quinta-feira, 29 de abril de 2010

Ser mãe solteira

Nunca falamos sobre esse assunto antes aqui. E o e-mail da nossa leitora Flávia, autora do blog Decasaemcaso, que desabafou sua história conosco, é uma boa oportunidade de discutir o tema. Já pararam para pensar em como é difícil ser mãe solteira? Engravidar de um cara que não era um parceiro fixo, nem um namorado? Pois é, aconteceu com ela. E que ninguém venha com acusações do tipo “mas hoje em dia só fica grávida quem quer”: acidentes acontecem. Duvida? Basta lembrar que camisinhas podem romper e que mesmo mulheres que tomam anticoncepcional regularmente podem se deparar com um bebê na barriga. Aconteceu com uma ex-ginecologista minha, por exemplo. E não era pílula de farinha: não existe medicamento 100% eficaz, todos têm uma pequena margem de erro. Pode conferir na bula.

Pois bem, uma vez grávida e sem parceiro fixo, Flávia tem se sentido só, desamparada, triste por ter que lidar com muito preconceito diante da situação. Mesmo em pleno século 21. Mesmo tendo 30 anos e plenas condições de ter seu baby. Como é muito natural, ainda tenta se acostumar às mudanças do corpo, ao fato de agora achar que está “gorda” e que não é mais “desejada”, por mais amor que já sinta pelo filho, por mais que tenha recebido bem a chegada dele (ou dela, ainda não dá para saber o sexo).

Mas a parte mais dura vem agora: Flávia não tem recebido suporte algum do pai de seu bebê. Eles não eram namorados, ela não exige compromisso, casamento, nada disso. Mas sim suporte, amparo, atenção. Para mim, isso não é gentileza, é obrigação: ela espera um filho dele. Não basta ser pai, tem que participar, ajudá-la a ter uma gravidez saudável e tranquila. E não agir como esse cara tem agido. Com direito a, dia desses, depois de séculos sem dar notícias, ligar para avisá-la de que a atual namorada dele ligaria para ela com o objetivo de confirmar que o último encontro deles havia sido em janeiro. Dá para acreditar? Eu me recusaria a atender essa ligação ou seguiria o conselho de Guarda Belo, meu digníssimo namorado, que diria o seguinte para a atual do mala: “Alô, oi, fulana. Seu namorado?! Sim, saímos na semana passada”. Era o mínimo que ele merecia. E a tonta da parceira dele também, fala sério.

Flávia queridona, fique bem. Força! Para fechar, não sem antes pedir carinho aos nossos leitores fofos nos comentários, como de costume, deixo você com as palavras da minha amiga Marta, mãe de uma boneca chamada Gabriela. Ela também engravidou sem planejar e diz que se sente tão ligada à filha que não consegue imaginar como conseguiu viver tanto tempo sem tê-la ao seu lado. Não é uma declaração linda? Eu acho. Será assim com você e com seu baby também.

Much love,

Isabela – A Divorciada

35 comentários:

Lilly disse...

A ligação da mãe com o bebê é natural enquanto que com o pai, não. Mesmo se ela tivesse um parceiro fixo, namorado ou marido, não necessariamente ela ia se sentir amparada pois muitos homens se distanciam, mesmo após o nascimento do bebê. Às vezes eles vão se dar conta da maravilha depois que o bebê já está nascido e maiorzinho.

Por isso minha mensagem para a Flavia é que ela aguente firme, tente reprogramar esses pensamentos de rejeição e aproveite a gestação pois é uma das experiências mais maravilhosas que uma mulher pode ter. Eu tive duas e morro de saudades.

Beijos para todas!

29 de abril de 2010 07:16
Albuq disse...

Oi Bela! Oi Flávia!

Eu ainda não sou mãe. Faço idéia desta situação que você se encontra, mas, por mais difícil que pareça ser, aproveite esse momento tentando enxergá-lo como um momento único, e pare para pensar em quantas mulheres estão lutando para conseguir engravidar e não conseguem, e pense, diante de toda a situação que aconteceu, apesar de tudo, ser mãe é uma dádiva, é uma realização para mulher, sem falar que seu baby será já te ama sem você nem se dá conta! Pense nele e em você, esqueça os que nada tem a contribuir.

bjs, força e pensamento positivo, tudo vai dá certo!

29 de abril de 2010 08:35
Andarilho disse...

Simplesmente não tem como forçar um cara a dar apoio (exceto financeiro, se for o caso, por vias legais).

