terça-feira, 17 de agosto de 2010

O dilema de Bia

Dia de ouvir as histórias das nossas leitoras. Da Bia, de 31 anos, que se vê às voltas com um dilema: trair ou não trair? Até onde vai uma atração? Abaixo, o relato dela, que, fofa, pede as opiniões de vocês. Sei que será prontamente atendida.

Beijão, Bia. Obrigada por ser nossa leitora e por ter escrito para nós. Fique bem.

Isabela – A Divorciada

Estou precisando da ajuda, quero afastar um fantasma da minha cabeça. Sou super bem casada: há um ano e pouco e tenho um marido que é bonito, inteligente, engraçado e carinhoso. Companheiro, trabalhador. Namoramos por cinco anos e meio. Ele cozinha, cuida de mim, de nossa casa, aguenta as minhas chatices, momentos de mau humor, minha mania de ser mandona. Temos uma química gostosa, mas é claro que, com os anos, a libido da gente muda. Mas o que tá me pegando são os pensamentos pecaminosos, digo, beeeeeeeeem pecaminosos que ando tendo com um outro cara. Havia passado, mas agora voltou com força.

Ele é taxista, me levava ao trabalho todos os dias antes de eu me casar. Nós sempre conversávamos. Ele é casado, tem dois filhos e, pelo que eu entendia, tinha uma esposa linda e super dedicada à família. Eu sempre soube que ele tinha um caso extraconjugal. Com uma vizinha. Conversávamos e ele reconhecia que errava e que precisava mudar.

Nunca aconteceu nada. Só que um dia eu me enxerguei envolvida por ele. Não sei ao certo como começou. Tudo sempre ficou no ar. Naquela conversa manjada dele e na minha surpresa de me ver gostando daquilo.

Me afastei. Depois que eu casei, mudei de bairro e comecei a sentir saudade dele. Um dia, quando fui até a região de novo, soube por outro taxista que ele havia largado o ponto e passado a se dedicar à empresa da mulher, estava trabalhando com ela. Fiquei chateada, pensando nele por uns dias. Será que nunca mais ia vê-lo mesmo? Quando eu passava perto do ponto, eu sempre olhava, mesmo quando não tinha ninguém.

Bom, acontece que eu o reencontrei há dois dias, ali no mesmo ponto de sempre. Estava um gato de camiseta branca e calça jeans. Eu tremi, amoleci, esfriei, esquentei, senti meu corpo como há tempos não sentia. Na hora ele sorriu, acenou, ficou olhando pra mim. Coloquei os óculos escuros pra disfarçar que não conseguia desviar meu olhar.

Eu percebi que ele ficou olhando e olhando. O farol abriu e eu, que estava no carro, fui embora. Eu queria ficar ali, conversando com ele, olhando pra ele, saber tudo que a gente não conversou nos últimos 13 ou 14 meses (depois que eu casei, meu celular quebrou e eu perdi meus contatos, inclusive o telefone dele). Talvez isso tudo pareça infantil, mas é como me sinto agora. Com a cabeça bombando. Não consigo parar de pensar nele e em coisas inimagináveis. Ele mexe comigo! Desvario completo, eu sei. Deve ser pura fantasia!

Ao mesmo tempo, não me vejo ultrapassando aquela linha que muita gente atravessa em função de uma atração em detrimento de algo muito maior, bonito e duradouro que é o amor. Eu penso que encontrei o amor da minha vida, meu marido, esse sim!!! Eu o amo, sem dúvida, mas talvez sinta falta de sedução, de flerte, de outra pele, de outra boca, de outras mãos! E justo eu que sempre sonhei com uma família, com uma vida com um homem bacana.

Quero parar, entender um pouco o que está acontecendo comigo. Agradeço a ajuda de vocês, com suas opiniões. Preciso tirar esse peso de mim, antes que essa brincadeira vire algo sério! Talvez eu tenha que não me levar tão a sério também, pode ser uma saída, sei lá!

Um grande beijo e obrigada!

Bia

43 comentários:

Trocando ideias - Espaço Mulher disse...

Que difícil, né?
Acredito que seja um pouco do que vc disse. Ama seu marido, ma sente falta da sedução, da conquista. Essas "fantasis" de uma certa forma nos trazem isso de volta.
Não sei muito como ajudar, mas será que se vc tentar transferir toda essa energia para o seu marido, a chama não pode reacender?
Bjss
Dani

17 de agosto de 2010 00:14
Silvana Alves disse...

vou ser bem sincera...
vc só elogiou seu marido, uma bênção, imagino eu... e mesmo assim quer traí-lo?
Desculpa, mas vc está se traindo isso sim...
cuide de vc e de sua família e deixe esses pensamento pecamissos longe, bem longe de vc... não estrague sua felicidade por superficilidade

17 de agosto de 2010 00:35
Octávio Gordo disse...

Sem comentários, há pessoas que não merecem quem tem a seu lado. Sem querer criticar ninguém, mas hoje em dia as pessoas se tornaram tão individualistas quem esquecem que está ao seu lado, pode trair, mas ao menos tenha a coragem de avisar seu marido, não seja fiel, mas seja honesta.

