terça-feira, 14 de abril de 2009

Ele não está tão a fim de você


Inaugurei as minhas férias, ontem, indo ao cinema no meio da tarde (um luxo pegar a sessão das 15h, não? Eu acho) em plena segunda-feira. Fui ver Ele não está tão a fim de você. Divertido, coerente, muito próximo da realidade, na minha modesta opinião. Impossível não se identificar com algumas das situações mostradas: traição, rejeição, paqueras que não dão em nada, homens que não são aquilo que parecem ser. Isso mesmo, muitas reflexões são colocadas em jogo, mas a principal delas é: se ele não procurou, é porque não está tão a fim de você. E ponto. O filme é baseado no livro Ele simplesmente não está a fim de você, de Greg Behredt e Liz Tucillo. O assunto já rendeu até um episódio ótimo de Sex and the City, no qual Miranda tem a compaixão de abrir os olhos de duas desconhecidas que discutem o clássico “por que ele não ligou” na rua.

Querem saber? Eu concordo com os autores do livro. E fico com a praticidade masculina nesse ponto: não ligou? Não procurou? É porque não queria mesmo. Melhor partir para outra, que uma hora alguém vai ligar. Não era para ser, simples assim. Há quem defenda a tese de que, diante da possibilidade de envolvimento, de ter encontrado uma mulher que veio para abalar, alguns homens recuam, ficam com medo, se escondem. Será? Huuummm, não acredito: quando a gente realmente quer, a gente enfrenta. Aprendi com a minha amiga, irmã e psicóloga 24 horas Alynne.

Algumas mulheres apostam ainda em hipóteses como “ele ficou assustado porque eu sou muito forte”, “nunca esteve diante de uma mulher independente, por isso saiu fora”, “eu assusto os homens”. Faz algum sentido, não faltam frouxos com F maiúsculo por aí. Agora, numa boa, se o cara agiu assim, é porque não estava tão a fim de você. Era porque queria estar ao lado de alguém com outro perfil. Mesmo que ela seja uma bobinha que não honra as calcinhas que veste. Conheço muitos marmanjos cujo ideal máximo de mulher é uma burrinha de companhia... Melhor mesmo que tipos assim não tenham o menor interesse por você....

A Divorciada

11 comentários:

conversaatrevida disse...

eu não li o livro e não vi o filme ainda, mas escrevi sobre esse tema no meu blog por conta de uma matéria do Fantástico.
Entre outras coisas escrevi:
"Bom, eu tenho o ‘meu jeito’ de lidar com o assunto.
Primeiro: confesso que nisso sou ‘mocinha’; primeiro espero que ELE me ligue.
Segundo: quando conheço alguém interessante procuro saber de algo que me possibilite ligar pra ele se ele não me ligar depois; pode ser a dica de um filme, o nome de uma banda ou de um restaurante, um livro...Qualquer coisa que eu possa usar se ele passar dois dias sem me ligar.
Terceiro: então eu ligo (e, claro que NÃO pergunto ‘porque você não me ligou’?), digo que estava pensando na conversa agradável/gostosa/divertida (aí depende de como foi o papo entre a gente) de quando nos conhecemos e não consegui lembrar o nome do livro/restaurante/música (enfim, da ‘dica’ que ele me deu).
Às vezes acontece do cara não ligar pra gente porque não tava a fim mesmo, às vezes não ligou porque lavaram a calça dele com o número do telefone que escrevemos num guardanapo; vai que ele sofreu um acidente e está em coma profundo, talvez sonhando que está fazendo a tal ligação? (será que se sonha estando em coma???)
MAS se EU fiquei interessada, porque não dar uma nova chance da gente se reencontrar?

Enfim...só não vale ligar pra perguntar 'porque vc não ligou'? ou então ficar forçando um novo encontro se o cara não desenvolver assunto.
A gente esperou...depois tentou (nem sempre nessa ordem).
Não deu certo, levou um fora?
Paciência.

Afinal quantos FORAS a gente também não deu?
Faz parte.

bjo

Atrê

15 de abril de 2009 02:36
Anônimo disse...