O negócio é esquecer esse modelinho família e partir pra ser feliz com o(a) filhote.

29 de abril de 2010 09:09
Cele disse...

É difícil mesmo! EU que sou mãe de dois, sei o quanto ficamos sensíveis nesses dias de grávida. Agora, que eu mandava esse carinha aí pra PQP, eu mandava!

29 de abril de 2010 09:13
Ana Paula disse...

Oi... vim te visitar, adorei e estou te seguindo!!!
Visite o meu tb quando puder.
http://mamaequetrabalha.blogspot.com/
Bjosssssssssss

29 de abril de 2010 10:43
Paloma, a mãe disse...

Infelizmente, se o cara não vale nada, ela não vai conseguir mudá-lo (ainda mais grávida à revelia dele). Melhor esquecê-lo e se concentrar no que realmente importa: o bebê. A vida dela ainda vai mudar muito e nada impede de ela, com o bebê pequeno e já de volta à forma, comece a se gostar mais e se abrir para outras relações.
Não dá mesmo para obrigar ninguém a gostar de ninguém (nem apoiar, nem ser gente boa e coisas assim). O máximo que ela pode conseguir, pela Justiça, é algum suporte financeiro.
Boa sorte para ela e o baby, que venha com muita saúde!

29 de abril de 2010 11:47
Flavia Werlang disse...

Oi Bela e meninas,
Muito obrigada pelo carinho comigo e o baby. Bom neste momento ter com quem partilhar e receber apoio.
:)
Beijão

29 de abril de 2010 11:50
Anônimo disse...

Olá, tudo bem?

Querida amiga,

Há exatamente doze anos atrás eu dei a luz ao meu filho, que por coincidência faz aniversário hoje.

Na epoca eu sofri muito com a gravidez indesejada e pelo fato de ser mãe solteira, confesso.

Eu era muito nova e pensava que não conseguiria realizar meus sonhos, que não ia dar pra fazer faculdade e que ninguém mais ia querer me namorar... enfim, o sofrimento era imenso e esteticamente também me sentia "horrorosa"... gorda, com seios enormes e cheios de leite.

O pai do meu filho também não assumiu o seu papel, a unica coisa que fez foi registarr e pronto.

Até hoje as coisas não saão fáceis pra mim... mas o tempo passa e as feridas fecham e cicatrizam. Deus abre portas e nos conforta.

Neses doze anos me formei na faculdade e hoje tenho um cargo público estável... não ganho milhões mas é o suficiente para uma vida plena e feliz.

Meu filho está grande, saúdável e é uma criança inteligente... ou seja, e meu melhor amigo.

Fique tranquilo e dê tempo ao tempo... tudo vai se ajeitar.

Beijos!

Wan

29 de abril de 2010 12:24
Juvânie Lins disse...

Eu passei pela mesma situação.Tive uma filha de um relacionamento não fixo, so que aos 20 anos. Sofri bastante com o canalha, ja que como ele não dava assistencia (a não ser para que eu perdesse o bebe) eu tinha que me virar so.
Depois que ela nasceu tive outra dor de cabeça,pois ele quis aproximação,mas não tinha nada haver com ela...graça a deus pensei nela e não nas bobagens ditas por ele.Parei a faculdade pra cuidar dela, dei uma pausa nos meus sonhos e tudo mais...Pensei que não ia conseguir mais nada.
Hoje ela está com 3 anos e eu não enxergo minha vida sem ela,com a força que eu vejo nela consegui por em pratica boa parte dos meus objetivos como o termino da faculdade e tudo mais,e o melhor, encontrei outra pessoa que me entendeu e o principal: Ama minha filha assim como eu.

Essas coisas acontecem pra mostrar o quão fortes podemos ser em qualquer situação...Aguentando trancos e barrancos não so por voce,mas por um serzinho maior que vem de voce.

Tenha calma, de tempo ao tempo que as coisas se ajeitam.E o principal: pense e ame o seu bebe

Beijos: Jú

29 de abril de 2010 13:00
Luisa disse...

Oi Flávia, oi meninas... Bom espaço tem sido aberto aqui para discussões tão importantes. Obrigada por isso. Flávia, também sou mãe solteira e faço parte de uma nova família. O desafio, que relato no meu blog desafiodeser.blogspot.com, é constante, mas vale muito a pena. Sinta-se abraçada!