17 de agosto de 2010 04:27
Frô disse...

Bia,

Por enquanto o que eu vi são só olhares, pensamentos e desejos. Acho que isso é mais normal do que você pensa. É duro, mas fique firme, amiga.

Se você acabar cedendo, além do pobre do marido receber uns chifres que pelo que parece ele não merece, você vai se sentir um lixo, tão mergulhada na culpa, carregando um peso que você não precisa da sua vida agora.

A dica é ficar olhando: olhar com os olhos e lamber com a testa, como diria a minha mãe.

Bjs,
Frô.

17 de agosto de 2010 05:17
Verônica disse...

Bia, minha cara...

Caia fora! Não dê asas a sua imaginação. Não dê corda a esses pensamentos. Vc está muito bem casada (ao que vc mesma narrou) e não precisa se envolver com um cara que é casada e ja teve um caso extra-conjugal, pode ter certeza vc será só mais um caso.
Cultive sua felicidade. Cuide de sua casa e de seu marido.
Caia fora dessa cialada, definitivamente, não me parece valer a pena.


Bela, beijos tava com saudade do blog.

Beijos, meninas!

17 de agosto de 2010 08:32
Diu Mota disse...

Acho que a maioria aqui está na defesa do "seu amor". Geralmente as mulheres traem por falta de carinho e atenção, ou por serem ninfomaníacas( parece não ser o seu caso, bia).Estamos num tempo em que buscamos a reconstrução do amor. Sexo é fulgaz. E taxista...é uma em cada ponto. Você será mais uma, certamente. Então, concordo que você deva transpor toda essa fantasia para o seu marido. Pode ser que o mesmo esteja acontecendo com ele...pode ser que ele se transforme no homem que você quiser a depender da sua pimenta.

abraço.

17 de agosto de 2010 08:35
mulherpolvo disse...

Duvido que ela consiga conviver com a pulada de cerca depois. melhor não fazer.

17 de agosto de 2010 08:53
mulherpolvo disse...

Duvido que ela consiga conviver com a pulada de cerca depois. melhor não fazer.

17 de agosto de 2010 08:57
Olívia disse...

Eu realmente sou da geração "Y"!!!

A gente tem essa mania de ser individualista e de pensar que "Ahh, uma vez na vida não vai matar ninguém", mas não pensa no outro!

Só que, quando menos esperamos, o OUTRO pode já estar com 2, 3, 5 passos à nossa frente e não sabemos.

Acredito muito na força dos nossos instintos. O amor pode sim haver entre o casal, mas um casamento não se sustenta somente por isso.

Você pode sim, ter uma aventura com esse taxista, e depois ver que não valeu a pena. Aí, se tocar que pode reacender o sexo no seu casamento... Vc vai ter aprendido com o caso!

Bom, isso é o que eu penso, cabe a você ver o que vale a pena...cabe a você saber se irá sofrer, ou destruir seu casamento.

Idéias, pensamentos, dicas, todos darão. E é só você que saberá escolher o que é melhor para você!

17 de agosto de 2010 08:58
Andarilho disse...

Pelo relato, eu acho que a relação oficial caiu no marasmo. E a Bia está querendo emoções, mas sem abrir mão do porto seguro.

A não ser que o marido dela seja muuuuito liberal, sair com o taxista ou qquer outro, vai ser uma quebra de contrato, e ela provavelmente vai acabar perdendo ele (mesmo se ele não descobrir por 'méritos próprios', Bia parece muito propensa a sentir culpa e se autosabotar depois).

Acho que ela deve decidir se quer voltar a navegar em águas selvagens ou ficar atracada perto do porto. Mas isso, só ela pode decidir.

17 de agosto de 2010 09:00
Anônimo disse...

Eu estou passando pelo mesmo "problema". Sou casada há 8 anos, total de 14 anos de relacionamento, uma filha de 4 anos. Amo meu marido, temos um relacionamento de altos e baixos, muita cumplicidade, mas tenho uma atração terrível pelo irmão da minha vizinha. Loiro, bonito, piloto de aviões, super sexy, divorciado com namorada. Ele também demonstra atração por mim, mas como se dá super bem com o meu marido, não avança. E ainda bem...

17 de agosto de 2010 10:35
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Como dizia uma matéria da Superinteressante sobre o amor que a Bela até chegou a postar aqui: "É perfeitamente possível você amar o seu marido, se apaixonar pelo vizinho e sentir tesão pelo Johnny Deep".

Afinal, são diferentes mecanismos atuando no cérebro.

A arte da vida é lidar com esses mecanismos atuando ao mesmo tempo.

beijo

deb

17 de agosto de 2010 11:28
Anônimo disse...

