segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Saudades do Recife




Abaixo, em plena segunda-feira de folia, uma simples homenagem ao meu Carnaval predileto: o do Recife. Boa festa para quem estiver na farra, bom descanso para quem estiver relaxando, bom trabalho para os companheiros que trabalhando estão.

Fiquem com Lêdo Ivo – O Incrível, orgulhosamente meu conterrâneo e autor dos versos abaixo.

Beijos, beijos, beijos,

Isabela – A Casada e A Saudosa do Carnaval na Terra do Galo da Madrugada



Recife, poesia




Amar mulheres, várias. Amar cidades, só uma - Recife. E assim mesmo com as suas pontes, e os seus rios que cantam, e seus jardins leves como sonâmbulose suas esquinas que desdobram os sonhos de Nassau.





Amar senhoras, muitas. Cidade, só uma, e assim mesmo com o vento amplo do Atlântico e o sol do Nordeste entre as mãos.





Felizes os jovens poetas que recebem em seus corações antes do amor e depois da infância a palavra, a cidade Recife. Felizes os poetas que podem lembrar-se eternamente das pontes que separavam: ia-se a noiteno Capibaribe, e as águas do Beberibete davam, ó Madalena, o meu primeiro verso.





Corola diante do mar, bares da arte poética ,bondes, navios, aviões. Cidade, meus pés transportam as tuas pontes para margens versáteis.





Igrejas nos postais, namorados nos portais. Recife de meu pai, Recife que me deu a poesia sem que eu pedisse nada, cidade onde se descobre Rimbaud, a maresia de antigamente em meus olhos abertos. Mulheres, inúmeras. Cidade, só uma e assim mesmo diante do mar.





Lêdo Ivo

2 comentários:

Carol disse...

ô meu Deus...

20 de fevereiro de 2012 00:45
Inaie disse...

melhor ir conhecer Recife o amis rapido possivel

20 de fevereiro de 2012 08:18