29 de abril de 2010 14:44
Renata disse...

ter um filho é uma coisa maravilhosa.

não é qualquer um que topa, e não é para qualquer um mesmo. E é melhor que seja assim.

se a flavia está a fim disso, a ponto de enfrentar tantas dificuldades, essa vontade é genuína e forte. E é quase certo que vai resultar em algo maravilhoso para ela.

por mais só que esteja, está vivenciando algo que a gente experimenta por pouquíssimo tempo na vida!

então, para que falar nesse cara? é ele quem está verdadeiramente sozinho, que provavelmente nunca vai entender nada! e, um dia, vá lá que ele se arrependa, mas aí já vai ser tarde, coitado.

o tempo passa depressa, e tem coisas que a gente não esquece nunca.

e com o tempo, isso tudo vai ser menor. Porque, por mais difícil que seja, é como eu disse antes, ter um filho é algo muito, muito bacana.

concordo com o que disse o andarilho: esqueça os modelos (e os idiotas também!) e seja feliz!

29 de abril de 2010 15:59
Evelin disse...

Acompanho o comentário do Andarilho: siga em frente!;)

Dizem que gravidez deixa a mulher sensível, mas seja forte mesmo assim!

Bjão

29 de abril de 2010 16:03
Marta Melo disse...

Pois é pessoal,apesar de namorar há quase 3 anos quando engravidei tb me senti muito abandonada,fui morar com ele com 7 meses de grávida e aí me senti pior ainda(a distância que a Lilly citou)...Acho que não foi mais mal pois tenho amigas e minha mãe que me apoiaram muito.Queria dizer para Flávia que essa fragilidade(Nossa nunca me senti tão frágil como quando estava grávida,será hormonal,típico de quem se sente desamparada,ou ambos???) logo passa,e que seu bebê vai te proporcionar momentos muitos felizes e únicos...E como eu disse para Bela, hoje não me vejo sem minha filha,parece que ela sempre fez parte da minha vida e afirmo sempre que viveria toda parte difícil novamente só para ela existir!Força para Flávia e para todas as outras que passam por uma situação parecida!

29 de abril de 2010 19:16
Mulheres Neura disse...

Meninas

Deixem a Flávia atender o telefonema da atual namorada dele, aproveitando para dizer como será a conversa:

Alô!
Oi!

Eu sou Fulana, namorada de Fulano, queria saber uma coisa contigo, quando foi a última vez que vocês se encontraram?

Hummm foi na vez que ele me engravidou, em Janeiro, mas eu nao lembro bem, porque meu advogado está com os papéis prontos pra pedir para ele pagar a pensao alimentícia!
Ah e a propósito, eu engravidei e ele sumiu, cuidado para nao fazer o mesmo contigo. Beijos e tchau.

Seja inteligente, o bb já está a caminho, desfrute da sua grtavidez, do apoio das amigas, re-organize sua vida para a chegada de seu filho (a) e esqueça esse moleque que tem o apelido de homem...



beijos a todas

D. Patifa

29 de abril de 2010 22:38
Marcos disse...

Realmente ser mãe solteira é um desafio de vencer. Nada em nossa sociedade facilita a vida a começar pela familia, amigos, trabalho e desconhecidos.

Mas acredito que o fato de "ser mãe" é o que move para nunca desistir...

Minha solidariedade a todas as mães solteiras...

29 de abril de 2010 23:18
As primas disse...

Situação difícil, mas aguentável... se não eram nada, não acho que ela deve esperar mto do cara...

Infelizmente (e conformadamente) a gente vive nesse mundo machista...

Se fosse comigo eu não sei como reagiria.

Mas antes desse filho ser do cara, ele seria MEU... E eu devo amá-lo.

BOA SORTE QUERIDA, que venha com saúde!

.Olívia.

30 de abril de 2010 00:18
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Queridas,
Há 22 anos uma menina do meu bairro, minha amiga, foi estudar nos "esteites" e voltou grávida do namorado brasileiro.
Ela foi a primeira de várias outras. Era apontada na rua quando saía com o filho. As pessoas comentavam o tempo todo. O pai desapareceu.
Hoje o filhão está na faculdade, bem encaminhado, já namorando. São bons amigos. Ele é lindo. Ela é uma bela e coruja mãe.
O pai finalmente apareceu querendo compensar os anos.
Resposta do filho: tudo bem, mas sem exageros. Ele reconhece tudo o que a mãe fez e não concorda com a postura do pai, apesar de conviver com ele.

Flávia _ você vai adorar esse filhote e dará conta de tudo e continuará sendo uma mulher bela e sexy, tenha certeza.

Um cheiro, Zoe.

