quarta-feira, 11 de março de 2009

Vamos deixar de ser malucas


Nunca me senti tão aliviada ao ler uma reportagem como quando vi, no último final de semana, o texto Obsessão pós-parto, na Veja. Desde o Carnaval, tenho pensado em quão opressor é o mundo que vivemos para fazer com que mulheres como a cantora Cláudia Leite vivam a paranóia de perder, em um mês, logo após dar à luz, 11 quilos. Os dez que ela adquiriu na gestação mais um, só para garantir. Ao abordar o assunto, a matéria ressalta o óbvio: não tente fazer isso em casa, simplesmente não é saudável. Segundo um dos médicos ouvidos pela revista, o prazo de três meses para a recuperação do peso é o mínimo.

De onde vem a obsessão de Cláudia Leite? Por que ela não se permitiu simplesmente ser mãe, aproveitar a convivência com o filho nesse primeiro momento, sem se preocupar com dietas pesadas e exercícios? Essa mulher fez uma cesariana, como pode malhar depois de tão pouco tempo? Pelo amor de São Judas Tadeu, meu santo, que médico autorizou isso? Na minha modesta opinião, a explicação é uma só: insegurança, medo de não ser aceita, de precisar ser mãe, magra, sarada, maratonista do trio elétrico para continuar sendo querida e lembrada. Será que ela teme a concorrência com a Ivete Sangalo a esse ponto?

Não, Cláudia, você não precisa disso. Nenhuma mulher precisa. Defendo a saúde e o bem estar com a própria aparência: no ano passado, perdi oito quilos num regime equilibrado e super tranquilo, sem remédios, sem exercícios. Mas, acima de tudo, defendo o direito de ser mãe, de viver a maternidade em sua plenitude nos primeiros momentos da vida do filho, sem quaisquer outras exigências de grande impacto.

Relaxa, Cláudia. Vamos deixar de ser malucas.

Isabela - A Divorciada

23 comentários:

simone disse...

concordo com tudo q vc disse...só fiquei curiosa para saber como vc emagraceu! ja faz uns 3 meses q estou tentando reeducar munha alimentação e praticar algum exercicio de forma saudavel e sem exageros ou estresses...mas o ponteiro da balança não diminui de jeito nenhum!

11 de março de 2009 13:24
Luana* disse...

Se nos primeiros dias que a criança nasceu a Cláudia faz isso de perder 10 quilos em 1 mês, concerteza ela não deu atenção alguma a criança. Imagine também como a criança vai crescer, coitada!
Mas eu concordo com você, isso que ela fez foi um absurdo e se minha mãe(ginecologista) lesse esse post iria ficar revoltadissima(porém com razão para isso).

11 de março de 2009 13:36
Beta! disse...

abaixo a ditadura da magreza...da beleza desmedida da vaidade exacerbada...
uma pessoa pra ser tão neurótica assim com peso e aparência deve ser tão vazia como sei lá o que...acho que té o vácuo é mais "cheio" importante e útil...

eu ainda tou tentando perder as toneladas que engordei com o anticoncepcional...estou mais tranquila pq o joelho não dói mais e nem saio morrendo de tto cansaço...

aproveitei a crise no guarda roupa pra eliminar tudo que não servia e já nem usava...servindo ou não...montei um bazar virtual...tenho feito meus negócios e conhecido pessoas que como eu são humanas, tem suas oscilações de peso, humor...e dinheiro no bolso!

Viva a Vida Saudável Mentalmente!

Beijos Bela

11 de março de 2009 14:08
Elen disse...

De fato, mulher nenhuma precisa disso. Afinal, não há nada mais maravilhoso do que ser mãe (pelo menos é isso que dizem, né?!).

11 de março de 2009 14:31
Melanie Bronw disse...

Loucura!

11 de março de 2009 15:43
Camille Mollona disse...

