sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Nada como o radarzinho...

A pessoa pode estar entupida de trabalho, sem tempo pra nada e cheia de anotações de pendências infinitas na agenda. Mas o radarzinho tá lá, mapeando o ambiente. Ainda bem, porque a vida sem radarzinho seria de um tédio mortal. Se pudesse, faria a campanha "Radarzinho já". Ao menor sinal de falha no sistema, busquem ajuda, urgente... Seu radarzinho intuitivo merece.

Estou sendo muito metafórica? Quem mantém o seu radarzinho em dia já entendeu o papo reto. Mas nada como um exemplo prático & solterítico: você acaba de conhecer o sujeito em uma situação de trabalho e, naquele momento, o lance é 100% profissional, tem prazo, enfim, o mundo tá caindo e mais um pouco. Só que - do nada - serpenteia aquele vento e uma parte do seu cabelo voa na sua cara.

É pouca coisa, nem dá para notar, nem ninguém, nem você. A não ser o carinha que diz "um momento" e tira do seu rostinho o cabelo inconveniente. Assim, sem pensar, naturalmente. Foi lá e fez. E você? Curtiu a iniciativa? Achou fofo? Deu vontade do cara fazer de novo? Olha o radarzinho apitando aí gente!

Caso sim, logo, logo o seu pensamento já vai estar bem longe de um gesto singelo de tirar o cabelo da sua cara. Na verdade, você já estará pensando em situações mais descabeladas em questão de segundos. No que vai dar, não interessa. O que vale é que um simples gesto desse fez você descabelar o palhaço só em pensamento. Então é porque o seu radarzinho tá em dia. Nem só de trabalho e buchas vive a mulher, certo?

Então, se tiver oportunidade, retribua o gesto. Ouça o seu apetrecho. Quando em dia, ele costuma ser infalível...

Giovana - A Solteira

11 comentários:

Andarilho disse...

Eu não tenho radar nenhum. Eu acho que isso é uma coisa mais feminina.

2 de outubro de 2009 08:00
wendel disse...

Entendo bem deste radar...Percebo uma mulher bonita kilometros de distância...mas também sei perceber as coisas sutis, quando quero...

2 de outubro de 2009 10:06
disse...

Radar é radar sempre. E ainda bem que funciona...

2 de outubro de 2009 15:03
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Sabe quando o radar para de funcionar? Quando a gente tá apaixonada. Aí é uma merda. Mas depois, quando ele volta, volta com tuuuuuuuuuudo! hahahaha

bitoca!

debilóide

2 de outubro de 2009 15:48
Elaine Leme disse...

Oi, eu só tão pessima pra descobrir esses sinais...meu radar está total desligado. rsrs.

beijos e parabéns pelo texto

3 de outubro de 2009 09:27
flávia disse...

De vez em quando meu radar dá um tilt,rs

3 de outubro de 2009 12:43
Karina disse...

kkkkkkkkkkkkkkkk que engraçado e fofo...Radar é radar..todo mundo tem, não adianta...Bjo

3 de outubro de 2009 13:50
Paulinha Costa disse...

Sim, sim, radar é radar e se a pessoa já o percebeu depois não o ignora mais, não tem jeito. Quando a gente se apaixona ele é direcionado para o objeto da paixão só isso, não deixa de funcionar, só muda o foco.
O problema são as interferências no radar, a mensagem é X e vc entende xyz ai complica, né?
Bjsss

3 de outubro de 2009 16:41
Ana Carolina disse...

Radarzinho em dia, diversão garantida! :D Sem falar na utilidade preventiva do apetrecho, quando o que está em causa é você saber como agir, ou, ainda, como conseguir se livrar de situações, digamos assim, mais inconvenientes... hahahaha

Beijos, meninas!

4 de outubro de 2009 11:22
Anônimo disse...

Fato.

Sem maiores comentários!

Beeejo ;)

4 de outubro de 2009 21:57
Ana Burlan disse...

Fato.

Sem maiores comentários!

Beeejo ;)

agora com assinatura :P

4 de outubro de 2009 21:58