30 de abril de 2010 00:42
mulherpolvo disse...

Muitas das coisas chatas que a gravidez traz (a gente fica meio alien, não é desejada, etc) acontecem também quando a gente tem marido. o mais importante, ao meu ver, é que ela já tem como se sustentar e uma idade mais madura, e isso conta a favor. Mãe que sou, digo que dias melhores virão, uma criança linda e saudável há de te dizer "eu te amo' todos os dias muito em breve. O mané do pai... É melhor que fique mesmo longe de você!!!
muita força, muita sorte e muita paz!!! o mundo dá voltas e voc~e em breve estará muito mais feliz!

30 de abril de 2010 07:29
Accácia disse...

O fim da picada o canalha do pai não querer assumir o que fez!
Que ela tenha muita força e siga em frente,pois essa criança será,com certeza,a razão de muita alegria e felicidade em sua vida!
Força!
Beijo
Accácia

30 de abril de 2010 09:15
jefhcardoso disse...

Isabela, pensei em uma maneira de falar e homenagear a todos que tanto vêm me incentivando com o carinho e apoio que me doam.
Escrevi uma crônica pensando em nós blogueiros. Falei sobre o que penso ser o blog para nós. Você pode concordar ou discordar; pode também acrescentar; mas não deixe de opinar. Leia e entenderá por que a sua opinião é indispensável para mim e para todos blogueiros.

Abraço do Jefhcardoso do http://jefhcardoso.blogspot.com

30 de abril de 2010 09:51
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Eu tenho cá para mim que, se acidentes acontecem, então era mesmo para eles acontecerem =D

Fico até meio com pena desse cara, isso sim. Perdeu a chance de ter uma atitude incrível - que nada tem a ver com assumir a mulher, mas sim a criança! Mas assumir de verdade, não só na palavra.

Mas pelo que li aí acima, esse comportamento indiferente acontece até mesmo quando o homem está com a mulher! Então, se é para ser assim, talvez seja até melhor que nem esteja por perto...

Você é uma sortuda, pense assim =)

um beijão e muita força!!

deb

30 de abril de 2010 13:37
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Olha eu acho que Flávia tem tudo pra ser uma mãe realizada e feliz.
Quanto ao pai, amiga se o babaca fez isso .... esquece o cara! Quem precisa?
beijocas,
Mari.

30 de abril de 2010 20:14
Aline Bretas disse...

pior que ser mae solteira eh ser "viuva de marido vivo"!!!!

1 de maio de 2010 16:47
Flavia Werlang disse...

Meninas, mais uma vez muitíssimo obrigada pelo carinho :)
beijos meu e do baby.

1 de maio de 2010 17:08
Aline Fernanda disse...

Ah flor... vc não é a primeira nem será a última a passar por estas situações.
Pílulas falham, falhou comigo. Desde que tive meu primeiro filho, e logo depois o divórcio, não parei mais com os anticoncepcionais.
Meu primeiro filhote passei a gravidez sozinha mesmo estando casada. E agora, 7 anos depois, estava um namoro "sério" até que os hormônios fizeram sua parte e por uma besteira iniciei uma briga feia e terminamos. Descobri duas semanas depois que "hormônios" eram esses. Me descobri grávida mesmo com todos os cuidados. Informei ao pai o fato e escutei um sonoro: "Este filho não é meu!".
Passei por momentos muitos difíceis, porque ficamos sensibilizadas, mas a cada vez que eu sentia minha princesa dentro de mim eu me recusava a abaixar a cabeça ou mesmo me sentir triste. Eu deveria estar muito feliz, porque uma princesa escolheu vir até os meus braços. E hoje, já com três meses de vida, é a coisa mais bela da minha vida, junto com seu irmão, e me completa dando um novo sentido à palavra LEVANTAR todos os dias da minha vida. Quanto ao pai? Ele quis vê-la e registrá-la. Eu deixei, e hoje ele é apaixonado por ela. À maneira dele, mas o que importa é que seja um amor verdadeiro, pelo menos com ela.

Beijo enorme.

