quinta-feira, 14 de abril de 2011

Conte seu dilema: qual é a hora certa de uma viúva voltar a paquerar?

A Mirys pediu nossa ajuda para compartilhar um drama que ela passou e que, após criar um blog sobre o assunto, percebeu que aflige muito mais gente do que ela imaginava.

O que vocês acham?

beijos do Trio

Meninas, descobri que tem um monte de gente na minha situação, de viúva precoce.
Viúva pode dar mole, paquerar, sair, namorar?
A partir de quando isso é aceitável?
Por que, após mais de um ano, ainda tem gente pegando no meu pé (inclusive
eu mesma e minha consciência)?

beijos

38 comentários:

Cilo Roberto disse...

Na boa, é tudo uma questão de está pronto, acho que não tem tempo certo... 1 dia, 1 semana, 1 mes, 1 ano..

Minha mãe ficou viuva com 36.... e depois disso resolveu se dedicar só aos filhos... pense como é isso. não acho justo, acho que a vida tem que ser vivida, sexo, paixão, paquera...isso faz a gente se sentir vivo...acelera o sague!

então na minha opinião, o tempo quem diz é vc.... e quando vc achar que é hora, pule sem medo... sinta e seja feliz... a pessoa que não tá mais do seu lado, com certeza vai entender..de onde ela estiver, a vida continua. parece meio frio, mas não é!

beijos

14 de abril de 2011 00:14
Andarilho disse...

Não acho que tenha uma hora certa. Acho que não começando no funeral, tá OK.

14 de abril de 2011 09:04
Anônimo disse...

Tb acho que não existe "a hora certa"... cada uma tem seu momento, seu tempo.

14 de abril de 2011 09:47
Fabiana Pereira disse...

Bem vamos por partes:

1: verifique sua pulsação, agora a respiração... tudo funcionando certinho? Beleza, sinal de que voce está viva.
Quem morreu foi o seu marido e com ele as necessidades físicas que qualquer ser humano tem.
2: e lá existe hora certa pra alguma coisa na vida? A gente que fica cheio de culpas, dúvidas e principalmente muito preocupado com o que os outros vão pensar.

As pessoas tem uma certa tendencia a serem solícitos e amigos quando vc está mal, mas quando vc consegue sair do buraco e viver novamente, elas fazem o que qualquer ser humano tonto faz: julgam!

Dois conselhos:
1: Esqueça convenções sociais, periodos estabelecidos, tudo o que não seja criado naturalmente por vc e pelas crianças. Sim pelas crianças também, vc é como se fosse divorciada, a diferença é que o marido não leva nos finais de semana. Então eles tem que estar prontos também para a convivencia com outra pessoa. Bem aí começa um problema gigante que podemos conversar mais pra frente, um de cada vez :-)

2: Finja que já está saindo com alguém, pelo menos pros seus filhos, nao deixe que eles acostumem com a estrutura de voces 3, isso pode ser um problema mais tarde quando vc quiser realmente ter alguém. Eles nao precisam conhecer nem nada, só diga de vez em quando que vai jantar ou ao cinema com um amigo que eles não conhecem.

Voce não é só mãe e nem assexuada e isso não é feio ou errado.

Beijo

14 de abril de 2011 10:02
Ana Beatriz disse...

Eu acho que se esse tipo de questionamento já começou a surgir,, é porque o tempo está fazendo o seu processo de cura, e a hora está chegando. É engraçado, porque o começo vai ser super desengonçado, mas tem que arriscar. Lembro que a primeira vez que dei mole, o cara era gay, e estava sendo atencioso porque não conhecia ninguém na festa... Foi tão engraçado...rsrs... Prepare-se para uma coleção de histórias divertidas e não se leve a sério! E outra: o estado civil da gente não vem estampado na cara... O "jeito" de comprometida vai sumindo com o tempo... Há uns dez anos, passei por uma crise filha da p... e lembro que o melhor conselho que ouvi dizia: "não se violente"... Acho que o segredo é esse, ir vendo até onde dá pra avançar, sem se "machucar". Agora a vida de descasada--viúva, separada, abandonada... tem coisas muito divertidas...Vc tem a chance de se reinventar! É muito bom! Podíamos todos cair na balada! Ia ser legal!!! Força na peruca, galera!!!

14 de abril de 2011 10:08
Halini disse...