Oi gurias!
Todas nos sabemos que a Claudia Leite sempre gostou de disputar com a maravilhosa Ivete Sangalo. E ela não podia ficar em segundo plano neste carnaval. Com certeza ela nao passou madrugadas acordada cuidando do filho, dando de mama e banhos. Deve ter colocado algumas babas pra cuidar do bebe enquanto ficava se matando fazendo exercicios pra chegar magrinha no seu trio eletrico.
Pena que ela não se da conta que este tempo não volta mais.
Beijos de uma mae q passou dias e noites cuidando do seu filhote.

11 de março de 2009 15:55
Paloma, a mãe disse...

O motivo pelo qual ela emagreceu tão rápido é um só: grana. Ela precisa do Carnaval, uma vitrine para ela e época em que fecha todos os contratos publicitários e para shows do ano inteiro, para aparecer. E TEM QUE aparecer magra, assim como o Ronalducho por muito tempo TEVE DE aparecer sempre de cabeça raspada devido a contratos publicitários.
Não se enganem, meninas, o dinheiro sempre fala mais alto.
Feliz de quem pode curtir a licença-maternidade sem ter de pensar nisso (dinheiro, publicidade, fama, vitrine) em primeiro lugar.
E ewstas mulheres famosas-e-histéricas prestam um desserviço para as "comuns". Tenho certeza de que, para estar tão sarada para o Carnaval, ela sequer trocou fraldas neste mês, devia estar na academia, deixando tudo para as babás-enfermeiras-segundas mães.

Em tempo: eu perdi mais do que ganhei na gravidez inteira em 1 mês, mas o motivo foi estresse e a intolerância à lactose da minha filha. Tomei bronca do obstetra e de todos os médicos, pois nenhuma mãe pode amamentar perdendo tanto peso. E o pior, nem pude curtir a fase do peitão como gostaria...

11 de março de 2009 16:56
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Sabe o que é pior? É que se ela parar para pensar nisso lá na frente, vai se arrenpender de não ter curtido o filho como deveria.

Pena para ela. Não sigamos este exemplo.

beijos,
Gio, A Solteira

11 de março de 2009 18:43
Ciça disse...

Concordo... sou fã de música baiana, passei o carnaval em arraial d´ajuda e curti o show da claudinha no Carnaporto desse ano... ela estava incrivelmente magra, mas sem a graciocidade de uma mãe pós parto, nem sequer mencionou o nome do filho, apesar de todos os cartazes e fãs gritando o nome do Davi... que pena!

11 de março de 2009 19:01
Des-Venturas da Rubra Rosa disse...

Gentem, vocês nao conhecem a foto da Claudia Leite antes de ser o fênomeno do Carnaval, arqui-inimiga e concorrente da Ivete Sangalo???

Ok, ela era gOrda, mas nao é uma gordinha, ela era gOOrda messssmo!
Comeu o pao q o diacho amassou e a manteiga era o lodo do inferno pra emagrecer, depois se tornou CLAUDIA LEITE a musa, e o que o dinheiro nao compra (de comida), emagrece! (lipoaspiraçao, plástica, definiçao de abdomen por cirurgia de musculos da barriga, essas coisas médicas que nao sei explicar bem)

Lamento pelo filho que, tadinho, nao vai poder mamar, afinal ela usa silicone ou nao? em todo caso, quem acha que ela vai dar de mamar e correr o risco de desenvolver flacidez ou estrias ou sei lá mais o que uma cabeça doente é capaz de criar... porque acreditem, essa mulher é capaz de se olhar no espelho e se ver um monstro.

Abaixo a ditadura das esqueléticas, das anoréxicas, das viciadas em remedios pra emagrecer!

Emagreci 9 KG em 3 meses e meio, mas o love ajudou fazendo os almoços, lanchinhos e jantares... Nunca passei fome(mas claro que fazia o drama pra ele), nunca fiz um minuto de exercicio físico porque detesto academia, também nao deixei de beber coca cola porém reduzi os dois litros que bebia por dia, para dois copos ao dia(de 250 ml) e os hamburgueres e comilanças fora de casa foram completamente eliminados, porque garanto isso engorda muito e ter horário pra comer é fundamental também...

por hoje é só que falo pra caramba

beijos moças

11 de março de 2009 19:33
Anônimo disse...

