segunda-feira, 19 de janeiro de 2009

Sobre o amor-próprio

Nossa leitora e blogueira Fabíola Melo nos pediu, em comentário nesse blog, que falássemos sobre amor-próprio, sobre o fato de existir tanta mulher mal-amada por aí. Seu pedido é uma ordem, Fabíola. Vamos lá: li certa vez, não me lembro onde, me desculpem, que só pode estar feliz com o outro quem se sente bem consigo mesmo primeiro, quem gosta da própria companhia.

Para mim, esse é o princípio básico do amor-próprio, a capacidade de se curtir. Uma sensação que eu descobri quando saí da casa dos meus pais, em Maceió (AL), para estudar Jornalismo no Recife (PE), aos 18 anos. Eu não morava sozinha, dividia apartamento com uma amiga, mas adorava quando ela estava fora. E eu não tinha ninguém por perto. Lembro até hoje da paz que eu sentia quando, depois de um sábado solitário de faxina, almoçava a lasanha que mainha mandava de Maceió de banho tomado, cabelo molhado, ouvindo João Gilberto e vendo o Rio Capibaribe da minha janela. Amor-próprio: eu me amava e amava a minha vida, em primeiro lugar.

Tem outra coisa: conheço mulheres incríveis que são incapazes de perceber que há muitas fontes possíveis de amor. Mulheres bem-amadas sim, rodeadas por pai, mãe, irmãos, amigos de todas as horas, mas que se sentem mal por não ter, naquele momento específico, o amor de um homem para chamar de seu. All you need is love, é fato, mas, vamos combinar, o amor está em todo lugar. A gente tem que se amar primeiro para que o resto aconteça. E nunca esquecer de uma lição que eu aprendi hoje, num texto do jornal A Tribuna do Sol, de Teresina (PI), quando tentava esclarecer uma questão ortográfica: “Para os que ainda têm dúvida, amor-próprio é com hífen- para que nunca se separem.”

Um beijo, Fabíola.


A Divorciada

5 comentários:

Paula disse...

eu acho q amor próprio é uma coisa que vem de berço, mas pode ser adquirido.
Vc deve procurar "se bastar" de todas as formas (ficar bem consigo mesma e fazer as coisas que vc gosta) e não depender de um "anel" no dedo para ser feliz.

19 de janeiro de 2009 15:46
Fabíola Melo disse...

Adoooooooooooooro!!!!!!!!

Eu concordo em gênero, número e grau!!!

Adorei o post!!

Super bj

19 de janeiro de 2009 19:41
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Outro dia vi a Malu Mader dando entrevista num desses programas mulherzinha do GNT.
E ela disse uma coisa muito bacana: que a carreira nunca foi prioridade na vida dela, mas sim o amor. Mas ela fez questão de frisar que "não só o amor pelo homem, mas os amores, os afetos, o amor pela vida".

Achei tão lindinho :-)

Casada

19 de janeiro de 2009 20:35
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Caramba! Banho gostoso, fome batendo, lasanha... Ainda por cima feita pela mammy. A little piece of Heaven! beijos,

A Solteira, que não sabe fazer lasanha, mas come que é uma beleza.

20 de janeiro de 2009 17:29
Johnny na Babilônia disse...

Um bom amante tem de achar sua amada bonita, inteligente e gostosa. Mas também deve ensiná-la a nao precisar dele para se achar bonita, inteligente e gostosa.
O verdadeiro homem é aquele que faz a mulher se apaixonar por si mesma.

24 de janeiro de 2009 13:38