Oi Mirys! Puxa, não sabia desse seu drama amiga! Sinto muito! Confesso que não me sinto a vontade me opinar na vida alheia, mas o que diria a vc é que não coloque em seus ombros mais peso que a própria vida já colocou. Tente relaxar, dar mais importância aos seus anseios que a opinião de quem está de fora. Esteja aberta a novas experiências e a vida se encarrega do resto!
Bjo grande e boa sorte para vc e sua turminha!

Halini

14 de abril de 2011 10:09
Anônimo disse...

Eu também acho que não é uma questão de hora certa, cada um sabe do que necessita, porém, é preciso respeitar, respeitar os filhos, os pais, principalmente se aquele que partiu deixou muita saudade.
Não é fácil pra ninguém aceitar, uns assimilam mais rápido do que outros e você deve considerar que um ano pode ser muito ou pode ser muito pouco!
Acredito que suas necessidades são mais físicas do que emocionais, portanto, não tenha pressa, deixe que tudo vai se acertando; não escolha, deixe ser escolhida; deixe que "apareça" alguém que seja legal o bastante para merecer o convívio com seus filhos e familiares; não fique ansiosa, apenas viva.

14 de abril de 2011 10:34
Liliane Arend disse...

o famoso tempo ... mas acho que em todos os casos esse tempo é relativo.
Varia de pessoa para pessoa e vc tem que se sentir confortável com os seus sentimentos.
é difícil, mas temos que aprender a não dar 'bola' para oq os outros irão pensar.
bjos
Li
londrescomfilhos.blogspot.com

14 de abril de 2011 10:56
Mirys + Guigo + Nina disse...

Gente: Tô acompanhando tudo (tem muita opinião legal!), juntando com as coisas que estou recebendo por e-mail (meninas, o blog deve estar bombando!), e matutando...

No final do dia, eu me manifesto, pode ser???

Bjos, bençãos e muito obrigada por pensarem em dicas para mim, hoje!

Mirys

14 de abril de 2011 12:28
Anônimo disse...

Em relação aos comentários de parentes seus, do falecido ou seja lá mais de quem for, não se preocupe....seja com 1 mês, 1 ano ou 10 anos, alguns serão maldosos sim!!
O que vai importar é se você está bem. Se está feliz. Se você estiver insegura, com dúvidas, e cheia de incertezas....aí não tá no tempo não.

Maria

14 de abril de 2011 13:33
Ly Mello disse...

Mirys, eu acho que vc precisar estar aberta à conhecer novas pessoas. Tenho certeza de que jamais vai esquecer do seu marido, e nem acho desrespeito vc encontrar um novo amor. Acho que vc precisaretomar a sua vida em algum momento, e as pessoas ao redor tem que aceitar querendo ou não! Sua vida vai continuar independente do que aconteceu, e se as pessoas te amam, irão te apoiar, pq vc não pode ser uma morta-viva! Infelizmente! O que aconteceu foi uma fatalidade, mas vc precisa se permitir viver! E não é pecado voltar à ser feliz! Pelos seus filhos!
Bjs.

14 de abril de 2011 13:43
Thais disse...

Myris, vc é quem vai decidir o seu momento,mas por hora, vejo que suas dúvidas vem do fato de vc ainda se sentir casada, mesmo que o Fernando não esteja mais aqui.
Ele ainda é uma forte presença no seu dia-a-dia, e enquanto for assim, não vejo espaço para ninguém!
Do resto , hi! Deixa que digam
Que pensem, que falem
Deixa isso prá lá
Vem prá cá
O que é que tem?
E eu não tô fazendo nada
Nem você também
Bjokas, amigaaaaaaaaaa!!!!!!

14 de abril de 2011 14:10
Amanda Luna disse...

acho que não existe um tempo certo apra voltar a pauqerar ou namorar... cada um sabe o o seu momento, e o momento certo é quando se está pronta e segura para um novo recomeço, pode duara meses ou anos, depende da maneira que cada um encara a dor da perda e o novo recomeço!!!
beijuu
www.sermulhereomaximo.com.br

14 de abril de 2011 18:10
casa de professora disse...

A RESPOSTA É O CORAÇÃO...PARA O AMOR NÃO TEM HORA MARCADA...ACONTECE INDEPENDENTE DA GENTE QUERER OU NÃO, DE FAZER TEMPO OU NÃO DE NOSSA SOLIDÃO...AME MUITO...BJS!

