quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

As mal-amadas




Sabe aquelas mulheres que fazem de tudo para ter uma migalhinha de amor? Que se submetem a situações horrorosas em troca de um “eu te amo”? (na hora do sexo selvagem, claro). Que tratam o marido ou namorado como se eles fossem bebês? Então, são todas elas mulheres incríveis, fortes, independentes e lindas. E só se esquecem disso ao idealizarem – demais – o amor romântico com o qual sempre sonharam. Quem afirma isso é uma psicanalista venezuelana que de tanto ver mulher assim em seu consultório, escreveu o livro Mujeres Malqueridas (ainda sem tradução para o português). A Folha fez uma entrevista bacana com ela faz um tempinho. Veja aqui.

Eu já tive meu momento amor-migalha, mas tive que botar o racional para funcionar se não me transformaria num membro permanente do clube das mal-amadas. Isso porque eu sempre tive para mim que amor é para agregar, fazer evoluir, transformar. Não que ele seja 100% cor de rosa. Não é, mas também não pode fazer sofrer 95% do tempo. Eu acompanhei durante um bom tempo uma mulher que poderia ser a presidente desse clube. Diria que ela tem PhD em amor-migalha de tanto que se sujeitou aos maus tratos e maus momentos com seu ex-marido em nome de um "casamento sólido". Em nome dos raríssimos momentos de quase-ternura que ele dava a ela. Na verdade, ele nem dava. Mas se ele ria de uma coisa que ela dizia, aquilo soava como um “eu te amo”.

Um dia, enfim, ela se olhou no espelho e finalmente viu que ela era incrível, linda, independente e cheia de amor para dar. Deu tchau ao marido e foi viver a vida de uma nova forma.

Hoje, sozinha, se sente bem-amada.

Débora – A Separada

14 comentários:

disse...

Ainda bem que sempre há esperança pra mudança não é?

17 de fevereiro de 2011 00:56
Borboleta no Casulo disse...

Realmente, as mulheres mal amadas são todas lindas, fortes e intelentissimas, mas sofrem tanto, tem tanta baixa autoestima q se substimam a qualquer coisa...já fui assim!
Bjs

17 de fevereiro de 2011 08:40
Andarilho disse...

Fiquei com vontade de ler o livro.

17 de fevereiro de 2011 08:59
O Divã Dellas disse...

Por isso eu sempre digo: Ou sou muito bem amada ou permaneço sozinha.
Beijos,
Cinthya
http://odivaadellas.blogspot.com

17 de fevereiro de 2011 09:20
Mãe disse...

Quem mantém o casamento, enquanto quer ou se submete, é a mulher. Às vezes a cohabitação (pensei em 'união' mas união é diferente) se arrasta por motivos circunstanciais. Aconteceu comigo e as circunstâncias (impeditivas à separação) não eram materiais.
O dia em que me separei foi o dia mais feliz da minha vida. Depois? A melhor época da minha vida. Só quem se liberta de um traste - e da impressão de que tem que suportar aquilo - conhece a sensação!
Bjs,

17 de fevereiro de 2011 09:24
Drika disse...

Amei o post de hj, li a materia tb....parabéns vc são demais
bj
Drika

17 de fevereiro de 2011 09:51
Olívia disse...

Também quero ler...
mas tenho medo de ser uma dessas ahahahahahahahahahahah

.Olívia.

17 de fevereiro de 2011 10:01
Yasmim disse...

Esse post me fez repensar minha postura no amor, acho que me sinto uma da mal amadas. Mesmo quando sou amada fico com a sensação de que falta algo, acabo me envolvendo com pessoas problemáticas e o retorno é sempre aquém do que gostaria. Sou perfeccionista e em tudo crio expectativas acima do normal. Foi muito bem colocado o assunto preciso repensar esse meu jeito de amar.
BJS

17 de fevereiro de 2011 11:32
Merlaine Garcês disse...

Gostei daqui!

Seguindo vcs!
Bjs!

http://wwwautenticidade.blogspot.com

17 de fevereiro de 2011 13:29
Albuq disse...

Também tive meus momentos assim Deb. E como é difícil olhar e vê o quanto você fez por migalhas.

adorei o texto. bjs

17 de fevereiro de 2011 14:31
Patricia Digue disse...

Nem quero ler, pq, como disse a Olívia, medo de ser uma dessas.

Bjs da Solteira confusa

17 de fevereiro de 2011 17:49
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Nossa, muito interessante esse trabalho, eu achei.

Vamos entrevistar a autora para o blog quando lançarem no Brasil?

Besitos,

Bela - La Divorciada

17 de fevereiro de 2011 18:41
Frô disse...

E quem é que nunca agiu assim, pelo menos uma vez na vida? Ainda bem que a vida ensina.

Adoro amar, mas o que eu adoro mesmo é ME amar.

Beijocas meninas,

Frô

21 de fevereiro de 2011 09:09
日月神教-任我行 disse...

ssd固態硬碟 外接式硬碟 餐飲設備 製冰機 洗碗機 咖啡機 冷凍冷藏冰箱 蒸烤箱 External Storage Solid State Drives 關島機加酒 關島婚禮 關島蜜月 花蓮民宿 彈簧床 床墊 獨立筒床墊 乳膠床墊 床墊工廠 巴里島旅遊 巴里島spa推薦 巴里島機票 巴里島行程推薦 記憶體 情趣用品 情趣用品USB Flash DrivesMemory Cards 產後護理之家 月子中心 坐月子中心 坐月子 月子餐 投資美國物業 美國租金報酬 美國房屋買賣 房地產投資說明會 美國房地產 美國置產須知 美國房屋物件 SD記憶卡 隨身碟 高雄當舖 高雄汽車借款 高雄機車借款 高雄房屋二胎貸款 高雄汽機車免留車

17 de junho de 2015 22:53