terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Desculpem casados, mas a gente tá solteiro

Hoje vou ser politicamente incorreta. Se você é casado (ou tem uma vida de), por favor, tenha mais paciência com nós, solteiros. Juro que fazemos um mega esforço para estarmos em todas as datas especiais de família, como nascimentos, batizados, aniversários, casamentos, chás de panela, de bebê, chá bar e até bodas. Por isso é muito duro ouvir o tempo todo “Você nunca vai na minha casa”. Primeiro, foram vocês que deixaram de ir para a balada, de beber até vomitar e de viajar de turma no Carnaval. A gente não ligaria nem um pouco se vocês às vezes saíssem da rotina cinema-restaurante-motel e fossem com a gente pra um lugar cheio de gente e música alta. E até acharíamos bonitinho vê-los na pista dançando de conchinha.



Acontece que vocês ficaram afastados um tempão por causa do fogo inicial da paixão. Aí quando a vontade de se devorar diminuiu, começaram a olhar para os lados de novo e a sentir falta dos amigos. Aí decidiram convidar a galera para uma reuniãozinha em casa numa sexta à noite, regada a potes de frutas secas e proseco. Não estranhem se só os acompanhados comparecerem. Acontece que os solteiros adoram sexta à noite e saem correndo pro bar mais próximo, melhor se tiver bastante gente barulhenta e bêbada conversando sobre qualquer coisa que não seja séria.



Mas se mesmo assim a gente for (provavelmente saindo mais cedo pra correr pro tal bar), desculpem a nossa falta de paciência com o lustre novo, o tapete combinando com a cortina ou a nova moldura com a foto da última viagem de vocês. É que, para a gente, casa é só o depósito dos nossos pertences, onde a gente faz a higiene pessoal e dorme um pouco de vez em quando (bem pouco, por sinal). Um lugar frequentado geralmente por pessoas que nem reparam se tem tapete, na cor da cortina, que o interruptor de luz está quebrado ou que a pessoa na foto é você.
Aí, à medida que o fogo entre vocês começa a beirar à normalidade, combinam que nos sábados à tarde vão sair sozinhos, cada um com seus amigos, pois acham isso saudável para a relação. A casada já começa a chamar as amigas na segunda-feira anterior para um brunch ou chá da tarde.



Não se irrite se um dia antes a gente ainda não tiver confirmado. Não é porque a gente não gosta de você. É que só decidimos o que vamos fazer no sábado quando acordamos no... sábado. Porque a gente nunca sabe o que vai ser da nossa sexta-feira. Caso a solteira não tenha queimado a largada na primeira noite do final de semana, ainda têm outro porém. A gente vai estar super ocupada com alguns dos nossos programas preferidos aos sábados. Entre eles, ir ao salão de beleza, tomar sol, fazer drenagem, malhar ou comprar uma roupa nova. Tudo pra ficar linda nas duas ou três horas do evento da noite. Há sempre um evento sábado à noite. Se possível, ainda damos uma dormida à noitinha pra ficar ainda mais fresh. Por isso, a gente não vai ter muito tempo. Desculpem mesmo, seria ótima uma tarde assim... mas é bem difícil pra gente mesmo.



Jantares, normalmente só vamos muito de vez em quando, no caso de ser aniversário de uma amiga de infância. Solteiros não saem para comer, mas comem para sair. Afinal, a gente precisa ficar magra pra enfrentar a concorrência e preferimos comer em casa para economizar e ter grana para entrar em uma balada bacana ou para comprar aquele sapato maravilhoso. Sobraram os almoços de domingo. Isso também pode se tornar uma tortura pra gente. Pra começar, é muito provável que o solteiro tenha chegado amanhecendo o dia, por isso, já acordou depois do almoço. Mesmo que tenha acordado cedo, estará de ressaca, às vezes não só física como moral também. E morrendo de dor de cabeça. Por isso, não vai aguentar uma tia ou sogra de não sei quem fazendo perguntas do tipo “Como uma moça tão bonita e inteligente está solteira?” (aliás, é difícil entender por que as pessoas acham que quem tem este perfil não tem o direito de ser solteiro). Sem falar nas crianças gritando e te puxando, fazendo sua cabeça pesar toneladas a mais. Outra possibilidade é que pode rolar um esquema com aquela pessoa que você conheceu na noite anterior. Assim, mesmo com toda a rebordosa, você vai passar o domingo se preocupando em estar linda e fresca até o anoitecer, à base de muita água, quase jejum, chá verde e corretivo.