14 de abril de 2011 21:44
O Divã Dellas disse...

Mirys, Amiga!!!

As coisas fluem. A vida é um constante movimento. Mas não é fácil vencer a nossa própria resistência.
Beijos,
Cinthya
http://odivaadellas.blogspot.com

15 de abril de 2011 08:58
Débora disse...

Ai, Mirys!

Eu acho que a qualquer hora que você "rerererererererecomeçar"(rsrs), vai ter gente no seu pé,

e vai dar alguma dorzinha na consciência.

Isso é culpa dos genes feminino, que já vem de "fabrica" propragamado para ter culpas diversas !

Mas um dia VOCÊ TEM QUE COMEÇAR ! O que você gosta de fazer ? Dançar ? Saia pra dançar !

E deixa que o resto vai acontecer naturalmente, claro que nas primeiras paqueras você talvez se sinta meio

culpada ou até mesmo meio E.T, afinal tá fora da pista a algum tempo. Mas com certeza você pega o jeito

novamente.

Pensa o seguite:de alguma forma quem nunca ficou viuva alguma vez na vida !

Lembra do namorado 4, não doeu ? Foi sofrido ? Foi dificil ?

Então, é por aí...Com mais ou menos intensidade estamos sempre vivendo o luto.

E aí ? O que aconteceu depois ?

Você encontrou o Fernando e foi d+, não é?!

Nem por isso as coisas maravilhosas que você tinha vivido com os outros "defuntos" sumiram

dentro de você ou deixaram de serem especiais, né? Elas apenas se transformaram.

Você merece ter um novo grande amor e isso não vai fazer que o amor de vocês (Fer e Tú),

fique menor ou menos importante.Só vai passar de presente, para uma adoravel e saudadosa

lembrança.

Permita-se viver !

Já ! Agora !

Débora



P.S : Sinta-se esmagada por meu abraço.

Estou feliz por você.

Sinto que você começa a renascer.

Fica com Deus.

15 de abril de 2011 11:42
Ana Paula Britto disse...

Oi meninas, tudo bem?
Na minha opinião uma viúva é como qualquer outra mulher após o fim de um relacionamento: tem que viver o luto. Passou o luto, bora andar. Não tem tempo, idade e sim vontade.
Não encane, não dê muita trela para o que as outras pessoas dizem.
Siga sua vontade e seu coração.
Boa sorte, seja feliz!
Beijo, Ana Paula

16 de abril de 2011 19:30
Dani (Badanai) disse...

Como muitos já disseram, não existe hora certa.
Acredito que quando tiver que ser será!
Você não planejou encontrar e se apaixonar pelo Fer, planejou?!
Então, não planeje, deixe acontecer!

Beijos

18 de abril de 2011 11:10
Anônimo disse...

Ola a todos! Eu fiquei viúvo a 9 meses, tenho 2 filhos e conheci a Mirys nesse universo virtual de blogs e tudo mais. Como não consegui escrever antes, coloco aqui o que havia escrito sobre esse dilema no blog que eu e minha esposa na época criamos.
Pode até parecer um clichê, mas realmente acho que não existe um tempo certo. Acho que não existe tempo certo para o luto, nem tempo certo para paquerar nem muito menos para voltar a amar alguém. Conheço pessoas que estão há vários anos sem ao menos ter namorado alguém, sei de uma outra que com 4 meses já estava namorando, ao passo que outras começaram a namorar e viram que ainda não estavam prontas.
Uma vez ouvi que o coração é uma porta com a maçaneta virada para o lado de dentro. Tem horas que a gente quer deixar a porta fechada...mantê-la assim parece ser mais seguro, mais perto da nossa zona de conforto. E qual é a hora de abrir a porta? Essa sempre será uma boa pergunta a ser feita...
Eu gosto muito de metáforas. Tem horas que acho que elas explicam em uma frase o que eu não conseguiria explicar com um texto todo. E para isso eu penso que o nosso corpo é sábio. Sabe quando você está doente, com uma infecção intestinal por exemplo, e alguém vem e te oferece um x-tudo? O corpo sabe que aquilo não fará bem a você...que ainda não é chegada a hora de você comer aquilo. Acho que o coração é sábio também...chega uma hora que você pensa em estar com outra pessoa e aquilo simplesmente não cabe, não dá! Mas, no mundo das hipóteses, pode ser que um dia a gente se faça essa pergunta e talvez as nossas reações sejam diferentes...que voce pense em estar com alguém e um sorriso apareça nos lábios
Bem, que Deus abençoe a todos.
Um abraço,
Woltony

19 de abril de 2011 00:26
Nara disse...

