segunda-feira, 20 de outubro de 2008

As perguntas que não querem calar. Mas deveriam!

"E aí, tá namorando?". "E os amores, como vão?". "E aí, já conheceu alguém interessante no trabalho novo?" "E aquele cara que você tava de rolo? Como é que ficou aquela história?"

Sabe que quando me fazem algumas dessas perguntas, e as mais de 10 milhões de variáveis que se aplicam, sempre pensei em dar algumas respostas cretinas à la Dan Martin (vide: Respostas cretinas para perguntas imbecis)... Mas na hora, o máximo que consegui responder não foge ao jogral não, vão indo, ainda não, desencanei, nesta ordem ou aleatoriamente. Tudo sempre acompanhado de um rubor fervente na cara. O que me deixa ainda mais vermelha. Só que de raiva de mim mesma. Por que diabos ficar sem-graça com estas perguntas? Enfim, pode ser caso de análise.

Voltando às respostas insossas e em qualquer ordem. Que adianta responder!! Essas perguntas serão feitas de novo, e de novo, e de novo, e de novo. Nossa, parece que ser solteiro é ter uma suástica na testa. Solteira então, credo, aí danou-se!

Muitas perguntas, mais perguntas, incessantemente, indiscriminadamente, enlouquecedoramente!!!

Fico pensando se um dia me dá a louca e respondo uma barbaridade. Assim, na lata. Será que consigo? Bom, aqui vai um rápido exercício:

"E aí, tá namorando?" Não, mas tô pegando geral. Homem, mulher, tudo que se move e/ou respira. Sabe que você é bem interessante?

"E os amores, como vão?" Vão uma merda. E os seus? A mesma bosta de sempre?

"E aí, já conheceu alguém interessante no trabalho novo?" Sabe que tem um cara bem bacana que senta perto de mim....Mas ele tem uma psoríase que não regride, faltam justo os dois dentes da frente, o resto é meio amarelado. E o cabelo é também assim meio grudado, sabe. Ele sua muito, muito. Só que, pôxa, ele é tão bacana. Acha que devo dar uma chance?

"E aquele cara que você tava de rolo? Como é que ficou essa história?" Ele se mudou para a Maracangalha. Ficou de me ligar quando chegar lá. Sabe que tô feliz com essa mudança. Não gostava de transar com ele não.

Quem sabe um dia crio coragem.

A Solteira

3 comentários:

Paloma disse...

Sensacional! Essas eram as respostas que eu gostaria de dar quando era solteira. Casei, e as perguntas mudaram para "E os filhos?". Quando a filha nasceu, praticamente esqueceram da minha existência. Mas, bastou eu me separar, pra começarem com as perguntas. "E aí? Conheceu alguém?"; "E aquele carinha? Você já apresentou pra sua filha?"; "Nossa, não deu certo? Será que você não está sendo muito exigente?"...E por aí vai...Ou seja, muda o estado civil, mas as pessoas continuam as mesmas...inconvenientes até o último fio de cabelo...hehehe

21 de outubro de 2008 10:18
Keyllita disse...

Gostei muito dos textos, especialmente o das perguntas indesejáveis, descabidas e incovenientes. No meu caso a ordem sempre foi a seguinte: Quando é que vc arruma um namorado decente pra parar de ir de festa todo fim de semana? Quando é que vc vai casar e ter responsabilidade (nao entendo a relaçao entre essas duas coisas)? e, finalmente, agora que tenho um namorado sério (hihihi: Vai casar na igreja? E os filhos? Vao falar que idioma (ele é catalao)? e Se vcx se separarem, quem fica com as crianças?... Resumindo, um horror! Sem falar que antes de eu vir pra Espanha a explicaçao era que "o meu homem nao era brasileiro" hahahahaha, essa é boa! Beijos, mulheres de 30!

25 de outubro de 2008 07:35
jadyr disse...

Kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk!

Muito bom solteirona!!!

Ufa, quando vi este Blog achei que SÓ nós, homens, levaríamos pau: mas não, sobra para as mulheres tb!

Sua seleção de perguntas desagradáveis (para dizer o mínimo) é ótima. Faça outras!!!

Quisera eu também responder como vc!

Adorei!!

Sucesso

28 de outubro de 2008 11:03