Tem que descansar pra conseguir encarar o salto alto de novo e organizar as ideias pra manter um papo agradável. E, se isso não acontecer, pode ter certeza que o domingo à noite reserva outro “evento”, onde o solteiro deposita suas fichas de encontrar um grande amor e, assim, poder deixar de ir às baladas, de beber até vomitar e reconquistar o direito de ficar em casa no Carnaval.


Patrícia - A Solteira

32 comentários:

Jeff Prestes disse...

hahahaha, ariana nata essa menina! O estilo de texto não nega.

Engraçado, não sei se a Deb vai concordar, mas agora voltando a ativa - tira a parte do beber até vomitar porque meu lado Bela a Lady não deixa - concordo em genero, numero e grau com seu texto, Pati.

Creio que para quem é separado esse texto faz lembrar os dois lados. Já vivemos o mundo do capacho combinando com o patente da porta e agora comemos para sair.

Bjs!

18 de janeiro de 2011 00:30
Decor e salteado disse...

Sim, sim: quem já foi casado conhece a dor e a delícia dos dois lados descritos por Pat. Mas, pra mim, uma das melhores partes é a liberdade do sábado à tarde.

Bjs, meninas!

Lu

18 de janeiro de 2011 01:51
Liana disse...

ahahahaha que barato este texto! adorei! verdade pura!

18 de janeiro de 2011 07:16
Olívia disse...

Ahhh minha gente, não é só quem já foi casado que já viveu os dois lados...quem namorou um pouco sério demais passa por isso também! rsrsrsrs

Olha, concordo com mta coisa, principalmente com a chatisse da pergunta:
"Como é que pode você ser linda e inteligente e ser solteira?"

Pooo, é uma opção. Minha? Pode ser...
Dá vontade de mandar a pessoa catar coquinho, pq eu to catando mto homem ahahahahahahahahaha

Adorei o texto!

E espero curtir mto minhas noites mal dormidas para que eu tenha paciência de ser casada um dia.

Auá!

.Olívia.

18 de janeiro de 2011 08:54
Van disse...

Muito bom o texto, é isso mesmo e vou confessar que , mesmo sendo casada, não tenho paciência alguma para todos esses eventos sociais e essa obrigação familiar toda...e sempre que possível procuro deixar minhas tardes de sábado livre e libero o marido também, ué...vai sair com os amigos...tem nada demais. Devo ter intolerância a tudo isso também porque sou ariana mesmo, o mais puro sangue ariano do primeiro decanato...kkkkkkkk Adoro o Blog de vocês . Sempre aqui, Grande Beijo.

18 de janeiro de 2011 09:00
Carol disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 18 de janeiro de 2011 09:30
Carol disse...

Hahahahha! Dei muita risada!
E, como Olivião disse, até namorando passa-se por isso.

Ah, e nem é preciso tanta espera pra sexta, né?? todo dia é um dia em potencial para beber uma, afinal, você se preocupa com o jantar de alguém, além do seu? nem eu...rsrs.

Aii e essa pergunta asquerosa...rsrsrs.
E a eterna insatisfação humana, quem tá dentro quer sair, quem tá fora quer entrar...rs. (Oee)

Beijooooo

18 de janeiro de 2011 09:35
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Pois é, Jeff, não concordo mesmo, rsrs. Acertou!

"Si" diverti horrores com o texto, mas eu estou bem longe de ser baladeira (viro abóbora bem cedo!), então gde parte aí não serve muito para mim.

Por outro lado, como disse a Van, tb não era totalmente desse jeito "casada" quando era casada. Dosava bem essas reuniões familiares (afinal, eram duas famílias!) pq se não eu ficava com saco na lua.

Eu, como boa geminiana, gosto é da variação das coisas.

=D

beijos

deb

18 de janeiro de 2011 09:52
Ácidas e Doces disse...