Oi Amiga!!!
Como muitos já disseram...acho que não existe tempo certo para o recomeço!!! Saiba que sempre vai ter o pessoal do contra, mas vc sabe que também tem muitos que te amam e serão a favor de um recomeço...
Na verdade, esse despertar virá de vc mesma quando encontrar uma pessoa que cause aquela 'revolução' acompanhada de todos os sintomas de "Ai meu Deus!! E agora??".
A minha experiência foi diferente da sua, mas depois da separação, o Fá chegou muito antes que eu pudesse imaginar...vc sabe!! A minha insegurança era enorme por causa das crianças, mas tudo está dando muito certo, graças a Deus!!!
Não se importe com a opinião dos outros e viva muito!!
Lembre-se sempre de SER FELIZ!!!
Estarei sempre ao seu lado. Beijos com carinho da Prima Nah

19 de abril de 2011 10:08
Anônimo disse...

Eu acho que no momento em que você disser "ainda não é a hora" e seu coração bater mais forte, seu corpo resistir em se afastar, a vontade for maior que a culpa... aí a gente aprende a jogar a culpa pras cucuias...rs
As pessoas pegam no pé mesmo. Tentam ajudar muitas vezes. Acham que estamos indo muito rápido, que não é tempo, que estamos nos precipitando e vamos sofrer. Por isso, para ouvir os outros, temos que desistir de viver. Etnão, viva e explique a quem importa que você está pronta. Que a fatalidade que ocorreu é suficiente para a carga de sofrimento, que não precisamos trazer mais dor para a vida, tão difícil. Assim, se estamos vivas, não sabemos o motivo, mas vamos fazer valer.
Muita luz.
Alessandra

21 de abril de 2011 00:26
Mah disse...

Eu acho que o Fernando ainda é muuuuuito presente na sua vida, por tudo que vc descreve no blog. De fato: ele sempre será, pela história de vcs e pelas crianças e por muita coisa que eu nem sei que existe, mas eu tenho certeza que existe dentro de vc. Tenho uma amiga que ficou viúva com 10 meses de casada, com um bebê de 1 mês no colo. Ela tinha 22 anos... ele, 29. Durante 3 anos ela viveu exclusivamente pra o filho, pras fotos dele e pra comunidade dele no orkut. De repente, a paixão bateu à sua porta e ela começou a namorar, e começaram a sumir as lamentações e a tristeza que a morte nos traz. Penso que ele virou apenas uma saudade boa que faz parte da vida dela, mas que não a toma como outrora. E é isso:acho que quando o Fê se tornar uma saudade boa, que não dói mais, vc vai estar pronta pra pensar nesse assunto. Mas não tenha pressa nem se preocupe com os outros. A hora é sua!

Beijo

26 de abril de 2011 22:47
Thalita Foureaux disse...

Boa noite, estou com 24 anos e fiquei viúva aos 22, foi uma fase muito difícil e a princípio pensei em jamais me relacionar com outra pessoa, que jamais seria capaz de amar outro homem sem compara-lo ao primeiro, no entanto a vida me surpreendeu e me apaixonei pelo sobrinho do meu falecido esposo. Criticas? Sim, recebi muitas, porém o que mais doeu foi as criticas feitas por mim mesma, pela minha própria consciencia e confesso que até hj não é facil ouvir e aceitar a opnião alheia. Po´rem com o tempo, depois de muitas lágrimas na tentativa de afastar meu falecido esposo da memória pra conseguir me entregar por inteiro a esse novo amor eu aprendi uma lição. Eu não preciso esquece-lo, eu nunca vou esquece-lo, eu o amei de todo o meu coração e se tivesse opção é ao lado dele que eu estaria, mas isso não é mais possível, Deus quis assim, o que tinhamos pra viver foi intenso, não ha mais nada que eu possa fazer por ele, portanto é chegada a hora de fazer algo por mim e uma boa compahia, um amor, é indispensável pra que nós viúvas possamos voltar a ser feliz e sorrir novamente. Siga seu coração e lembre-se, o tempo de vcs dois não volta mais, se entregue e deixe o destino surpreende-la.