2 de maio de 2010 02:24
jana_silveira disse...

queridas.. queridos...

não sou blogueira... toda vez que venho aqui tenho que procurar pelo google...
rsrsrsrsrsrs

mas não resisti..
tenho que comentar...

tenho um bebê de cinco meses...
lindo, saudável, perfeito...

fiquei grávida sem planejar enquanto tentava terminar um noivado.. era noiva do carinha que foi meu primeiro namorado...

meu Deus.. como eu sofri.. e ainda sofro um pouco...

demoraria muito pra escrever tudo que aconteceu... quem sabe um dia conto pq escrevendo pode ser que eu exorcise essa história de uma vez por todas...

mas o que quero dizer é que você vai se sentir só.. e um pouco mais só depois que tiver neném e não puder sair de casa´pra ver o mundo...

seios doloridos, barriguinha flácida, e tudo mais...

parece meio sádico dizer isso, mas é bom que vc pense que pode ser diferente...

enquanto estava grávida conheci pessoas muito bacanas que queriam ficar comigo, e presa ao passado de dez anos de amore amizade que se acabaram queria que meu ex se tornasse pai e marido.

hoje lembro com pesar de todas as oportunidades que joguei fora...

talvez ainda jogue...

mas não espere de alguém que não tem o que dar algo que só um príncipe poderia...
saia de casa, se arrume, jogue charme com seus novos cabelos lindos, seja sexy, pq muitos homens moooorrem de tesão por grávidas...

arrume um namorado sensível e maravilhoso!!!!!

coma sem culpa (deixe a dieta pra depois!!!! eu perdi 8 kg na primeira semana..) tenha desejos e peça pro seu paquera comprar no meio da noite...

faça amor... muuuuuuito!!!! ajuda no parto e durante a gravidêz é bom como nunca!!!!!!!

amoreco....

entendo tão perfeitamente você.

pense na sua vida daqui a dois anos quando seu amorzinho vai te perguntar infinitos porquês e você terá que desvendar mistérios maravilhosos...

pense daqui a cinco anos com seu novo amor..

pense daqui a sete anos com um doutor do ABC...

pense quando vc for uma senhora e tiver outros dois filhos maravilhosos cuidando do seu sono por uma plástica de última hora numa clínica chique de doer!!!

sorria... agora vc tem um milagre dentro de vc que sente tudo o que vc sente.... e que amará você mais que qualquer outra pessoa no mundo...

e olha.... quando as cólicas chegarem, quando os dentes começarem a coçar, quando as comidinhas forem difíceis de dar...
pense daqui a dezoito anos...

o vestibular vai ser tão importante outra vez...
o primeiro amor vai ser tão importante outra vez...
a carteir ade motorista vai ser tão importante outra vez....

a vida terá outro rumo, outro ritmo, outro sentido...

a vida será de amor e dor sem fim..

Admiro você. A forma mais fácil de se acovardar é não ter o seu baby.

Parabéns pela sua coragem.

Uma mulher como você vale muito.

4 de maio de 2010 21:57
Dri disse...

Me enquadro perfeitamente nesse seu texto :)

11 de janeiro de 2011 10:32
Anônimo disse...

A gente que bonito o que vcs escreveram... estou de 3 semanas e o pai também não quer a criança. e confesso que ando pensando em aborto, mas busco a toda hora uma maneira de criar meu filho...

15 de maio de 2011 20:33
talita disse...

Eu sei como é....
Força amiga....
Que DEUS abençõe vc e seu bebê...
Bjus

24 de junho de 2011 19:58
li30 disse...

tive um relacionamento de tres meses com um rapaz,que qundo soube que eu estava gravida se afastou,sofri muito e tentei aborto,mas foi em vão,sofri mais por levar a gravidez adiante e com medo da criança nascer com problemas por causa do abortivo,com ajuda da minha familia e amigos tive uma gestação saudavel meu filho nasceu lindo e hj é mimha maior felicidade,o pai registrou e hj insiste em uma reaproximação com a criança,´muito dificil pois qndo mais precisei ele sumiu e agora se acha com dieitos ,mas hje sei q sou forte e nao temo enfrentar mais nada,as coisas aos poucos voltam ao normal,minha mãe me ajuda e quando posso já saio com minhas amigas,ser mãe e mulher aprendi que é isso,saber priorizar o tempo para os filhos e a vida particular,mas somos capazes é só deixar q as coisas se ajeitam ao seu tempo,não pense em abortar ,pois tudo vale a pena qundo vemos o rostinho dos nossos filhos.
abraços em todas
p.s :o pai n ajuda financeiramente
li30

15 de janeiro de 2012 12:22
li30 disse...

