terça-feira, 31 de agosto de 2010

A arte de (não) passar recibo

Engraçado como estar solteira - ou solteiro - desperta o interesse das pessoas. A solterice é a viuvez dos tempos modernos. Sabe aquela sua tia-avó que perdeu o marido cedo e nunca mais casou? Ou aquelas histórias das mulheres que se fecharam para tudo porque foram deixadas "pelo grande amor de suas vidas"? Sim, naquele tempo isso acontecia só uma vez e ponto. Não embarcar no trem, independente do motivo, era a sentença para passar o resto da vida sentada na plataforma.

Por mais que homens e mulheres tenham revisto seus papéis e conceitos, muito do que se diz sobre os novos tempos é da boca para fora. Faça o teste. Chegue numa festa com pessoas que você não vê faz tempo. Pelo menos uma delas vai te perguntar se você já casou, está namorando, tem alguém. Até aí tudo bem, faz parte do relatório de conferência da vida alheia, assim como onde você trabalha.

Experimente responder "não" e veja a reação. Das duas uma: ou a criatura vai te olhar com pena - sim, isso existe -, ou vai achar aquilo uma aberração, ainda mais se você já passou dos trinta. Provavelmente vai se afastar porque não terá assunto contigo e a recíproca é verdadeira. Se for casada, este afastamento pode ser porque, pasmem, ela considera você uma ameaça ao casamento. Muitas mulheres não fazem um filtro que sinalizaria que seus respectivos maridos definitivamente não são o último biscoito do pacote.

Nem os mais íntimos escapam. Tem os que acham que o seu sumiço significa alguém no pedaço. Afinal "não podem existir outros motivos para isso". Às vezes, é. Outras vezes, é isso também. Muitas vezes não é, porque existem outros motivos para sumir.

A sociedade estimula a individualidade, mas também não sabe o que fazer com ela. Deveria seguir o exemplo da indústria alimentícia, que lançou faz tempo porções para uma pessoa. Ou do mercado imobiliário, que multiplica em tempo recorde os apartamentos de um quarto. Eles estão aí porque há mais pessoas vivendo sozinhas, mas isso não terminou com o casamento por exemplo. Pessoas continuam casando, descasando e o mundo a girar, simples assim.

Estar solteiro ou solteira, e bem com isso, tem um quê de que algo não encaixa. Certamente há problemas de relacionamento, algum trauma de infância, medo do sexo oposto, tem que haver alguma coisa errada. Bom, se este tipo de opinião continuar lá, na cabeça dos outros, melhor. Nestas horas, opte por não discutir. Dizer que não é nada disso e você tem mais o que fazer não vai mudar a opinião de ninguém. Aliás, discutir é sim um claro sinal de que há problemas.

E se um tema como este surgir numa mesa de bar entre você e um amigo querido, escute com atenção, pondere, e seja fiel às suas próprias conclusões. Estado civil é, tão somente, uma lacuna na carteira de identidade que não segue a mesma velocidade das transformações - e das peças - que a vida nos apresenta e nos prega pelo caminho.

Giovana - está solteira

21 comentários:

Andarilho disse...

Acho que isso acontece mais com mulheres. Eu estou solteiro desde sempre e não sinto isso comigo.

31 de agosto de 2010 00:25
Decor e salteado disse...

Giovana, você não pode me ver agora, mas estou de pé, aplaudindo você... Sério! rs

É incrível como muitas pessoas não acreditam que você possa estar solteira sem ser "problemática" (tudo bem que de perto ninguém é normal...) ou se arrumar, ir ao salão toda semana, por exemplo, estando sozinha e sem estar interessada em alguém.

A solteirice realmente assusta ou causa compaixão. Será que um dia isso muda? E será que muda também essa história de perguntar: "Casou?", "Tem filho?"... Acho invasivo e desrespeitoso, especialmente quando você não tem intimidade...

Bjs

Lu
http://decoresalteado10.blogspot.com/

31 de agosto de 2010 01:08
Rá Pinheiro disse...

Adorei..triste realidade. O pior é o pessoal achar que pra ser feliz só é possível casando (mesmo quando esse casamento seja "um tiro no pé"), SIM, é possível ser feliz solteira!!!! rs
Parabéns pelo texto!

