sábado, 11 de abril de 2009

Vai um looping aí?

Entre os milhares de luxos que a solterice proporciona a nós, mortais ainda sem compromisso com nada, está o de curtir os amigos. E isso inclui um domingo in-tei-ro no parque de diversões. Sem ninguém para ficar com ciúmes ou ligar a cada cinco minutos, lá foi a solteira com mais três figuraças – igualmente solteiros, livres, leves e soltos – surtar. A única obrigação era essa: surtar!

Ok, para chegar na montanha-russa foi preciso enfrentar duas horas e meia de fila. A engenhoca atendia pelo aterrorizante nome de “Montezuma”. E não era licença-poética. O brinquedo era feito de madeira e sacudia igual um pau-de-arara. Logo, ao invés de gritos, frio na barriga e gargalhadas, a experiência de 1 minuto foi vivenciada do começo ao fim com as seguintes frases intercaladas:

Puta que pariu como essa porra sacode! Ai minha cabeça!
Merda, olha o que vem ali na frente. Deixa eu fechar o olho e encolher os ombros para não deslocar o pescoço...

Solteira e todos os amigos emudeceram. Montanha-russa de madeira nunca mais de novo. Dali seguiu-se um almocinho bem tosco de hambúrguer, batata frita, refri e milk-shake, que comemos no chão mesmo. O momento estava ótimo, apenas interrompido por uma criatura do parque, paramentada igual uma retardada, e que tinha a função de chamar-as-pessoas-para-o-teatrinho-que-começa-já-já-gente!-Vamos? “Não, obrigada!”, respondi. Teatrinho não é recomendável para quem deseja desestressar, certo?

Ah, sim, antes do rango rolou uma visitinha à tumba do faraó. Resumindo: um trem-fantasma a pé. A maior tumba de faraó da América Latina, anunciava o alto-falante. Bom, como não tem tumba de faraó por essas bandas, concluímos que o tal anúncio era de uma cara-de-pau absurda, essa sim, a maior de toda a América Latina. Os atores eram bons, mas as múmias eram robôs que não saíam da tumba. A melhor atração foi o cara que puxou o grupo que entrou conosco. Ele seguia na frente, sempre o primeiro a virar as esquinas. Tudo para voltar correndo e esbarrando em todo o mundo. Gritos! Pânico à toa, não tinha nada na frente... O final era anunciado, dava pra ver as frestas de luz vazando pelo bloco de “pedra”. Tsc-tsc...

E o faraó? Pois é, o faraó - o ápice do terror, o momento master do pavor, aquele sujeito pago pra fazer a gente urinar nas calças - ficava escondidinho na última esquina antes da saída, igual criança. Deu um sustinho, BÚ, e acabou. Mesmo assim, um dos meus amigos teve a capacidade de levar um cagaço com isso... Pano rápido!

Da tumba, fomos para o faroeste, andamos num trem-fantasma que o fogo era feito de papel crepon, hilário! E só tinha bonecos, ninguém pra correr atrás da gente. Haja esforço para ficar com “meda”! A parte mais bizarra deste brinquedo era a baixinha que encaminhava a gente para os carrinhos, logo na entrada. Era igual ao Igor, o assistente do Dr. Frankenstein. O pior é que a semelhança não era intencional, sacaram?

Dos radicais, o looping foi a nossa redenção. Duas voltas de cabeça pra baixo, de frente e de costas. Sim, o looping voltava de ré. Berramos tudo o que não foi possível na montanha-russa. O barco viking também é sensacional para soltar as tensões. Especialmente quando o seu amigo, sentado ao lado, levanta o bumbum do assento cada vez que a embarcação chega próxima dos 90 graus em relação ao chão. Gritei muito, muito, muito!

Saldo do dia: roupas encharcadas por causa de um toró que fechou o parque por 40 minutos, oito brinquedos desfrutados, dois algodões-doces, dois hambúrgueres, duas batatas, dois refris e dores no corpo todo. Quer desestressar? Faça como as crianças: vai pro parque minha filha!

Giovana - A Solteira

5 comentários:

Supervisão disse...

ai, a roddddãããããããmmmmm...
seria eu seu amigo que levou susto na múmia?
leo

11 de abril de 2009 16:05
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

NUSSA!
Simplesmente odeio montanha-russa!
Sou mais ir no teatrinho...rs

deb, casada

12 de abril de 2009 20:46
Camille Mollona disse...

Hehehehehe....to rindo muito sozinha desta tua aventura prima!!!!
Vai dizer q nao foi mais divertido conhecer o Zaffari...hehehehe
Bjao e otima semana!!!

13 de abril de 2009 08:30
mulherpolvo disse...

adorei!"!!!

13 de abril de 2009 11:07
Anônimo disse...

Da próxima vez me chama...

Adorei!!! hahahaha

Beijão

Geo - a quase tua xará

13 de abril de 2009 19:16