Olha...
eu realmente acredito que vc ame seu marido!! Realmente acredito nas "carências" e faltas que diz estar sentindo!!!
Sei tb que se der voz ao que está sentindo e ficar com outro cara vai achar seu marido ainda melhor!!! MAS (e preste atenção pq esse MAS é mt importante), se vc der vasão a isso e concretizar seus pensamentos de ficar com outro cara, colocará em risco sua relação com quem realmente vale a pena que é seu marido!
Eu não era casada, mas depois de resistir mt a um primo de milésimo grau mt gato, mt bom, e mt sedutor que eu havia conhecido há poucos dias, acabei cedendo e fiquei com ele 2 dias durante um carnaval em que viajei sozinha, mas mantinha compromisso com meu namorado. Fiquei com esse cara alegando pra mim mesma que NUNCA, sob hipótese alguma contaria pra meu namorado.
Depois que fiquei com outro cara, me senti bem, feliz e tudo mais... na volta pra casa, fui pensando em quanto o meu namorado era melhor e no quanto eu o amava. Cheguei até a me convencer de que às vezes é bom msm trair pra dar aquela apimentada e levantada no relacionamento. Só que os dias passaram... e com eles veio a culpa. Eu passei a aceitar certas atitudes do meu namorado que sempre achei inaceitáveis e só depois percebi que era a culpa que me fazia agir assim! E que culpa, viu!!! Ficou tão insustentável que não consegui mais esconder aquilo dele e contei! Foi libertador contar, mas foi tb dilacerante! Foi péssimo ver várias outras pessoas sabendo, foi péssimo saber que não tive perdão do meu namorado (que eu sempre acreditei que me perdoaria), foi péssimo saber que eu errei, foi péssimo ver casais nas ruas ou na TV e ficar imaginando que "casal" não é o que eu pensava! Foi torturante para mim ver que eu não sabia o que era uma relação! Eu aceitaria se a relação tivesse acabado por qualquer outro motivo, mas não aceitava que tinha acabado por que eu traí.
Pode parecer besteira, mas eu nunca imaginei que me sentiria assim!
Sofri por mt tempo, sofri muito, sofri mesmo!!! Só passou a dor qd me perdoei e não foi fácil e nem rápido!
O relacionamento acabou mesmo! Era só um namoro, foi difícil, mas a dor por isso passou assim que primeiramente fiquei bem comigo mesma (me perdoeei) e depois percebi que aquele namoro não iria pra frente mesmo pq não combinávamos.
Bastante diferente de vc que tem O CARA da sua vida ao seu lado numa relação sólida com ele!!! Se vc o ama não faça isso! A culpa é mt pior que tudo! Ela pode demorar a aparecer, mas qd aparece te leva a ter sentimentos mt ruins!!!
Eu sempre digo uma coisa: As escolhas são só nossas, mas as consequências afetam a várias pessoas.
Não vale a pena afetar seu marido, sua família, a família dele e seus amigos por alguns momentos de prazer.
Quer mudar a rotina, sai com seu marido, compre acessórios bem quentes pra vcs 2, vão a lugares diferentes, experimentem lugares inusitados, perigosos, caso gostem!!!
Varie com seu marido.
Como vc disse, não dê ouvidos a vc mesma nessa questão!!! Não vale a pena!!! É doloroso, frustrante e decepcionante!!! E o pior... a consciência de saber que dependeu de vc, que foi escolha sua!!! Não compensa... muda tudo... nada mais será igual pra vc!!!
Ame seu marido, dedique-se a ele!!! Tenha a consciência tranquila de que agiu de forma certa... vale mt estar bem consigo mesma!!!
Aposte no que vc já tem... se vc quer outra peles, outras bocas e outros gostos, se separe primeiro!!! Não desvalorize a vc mesma e nem ao cara que te estima, cuida de vc e te dedica o melhor dele!!!
Que testamento... mas é a minha opinião!!!
SEJA FELIZ!!! Pense bem!!!

17 de agosto de 2010 11:44
Keila . disse...

Vamos pra aquela velha questão!
Vale a pena arriscar tudo por causa de atração?
E outra, como vc se sentiria se fosse o contrário? Sendo traida porque ele se envolveu fisicamente? O melhor é ninguém sofrendo e no mais, vc só ficou assim pq o viu, daqui a pouco passa!!

17 de agosto de 2010 11:48
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Oi Bia,

O Andarilho e a Bia resumiram bem: vc tem um porto seguro, que é seu casamento, mas está tentada a viver uma forte paixão. Você decidirá, certamente. Terá de agir com o coração (a palavra vem de corage), mas não poderá deixar a razão de lado. E, lembre-se, que nada, nada será como antes, tanto para melhor quanto para pior. Se tiver consciência disso, vá enfrente! Viver é arriscado demais, mas também é prazeroso demais. Sorte!
Irma

17 de agosto de 2010 11:50
Anônimo disse...

Bia,

Sei que você procura respostas, mas meu conselho é NÃO DÊ OUVIDOS A NINGUÉM. Se você pensar no teu marido, evidentemente, que você nada fará. E, nessas horas, convenhamos, pensar na família, nos filhos e no pacote de felicidade que a sociedade nos impõe, é jogar tudo para o plano da culpa. Tomar decisões implica, obviamente, em mexer com a vida dos outros.

