segunda-feira, 27 de junho de 2011

Viver com glamour é...

Eu vivo falando de glamour. Mas não como uma ode à frescura. Para mim, ser mais cuidadosa com algumas coisas é um jeito de valorizar o cotidiano, as coisas mais simples que a gente faz, a nós mesmos. Nessa linha, segue, abaixo, uma lista feita com exemplos meus, de amigos, de anônimos com quem cruzei por aí. Assim, viver com glamour é...

Falar “jantar” ao invés de “janta”. Gente, “jantar” é uma palavra tão bonita, para que economizar no “r”? Pois, para mim, é “jantar” todo dia. Mesmo que o menu seja um pão francês com requeijão e café com leite.

Chamar o comissário que foi estúpido com você de “desagradável” ao invés de extravasar a sua raiva com um palavrão horroroso. Eu ouvi um homem falar isso, uma vez, num voo da Gol: “O problema é que vocês, ao invés de fazerem o que têm que fazer, ficam aí, importunando os outros, seus desagradáveis”. Chiquérrimo. Vou fazer igual se um dia precisar xingar alguém na mesma situação.

Servir a mesa para si mesmo com os alimentos todos bem dispostos em baixelas, não direto nas panelas, como dá vontade de fazer quando estamos sozinhos. Nunca vou esquecer da minha amiga Mari Camarotti, maravilhosa, me contando que, em seus primeiros anos morando em Buenos Aires, fazia questão de almoçar e jantar assim, como um mimo para si mesma.

Viajar para a Itália com o marido, numa tentativa de reatar a relação que anda balançada. É o que vai fazer uma amiga que eu admiro muito nos próximos dias. “Prefiro terminar meu casamento em Florença do que ficar brigando no Cambuci”, me disse ela, dia desses.

Elogiar mais e criticar menos.

Aprender a fazer trufas de chocolate em casa (muito fácil e muito gostoso).

Trocar a Coca-Cola do almoço de domingo por uma garrafa de vinho sempre que der (os preços estão cada vez mais baixos, só conferir no supermercado mais próximo). A refeição ganha outro brilho.

Ser gentil com os mais velhos no metrô.

Agradecer quando o garçom deixa a sua água na mesa na hora do almoço.

Comprar um chocolate para Guarda Belo e pedir para a atendente da doceria embalar para presente, que ele merece.

Isabela – A Divorciada, A Noiva e A Defensora do Glamour no dia a dia

PS: Curiosa para saber o que é viver com glamour para vocês. Me contam nos comentários?

12 comentários:

Lili disse...

Pequenos gestos realmente podem tornar a vida um pouco mais glamourosa, né! Tomar vinho em taça, mesmo que sozinha, como estou fazendo agora, lendo seu post. Beber água num copo charmoso e café numa xícara apropriada também é bem agradável. Assim como tomar um banho de espuma e dormir com um pijama que te faça sentir-se bonita, além de confortável ;)

27 de junho de 2011 00:46
Lissa disse...

Glamour é... andar de havaianas ao lado do amado de maõs dadas
...curtir aquela xícara de chocolate quente embaixo das cobertas
...Ler um livro que vc. não conseguer largar por nada
...abraçar todos os dias aqueles que amamos, isto é o máximo do glamour.
Beijo

27 de junho de 2011 11:40
João do Espírito Santo disse...

"Simple is beautiful"!

Creio que viver com glamuor é fazer com esmero, cuidado e beleza coisas/ações simples.

Como homem, minhas coisas básicas - não sei se diria glamurosas - são: me perfurmar antes de sair de casa, escolher uma roupa legal para ocasião - mesmo que seja uma bermuda e camisela largada, fazer barba com água quente, dar preferencia as mulheres na hora de entrar em algum lugar, deixar crianças e idosos passar na frente, não brigar no transito, falar obrigado, bom dia, desculpas e evitar falar palavrão em frente de mulheres. Enfim, ser cavalheiro como nos anos 20 ;)

E Bela, você é glamurosa! Essas meninas de 20 e poucos que ficam falando um monte de palavrão por aí poderiam ter umas aulas contigo, viu?

