segunda-feira, 5 de outubro de 2009

Débora, a conselheira - parte I

Dorinha não sabe mais o que fazer. O marido não há “procura” faz um bocado de tempo. E ela, orgulhosa que é, não o procura também. Ela desconfia que ele tem outra no trabalho.

- Só pode ser no trabalho...onde mais ele acharia tempo?, diz, enquanto me depila.

Me conta que se conhecem desde os 15, 16. Ela é dois anos mais velha que ele. Estão casados desde que ela tem 22 e ele 20. Me seguro para não dizer que não me admira que ele tenha interesse por outras. Eles têm um filho de dez anos e um apartamento cujas prestações estão sendo pagas por ela. Ele paga condomínio e “mais uma continha ou outra”.

Terminado o relato, entro em ação:

- E se ele tiver outra, qual seria sua reação? Ficaria endoidecida? Enciumada? Puta?

- Nada! Daria graças a Deus e botaria ele para fora de casa.

- Dorinha querida, então tem uma coisa sobre você que você precisa saber: você não gosta mais dele! E por que não se separa?

- Será que eu não gosto mais dele? Não sei...Mas eu me recuso a sair do apartamento. Eu que estou pagando. E ele não vai sair...a não ser que ele tenha outra e eu o coloque para fora!

- Dorinha, vamos por partes. Eu acho que você não gosta mais dele. Mas tire a dúvida: para com essa babaquice de orgulho besta e seduza o homem! Faça um esforço. Se ainda assim ele não reagir, bem, aí temos uma outra questão: ele também não deve mais gostar de você...

- Acho que é isso. Ele não me deseja mais...

- Você o deseja?

- Todo dia! Que mulher que não tem vontade de transar todo dia com o marido?

(Conheço várias, mas ok)

- Bem, se eu fosse você, tentaria mais um pouco. Se ele continuar te evitando, é a hora da conversa séria: negão, tu tem outra? Tá afim de separar e não sabe como? E você também precisa avaliar se gosta dele ainda. E, por último e mais importante: apartamento, dinheiro, filho, tudo se resolve – te lo digo!

Na hora de ir embora, ela me deu um forte abraço e agradeceu os conselhos. Disse que tentaria uma nova abordagem. Eu sorri de volta e pensei em dizer que não pagaria a depilação, afinal, tinha feito uma sessão de terapia em troca. Mas fui uma boa alma. Afinal, qual nossa função nessa vida se não trocar experiências e ajudar os outros a caminhar em frente?

Débora – A Descasada

7 comentários:

Andarilho disse...

Por isso que eu não entendo as mulheres. Parece que ela já não gosta do cara, mas quer ficar com ele, mesmo sem precisar...

Ah, desisto de vez.

5 de outubro de 2009 13:53
mulherpolvo disse...

A cada dia me torno um pouco mais sua fã !!
E esse "exame de conciência" deveria ser feito por nós mais vezes. A gente fica se apegando a pessoas ou coisas (com um emprego) que não tem mais nada a ver com a gente.
Outro tema importante que vale a pena refletir é sobre esse orgulho, que fica uma graça nos filmes de Hollywood, mas na vida real, só nos atrasa!!
Beijos, arrasou com os conselhos e com o texto!!
Boa semana

5 de outubro de 2009 13:57
wendel disse...

Se ela ainda gosta dele eu não posso afirmar. Podem estar juntos por comodidade. Como homem eu também não posso afirmar que ele esteja com outra. Tem homens que, nessa situação, conseguem ficar sozinhos. Mas uma coisa é certa, ele perdeu o apetite sexual que tinha por ela. Com certeza!

5 de outubro de 2009 17:49
baixinha disse...

e é por isso que eu digo que todo mundo tem um psicólogo dentro de si.

5 de outubro de 2009 23:02
Anônimo disse...

"- Todo dia! Que mulher que não tem vontade de transar todo dia com o marido?"

hahahahahahah ai Dorinha, qdo eu crescer quero ser igual a vc!!!

6 de outubro de 2009 08:10
Anônimo disse...

É tão fácil dar conselhos... É fácil olhar de fora e ver que as pessoas teclam a mesma tecla e não percebem...

Vc deveria ter cobrado a sessão de terapia. Terapia é mais caro q depilação e vale muito mais a pena :D Bom, é relativo... :)

6 de outubro de 2009 23:22
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Eu só dou conselhos quando me pedem. E ela pediu.

E depois de tudo o que eu passei este ano, posso dizer que estou bem habilitada a dar vários conselhos...

Mas uma coisa é verdade: só quem está vivendo a situação é que sabe realmente o que está acontecendo.

bjs

deb

7 de outubro de 2009 10:16