domingo, 12 de abril de 2009

...o importante é que emoções eu vivi!

Os dez anos de carreira de Deby Reportinha

Me lembro como se fosse hoje. Era Páscoa. Foi a primeira vez que eu ganhei um ovo gigante. Foram os office-boys do Estadão que me deram. Com um cartão lindinho, e assinado por todos, eles me desejavam sorte lá no “andar de cima” – afinal, eu partiria daquela para uma melhor. Eu me despedia da curta carreira de caixa de banco no subsolo do Estadão para ocupar um espaço na redação do jornal, no sexto andar. Isso foi em 1999. Como estou completando dez anos de carreira jornalística, resolvi relembrar minha trajetória.

Na verdade, tudo começou em 1989, aos dez anos, quando montei meu primeiro negócio: lancei um jornal. Eu era a repórter, redatora, chefe de redação e entregadora da “Folha da Maria Tereza” – o jornalzinho da minha rua. Eu só não era a revisora. Daí o fato de os meus vizinhos sofrerem para ler aquele garrancho cheio de erros. Em 1995, no segundo colegial, consegui fazer parte de uma tal equipe de pauta do Folhateen. Durante um mês, fui à Folha uma vez por semana para dar sugestões para matérias. Uma vez dei uma sugestão e o editor riu da minha cara. Duas semanas depois lá estava minha ideia na capa do caderno. Comecei a entender os jornalistas...

O estágio no Estadão foi demais. Só atendia telefone, dispensava os frilas para o meu chefe, desmarcava o médico dele e fazia uns resuminhos de livro. Mas ainda assim era um sonho. Foi nessa época que conheci a amiga Gio - A Solteira , mas só por telefone. De lá fui para a primeiríssima equipe do Valor Econômico (onde conheci o maridão). Dois anos depois, com a bolha da internet, fui demitida. Rapidinho eu descolei uma vaguinha no Diário do Comércio. Tinha que editar o caderno de Política e Internacional. Era chato pacas, mas além de aprender na marra a editar, fiz grandes amigas – entre elas, Bela - A Divorciada.

Tirei férias de quatro meses e fui para a Espanha pensar na vida. Voltei e fui para a Época, onde assumi uma coluna com resumos da semana e a incrível seção de frases. Como sempre tinha que colocar uma gostosona semi-nua na seção, virei a responsável pelo departamento “a gostosa da semana”. Um belo dia, me pregaram uma peça. Me obrigaram a ir trabalhar com uma dona de quem eu não gostei nadica. Pedi demissão em três semanas. Isso foi no começo de 2006. Na semana seguinte, um ex-chefe muito querido me chamou para trabalhar com ele em sua modesta agência. Fui correndo.

Foram dois anos deliciosos lá. Fazendo coisas nunca antes feitas. Mas resolvi tirar mais um longo período de férias. E lá fui eu para Nova Zelândia passar três meses. Voltei decidida que não queria mais saber de emprego. Seria minha chefe, dona do meu tempo, um misto de empresária-frila-dona-de-casa e tudo o mais. Vivo assim desde agosto. E estou amando.

Mas só posso viver assim porque rodei um bocado por aí. Porque conheci muita gente maravilhosa – os sacanas e fidiputas eu já apaguei do HD – que nunca me deixa faltar trabalho. Mas mais que isso: fiz muitos amigos. Paguei muito mico também, claro. E ainda bem: tenho algumas historinhas para contar. Como me esqueceria daquela vez que eu fui tentar entrevistar aquele psicopata do Antonio Abujamra e ele quase me estrangulou? Ou então aquela viagem para Curitiba com Zezé di Camargo e Luciano? E como não contar do apelido que me deram depois que eu entrevistei a Bruna Surfistinha pela milésima vez? Virei a Deby Reportinha. Teve ainda a minha tentativa de entrevistar o Carlos Slim durante uma viagem ao Chile. Como eu estava sentada algumas fileiras atrás dele, escrevi um bilhetinho bem apelativo, no meu melhor espanhol, pedindo uma entrevista e mandei para ele. Ele sorriu ao receber. E fez "não" com o dedinho ao ler.