Meninas, adoro o blog de vcs e queria sugerir um assunto e saber a visão das 3.

São as "fases" dos relacionamentos.
Sabe? Começa com a paquera, o encantamento! Depois passa para a paixão, aí vem a realidade, que talvez se transforma em amor, depois do amor vem as brigas e a separação.

Enfim, uma visão fria mas com "começo / meio / fim"

Se Deus quiser sem fim para nossa amiga casada (rs), mas gostaria de saber as experiências que já passaram nessas fases e que compartilhassem com a gente!

Beijão

15 de abril de 2009 10:00
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Puxa, anônima!

Que coincidência, estava justamente pensando sobre isso agorinha mesmo.

Isso porque fui ver o filme aí em questão ontem à noite e fiquei pensando muito sobre essas fases: o tesão, o encantamento, o namoro tudo azul, o amor, amor amadurecido, o amor trêmulo e o amor que já não existe.

Outro dia vi uma entrevista com a Marília Gabriela na qual ela faz um reflexão entre a diferença entre paixão e amor. É muito lindo. Quando nós três escrevermos esse post sugerido por vc, vou colocar a frase dela ;-)

Obrigada pela sugestão!!

bjss

Deb, a Casada

15 de abril de 2009 11:03
simone disse...

Ainda não vi o filme, e o livro só dei uma foleada na livraria...mas parece bem bacana, sensato, nada como encarar a realidade e não fazer as coisas maiores do q elas são

bjs

15 de abril de 2009 11:18
Camille Mollona disse...

Guria, faz um tempao ja q to a fim de olhar este filme e a preguiça nao deixa...mais hoje depois de ler o blog...fiquei louca de vontade de ir. Já ate avisei meu filho pra ele ir mais cedo pra natação pra depois irmos juntos ao cinema.

Ainda sou aquelas bobinhas q sempre espera o cara ligar...mais acho q com este filme vou cair na real!!!

Beijao!!!!

15 de abril de 2009 13:11
Alynne disse...

Amiga, irmã e psicóloga 24 horas foi ótimo!!!! rsrsrs.

Sinto não estar acompanhando com tanta frequencia o blog. Mas todos os que eu leio são fantástivos! Parabéns!

15 de abril de 2009 13:29
Anônimo disse...

Concordo totalmente com a teoria (comprovadíssima na prática) de que se ele não ligou é pq não curtiu. Qdo um homem quer, ele nem precisa de telefone para entrar em contato. Isso aconteceu comigo uma vez...Logo após 'ficar' com o meu ex-marido, nos despedimos sem trocar telefones. Dias depois, ele deixou uma cartinha na minha portaria, elogiando a noite e deixando o número do telefone. Liguei, saimos e nos relacionamos, até o amor acabar. Enfim, tudo isso pra dizer que, quando foi bom o suficiente, eles transpõem os obstáculos e fazem contato, nem que seja por sinal de fumaça.

15 de abril de 2009 21:24
Fefeh disse...

hahahah eu já tinha vindo aqui e vi q vcs fizeram um post sobre o filme e eu ia justamente fazer um falando dele tbm, pq amay horrores, ainda mais o final!

E já tô escrevendo meu texto pra participar da promoção! Adorei o tema (e os prêmios tbm, rs).

Vou colocar vcs na blogroll pra poder acompanhar!

Bjos e adorei conhecê-las!

15 de abril de 2009 22:59
Camila Florêncio disse...

Ir ao cinema no meio da tarde ser um luxo??? Concordo demaaaais... Meu sonho poder fazer isso!

15 de abril de 2009 23:27
Karen disse...

fiquei com vontade de ver o filme, adoreiii vcs =D

pega meu msn com a isabela pra conversarmos =)

16 de abril de 2009 00:00
Paula disse...

vc JURA q n vai achar que é imitação se eu fizer um post sobre o filme?????????????????? assisti essa semana e AMEIIII
HAHAHA

vc tb falou td, baby!
bjs

17 de abril de 2009 22:40