Pense que se isso que você estiver sentindo for forte e verdadeiro, ainda que seja apenas sexual, isso só pode te trazer coisas boas. Sexo é irracional. Trancar seus desejos ou canalizá-los para o teu marido não fará de você uma mulher/esposa melhor. Não é essa monogamia que torna o casamento melhor.

Meu conselho, já que vc pediu, é: Certifique-se de que seu marido não saberá do seu caso, faça as coisas na maior discrição possível, e tenha confiança no parceiro, para que depois o caso de amor não se transforme em um inferno pra vc. Enfim, querida, pensa em VC. Experiências sempre nos tornam melhores pessoas. Com ou sem dor no meio. Viva! E como diria meu amigo terapeuta Amadeu "não existe nada mais vida no mundo do que sexo"

Beijos,
Vanessa

17 de agosto de 2010 12:00
Talita Souza disse...

Para a Bia...
cuidado querida! Cuidado!
Algumas atitudes nos trazem consequências que gostaríamos que não tivessem acontecido!!!
Sou totalmente contra ditadinhos do tipo" Melhor me arrepender do que fiz do que me arrepender de não ter feito!.
Isso só vale pra quem nunca sofreu duramente as consequencias das suas ações. Muitas vezes é melhor calar-se a si mesma e dar ouvidos à razão!

Para p 3x30... como faço pra enviar uma questão minha pra ter opiniões aqui das pessoas aqui do blog???
Bjus

17 de agosto de 2010 12:00
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Bia Queridona,

Viu como tanta gente já atendeu o seu pedido? Muitos fofos os nossos leitores, né? Obrigada, gente.

Mas vamos nós agora: olha, numa boa, eu no seu lugar observaria melhor a mim mesma antes de tomar qualquer decisão. De repente, é só fogo de palha, baby. Vai embora rapidinho. Agora, se não for, pesa na balança e decide o que fazer.

Tb não gostei muito do currículo desse rapaz não: casado, tem um rolo com a vizinha...Sei não. Pronto, falei!!!

Beijão, viu? E só o melhor procê. Suerte!

Bela - A Divorciada

17 de agosto de 2010 12:05
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Oi Talita,

Tudo bom? Obrigada pelo seu comentário. Pode escrever para a gente: 3xtrinta@gmail.com

Beijão, espero o seu e-mail,

Bela - A Divorciada

17 de agosto de 2010 12:07
Anônimo disse...

Oi pessoal, aqui é a BIA, autora e personagem dessa história!

Estou feliz com tantos comentários. Sinto-me mais aliviada por desabafar... mas queria apenas entender o que acontece comigo.

Eu valorizo e respeito meu marido, se assim não fizesse não seria tão amada por ele...

Mas confesso que a rotina e a vida atribulada têm me desgastado bastante! Somando ao fato de ter reencontrado o cara que tanto mexe comigo sem esperar... fui pega de surpresa!

Bela, realmente ele não tem um bom currículo, mas isso era na época, eu não sei o que tá acontecendo com ele agora... ainda tenho vontade de saber como está a vida dele. Mas estou observando, como vc falou... não tem sido fácil, mas é o melhor caminho até isso tomar um rumo definitivo.

Já me coloquei no lugar do meu marido milhares de vezes, mas como tudo está no plano dos pensamentos, das idéias, tenho minha consciência tranquila.

Estou lutando.... e isso vale muito!

17 de agosto de 2010 12:27
Albuq disse...

Oi Bela! Oi Bia!

Paixão é fogo, é intenso, é momento... Talvez suportar o peso da traição pelo resto da vida seja uma cruz muito pesada, então, veja o que é melhor prá você, se você quer correr o risco de viver a paixão sabendo o peso na consciência que vai carregar, se você quer largar a vida legal e estável nesse risco, ou se vale a pena arriscar sem peso na consciência.

Bem, só fiz frisar as possibilidades, porque na verdade só você mesmo sabe o que pesa mais prá você, então frisei na tentativa de te fazer pensar!
Boa sorte, espero que a decisão que você tomar te traga muita felicidade!
bjs

17 de agosto de 2010 12:31
Anônimo disse...

Bom... eu concordo um pouco com o que o Anônimo falou sobre a culpa. E estou vendo que tem muita gente dizendo o que você deve ou não deve fazer sem explicar o que acontece.

Eu também sou casada. E é claro que às vezes surge um sujeito que mexe com a gente. A primeira vez que aconteceu, fiquei muito abalada. Conversei com minhas amigas e TODAS foram unânimes em dizer que é normal.

A primeira coisa que vc tem que saber é que sentir atração, desejo, etc por outra pessoa é normal. Pense como um "teste".

Você deve trair? Não. Nem tanto por causa do teu marido (sim, eu sei que é importante), mas por você. Você vai se sentir culpada (já está se sentindo culpada agora, só de pensar, imagine depois).

O que fazer? Ué... pense. Pense no cara, imagine as situações, fantasie. Olha só... FANTASIA! Nada de por em prática. Evite os lugares que você sabe que ele vai estar. E busque sempre coisas boas no teu marido. Compare as coisas ruins do taxista e as boas do marido. Coloque sempre esse paralelo.

