteira. Quando me perguntam algo como "nossa, mas vc não se sente sozinha?", costumo responder: "só me lembro que estou sozinha quando alguém me pergunta".

daí, depois é notar as caras de céticos qdo vc tenta explicar que "está tudo bem".

11 de abril de 2012 12:33
Raquel disse...

É... tudo o que contraria a corrente encontra resistência. Quando li a matéria pensei que os casados sem filhos também passam por preconceito semelhante. Outro dia comentei com uma prima que se eu não engravidar (não tá rolando) também não vou adotar. Eu e meu marido seremos um casal sem filhos e pronto. Ela ficou visivelmente chocada e falou: mas com tanta criança órfã por aí você não vai adotar??? Ou seja, você é obrigado a casar pra ser feliz e ter filhos pra não ser chamado de egoísta. E se não adotar é um desalmado sem compaixão.

11 de abril de 2012 16:15
Leila Nobre disse...

Grande oportunidade de Renda Extra! Você não precisa comprar nada, apenas divulgar os serviços da empresa. Nesse sistema você terá ganhos semanais e mensais, chip da Nextel, plano de saúde e muito mais. Você terá total suporte da empresa e direito ao material de apoio e divulgação. Saiba mais através do site http://www.frpromotora.com/leilanobre626576

12 de abril de 2012 18:47
Fanzine Episódio Cultural disse...

Lágrimas de Areia

Lá estava ela, triste e taciturna.
Testemunha de efêmeros conflitos,
Com um olhar perdido no tempo,
Não exigia nada em troca
A não ser um pouco de atenção.

Sentia-se solitária, oca,
Os homens admiravam-na pelos seus dotes.
As crianças, em sua eterna plenitude,
Admiravam-na muito mais além...
... Mais humana!

De sua profunda melancolia
Lágrimas surgiram.
Elas não umedeceram o seu rosto,
Mas secaram o seu coração,
O poço da alma,
Aumentando cada vez mais
A sua sede.

Lá ela permaneceu; estática, paralisada!
Esperando que o vento do norte a levasse
Para bem longe dali!

O dia começou a desfalecer.
Seu coração, outrora seco e vazio,
Agora pulsava em desenfreada arritmia.
Desespero!
A maré estava subindo...

Em breve voltaria a ser o que era:
Um simples grão de areia.
Quiçá um dia levado pelo vento,
Quiçá um dia... Em um porto seguro.


Do livro (O Anjo e a Tempestade) de Agamenon Troyan

SKYPE: tarokid18
MSN: machadocultural@hotmail.com
TWITTER: @episodiocultura

25 de maio de 2012 21:59