E tem muito mais história. Mas esse post já está deveras cansativo. Espero que os próximos dez anos sejam tão bacanas quantos essa primeira década.

Débora – A Casada




Com uma das minhas parceiras prediletas, recebendo um prêmio nada conhecido, mas super lucrativo, haha



Dando uma de paparazzi no Chile, enchendo a cara do segundo homem mais rico do mundo, Carlos Slim, de flash



Conhecendo a 'capitar nacionar' a serviço



Com Ali, um refugiado palestino fofo que só vendo! Esses são os entrevistados com quem vale a pena fazer uma foto "a la tiete"

11 comentários:

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Oi Gatona,

Amei!!! Parabéns pela primeira década de jornalismo, emoções e causação, hahaha!!!

Ai que fofos esses boys que te deram o ovo...É que vc é muito fofa tb. E gentileza gera gentileza.

Acho vc ótima. Em tudo. Cubra-se de glórias.

Beijão,

Bela - A Divorciada

12 de abril de 2009 20:50
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Deby Reportinha,
você é um MUST. Must have na lista das amigas do coração. Te adoro! Bora na montanha-russa comemorar?
Beijos e mais 10 anos de sucesso,
Gio, The single one

12 de abril de 2009 20:58
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Esqueci de comentar que a "Folha da Maria Tereza" é tudo!!!!

Beijos,

Bela - A Divorciada

12 de abril de 2009 22:10
herc disse...

muito bem!
páskoa feliz

13 de abril de 2009 01:30
Camille Mollona disse...

Adorei...saber um pouquinho da tua historia...e aguardando noticias das novas aventuras!
Bjao e otima semana!!!

13 de abril de 2009 09:46
Paula disse...

Querida Reportinha
Parabéns pelos 10 anos de carreira!!!! :D Quanta história massa!!

Eu devia ter feito jornalismo, mas terminei caindo na publicidade. Amo descrever, entrevistar pessoas... Em quase 5 de formada, sinto que não fiz quase nada ¬¬ Depois de ler seu post, me deu uma vontade danada de mudar isso.

bjosss

13 de abril de 2009 16:24
Keyllita disse...

Mulher maravilha!

Parabéns pelos seus 10 anos de sucesso jornalistico! E sim, como dizem por aki em Alagoas, "bote pra moer"!

Beijos da admiradora transatlantica!

PS.: Vc bem que podia se juntar com a divorciada e passar uns dias aki em Barcelona, neh?

13 de abril de 2009 18:05
Anônimo disse...

Dedé do meu coração!
Que lindas nós duas recebendo prêmio! rsrsrs
Êita! Bateu uma saudade danada de dividir a sala e as pautas contigo.. dos nossos almoços, chás e cafés divertidos e cheios de idéias... de tagarelar entre uma entrevista e outra. Ah, e de pegar carona no corsinha vermelho e depois continuar a tagarelar até na hora de assistir a novela, lembra? hahahaha

Amo muito vc e tudo isso!

Que o sucesso e a felicidade te acompanhem sempre...

Beijão

Geo

13 de abril de 2009 19:14
Paloma disse...

É verdade, Dé. Das redações, a gente leva um pouquinho de experiência, mas muitos amigos. Você, com certeza, uma das melhores que fiz na vida. E continuamos trabalhando juntas, o que é ótimo (apesar de eu ser um pouco chata, i know...heheeheh...)
bjos
Paloma e Isa

13 de abril de 2009 21:13
Camila Florêncio disse...

Como eu desejo ter tanta história legais assim pra contar, daqui uns 10 anos...
=)

13 de abril de 2009 23:41
Ricardo Suman disse...

Toda vez que precisar do efeito placebo, leia de novo todos estes comentários :)
Parabéns pelo sucesso merecido.
Beijão

15 de abril de 2009 14:00