Procure fazer coisas diferentes com o maridão. Restaurante, saia pra dançar, vá a botecos, festas, invente coisas diferentes no sexo também.

Você vai ver que aos poucos esse desejo vai acabar. É só fogo de palha.

17 de agosto de 2010 13:19
Anônimo disse...

Oi Bia!
Uma pena ver tanta hipocrisia nos comentários. Aliás, quem dá um jeito de te criticar, deve se garantir que nunca vai passar por isso. E olha, só sendo muito submisso ao mundo pra não correr esse risco.

Agora sobre vc. Parabéns, vc é uma pessoa de carne e osso, vulnerável como todas as outras. Vc tem duas escolhas a fazer, alimentar esse sentimento ou abafá-lo.

Se vc não tivesse elogiado tanto seu marido, diria pra vc fazer oq sua cabeça manda. Aliás, se seu relacionamento estivesse "morno" diria a mesma coisa. Pq as vezes é de um empurrão que a vida precisa pra deixar de ser monótona.

Mas no seu caso, se realmente vc ama seu marido, ele é tudo isso e ele não faria o mesmo com vc, meu conselho pra vc abafar esse sentimento é não passar mais por onde sabe que vai encontrá-lo. Afinal vc só voltou a sentir isso pq encontrou com ele depois de tanto tempo. Experiencia propria, qd a gente não vê, não alimenta e a paixão/tesão/oq quer q seja, passa!

De qualquer forma, muito boa sorte! Seja feliz, no rumo que quiser dar a sua vida :)

Beijo!!

17 de agosto de 2010 13:26
Nikita Ferraz disse...

Bia,
Já passei por isso no passado, mas com quase 10 anos de casamento. Antes disso nunca tinha me perdido pensar. O que achei estranho é que em tão pouco tempo você já está nessa situação. Acho que algo está errado e você tem que refletir sobre isso. Quem sabe a arte a seducação tenha que surgir de vc. Já pensou em planejar uma viagem ou fazer uma surpresa? Isso reviva qualquer relacionamento quando ambos se gostam. Se você estivesse em uma situação de decisão, talvez, eu aconselhasse a conferir, mas acho que pelo teu relato é mais aquela vontade...que querida, vai aparecer em mais fases do casamento, e que é bom, mas cabe a tua consciência ceder ou não. Sentir desejada por outro homem e até pensar nele é bom para mantê-la com uma boa auto-estima, mas cuidado para não exagerar na dose.
Boa sorte!

17 de agosto de 2010 13:37
Kilson disse...

Vivemos hoje um tempo de inversão de valores, onde quem faz o errado é muito aceito e quem faz o correto é tido como bobo (LINEU da Grande família).
Fico surpreso e feliz de ver tantas mulheres aconselhando essa mulher que está confusa e perturbada com relação aos seus sentimentos, a fazer o que é mais sensato e "correto".
Eu fui casado por mais de 10 anos e se dissesse que nunca me vi atraido por uma outra mulher bonita, eu estaria mentindo.
Mas como a maioria aqui falou, eu sempre pesava o custo-benefício e sempre chegava a conclusão de que para mim não valeria a pena e de imediato procurava afastar esses "pensamentos pecaminosos".
Isso, realmente, só vc poderá decidir, mas pense que serão duas famílias que estarão em jogo e que muita gente poderá se machucar. Não só vc, como seu marido, seus filhos, seus famíliares e os familiares do outro cara.
Vc está disposta a pagar esse preço?
Seja antes de tudo honesta com vc mesma!

17 de agosto de 2010 14:58
disse...

Bia,

Minha mãe sempre diz: quando a gente chega a pedir opinões, geralmente temos nossa decisão já tomada, apenas precisando de "quorum" pra ser colocada em prática.

Seja qual for a sua, realize-a com sabedoria, nunca deixando de pensar em você e no projeto de vida que você tem e que pretende construir.

Agora o que eu acho que não pode acontecer é você deixar de fazer X ou Y por medo. Deve deixar de fazer sim, se vc perceber que tal ato irá gerar consequencias da qual vc nao conseguirá suportar (isso vale pras 2 coisas, ficar com o bonitao ou nao)

Fica na paz.

Bjos

17 de agosto de 2010 15:39
Anônimo disse...

Bia olha só, eu se fosse você teria logo um caso com o cara.

Essa história sobre o Currículo do sujeito é muito importante SIM, você quer o cara para dar uma curtida, dar uma relaxada, experimentar algo diferente, quebrar a rotina, não é isso?!. Você já tem tesão nele, acha ele maravilhoso, ele já é cafajeste, tem experiência nisso. Pronto! Nada melhor do que ele mesmo! Perfeito! (ponto positivo)

Além do mais não é do seu circulo de amizade, não faz parte do seu dia a dia. Você pode muito bem evitá-lo depois disso quando quiser e se quiser. Relaxa! (ponto positivo)

Outra coisa, essa questão de culpa é besteira. Muitas pessoas fazem promessas à vida inteira que sabem que não vão cumprir ou que são improváveis de serem compridas, e eu sempre me pergunto, PRA QUE???? Para se sentirem culpadas por não conseguirem cumprir o que se prometeram? Isso é besteira. O melhor que tem a fazer é não prometer nada a si mesma que não vá conseguir cumprir. (se você pensa assim: ponto positivo)

Vá sem culpa, a vida esta ai para ser vivida... experimente, erre (não podemos acertar todas) e não podemos viver das experiências alheias. E se você já sente essa vontade e não se culpa por senti-la, mais uma vez eu te falo: RELAXE e dê para o cara!!!