8 de janeiro de 2013 00:01
Anônimo disse...

Eu também passo por este luto tenho 37 anos e me sinto sozinha, as pessoas ao redor cuidam tanto da vida da gente que me fazem sentir uma aberração ao querer me sentir bonita e desejada novamente, estou esperando alguém especial aparecer e começar uma nova fase de minha vida, meus filhos me apoiam, acho que isso é que importa.

1 de abril de 2014 21:16
Anônimo disse...

bom fiquei viuva a pouco tempo tem apenas 5 meses,sofri e sofro muito com a perda do meu marido tenho apenas 21 anos e sou muito familia e carente,conheci uma pessoa qu eme faz se sentir muito bem!
sei que nunca vou amar ninguem como amei meu marido,só queestou muito envolvida com esse rapaz mais pesso conselhos eu muito errada?
mitos vão me julgar ja qe ele era tão qerido por muitas pessoas!

9 de junho de 2014 14:37
Anônimo disse...

Bom, nunca passei por esta situaçao, mas tenho alguem proximo que esta pássando... Particularmente , eu acho que a pessoa tem que levar a sua vida adiante, mas tambem acho que se a pessoa amava de verdade o que se foi, nao conseguira pensar em se relacionar com outra pessoa com um mes de viuvez.Eu acho muito estranho.Mas e porque nos seres humanos , somos assim mesmo.Mas a vida nao e nossa, entao, quem deve decidir e quem esta passando e se preparar para enfrentar o que vier.
Boa sorte e que Deus abençoe.

9 de julho de 2014 15:20
Anônimo disse...

Bom eu penso o seguinte sobre esse assunto!
1:Mande todo mundo se fuder..e vá ser feliz,isso é se vc já arrumou uma pessoa nova!

2:Seu marido era bom,ai já complica pois se ele era bom certamente vc o amava então soa meio estranho vc logo arrumar um alguém novo,vai sair como desrespeito com quem morreu e com seus filhos!

3:Seu marido era um merda e vc n o amava,ai sim vc pode sair com outro se divertir mesmo,que seus filhos não aceitem,ai vc os manda pra merda e vai ser feliz,mas sem esquecer os filhos,apenas os deixando de lado parcialmente,pois vc precisa viver seu novo amor e dar atenção para ele

4:Seus filhos podem nunca aceitar ai você terá que escolher em ser feliz ou alegrar seus filhos,isso mesmo ser escrava deles!

5:Cada pessoa vai te dar um palpite diferente,então você deve seguir seu coração!

Conheço uma mulher que se separou do marido e que queria arrumar um amor novo:mas por causa da filha nunca arrumou!
Hoje essa mulher está sozinha internada em um asilo e enquanto a filha se diverte trocando de homem a cada minuto sem dar a minima para opinião dos filhos dela!

Já tem outra que o marido morreu a uns anos atrás e até hoje o filho mais novo dela não aceita que ela namore ninguém,esse filho tem uns 20 anos e diz que ela estaria desrespeitando a memoria do pai dele...

25 de julho de 2014 02:11
Irene Mor disse...

Tenho como falar pq estou passando uma dificuldade em relacao a perda. Vai fazer 3 anos que fiquei viuva.Sofri muito com a morte do meu marido que vivi 12 anos casada e deixou eu com uma filha.So que com menos de um ano exatamente 7meses encrontrei uma pessoa maravilhosa.Que hj estamos casados uma vida nova.Sabe sofri um luto de nao ter animo p nada chorar e perder peso qd aconteceu emagreci 12kl em uma semana.Fiquei muito ruim com td pq estava me recuperando de um AVC e a cirurgia do coracao.E como nao fosse so isso a morte tive que sofrer mais ainda o desaparecimento do meu irmao que so foi emcontrado depois de 6 meses.Nossa achei que nao ia aguentar mais. Sobrevivi pq sei que td que me aconteceu antes de um ano de falecimento do meu esposo no qual vivi um casanento muito bom na saude e na doenca na tristeza e na alegria ate que a morte separou. Encontrei o MOR que me faz viver feliz mesmo senfo duro comigo a dificuldade com minha filha em aceitar a perda do pai e o meu relacionamento.So poco dizer nao tem tempo certo.Tudo e o tempo de Deus so ele sabe o que vamos passar nesta vida.Ontem foi ontem e hj e hj e amanha so Deus sabe...quanto o que eu quero viver feliz com neus amores...Minha filha e meu marido...So depende dela agora...Tenho fe que com td que vivi e estou vivendo minha conciencia e tranquila...E vc que perdeu marido ou esposa td que tiver que ser vai ser. PQ ELE FARA(SENHOR).

