terça-feira, 28 de outubro de 2008

Bem-vinda, fênix

Meus irmãos, dois homens lindos, e cada um ao seu modo, duas figuras muito interessantes, passaram a me chamar de fênix desde a minha separação. Hoje, ao chegar em casa do trabalho, fui recebida por ambos com uma estátua da ave renascida das cinzas. Já arrumei um lugar nobre para ela no escritório. Numa prateleira bem visível.

A minha fênix colorida me diz que é muito bom começar de novo. De um jeito novo. E que, na tábula rasa dos meus dias, eu quero mais é atitude, frio na barriga, emoções de primeira viagem, noites escandalosas com princípio, meio e fim. Adoro o escândalo. O avesso e o melhor. Que as cinzas me fizeram muito bem.

Bem-vinda, fênix. Não saia nunca mais daqui.

A Divorciada