quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Solidão, que nada!

Quando eu estava empacotando minhas coisas, uma amiga me alertou: cuidado! Esse seu sentimento de que está tudo bem vai passar assim que você se vir sozinha em um sábado à noite. Sábados e domingos são a provação da vida de uma solteira, em especial de uma recém-separada.

Aquilo me soou quase como uma maldição.

E veio o primeiro sábado só. E o segundo e o terceiro...e eu descobri na solidão uma coisa que eu não conhecia: a minha total companhia. E mais que isso, a possibilidade de decidir o que fazer em cima da hora, sem ter que fazer grandes programações ou negociações. Estar aberta ao acaso, ao que o destino me reserva a cada fim de semana. Poder escolher entre esse, aquele ou nenhum convite. Pode estar só com meu livro do momento, com meu som inseparável. Poder estar nos lugares recônditos mais intrigantes da minha mente. Ficar navegando na internet sem nenhuma tarefa em especial.

Tá certo, já fui separada uma vez. E talvez tenha doído mais naquele momento. Fiz escola. E eu não sou dessas pessoas a quem o silêncio soa insuportável, que precisa estar sempre com alguém, sempre fazendo “algo”. Não...

Só agora, no entanto, vejo que eu estava realmente precisando ficar só. Bem só. Um quarto só meu. Uma cama só minha. Um tempo só meu. Tenho certeza – e eu me conheço bem – que num dado momento eu vou enjoar disso e sentirei falta de novo do pé quentinho roçando no meu. Mas, por hora, vejo que a solidão pode ser melhor do que se imagina.

Débora – A Separada

15 comentários:

Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Que lindo! Gostei de ler isso agora.
Beijos,

Irma

3 de novembro de 2010 00:38
Uma Sonhadora disse...

é estou me separando e procurando um lugar pra ir morar.

sonhadora
http://2010palavrasaovento.blogspot.com/

3 de novembro de 2010 00:59
Carolina Barros disse...

Debora, eu me separei há quatro meses, e senti isso que vc está sentindo, prazer na solitude, de estar somente comigo...

3 de novembro de 2010 04:50
Pri disse...

oi meninas!!! tô me tornando uma leitora assidua de vcs , coloquei até nos meus favoritos, recentemente perdi meu pai e estou passando por um momento bastante dificil, principalemnte porque estou com dificuldades de aceitação desta situação, entao para mim ler "vcs" me faz bem, me faz ter uma válvula de escape...ao ler este post da Deb, e fiquei na duvida: a deb não é a casada? a Pat , a solteira e a Bela, a divorciada??
Em relação ao post, eu, como solteira convicta ehá seculos neste estado civil, posso afirmar que os fds são terriveis paa nós, mas no decorrer do nosso autoconhecimento vamos tornando os fds solitários até agradaveis. Espero que este seu momento se torne cada vez mais agradevel...a vontade de ter uma compainhia vai bater , mas n se preocupe, só durará ate domingo...pq qd chega segunda vc nem lembra da deprê do findi..

bjaum a todos

3 de novembro de 2010 07:54
Evelin disse...

Acho q vc entendeu bem aquela frase como maldição. Precisamos mesmo de momentos e tirar deles o melhor.=]

3 de novembro de 2010 09:07
Andarilho disse...

É que solidão não é a mesma coisa de estar sozinho(a).

Solidão às vezes a gente sente até quando tem alguém colado na gente. ;)

3 de novembro de 2010 09:36
Albuq disse...

Já passei tanto tempo só que já tô querendo o pé quentinho kkkk

amei o texto Deb, bjs

3 de novembro de 2010 10:33
Jeff Prestes disse...

Deb, lindo post.

Antes só do que mal acompanhado, não é mesmo?

Estar bem consigo mesmo é pre-req pra poder ter outros pés para esquentar.

Só enxergamos melhor o que podemos melhorar. Só podemos nos amar. Só podemos ver claramente o que queremos e não queremos. Solitudine nos faz crescer até o ponto de nos abrirmos para um bom e verdadeiro amor.

Bjs!

3 de novembro de 2010 11:37
Ácidas e Doces disse...

Ah Débora que querida!
Ficar sozinha não é a morte. Que você fique bem na quietude e no agito.
Beijo grande
Kézia

3 de novembro de 2010 12:08
Olívia disse...

AHHH O ANDARILHO DISSE TUDO!!!!

=D

.Olívia.

3 de novembro de 2010 12:12
Carol disse...

Putz, você é minha "ídala" rs.

Adorei o texto.

E curtir esse momento é muito bom, e esse texto dá pano pra carta ;)

"Os dias que me encontro só, são dias que eu me encontro mais."

Um beijãoo

3 de novembro de 2010 14:02
Patricia Digue disse...

Definitivamente Andarilho, solidão não tem nada a ver com estar sozinho. Falou e disse.

Patrícia, a Solteira

3 de novembro de 2010 18:55
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Hey Débora!
Não poderia concordar mais com vc!
Beijocas,
Mari

3 de novembro de 2010 19:35
Ana disse...

Deb,
Com certeza o silêncio pode ser uma excelente companhia. Ajuda a nos ouvir, a quietar a mente e a nos conhecer melhor.
Aproveite sua música, sua cama, seu cantinho só seu!

Ps. E quando sentir falta do pé quentinho, tenha certeza que ele vai aparecer. O universo sempre conspira a nosso favor.

Beijokas :-)

3 de novembro de 2010 22:23
Yasmim disse...

Débora tenho pensado muito no sentido da palavra solidão, me separei a uns 9 meses, depois de 23 anos de casada, tenho meus filhos que geralmente vem passar o final de semana comigo, mas nem sempre, eles tem vida própria e seus compromissos.
Cheguei a conclusão que solidão é um estado de espírito, as vezes como vc disse é maravilhoso estar só, fazer o que quizer, e as vezes estamos rodeados de pessoas no trabalho ou numa festa e nos sentimos absolutamente sós. Então curta sua nova vida assim como estou tentando fazer com a minha.
Não pretendo me casar de novo, adoro minha independencia, agora só quero namorar, acho que namorar é a melhor solução para aqueles momentos em que a solidão bate.
Xêro !!!

8 de novembro de 2010 17:26