Você nunca traiu na vida?! O fato de ser casada não muda nada... Trair marido, noivo, namorado tem o mesmo peso é a mesma coisa. A sociedade é que fica criando rótulos e graus para as pessoas e relações.

Acredite; o máximo que pode acontecer é você imaginar que vai ser maravilhoso, excepcional, coisa de outro mundo, já que você já vem fantasiando há tanto tempo e criando expectativas em relação a isso, e na hora H o cara pode ser “meia boca”! (mas lembre-se, ele tem um CV bom!).

Ou ainda você pode ficar muito nervosa e cheia de culpas (culpas que os outros querem lhe imprimir) e você não vai conseguir curtir como deveria.

Aqui vão algumas dicas importantes. Relaxe! Encontre o cara, bata uma papo gostoso, pegue o celular dele e diga que vai ligar e que quer que ele disponibilize uma tarde inteira para você, marque o dia ali na hora da conversa, deixe claro o que você quer, ligue do shopping, peça para ele te buscar, enquanto espera por ele tome 01 ou 02 taças de vinho para relaxar e acalmar. Certifique-se que vai ter tempo o suficiente para aproveitar (reserve uma tarde). Não ligue do seu celular, use um telefone publico. Leve dinheiro para pagar a conta. Vá no banco de trás do taxi. Quando se aproximar do Motel se deite e só levante depois que ele entrar. Ao sair faça a mesma coisa. Certifique-se que esta distante de casa. Ao sair de casa leve o frasco do seu perfume na bolsa, ao sair do Motel retoque o perfume. Vá logo cedo para voltar cedo e evitar engarrafamento (marque na hora do almoço 11:30 e volte umas 15:30). Pense logo em uma desculpa se seu marido ligar ou qualquer outra pessoa e você não puder atender. Ginecologista é batata (isso se ele não for amigo de seu marido) ou ate mesmo uma reunião, sempre da certo.

No mais curta bastante seu momento. Fantasie mesmo. Dê com vontade de dar. Seja a “puta” na cama que não consegue ser em casa... (cuidado só com mordidas e tapas que pode deixar marcas) Se for bom pode fazer de novo sempre seguindo o meso ritual.

Boa sorte! Use camisinha! E quando chegar em casa dê para seu marido também. Dê como a muito tempo não dá...

Beijos

17 de agosto de 2010 16:11
Anônimo disse...

Bia olha só, eu se fosse você teria logo um caso com o cara.

Essa história sobre o Currículo do sujeito é muito importante SIM, você quer o cara para dar uma curtida, dar uma relaxada, experimentar algo diferente, quebrar a rotina, não é isso?!. Você já tem tesão nele, acha ele maravilhoso, ele já é cafajeste, tem experiência nisso. Pronto! Nada melhor do que ele mesmo! Perfeito! (ponto positivo)

Além do mais não é do seu circulo de amizade, não faz parte do seu dia a dia. Você pode muito bem evitá-lo depois disso quando quiser e se quiser. Relaxa! (ponto positivo)

Outra coisa, essa questão de culpa é besteira. Muitas pessoas fazem promessas à vida inteira que sabem que não vão cumprir ou que são improváveis de serem compridas, e eu sempre me pergunto, PRA QUE???? Para se sentirem culpadas por não conseguirem cumprir o que se prometeram? Isso é besteira. O melhor que tem a fazer é não prometer nada a si mesma que não vá conseguir cumprir. (se você pensa assim: ponto positivo)

Vá sem culpa, a vida esta ai para ser vivida... experimente, erre (não podemos acertar todas) e não podemos viver das experiências alheias. E se você já sente essa vontade e não se culpa por senti-la, mais uma vez eu te falo: RELAXE e dê para o cara!!!

Você nunca traiu na vida?! O fato de ser casada não muda nada... Trair marido, noivo, namorado tem o mesmo peso é a mesma coisa. A sociedade é que fica criando rótulos e graus para as pessoas e relações.

Acredite; o máximo que pode acontecer é você imaginar que vai ser maravilhoso, excepcional, coisa de outro mundo, já que você já vem fantasiando há tanto tempo e criando expectativas em relação a isso, e na hora H o cara pode ser “meia boca”! (mas lembre-se, ele tem um CV bom!).

Ou ainda você pode ficar muito nervosa e cheia de culpas (culpas que os outros querem lhe imprimir) e você não vai conseguir curtir como deveria.