Oi meninas
não vou me defender zodiacalmente porque não entendo do assunto. Mas concordo com vários trechos do texto e não pratico muitos outros.
Pati, texto ótimo. Continue arrasando sendo a voz dos solteiros felizes e não conformados.
Beijo
Kézia

18 de janeiro de 2011 10:57
Tati M® disse...

Haha! Ri muito com o texto! Se por um lado lembrei da vida de solteira (apesar de legalmente continuar solteira, vivo num noivado-quase-amigamento), por outro não pude parar de pensar: caramba, minha vida não era tão agitada assim! Mas não era mesmo! Eu passava muitos finais de semana em casa, vendo tv até tarde e comendo besteiras sem culpa. rs

18 de janeiro de 2011 11:29
Silvinha - A prima postiça disse...

Concordo com a Dé!
Como Boa geminiana, gosto de variações!

E ultimamente isso é o que mais tem ocorrido em minha vida!

Adorei o post!

Beijos para as três!

18 de janeiro de 2011 12:02
Marta Melo disse...

AMEI!!!!KKKKKKKKKK

18 de janeiro de 2011 14:04
Olha Eu Aqui! disse...

Aiii bateu saudade! Snif! kkkkkkk


Perfeitão!!

18 de janeiro de 2011 15:43
Fernanda Crancio disse...

Pati, simplesmente, arrasou! Morri de rir imaginando a cara dos que inspiraram esse texto!

É exatamente assim que acontece, cada vez estamos de um lado e os dois são bons demais, cada um a seu tempo.

beijos e divirta-se,sempre!

18 de janeiro de 2011 16:56
nanda disse...

Excelente post!!!
A mais pura verdade!
Identifiquei vários aspectos de minha "desrotina" no texto!!!
Sou uma solteira felizona, mas que está cansando um pouquito de badalar...
Não vejo a hora de combinar cortina, tapete e etc! Hahahaha!
E é engraçado mesmo. Os amigos se arranjam e esquecem da gente. Quando o "tédio" começa a reinar, começam a nos chamar para programas de casal... Que eu adoooooooooooooro, desde que me arranjem companhia!!!
Enfim!
Vida de solteiro feliz é muito louca e divertida!
Espero que quando eu deixe de ser solteira ( Papai do Céu, ajuda aí!), eu e meu par saibamos manter os aspectos bacanas da solteirice... Tipo beber até cair juntos, barzinhos com amigos solteiros e divertidos em locais movimentados, dançar.
Sei que é difícil. Mas é isso que eu quero. Talvez seja por isso que eu esteja solteira há um tempão! Hahahaha!
Ah, Patrícia, posso linkar seu post no meu blog?
Beijocas nas 3!

18 de janeiro de 2011 17:01
Patricia Digue disse...

Nanda, autorizado o link, e boa sorte no amor.

Bjos da Solteira

18 de janeiro de 2011 17:14
Marina disse...

Amei o post. Está bem engraçado e é a mais pura verdade.Todos passam por isso...

Beijos

18 de janeiro de 2011 19:57
Tadeu disse...

Fiquei com saudades da minha solteirice, de novo. Ainda bem que geralmente quando sinto isso estou fora de casa...

18 de janeiro de 2011 20:35
Ana disse...

Pati,

Adorei seu texto! Muito mesmo!
Já fui solteira exatamente assim. Não tinha nem tempo para comer direito, era uma farra atrás da outra.
Hoje sou casada e curto ficar em casa, jantar, ir ao cinema, fazer programas light, sair só com as amigas e tomar todas e fazer farra junto com ele.
Conheci meu marido na farra. Nós éramos amigos, saíamos juntos e quando chegava na balada cada um ia para um canto e ficava com outras pessoas. Moro em Salvador e foi assim o verão inteiro. Depois do carnaval veio a vontade de diminuir o ritmo e os velhos amigos se tornaram namorados e hoje somos casados há 4 anos e temos 8 de relacionamento.
Não seguimos essa rotina de ficar em casa combinando tapetes e cortinas, não faz meu estilo e nem o dele. É verão né? Já fomos para várias festas: ensaio da Timbalada, Trivela do ASA, já compramos o ingresso do Festival de Verão Salvador e assim vamos curtindo juntos!!!

Algumas amigas que casaram e vivem combinando tapetes e cortinas dizem que não sabem como conseguimos, mas eu te digo sem nenhuma pretensão: tenho certeza que somos muito mais felizes do que ela e o marido.

