sexta-feira, 20 de maio de 2011

Alex, Vivi e o celular

Vivi não esperava nada daquela noite além de algumas horas de papo e cerveja ao lado da irmã e de uma amiga. Divorciada há oito meses, era a sua primeira saída no novo estado civil. E por insistência da mãe, já que ela ainda não fazia a menor questão de badalar por aí.

Lá pelas tantas, ao voltar do banheiro, um susto: de quem era aquele celular perdido tocando? Educadíssima que é, atendeu, alguém podia ter deixado cair ali sem querer. Do outro lado da linha, o interlocutor, falando escondido algumas mesas atrás, agradeceu a gentileza e disse que agora, em retribuição, tinha que ir lá dar um abraço nela.

Não demorou para que Alex se juntasse ao trio. Simpático e bem comportado, emendou um papo que teve, entre outros temas, a citação de um livro do psiquiatra Flavio Gikovate (isso sem saber que a irmã de Vivi era psicóloga, vejam como o cara mandou bem). A despedida incluiu troca de telefones.

E ele não demorou a ligar. Indecisa, Vivi ainda disse não algumas vezes. Até que um belo dia resolveu aceitar o convite daquele homem que desde sempre a fez sentir tão bem. Se ele me faz rir, pensou, será no mínimo um encontro agradável, nada a perder.

Pois bem, muitos encontros e papos engrenados depois, eis que Vivi e Alex estão de casamento marcado. E, junto com mais dois casais de amigos, subirão ao altar em outubro, numa cerimônia pela manhã, num sítio (como diria a minha amiga Mari Camarotti, só os chiques têm esse direito).

Aos noivos, a quem admiro pela história tão fofa e de quem gosto muito, toda a felicidade do mundo. Alex, arrasou, viu? Como me falou a Vivi, você tem todos os motivos para se orgulhar dessa história como o seu “maior case de sucesso com as mulheres”. Vivi, mandou bem ao ouvir sua mamy (aquela doceira incrível) e se permitir um pouco de diversão naquela noite sem planos.

Estão vendo só, meninas? Muita atenção nessa hora. Afinal, na mesa ao lado, o seu futuro marido pode estar pegando o celular de alguém para ligar para você.

Beijos, beijos, much love,

Isabela – A Divorciada

18 comentários:

Anônimo disse...

já teve a história romântica do anel, essa aqui... falta a história de uma noiva ainda...
bjocas
lola

20 de maio de 2011 09:37
Ana disse...

Muito bom o texto!
Amo finais felizes e tenho uma forte tendência a ficar sonhando com contos de fadas... esse é um!
Beijos e felicidade aos noivos.

20 de maio de 2011 10:11
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Hahaha!!! Pode deixar, Lola. A história da terceira noiva do casamento triplo está a caminho....

Beijão,

Bela - A Divorciada

20 de maio de 2011 14:13
Anônimo disse...

aêêêêê! e olha que eu não conheço a história que vai dar no altar!
então o post de cima é um mix de curiosidades... sobre a história e sobre como ela será contada!
:-)

bjocas
lola

20 de maio de 2011 14:20
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Me aguarde, Lolita. Hahaha!!!

Entre nós: esse post prometido aí sai na semana que vem.

Beijos,

Bela - A Divorciada

20 de maio de 2011 14:30
Mariana disse...

Parece um lugar comum, Bela, mas conselho de mãe quase sempre dá certo. E nesse caso, deu! Mainha outro dia disse: "ande sempre com uma lanterna na bolsa, filhota, não custa nada". Batata: faltou luz, eu na rua com a minha bebê e usei a lanterna (claro que ouvi minha mãe) pra abrir o portão do prédio. Uma colega de trabalho nossa no JC, Ana Aragão, sempre perguntava num momento difícil: "o que a sua mãe disse a respeito?" Tá aí, o post deveria ter se chamado: Vivi, o celular e a mãe dela.
Beijos mil,
Mari, sua sister.

20 de maio de 2011 15:07
José Antonio disse...

Bela tática do moço, eu sou tão azarado que se fosse no meu caso a menina ia malocar o celular e sair de fininho, eu ia ter que ir lá brigar com ela.

20 de maio de 2011 15:40
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Verdade, Zé Antônio, ele deu sorte. E ela também!!
Mas às vezes a vida exige algumas ousadias...né não?

Ansiosa por esse casamento triplo aí...

=P

beijooo

deb

20 de maio de 2011 15:55
FÁBULA E ARTE EVENTOS PERSONALIZADOS disse...

Belinhaaaaaaa.....amo seus posts, esse então, achei super especial..parabéns, bjos no coração!!

20 de maio de 2011 15:56
Anônimo disse...

Excelente história, ótimos personagens. Toda felicidade do mundo aos noivos, vou querer acompanhar de perto este casório. ;-)
Guarda Belo

20 de maio de 2011 16:15
Costela disse...

Só não entendi quem é o sujeito "Simpático e bem comportado" dessa história. :)

20 de maio de 2011 17:00
Alex Mecenas disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 20 de maio de 2011 17:13
Anônimo disse...

Acho que faz parte do lirismo...

20 de maio de 2011 17:15
S. disse...

História sensacional. Aparentemente, eu estava presente e não vi nada disso. Passou ma borboleta e me distrai.

20 de maio de 2011 17:25
João do Espírito Santo disse...

O que mais gosto das histórias da Bela são os 'happy end'.

Much love, hehehe

20 de maio de 2011 18:36
Rogéria disse...

e tudo isso aconteceu com um casal brasileiro, em liverpool! é um conto de fadas!

21 de maio de 2011 00:31
Carol disse...

Que história fofa!

Esse casamento vai ser bom, heim? =D

Beijos

22 de maio de 2011 16:52
Anônimo disse...

Simplesmente adorei a história! Não sabia que o Alex entendia de psicanálise, tô passada! hahaha... Muitas felicidades aos 2! bjos, Lilian

12 de outubro de 2011 20:16