Aqui vão algumas dicas importantes. Relaxe! Encontre o cara, bata uma papo gostoso, pegue o celular dele e diga que vai ligar e que quer que ele disponibilize uma tarde inteira para você, marque o dia ali na hora da conversa, deixe claro o que você quer, ligue do shopping, peça para ele te buscar, enquanto espera por ele tome 01 ou 02 taças de vinho para relaxar e acalmar. Certifique-se que vai ter tempo o suficiente para aproveitar (reserve uma tarde). Não ligue do seu celular, use um telefone publico. Leve dinheiro para pagar a conta. Vá no banco de trás do taxi. Quando se aproximar do Motel se deite e só levante depois que ele entrar. Ao sair faça a mesma coisa. Certifique-se que esta distante de casa. Ao sair de casa leve o frasco do seu perfume na bolsa, ao sair do Motel retoque o perfume. Vá logo cedo para voltar cedo e evitar engarrafamento (marque na hora do almoço 11:30 e volte umas 15:30). Pense logo em uma desculpa se seu marido ligar ou qualquer outra pessoa e você não puder atender. Ginecologista é batata (isso se ele não for amigo de seu marido) ou ate mesmo uma reunião, sempre da certo.

No mais curta bastante seu momento. Fantasie mesmo. Dê com vontade de dar. Seja a “puta” na cama que não consegue ser em casa... (cuidado só com mordidas e tapas que pode deixar marcas) Se for bom pode fazer de novo sempre seguindo o meso ritual.

Boa sorte! Use camisinha! E quando chegar em casa dê para seu marido também. Dê como a muito tempo não dá...

Beijos

17 de agosto de 2010 16:11
Anônimo disse...

AQUI É A BIA DE NOVO e em relação ao último comentário eu gostaria de dizer que isso tudo já me passou pela cabeça, todos os planos, tudo isso mas... ainda não tenho coragem e não sei se terei ou se quero ter essa coragem.... como todos podem perceber!

Também gostaria de dizer que eu NUNCA TRAÍ ninguém, simplesmente porque namorei sério pouquíssimas vezes na vida: meu marido e outro namorado de 3 anos q não deu certo, mas que mantive firme até o fim, mesmo sofrendo. O resto foi muita solteirice e aventura. Muitas aventuras!

17 de agosto de 2010 16:32
Anônimo disse...

Falta de corno.
Já perecberam q quem tem bom marido, etc , etc não dá valor?
Como dizem mesmooo : as boas e os bons não tem valor.
Prontofalei!

17 de agosto de 2010 17:17
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Nossa com tanta opinião nem vou falar nada....hahahaha...adorei a história!!!!
Amiga faz o que tem que fazer e SEM CULPA, aguenta as consequencias depois, ouve seu coração e sua razão!
beijocas,
Mari.

17 de agosto de 2010 18:44
Giovana disse...

Oi Bia,
Gio, tudo bem? Espero que todos os comentários aqui tenham te ajudado de alguma forma, por mais distintos que sejam.

No final das contas, só você mesma para saber o que é melhor. Beijos.

17 de agosto de 2010 19:57
Anônimo disse...

hahahahaha
esse penúltimo comentário anônimo pode virar um guia prático de como trair seu marido.

ri muito aqui!

17 de agosto de 2010 20:03
flacaba disse...

Oi Bia,

Acho que lá no fundo você sabe o que deve ser feito, senão, já teria feito.
Vc e o seu super marido devem apimentar a relação. Proponha isso a ele. E procure não passar mais por aquele local...a tentação sempre irá existir. Transfira-a para o seu marido.
Beijos e boa sorte!

17 de agosto de 2010 20:53
Anônimo disse...

Olá meninas e meninos,

Oi Bia querida,

Olha só, se conselho fosse bom, não seria dado e sim vendido...risos

Eu penso que o combustível da nossa mente é o agente das nossas ações. Porque tudo que a gente faz, antes de se transformar em ação, passa pela nossa cabeça. Tudo amiga! Tanto o bem, quanto o mal. É mais ou menos assim, a gente tem uma idéia, um desejo, um insight e daí, fica pensando naquilo. E quanto mais a gente pensa, mas perto da materialização desta idéia ou deste desejo nós ficamos. Então amiga, partindo do princípio de que você não está disponível para um novo relacionamento, porque é casada, tem um maridão fofo que te ama e que você também afirma amar, e lembrando da regra áurea que diz que "o mal que eu não quero para mim eu não dou a outros, faz um favor a si mesma e redireciona seus pensamentos. Pensa bem miga, pra que ficar passando lá no ponto pra ver o cara? Tá a fim de encarar uma pulada de cerca? Pelo visto não, né? Então, direciona seus pensamentos para pensar no que te fez se apaixonar por seu marido. As qualidades dele, os atributos físicos que chamaram sua atenção, entre outras coisas. E mais, conversa sobre o assunto com teu marido. É, isto mesmo. Tenta descobrir junto com ele, o que está faltando na relação de vocês que tá te levando a pensar em outro carae outras coisas que podem acabar descobrindo juntos. E depois, convida ele pra uma viagem num lugar bem legal e redescubra o que vocês realmente sentem um pelo outro. E o taxista? Bem, ele já tem a esposa, um caso básico, acho que já tem problemas demais por ora né? Deixa ele no canto dele. Cuida de você... E de quem te ama. Beijos linda! Fica bem e seja feliz!