Fica o conselho para quem já casou: não deixe de fazer o que gostava quando era solteira (o) e nem permita que seu marido deixe. Acho que isso é muito bom para fazer com que o relacionamento dure bastante. Somos eu, ele e nós! Viver somente o nós também cansa.

Ps. Desculpe o longo texto de novo!!! Acho que tô inspirada para escrever longos comentários.

Beijokas

18 de janeiro de 2011 21:07
SILVIA REGINA disse...

Amei...senti mais saudade ainda de me preocupar somente com a minha comida.
Como sempre seus textos são maravilhosos.

Beijo

18 de janeiro de 2011 22:52
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Muito bom esse texto. Muito mesmo. Um ponto de vista perfeito de uma solteira. Gostei!
Beijocas,

Irma

19 de janeiro de 2011 12:14
Evelin disse...

Art. 1.635. Extingue-se o poder familiar: III - pela maioridade;
Rsr
Esse texto foi direcionado para a Bela? Numa espécie de desculpas antecipadas? hahaha
Brincadeirinha.
Divertido o texto, coloca os dois lados da moeda. Será que esses lados nunca se encontram?
Bem, gostei título também: “está”, sem condição, perfeitinho. Isso só dura até encontrar “o grande amor”. Srsr
Bem, como sempre, vou passar o carnaval em casa.
Bjos
Evelin

19 de janeiro de 2011 12:45
Evelin disse...

Favor ignorar a primeira frase do comentário acima.
É que quando estou trabalhando em alguma peça, acabo escrevendo meu comentário nela também, no word...

=)

Evelin

19 de janeiro de 2011 12:47
Nadja Cortes disse...

Olá Pat!
Acho que, pelo nome, não vai lembrar de mim...
Nos conhecemos em Atibaia, num evento promovido pela ELEKTRO.
Ficamos hospedadas no mesmo local.
Enfim, só passei pra dizer que ADOREI o texto. Muito bem humorado.
Parabéns.

Beijo, Nadja Cortes

19 de janeiro de 2011 15:39
Patricia Digue disse...

Oi Nadja, eu lembro de vc sim. Tivemos uma noite cheia de aventuras né? kkk. Como vc está? Obrigada pela passadinha aqui, siga a gente.

Um beijão...

19 de janeiro de 2011 18:23
Anônimo disse...

Concordo em tudo, amei este texto, e a parte que diz: "Como é que pode você ser linda e inteligente e ser solteira?", básico, sempre tem uma tia, avó, prima..... que diz isto, mas a minha resposta é sempre a mesma: Estou solteira pq a minha inteligência não me permite o contrário, pois entre ficar com um "babaca" e estar feliz sozinha, prefiro sempre a segunda opção!!
Abraços a todas.

19 de janeiro de 2011 23:47
"Nega" disse...

Como sempre vocês arrasando hein.. Amei o texto concordo plenamente em tudo...
É bem assim essa vida de solteiros.. rs

Abraços!

20 de janeiro de 2011 19:55
Vivendo Intensamente!!! disse...

Olá meninas não é a 1° vez que venho por aqui já havia adorado os textos, mais esse em especial é muito bom! Ainda estou nessa fase de solteira e parece que foi minha vida relatada neste post, achei muita graça. Como é boa essa fase!!! Abraços!

20 de janeiro de 2011 20:35
Glauber disse...

Sensacional! Me sinto de alma lavada diante da incompreensão dos casais com seus convites, após ler esse texto!
Mto bom!

21 de janeiro de 2011 12:22
Klíssia disse...

Meninas...amei isso aqui!! Muitooooooooooo!!!! Vocês estão de parabéns..me diverti muitooo! Bjinhos

21 de janeiro de 2011 13:24
Andarilho disse...

Mesmo solteiro, não sou baladeiro assim não.

22 de janeiro de 2011 16:21
Nadja disse...

É Pat, dou risada só de lembrar daquela noite. Foi mesmo muito inusitada. Tá até registrada no meu diário da época.. hahaha.

Comigo está tudo bem e aí?

Em tempo: bem legal a ideia do blog!

Beijo

25 de janeiro de 2011 12:19