Que pena!!!Realmente a Claúdia deve ter perdido momentos maravilhosos de troca com o seu bebê para poder estar malhando.Quem sou eu para julgá-la,para saber das suas prioridades.Mas acho que esses motivos que a levaram a paranóica vontade de emagrecer deve ter um sentido muito maior para ela que o prazer de amamentar.Acho que dez quilos a mais ou a menos não fariam muita diferença na voz,no seu show (o público entenderia seu momento);já para o bebê...

11 de março de 2009 20:15
Anônimo disse...

Tantas lutas para as mulheres conquistarem licença maternidade, prá vir uma pseudo artísta e dá esse péssimo exemplo.
Afe...
Marcia A.

11 de março de 2009 22:44
Anônimo disse...

Eu sempre me pergunto o mesmo!!
As pessoas parecem vicver em função do que os outros vão achar... pra mim isso é paranóia!!

12 de março de 2009 09:24
Anônimo disse...

Aliás, falando medos, por que comemorar o Dia Internacional da Mulher??? Não entendi!!!! Precisa ??? Mulheres acordem, reneguem este dia, vcs não são "minoria", são iguais...quem precis ade dia comemorativo é quem não tem força, são os discriminados, os mais "fracos"... mulher não é assim... Vocês precisam de um homem como eu para defendê-las??? Briguem, esperneiem, vão à luta, mas "Dia" é demais, tolas... Assim vcs dão aval para "porrada" nos outros 364 dia do ano... um agrado bem tolinho mesmo...Por um momento achei que vocês não cairiam nessa...

12 de março de 2009 14:10
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Minha irmã está justamente nessa fase, amamentando a baby dela de 4 meses. Ela me disse: estou com cinco quilos a mais. E eles vão continuar aí enquanto a Marina for a prioridade. Justo!

Acho também que isso é muita maluquice!!! Lembro da Angélica, logo depois do segundo filho, também apareceu rapidinho numa dessas revistas boa forma da vida. E a Carolina Dieckmann tb, virou até case de sucesso!

Deprê, né?

Sobre o Dia da Mulher, querido anônimo, é o seguinte: quando a gente tinha 15 anos, a gente também ficava revoltada. Mas já passamos dessa fase. Hoje, aproveitamos todas as homenagens do dia 8 e seguimos celebrando todos os os outros dias. Sem crises :-)

bjks

Deb, a casada

12 de março de 2009 15:18
Evie disse...

Meninas, estou saindo da licença maternidade e fico pensando que não existe tempo hábil suficiente para cuidar da aparencia do jeito que ela fez, sem sacrificar os preciosos momentos com o bebê. Melhor dizendo: durante a minha licença eu quase não consegui fazer a unha.

12 de março de 2009 15:24
Amo São Paulo disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 12 de março de 2009 15:44
Amo São Paulo disse...

Nossa esse assunto rende né, no post anterior tinha dito que quem não tem nada pra oferecer restará apenas um corpo bonito.
Mas o assunto me pega em cheio pq eu sou mãe, tenho dois filhos lindos e não me vi louca de vontade de emagrecer e deixar meu bb de lado ou sendo tratados por terceiros como foi dito no post acima filho é prioridade e quem não tem essa prioridade ainda não se deu conta de que é MÃE.

Beijossssssssss

12 de março de 2009 15:54
Verônica disse...

Apresentando-me: Sou Verônica, baiana e curiosa... Vivo de blog em blog, absorvendo histórias e experiências.... Quanto ao texto, vou parafrasear alguém que me disseram (por e-mail) q foi o Herbert Viana.

