quarta-feira, 25 de março de 2009

A saga da galinha romântica

Vai dizer que você não conhece uma?

Ela não perde um Carnaval na Bahia! É o terror dos abadás e jamais volta no 0x0 para a casa! Só que a moça tem um coração das antigas, que costuma ser flechado muito facilmente e sem critério. Eis um resumo raso e tosco dela, o poço de carência mais fundo da humanidade, a galinha romântica! É assim que algumas mulheres chamam outras mulheres. Pensando em como defini-la, tentarei traçar um perfil psico-místico desta criatura, parte do círculo de muitas de nós, sempre cheia de penas e com poucos miolos quando o assunto é, ah, o amor!

A ansiedade é presença constante na vida da galinha romântica. Afinal, ela é a contradição em pessoa. Sai de casa determinada a beijar na boca. Não se diverte, vai mesmo é para a guerra, o negócio é passar o rodo nos caras. Beija um, dois, três, quatro, cinco...já vi galinha romântica bater até oito no placar de uma night. A espiral vai girando de boca em boca, com rápidos espaços para várias entornadas alcoólicas, de cerveja a tequila. Um shot, dois shots, uma michelada, mil misturebas, e lá vai ela a ciscar atrás de alguém que arrebate o seu coraçãozinho antes que o pobre vá parar no espeto da desilusão.

O fim da noite costuma ser a degola. Sim, toda a galinha romântica que se preza acaba com a cara num buraco - pia, privada, ralo, qualquer coisa que seja um buraco – sempre aparada por alguma amiga caridosa que segura a sua cabeça pelos cabelos, enquanto ela bota boca afora todos os shots entornados, além de muitas lágrimas pelos olhos. Muitas lágrimas, claro, ela é romântica. É comum acabar a noite chorando por alguém. Geralmente, pelo “príncipe” que ela não passou em revista naquela noite. Galinha romântica acredita em príncipes encantados.

A mulher-penosa adora abrir seu coração. Não interessa quanto tempo conhece a pessoa. A galinha romântica fala tudo, é um livro aberto de vários capítulos, apêndices e muitas erratas. Se você não está com paciência, fuja, pois a chance de depenar a romântica neste dia com um comentário infeliz, porém oportuno, é grande. Melhor não perder tempo com isso.

A galinha romântica é uma romântica incorrigível. Sempre no compasso do que não acontece, ciscando nos lugares errados, com pena de si mesma, se achando a primeira do pacotinho, ela dança com os braços sempre para cima e insiste em dizer que TÁ ÓTIMA! Sei...

Maquiagem borrada, estômago revirado, cabeça no príncipe encantado que não existe, cantando errado a letra da música, sempre prestes a dar vexame, ela termina a noite se sacudindo na cadência de qualquer som, de olhinhos fechados, tadinha, abrindo um clarão em volta de si.

Giovana - A Solteira



10 comentários:

Ana Claudia Lourenço disse...

Ótimoooooooooooooo!!!!
Um dos melhores posts até hj.....mais divertido!!!!! Conheço tantas galinhas românticas!!! hahaha

25 de março de 2009 10:42
mulherpolvo disse...

É menina, tá feio o negócio.
Carente eu sou, muitas de nós somos. Mas acreditar em príncipe ao invés de acreditar em si...muito triste!!

25 de março de 2009 11:07
Beta! disse...

título já chorei de rir...o texto então

ô vontade de mandar pra uma...

pior é o galo romântico...esse aí dói...

HAUEHAUHEUAHEUAHEUAHEUHAUEA

25 de março de 2009 13:16
David disse...

Sobre o comportamento sexual das mulheres, no livro que acabo de publicar sob o título de "CONTRA A VONTADE DE DEUS" e tá começando a ser divulgado, o personagem central a certa altura choraminga:
"- Ah! Não sei, não. Algo me diz que as mulheres, as esposas, diferentemente das putas que transam por dinheiro, não gostam de transar – dizem que amam, mas não gostam de trepar. Transam somente para terem filhos, como se fosse uma obrigação e nada mais. Tido o número de filhos que o casal programou, a mulherada zipa a xoxota e passa a ter dor de cabeça toda noite."
A galinha romântica que você tão bem descreve é isso: sai com uma "vontade louca" de transar com todo cara que encontrar... No entanto, lá no fundo, não é esse o seu desejo. Quando ela sente aquele troço duro lhe cutucando lá, mesmo bêbada, ela foge do pau, literalmente. Depois... Bem, depois, vem a choradeira e as desculpas...

25 de março de 2009 14:10
Camille Mollona disse...

Gi, ri muito...hehehehehe...aqui em POA ja cheio de galinha romântica!!!

E olha q tenho amigas assim...elas em vez de sair pra se divertir e papiar com os amigos, ficam so olhando para os lados esperando a primeiro ataque!

Beijosss

25 de março de 2009 14:29
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Oi Amiga,

Torço para que todas as galinhas românticas se encontrem nessa vida. E sejam felizes.

Agora, vamos combinar, alguns homens, como diria a minha amiga Sandra, nasceram para ser usados mesmo...

Beijos,

Bela - A Divorciada

25 de março de 2009 23:58
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Então, a galinha romantica não usa ninguém porque ainda não descobriu para que serve, sacou? beijos, Gio

26 de março de 2009 00:09
Anônimo disse...

Me pergunto se a autora é uma galinha tbm....

26 de março de 2009 19:16
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Anônimo,
digamos que a autora tem seus arroubos galináceos, porém de forma seletiva e com foco.

Além disso, em caso de arrependimento ou desfecho infeliz, sofre em silêncio e sem dar muito na pinta. Afinal, é preciso recolher as penas de forma rápida.

Galinha não voa, por isso, precisa ser esperta.

beijo,
Gio - A Solteira

26 de março de 2009 23:31
Camila disse...

O post está sensacional, mas a resposta acima está espetacular também. Muito espirituosa!

E tem toda razão. Toda mulher tem seu momento galináceo. Mas a galinha romântica é uma figura ímpar e conhecida por todas nós. Geralmente ela se torna um ícone, um exemplo a não ser seguido, além de ser alvo de piedade e maldade alheia, é claro [mulheres costumam guardar um veneninho no reservatório para as horas de comentários maldosos, não?].

Enfim, muito bom! Muito bom mesmo!

27 de março de 2009 01:31