23 de fevereiro de 2015 15:49
Irene Mor disse...

Tenho como falar pq estou passando uma dificuldade em relacao a perda. Vai fazer 3 anos que fiquei viuva.Sofri muito com a morte do meu marido que vivi 12 anos casada e deixou eu com uma filha.So que com menos de um ano exatamente 7meses encrontrei uma pessoa maravilhosa.Que hj estamos casados uma vida nova.Sabe sofri um luto de nao ter animo p nada chorar e perder peso qd aconteceu emagreci 12kl em uma semana.Fiquei muito ruim com td pq estava me recuperando de um AVC e a cirurgia do coracao.E como nao fosse so isso a morte tive que sofrer mais ainda o desaparecimento do meu irmao que so foi emcontrado depois de 6 meses.Nossa achei que nao ia aguentar mais. Sobrevivi pq sei que td que me aconteceu antes de um ano de falecimento do meu esposo no qual vivi um casanento muito bom na saude e na doenca na tristeza e na alegria ate que a morte separou. Encontrei o MOR que me faz viver feliz mesmo senfo duro comigo a dificuldade com minha filha em aceitar a perda do pai e o meu relacionamento.So poco dizer nao tem tempo certo.Tudo e o tempo de Deus so ele sabe o que vamos passar nesta vida.Ontem foi ontem e hj e hj e amanha so Deus sabe...quanto o que eu quero viver feliz com neus amores...Minha filha e meu marido...So depende dela agora...Tenho fe que com td que vivi e estou vivendo minha conciencia e tranquila...E vc que perdeu marido ou esposa td que tiver que ser vai ser. PQ ELE FARA(SENHOR).

23 de fevereiro de 2015 15:53
Anônimo disse...

Meu caso é um pouco diferente e bem delicado, pelo menos, acredito que no fundo a consciencia da gente que pesa, sei lá.
Minha melhor amiga faleceu hj faz 7 meses, éramos grandes amigas mesmo, eu frequentaca a casa do casal, domria lá, saíamos os 3, enfim...
Após seu falecimento, fiquei um tempo sem ter coragem de procurar o marido dela, que tbém se tornou um amigo, fiquei sem procura-lo por não saber o que dizer. Um dia ele me ligou, ofereci pra ir em minha casa pra conversarmos ( moro com minha mãe e irmãos).Há pouco mais de 1 mes ele foi, conversamos muito sobre ela, rimos, choramos a lembramos momentos bons com ela e da grande pessoa que ela foi, enfim. Ele me convidou pra sair tomar uma cerveja, conversar mais um pouco, achei melhor recusar, para evitar comentarios desnecessarios.Ai ele passou a me ligar eventualmente, puxar conversa no facebook, falavmos dela et r tals. POr fim, ele acabou insistindo e saímos, sentamos eem um barzinho e de novo, rimos, choramos, lembramos, e falamos de nós tbém. E ele quer namorar comigo. Estou totalmente com a cabeça transtornada com tudo isso, mas nos gostamos, no queremos bem, nos damos bem, somos pessoas do bem.
MAs ao mesmo tempo, acho que estou fazendo algo errado. É um caso anornal...

16 de março de 2015 11:53
Maria De Jesus Sousa Da Silva disse...

Bom fiquei viúva faz 3meses...amava muito meu marido tanto q as vezes penso pq n fui cm ele.Só q agora estou conhecendo uma pessoa q mim faz mim sentir tão bem..talvez é pq eu esteja carente.mas tbm sinto q n consigo ficar sozinha, sm alguém p conversar beijar. .abraçar. .então encontrei nessa pessoa uq estou sentindo falta. .ele disse q mim esperar o tmpo q for p quando estiver pronta..mas tenho medo de perde lo por Esperar passar mas meses de luto...já q só tem 3 meses to confusa. ..

1 de setembro de 2016 02:40
Maria De Jesus Sousa Da Silva disse...