"Hoje, Deus é a auto-imagem.
Religião, é dieta.
Fé, só na estética.
Ritual é malhação.
Amor é cafona, sinceridade é careta, pudor é ridículo, sentimento é bobagem.
Gordura é pecado mortal.
Ruga é contravenção.
Roubar pode, envelhecer, não.
Estria é caso de polícia.
Celulite é falta de educação."

Lamento viver em uma sociedade consumidora q vive uma busca insana pela estética perfeita. Não importam os sentimentos, não importa a cultura, a sabedoria, o
relacionamento, a amizade, a ajuda, nada mais importa.
Não importa o outro, o coletivo. Jovens não tem mais fé, nem idealismo,nem posição política. Não importa mais nada além de imagem, imagem, imagem... Eu lamento ver as pessoas perdendo o melhor de sua vida, por uma coisa tão efêmera q é a beleza exterior...

Já escrevi demais para a primeira participação. Pretendo comentar sempre.

Uma leitora, saudável, gordinha e feliz!!!

12 de março de 2009 17:43
Luana* disse...

Concerteza Isabela! Iremos trocar figurinhas sim :]

Tinha assistido a reportagem de vocês no multishow e achei o blog de vocês 3 muito interessante. Continuem assim... estão de Parabéns! ^^

PS.: Obrigada também por visitar meu blog.

12 de março de 2009 18:22
Anônimo disse...

Dona Deb, não é questão de revolta, mas a "reivindicação" de alguma coisa... se não me engano em vários momentos os textos falam em direito, liberdade, etc, etc... na minha opinião desnecessários, porque não creio que haja diferença sentre homem e mulher, na questão, claro... por isso desnecessária a "celebração"... mas se querem coisas gratuitas então que as tenham "sem crise" e com saudades dos 15 anos... bjs

12 de março de 2009 21:46
conversaatrevida disse...

rsrs...

bom, acho que a Simone no início do comentário dela resumiu bem a questão
'concordo com tudo q vc disse...só fiquei curiosa para saber como vc emagraceu!'

Mulher costuma ser BEM assim mesmo.
Podemos até achar absurdo o que algumas mulheres fazem pra emagrecer...MAS ficamos sempre DOIDAS pra saber COMO conseguiram.
NÃoooooo QUE A GENTE VÁ FAZER IGUAL, CLARO...
Imagiiiiiiiiina.

Atrê
É só 'curiosidade', claro......rsrs

13 de março de 2009 18:23
manuela disse...

Puxa, quando li o post fiquei feliz, pensei, " que bom que alguém mais notou que isso é uma tremenda maluquice". DEpois que li os 22 comentário, fiquei com dó da Claudinha. Ser é mãe é difícil... É público, seja você a Claudinha Leite ou uma simples transeunte com carrinho de bebê na avenida Paulista, todos tem opiniões e veredictos sobre assuntos tão delicados. Para julgar uma mãe basta ter sido filho, ou mãe. Assim, 100% da população se sente qualificado a opinar sobre a sua relação com o seu filho. O.K. A Claudinha é mais pública do que nós, e tem mais responsabilidades por isso, podia ter descolado uma bata super mega fashion e bancar a moda "sou mamãe e sou gostosa" e fechar contratos para lenços umedecidos para limpar bundinha de nenê. Ela teve a oportunidade de mostrar uma imagem mais responsável de mãe e não conseguiu. Não há dúvidas em relação a isso. Mas também não precisamos lançar maldições para a moça sobre a sua relação com seu bebê.Ela certamente já está suficientemente culpada. A Claudinha também é gente, gente. Quando vocês olharem uma mãe na rua com seu bebê, antes de avaliar se ela deveria ter colocado um casaquinho ou não no bebê, se ela deveria ou não estar dando aquele potinho de papinha nestlé, se ela está dando demais ou de menos o peito, se ela não desgruda do filho e ele ficou muito manhoso... lembrem: mãe também é gente.

15 de março de 2009 16:46