quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Casamento. Mas pode chamar de "a arte de negociar"

Nunca vou esquecer. Três anos atrás eu estava almoçando com uma amiga que estava para casar e com outra já casada. E eu mesma estava ensaiando a união das escovas de dente com Charlie. A casada foi logo explicando: meninas, não se assustem, casamento é difícil mesmo, tem que negociar tudo o tempo todo. É uma negociação por dia, das contas a pagar ao posto de gasolina ideal para abastecer.

Uma por dia, colega? Que lindo se assim fosse. São várias por dia. Negociações por minuto. Tem mais negociação em casamento que na ONU.

Hoje mal acordamos e já negociamos quem vai ficar com o carro, quem vai buscar quem, que horas vamos ao contador, quanto ele pode me emprestar porque esse mês eu tô duranga, o que vamos fazer no final de semana e outras coisas que já nem sei. E é fim de ano - tempo de negociar Natal e Reveillon. Isso sem contar as negociações domésticas que eu já desisti de discutir faz tempo, como a louça e a cama desarrumada. Pois não tem coisa mais chatinha que negociar - e brigar - por coisa tão pequena.

Imagine só os casais com filhos? Deve ter até assembléia diária na hora do jantar para estabelecer as resoluções do dia seguinte.

Mas difícil mesmo está de negociar os planos de 2009. Charlie quer viajar para Marte. E eu prefiro adotar um extraterrestre a ir para lá. Nossos planos definitivamente não se encontram. E essa tem sido a maior de todas as negociações em três anos de casório-união-estável.

Sobreviveremos a mais essa negociação?

A Casada

7 comentários:

3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Amiga Casada,

Tudo vale a pena se a alma não é pequena, vc sabe. E essa operação Marte/Extraterrestres vai terminar bem, tenho certeza.

Beijos,

A Divorciada (Que ainda acredita em negociações matrimoniais)

26 de novembro de 2008 11:49
Bruno Rossi disse...

Bruno Rossi

Só me surpreendo cada vez mais com o blog de vcs meninas.
Que casamento é uma negociação eterna isso deveser mesmo, com relação a ONU, as de lá nem sempre tem fim, ou acabam por ser desacatadas, mas o que realemten vale é essa habilidade de negociar.
Afinal de contas negociamos desde que começamos a pensar sozinhos. E qual seria a graça se tudo já estive pronto?

Boa sorte nas negociações.

26 de novembro de 2008 12:32
Anônimo disse...

Relação é assim mesmo, sempre conversando prá que as coisas andem bem, sem desentendimentos e com compreensão. E eu acredito que esta postura serve para todas as relações que prezamos, inclusive o casamento. Se a gente se atrasa no trabalho avisa ao chefe, se a faxineira vai faltar avisa a gente e porque é que não podemos avisar aos nossos companheiros(as) que vamos nos atrasar, que não vai dar prá viajar, que vai ter que ficar até tarde no trabalho? Sinceramente, adoro viver este cotididiano de conversas e acertos. casei prá isso também. É sempre uma aprendizagem.

26 de novembro de 2008 21:35
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Sim!! Essa operação há de terminar de uma maneira boa para os dois! Quem sabe não vamos para Marte com um ET? rsrs

Eu tenho fé nessas negociações também ;-)

Bruno, valeu pelo apoio ao blog! E concordo contigo: a graça do casamento está justamente nessa tentativa de se dançar junto, acertando um passo aqui e outro ali.

Por fim, anônimo, tens razão, casar não é só ter os pés aquecidos durante a noite, sexo garantido e companhia full time. Mas também se entender melhor e entender o outro nesses pequenos entendimentos do dia a dia.

Mas sou uma geminiana preguiçoooosa e muitas vezes acabo desistindo de negociar e cedo demais. Mas isso também é aprendizado :-)

beijosss

A Casada

26 de novembro de 2008 23:35
Mara De Santi disse...

Meninas, adorei o blog. Foi indicação de uma amiga e, agora que conheço, vou visitar sempre! Em tempo: fui solteira, casada e agora, divorciada. Entonces, estou em casa! Beijos (e quando quiserem dar uma passadinha, meu blog é o www.espacejamentos.blogspot.com).

26 de novembro de 2008 23:39
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Se em Marte só tiver barangas, manda Charlie pra lá :O)

Soube que as mulheres por aquelas bandas são verdes, cor nada atraente aos terráqueos.

No mais, nada como o poder de persuasão para manter a chama do amor, ha ha ha

beijos,

A Solteira

27 de novembro de 2008 10:10
Adriana disse...

Respondendo à sua pergunta: sim!! Basta negociar com muiiita caaalmaaa!!

27 de novembro de 2008 12:55