31 de agosto de 2010 06:53
Albuq disse...

Oi Giovana,

sei bem o que é isso, sei bem como são as caras do povo que me pergunta o porquê. E estou numa fase treva agora, porque, todos os irmãos do meu pai estão sendo avôs, e claro, a cobrança começou, como se simplesmente dependesse de mim. Agora eu mereço kkkkkk

adorei o texto, bjs

31 de agosto de 2010 09:28
Ácidas e Doces disse...

Giovana, isso mesmo. Quanta gente associa estar solteiro a solidão profunda e eterna! Ahh não dá...
Beijo
Kézia

31 de agosto de 2010 09:37
Mandy disse...

Adorei o texto. Super verdadeiro.
As pessoas reagem de formas diferentes quando você diz estar solteiro, principalmente como se referiu no quesito idade.

xoxo

31 de agosto de 2010 12:10
Patricia Digue disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 31 de agosto de 2010 13:01
Patricia Digue disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 31 de agosto de 2010 13:01
Patricia Digue disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 31 de agosto de 2010 13:02
Patricia Digue disse...

É realmente irritante isso das pessoas acharem que quem não casou tem algum problema. Embora os homens sofram menos, também é senso comum achar que um cara que nunca teve compromisso sério não deve ser boa coisa. O que faço é me antecipar aos comentários cheios de clichê e sutilmente mostrar pra pessoa o quanto ela é preconceituosa. Tipo: ao perceber a reação de alguém quando respondo que não sou casada nem tenho filhos, já saio dizendo "eu devo ter algum problema você não acha? " e dou risada. Pedindo para Jesus perdoá-los pq eles não sabem do que estão falando e são presos a um única ideia de felicidade. Pobrezinhos... hahaha

31 de agosto de 2010 13:02
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Nossa nem se eu tivesse escrito seria tão eu este post! Parabéns querida...nem tenho que o que comentar!
Só uma historinha engraçada, fui fazer meus exames de rotina domingo e a médica que fez o ultrasson (aquele vaginal...hahaha) me perguntou quantos filhos eu tinha eu diss: "graças a Deus nenhum!" Querioa que vcs tivessem visto a cara de desentendida dela! Sei lá tudo tem que seguir um roteiro! E olha que adoro crianças em especial meu sobrinho e sobrinhas...
beijocas,
Mari.

31 de agosto de 2010 16:14
Tuka Siqueira disse...

Ter personalidade acima de tudo. Mas estas cobranças não param qdo vc se casa, pois aí vem a inevitavel pergunta:"quando vem os filhos?" Ninguém tá preparado para ouvir que vc não quer filhos. Eu, como já tenho muitos, ouço muito a pergunta: "agora vc fez laqueadura, né?" Mais do que uma pergunta, isso é uma intimação. Tipo assim, você já tem filhos demais, trate de segurar a periquita! Odeio isso! E se eu quiser ter mais uns 12? Se minha saúde permitisse e minha condição financeira permitisse, certamente teria. E ninguém tem nada com isso, sou eu que arco com as despesas, sou eu que tenho que trocar fraldas, acordar de madrugada e assistir zilões de vezes o mesmo dvd infantil.
Qto ao ser solteira, é um estigma. A nossa sociedade ainda acredita que mulher solteira é no mínimo frígida. Onde já se viu, não ter marido depois dos 30? Morar sozinha então é sinal claro de algum desequilibrio mental.
Acho isso podre! Porque as pessoas teimam em achar que o que é bom para elas TEM que ser bom pra todo mundo?

Falta de respeito é pouco para definir isso.

Bjs

31 de agosto de 2010 16:17
Superxiki disse...

Ai menina, parece que estavas falando de mim viu aff!!!
Pois é muitas de nós que já passamos dos 30 ouvimos. E quando além de tudo temos filhos hein??? eu já ouvi: Poxa, vc nunca casou?? que peninha. Peninha uma ova...

31 de agosto de 2010 16:20
Por uma vida simples disse...

Sozinha é diferente de solitária ;)

ótimo texto
bjs

31 de agosto de 2010 20:34
nanda braga disse...