Bom fiquei viúva faz 3meses...amava muito meu marido tanto q as vezes penso pq n fui cm ele.Só q agora estou conhecendo uma pessoa q mim faz mim sentir tão bem..talvez é pq eu esteja carente.mas tbm sinto q n consigo ficar sozinha, sm alguém p conversar beijar. .abraçar. .então encontrei nessa pessoa uq estou sentindo falta. .ele disse q mim esperar o tmpo q for p quando estiver pronta..mas tenho medo de perde lo por Esperar passar mas meses de luto...já q só tem 3 meses to confusa. ..

1 de setembro de 2016 02:40
Maria De Jesus Sousa Da Silva disse...

Bom fiquei viúva faz 3meses...amava muito meu marido tanto q as vezes penso pq n fui cm ele.Só q agora estou conhecendo uma pessoa q mim faz mim sentir tão bem..talvez é pq eu esteja carente.mas tbm sinto q n consigo ficar sozinha, sm alguém p conversar beijar. .abraçar. .então encontrei nessa pessoa uq estou sentindo falta. .ele disse q mim esperar o tmpo q for p quando estiver pronta..mas tenho medo de perde lo por Esperar passar mas meses de luto...já q só tem 3 meses to confusa. ..

1 de setembro de 2016 02:40
Maria De Jesus Sousa Da Silva disse...

Bom fiquei viúva faz 3meses...amava muito meu marido tanto q as vezes penso pq n fui cm ele.Só q agora estou conhecendo uma pessoa q mim faz mim sentir tão bem..talvez é pq eu esteja carente.mas tbm sinto q n consigo ficar sozinha, sm alguém p conversar beijar. .abraçar. .então encontrei nessa pessoa uq estou sentindo falta. .ele disse q mim esperar o tmpo q for p quando estiver pronta..mas tenho medo de perde lo por Esperar passar mas meses de luto...já q só tem 3 meses to confusa. ..

1 de setembro de 2016 02:42
K disse...

Olá...
Pude ver que não acontece só comigo.
Tenho 33 anos e viúva com uma filha de 3 anos.
Até o primeiro mês, fiquei num casulo,não queria ver ou falar com ninguém. No segundo percebi que isso não iria adiantar e que a vida estava ali pra continuar e comecei a sair novamente.
Hoje após 3 meses da morte, tenho percebido que preciso de alguém, sinto falta de alguém pra conversar, alem das necessidades de carinho entre homem e mulher.
Enfim.... Estou nesse dilema, será q posso me relacionar com alguém, será que vou ser mal vista?
Tenho conversado com uma pessoa que tem feito bem pra mim, mas não assumi e nem falei pra ninguém justamente devido a esse receio do que as pessoas vão falar.

26 de novembro de 2016 18:22
Anônimo disse...

Caramba.
Realmente precisava ouvir isso tudo.
Meu marido se foi tem um mês. Éramos muito felizes. Somos jovens. Ele tinha 33 e eu 31. Não tenho ninguém. Mas sinto falta de ter alguém. Conversar com outros caras. Eu o amo. E a lembrança ficará para sempre. Porém não sei o que as pessoas vão pensar ou falar. Acho que a nossa orientação religiosa ajuda a trazer paz. Somos espíritas. Sei que ele está bem.
Mas acima de tudo, obrigada por compartilhar suas experiências. Isso dá um certo alívio. Diminui a culpa que surge.
A vida continua. Queria que continuasse com ele do meu lado. Mas Deus quis de forma diferente.

13 de dezembro de 2016 06:19
Anônimo disse...

Eu perdi meu marido já está fazendo 10meses , eu o amava muito. aliás eu o amo. só que fiz uma besteira, fiquei com um amigo dele quando completou seis meses .estou me sentindo como se o tivesse traído, estou me sentindo péssima com um peso na consciência terrível.

6 de março de 2017 01:15
Unknown disse...

Estou na mesma ,reencontrei um amigo que é apaixonado por mim a dez anos e a gente está conversando tenho uma filha de 4 anos ele é a única pessoa que sei que não vai fazer mal a minha filha.
Gosto do jeito que ele me trata com carinho ,amor
Eu lutei muito pelo meu falecido esposo fiz o que pude em vida ,só que ele se foi não foi minha vontade foi vontade de Deus e moro com meus sogros tenho medo do que vão falar.
Ainda amo meu esposo ,mas não quero perder essa pessoa pq ele me faz bem

24 de maio de 2017 01:14