tive um relacionamento de tres meses com um rapaz,que qundo soube que eu estava gravida se afastou,sofri muito e tentei aborto,mas foi em vão,sofri mais por levar a gravidez adiante e com medo da criança nascer com problemas por causa do abortivo,com ajuda da minha familia e amigos tive uma gestação saudavel meu filho nasceu lindo e hj é mimha maior felicidade,o pai registrou e hj insiste em uma reaproximação com a criança,´muito dificil pois qndo mais precisei ele sumiu e agora se acha com dieitos ,mas hje sei q sou forte e nao temo enfrentar mais nada,as coisas aos poucos voltam ao normal,minha mãe me ajuda e quando posso já saio com minhas amigas,ser mãe e mulher aprendi que é isso,saber priorizar o tempo para os filhos e a vida particular,mas somos capazes é só deixar q as coisas se ajeitam ao seu tempo,não pense em abortar ,pois tudo vale a pena qundo vemos o rostinho dos nossos filhos.
abraços em todas
p.s :o pai n ajuda financeiramente
li30

15 de janeiro de 2012 12:23
li30 disse...

tive um relacionamento de tres meses com um rapaz,que qundo soube que eu estava gravida se afastou,sofri muito e tentei aborto,mas foi em vão,sofri mais por levar a gravidez adiante e com medo da criança nascer com problemas por causa do abortivo,com ajuda da minha familia e amigos tive uma gestação saudavel meu filho nasceu lindo e hj é mimha maior felicidade,o pai registrou e hj insiste em uma reaproximação com a criança,´muito dificil pois qndo mais precisei ele sumiu e agora se acha com dieitos ,mas hje sei q sou forte e nao temo enfrentar mais nada,as coisas aos poucos voltam ao normal,minha mãe me ajuda e quando posso já saio com minhas amigas,ser mãe e mulher aprendi que é isso,saber priorizar o tempo para os filhos e a vida particular,mas somos capazes é só deixar q as coisas se ajeitam ao seu tempo,não pense em abortar ,pois tudo vale a pena qundo vemos o rostinho dos nossos filhos.
abraços em todas
p.s :o pai n ajuda financeiramente
li30

15 de janeiro de 2012 12:24
sanduckvillas disse...

DIAS DAS MÃES!
Ajude sua mãe a encontrar a felicidade!
Mesmo que você não a ame e não queira o seu bem, mas ela é sua mãe!
Presenteia com um livro destes!
Baixe este livro agora mesmo! R$ 2.99

http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/7003798/chamam-me-lene-estou-vivendo-um-grande/?PAC_ID=122866
Mesmo que você não ame seu pai, mas ele precisa conhecer o que é a “DETERMINAÇÃO O PENSAMENTO POSITIVO” presenteia com este livro, ele vai te agradecer por todos os dias de sua vida!Baixe este livro R$ 2.99

Determinação o pensamento positivo/lançamento mundial
http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/6985578/determinacao-o-pensamento-positivo/?PAC_ID=125981

1 de maio de 2014 19:48
sanduckvillas disse...

DIAS DAS MÃES!
Ajude sua mãe a encontrar a felicidade!
Mesmo que você não a ame e não queira o seu bem, mas ela é sua mãe!
Presenteia com um livro destes!
Baixe este livro agora mesmo! R$ 2.99

http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/7003798/chamam-me-lene-estou-vivendo-um-grande/?PAC_ID=122866
Mesmo que você não ame seu pai, mas ele precisa conhecer o que é a “DETERMINAÇÃO O PENSAMENTO POSITIVO” presenteia com este livro, ele vai te agradecer por todos os dias de sua vida!Baixe este livro R$ 2.99

Determinação o pensamento positivo/lançamento mundial
http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/6985578/determinacao-o-pensamento-positivo/?PAC_ID=125981

1 de maio de 2014 21:30
日月神教-任我行 disse...

ssd固態硬碟 外接式硬碟 餐飲設備 製冰機 洗碗機 咖啡機 冷凍冷藏冰箱 蒸烤箱 External Storage Solid State Drives 關島機加酒 關島婚禮 關島蜜月 花蓮民宿 彈簧床 床墊 獨立筒床墊 乳膠床墊 床墊工廠 巴里島旅遊 巴里島spa推薦 巴里島機票 巴里島行程推薦 記憶體 情趣用品 情趣用品USB Flash DrivesMemory Cards 產後護理之家 月子中心 坐月子中心 坐月子 月子餐 投資美國物業 美國租金報酬 美國房屋買賣 房地產投資說明會 美國房地產 美國置產須知 美國房屋物件 SD記憶卡 隨身碟 高雄當舖 高雄汽車借款 高雄機車借款 高雄房屋二胎貸款 高雄汽機車免留車

18 de junho de 2015 06:33