Gi! Sem palavras, viu? Difícil fazer com que os outros acreditem que uma mulher pode ser feliz, gata e gostosa independente do estado civil! Como me disse um amigo certa vez: "isto se chama sociedade...". Sim, porque a sociedade se mantém em cima de "pré- conceitos", que todos nós temos e maior ou menor intensidade. Cansei de ouvir dizer: " Nossa!! Está tão bonita, alegre, emagreceu... Está diferente! Arrumou um namorado, não?". Hahaha! E o que eu faço? "Obrigada! Estou muito bem mesmo!". Adorei o post! Irei divulgá-lo, posso? Beijocas!

31 de agosto de 2010 23:13
Fernanda Crancio disse...

as convenções impostas há anos fazem com que pessoas solteiras sejam vistas como aberrações, como se sempre vivessem pela metade ou á cata de sua cara metade. Excelente o texto, Gio. o mundo evolui, cabeças pensantes devem evoluir também, não acha?
estar sozinho é bom, acompanhado tb, cabe a cada um de nós a escolha. sem pressões ou obrigações de caber num esteriótipo!
bjs

1 de setembro de 2010 18:29
frô disse...

Tenho defendido com vigor a postura "só".

Acontece que não defendo que devemos ser solteira, mas o "estar-bem-consigo-mesma-sem-precisar-de-ninguem", o que nada mais é que um estado de espírito que tenho buscado alcançar a cada dia pós-casamento.

O engraçado é que as pessoas ao redor não só olham com certo desinteresse interessado, como querem me ver levar um tombo!

Nao compreendem o q defendo e se me junto a alguem, logo ouço: "quis dar uma de moderninha... ta ai, namorando..."

Ora, estou tentando ser o q de mais antigo somos: humanos.

Quero ser eu ao viver, já que ao nascer e ao morrer, querendo ou não, serei solteira, única e solitária. Fui e serei a protagonista dessas cenas e pq nao se-lo tb em vida!?

Dificil nao é me manter solteira, é ser livre até pra casar de novo!

"Estar solteiro ou solteira, e bem com isso, tem um quê de que algo não encaixa."... acho q é por isso.. pq nao entendem q solteirisse é estado de espírito, e não estado civil.

1 de setembro de 2010 22:10
Aline Fonseca disse...

A condição de "solteira" parece tornar as pessoas "cidadãs de segunda linha". Absurdo!

Adoro o blog de vcs! A cada post me sinto conversando com minhas amigas. E já as considero minhas amigas!

Beijos para vcs!

Aline, solteira e muito feliz!!!.

4 de setembro de 2010 00:26
Lívia Reis disse...

Sempre leio, sempre gosto, quase nunca comento! Mas esse post mereceu demais! E apesar de eu não estar solteira no momento, e bem feliz com meu namoro, acho que meu espírito ainda é de solteira! Felizmente não sou do tipo de gente que tem pena quando vê uma mulher sozinha no cinema, e às vezes sinto até uma invejinha, confesso.

É bom quando a gente é tudo que a gente mesmo precisa. Apesar da solidão, que é inevitável às vezes, estar sozinha por 2 anos me fez gostar mais de mim, me conhecer melhor e saber que, mesmo que tudo dê errado agora que estou em um relacionamento, o pior que pode acontecer comigo é precisar ir ao cinema sozinha. E isso definitivamente não é ruim.

Estar solteiro é namorar consigo mesmo e, cá pra nós, eu me amo demais e sou a única pessoa que nunca vai me decepcionar!

Felizes os que sabem aproveitar cada momento da vida!

Beijão!

5 de setembro de 2010 14:25
Kilson disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 6 de setembro de 2010 14:59
Kilson disse...

Fui casado por 10 anos e hoje estou divorciado. Realmente parece que causa a "compaixão" das pessoas. Todo mundo fica tentando de alguma forma "arrumar" um relacionamento para gente, como se fossêmos incompetentes de não conseguirmos sozinhos. Torna-se até engraçado! Acho que isso é mesmo um preconceito camuflado de boas intenções.
Adorei as sua colocações!
Abraços

6 de setembro de 2010 15:08