Much love!

PS.: Sabiam que por essas coisas básicas já me falaram que era afeminado e noutras ocasiões que era xavequeiro? Duro, né?

27 de junho de 2011 13:57
Andarilho disse...

A minha vida não tem glamour e realmente não me importo com isso. Sou uma pessoa muito sem glamour, hahaha

27 de junho de 2011 16:28
Taty Raed disse...

Olá, Isa!
Confesso que sempre fui educada com as pessoas, pelo menos sempre tentei (rs). Mas após passar as férias em Paris voltei mais "glamourosa"...rs. Lá, ao contrário do que sempre falaram para mim, achei os franceses extremamente educados, quem não é pode ter certeza que não é francês, provavelmente imigrante! E tentei trazer isso ainda mais pro meu dia a dia. E faz mais bem a nós próprios do que ao outro. Me sinto mais leve e de bem com a vida!!!
Sua amiga quando comentou sobre terminar o casamento na Itália ao invés no Cambuci, concordo com ela em gênero, número e grau pois, também penso assim. Prefiro sofrer por amor olhando a Torre Eiffel com certeza!!!! kkkk

Bjoks
Taty

http://tatyraedbellydancer.blogspot.com/

27 de junho de 2011 18:13
Flávia Gobbi disse...

Isa, eu tenho uma amiga que construiu uma casa maravilhosa, de 3 andares, num bairro super bacana daqui de Bh, há uns 6 ou 7 anos. No meio da obra, acabou o dinheiro dela. O que ela fez? Comprou um jogo de taças de cristal, um bom vinho, chamou os pedreiros e deu um churrascão. Tudo comprado a perder de vista... rs
Os pedreiros se reuniram e falaram: a gente continua a obra e a sra. paga quando tiver o restante do dinheiro. E assim se fez. O "Glamour" venceu e hoje ela é super bem de vida e feliz na casa onde mora.
O que eu quero dizer é que o "glamour" é uma forma bonita de se encarar as adversidades da vida, os problemas que todos temos. Entao, sou super a favor desse glamour.
Bjos.

27 de junho de 2011 19:05
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Ai Belinha, você é nossa Ronna Von do blog!!!
Muito "bonitinha" e cheia de glamour!!!
A-mei!

Mas, para mim, a definição da Flávia é perfeita: é uma maneira - acrescentaria "suave" - de tocar a vida e suas adversidades.

E eu continuo servindo na panela, mas temperando com muito carinho quando cozinho para quem amo!

beijosss

deb

27 de junho de 2011 19:35
Patricia Digue disse...

Acho que tá faltando glamour na minha vida...
Vou tentar aplicar as suas lições.

Bjs da Solteira

27 de junho de 2011 22:24
Marta Melo disse...

Adorei o post!Mas acho que o glamour está muito mais na maneira de falar do que propriamente nas palavras,rsrsrs.No resto concordo em tudo e estou louca para aprender a fazer trufas em casa ,principalmente depois de saber que é fácil, para me tornar mais glamourosa.Um beijão e me manda a receita!

28 de junho de 2011 08:49
Anônimo disse...

Servir na baixela e não nas panelas á glamour. Lavar mais louça depois é um preço meio alto.

28 de junho de 2011 17:35
Evelin disse...

“Prefiro terminar meu casamento em Florença do que ficar brigando no Cambuci” ADOREI!

Bem, viver com glamour é também respeitar a "ignorância alheia" e não comentar a "ignorância" alheia" com a pessoa mais próxima.

Bela, quando aprenderes a fazer trufas de chocolate na sua casa, me convide hehehe

Ah, e, até onde sei, "janta" é típica expressão do interior, tipo, meus tios, do interior, quase nunca (para eu ser gentil) se lembram do "r". Acho que nesse caso, nem seria viver ou não com "glamour".

Beijos Bela,

Evelin

28 de junho de 2011 19:26
Blogger disse...

Do you prefer Pepsi or Coca-Cola?
PARTICIPATE IN THE POLL and you could win a prepaid VISA gift card!

5 de novembro de 2016 04:20