Roseana

17 de agosto de 2010 22:34
Anônimo disse...

È bom saber que mesmo se sentindo tentada, você ainda reflete sobre as consequencias das suasdecisões. Isso mostra que você é uma pessoa continente, lucida e,principalmente que não olha só pra seu proprio umbigo.
Querida, não queira conhecer a horrivel sensação de solidão que permeia quem perde essa sua vida, normal, familiar,rotineira. Talvez nas horas de desejo você nao consiga reconhecer o quanto lhe seria ruim perder tudo isso. Desejo que você retorne aqui conscia de ter tomado a decisao mais honesta, mais sabia e mais feliz pra você e todos que te amam, inclusive o seu marido. Bjos!

17 de agosto de 2010 23:33
felicidadevemprimeiro disse...

Num é por nada não, mas essa anônima que sabe toda a cartilha da traição usou sábias palavras....

Acho que é por aí mesmo.

Bia, vc não tá pensando em ter um caso, e sim em uma aventura não é mesmo? Que seja uma transa e nada mais! No máximo duas... rs

E pra esse povo cheio de moralismo, isso não vai matar o marido dela. Vcs tem uma boa relação, seja fiel a si mesma pelo menos uma vez na vida.

Aproveite.

Bjs

18 de agosto de 2010 11:02
Marta Melo disse...

Bia;Se eu fosse vc gastaria toda essa energia em tentar reacender o romance com o seu marido...Olha o currículo do rapaz e pense na pessoa especial q vc tem ao lado; na minha opinião não vale a pena arriscar!Bjs

18 de agosto de 2010 16:07
Anônimo disse...

Bia;Tenho uma solução!Manda teu marido para mim e fica com o taxista!!!!kkkk Michele-maceió(al)

18 de agosto de 2010 16:19
Ácidas e Doces disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 18 de agosto de 2010 18:58
Ácidas e Doces disse...

Que fervo, gente! Muito babado!
Bia, minha querida, um abraço bem forte. E acho que aqui no Paraná muitas mulheres adorariam curar as feridas de seu marido. Se esperte! hahaha

Beijo

18 de agosto de 2010 18:59
Anônimo disse...

Depois de 2 anos é engraçado até chegar a reler esse post.... e tantos comentários.... mas precisava.... uma autoanálise, uma reflexão sobre mim....

Enfim, vivi sim o romance com o cara, foi bom, mas hoje relendo como escrevi sinto que era ingênua.
Se disser que não amo mais meu marido seria mentira. Mas se disser que não amo mais o taxista tbm é mentira.
Sofri, chorei, me arrependi, não me arrependi... até hoje essa história e ele mexem comigo. Eu o vejo de vez em quando, ficou uma amizade, vamos almoçar juntos de tempos em tempos.
Amizade perigosa pra mim pois, em raras ocasiões após o término oficial do romance, porém já aconteceu, ele pulou pra cima de mim, e rolou.


Valeu, com ele eu descobri quem sou realmenet, como pessoa, falível, vulnerável... tirei minha máscara.

Aceito meus erros e me perdôo. Tbm vivi as aventuras mais loucas ao lado dele e tbm não consigo me arrepender.

Há algo de mim que nunca mais será a mesma coisa, como até alguns de vcs comentaram aí, mas quem disse que eu era real e honesta antes e não agora?

Digo o seguinte: se eu vivi uma história dessas não quer dizer que vou viver assim pra sempre e que é meu modo de vida.
É algo pra se pensar.
E outra coisa, não dá pra dizer "nunca farei isso", "é errado", "é isso ou aquilo".....

A vida vem e te impulsiona a enfrentar situações inimagináveis. E talvez meu marido tenha vivido isso tbm, não sei...

Obrigada a todos vcs! Um beijo.
Bia.

13 de setembro de 2012 10:56
日月神教-任我行 disse...

ssd固態硬碟 外接式硬碟 餐飲設備 製冰機 洗碗機 咖啡機 冷凍冷藏冰箱 蒸烤箱 External Storage Solid State Drives 關島機加酒 關島婚禮 關島蜜月 花蓮民宿 彈簧床 床墊 獨立筒床墊 乳膠床墊 床墊工廠 巴里島旅遊 巴里島spa推薦 巴里島機票 巴里島行程推薦 記憶體 情趣用品 情趣用品USB Flash DrivesMemory Cards 產後護理之家 月子中心 坐月子中心 坐月子 月子餐 投資美國物業 美國租金報酬 美國房屋買賣 房地產投資說明會 美國房地產 美國置產須知 美國房屋物件 SD記憶卡 隨身碟 高雄當舖 高雄汽車借款 高雄機車借款 高雄房屋二胎貸款 高雄汽機車免留車

17 de junho de 2015 20:20