quinta-feira, 5 de maio de 2011

Seu dilema: separo?

Sou casada há três anos, mas estamos juntos há seis. Sempre fui muito apaixonada por ele , ou pelo menos, era. Sinto que a relação se desgastou muito, não tenho mais vontade de ficar ao lado dele, de construir um futuro, não suporto mais as pequenas manias, as bebedeiras...

Minha vontade é realizar os sonhos que deixei de lado com o casamento, sair pra badalar , fazer o que quiser sem ter que dar satisfações . Mas ao mesmo tempo não consigo pensar em sexo com outra pessoa.

Será que devo me separar ?

Obrigada e parabéns pelo lindo trabalho!

16 comentários:

Andarilho disse...

Deve.

5 de maio de 2011 00:07
Cilo Roberto disse...

hhummmmmmm......
complicado... vida de casado não é facil, não posso nem falar muito pq sou quase um solteiro, pela liberdade que tenho.

mas se chegou nesse ponto e vc acha que não vale mais tentar...

então fico com o Andarilho: Deve.

5 de maio de 2011 01:09
Evelin disse...

Sem sombra de dúvida!

Beijos

Evelin

5 de maio de 2011 08:41
Sara Lima Saraceno disse...

A primeira pergunta que eu me faria seria "Eu ainda amo esse cara?".
Não acho que devemos tratar o casamento de forma leviana só porque o divórcio é coisa fácil e corriqueira atualmente... É como abandonar um projeto só porque este, em algum momento, ficou chato.
Se ainda existe amor, ainda que desgatado pela rotina, falta de tempo um para o outro e demais pequenas coisas, eu acho que VALE A PENA DAR UMA CHANCE de tentar recuperar aquele sentimento que fez com que vcs tivessem vontade de ficar juntos "para sempre".
Agora... se o amor acabou... infelizmente, não se tem o que fazer...
Boa sorte.
Bjus
http://vivendoavidacomoelaeh.blogspot.com/

5 de maio de 2011 09:58
Anônimo disse...

Para determinadas mulheres o sexo anda de mãos dadas com o sentimento. Acredito que essa seja a maior diferença entre homens e mulheres. Se o sexo ainda é prazeiroso, acredito que exista sentimento. Talvez falte tolerância, já que a rotina é um pouco cruel. Sexo casual, para mim, foi horrível. Homem que quer transar tem muito. Homens que pensam em construir uma vida juntos são poucos. Nota: Fiquei casada vinte um anos, separada cinco, época que tentei o sexo casual, que foi horrivel e, agora, estamos de novo eu e meu ex recomeçando como namorados, já que ambos tiveram experiências fora e não foi ok. Faço agora, nesse meu momento de vida, apologia ao casamento.

5 de maio de 2011 11:41
Patricia Digue disse...

Desculpe a sinceridade, mas acho que seu relacionamento já era. Quanto a sexo com outra pessoa, acho que os homens conseguem isso com mais facilidade, mas a gente também, com o tempo.

Bjs da Solteira

5 de maio de 2011 11:51
Carol Leão disse...

Se está na duvida, não separe. É melhor do que se arrepender depois.

5 de maio de 2011 11:52
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Tô com a Carol: na dúvida, não faça não. Espera mais um pouco.

Mas vai refletindo e fique bem atenta aos sinais.

beijo!

deb

ps: hj o Andarilho se superou, hahaha, figura...

5 de maio de 2011 12:03
Anônimo disse...

O "Deve" do Andarilho foi óoootimo! rssss...

Menina...faz uma viagem sozinha...viajar é tão bom pra refrescar as idéias! Mas vai só! Inventa uma desculpa e vai!!!!

Beijos,
Selma.

5 de maio de 2011 12:47
Anônimo disse...

não é fácil mudar as pessoas, mas as manias sempre podem ser postas em questão numa boa conversa. tbm acho que o casamento é um projeto e não deve ser abandonado assim, correndo, não sem antes tentarem se acertar.

5 de maio de 2011 13:35
Anônimo disse...

Entendo o que vc diz pois passo por uma situação parecida. Sou casada há 3 anos, mas estamos juntos há 5. A rotina de morar junto me fez perder a admiração e a paixão que sentia por ele no começo. As manias dele me irritam demais. Às vezes não sinto desejo, não rola vontade de transar. Mas na semana seguinte, tudo melhora.
Fico me questionando se deveria estar casada ou solteira, mas continuo com ele porque no meu caso ainda há amor. Apesar de sentir vontade de ficar com outras pessoas, eu o amo e em muitos aspectos ele é a melhor pessoa que eu poderia encontrar.
Acho que você deveria pensar no quanto ele a faz ou não faz feliz. Se está mais para ruim do que para bom, melhor terminar.

5 de maio de 2011 15:42
João do Espírito Santo disse...

Duvidas... hehehe não é fácil.

Concordo com a Anonima #1, manias, moça ou moças (Anonima #3), todos temos. Até tu, não é mesmo? Se você mudar de marido vai ter outras para aguentar. Óbvio, tem manias que não suportamos, se depois de uma boa conversa, ele não mudar, por ser algo dele é dificil mesmo.

Quem vocês acham que é a maior destruidora de lares? Para mim é a Rotina. Sim, a vizinha gostosa, a secretaria, a sogra, não chegam nem perto. Quem a supera ou aprende a tolerá-la, acho eu, terá um casamento longo, longo.

E como estou com as anonimas hoje, concordo com a sugestão da Anonima #2, viaje. Sinta um pouco como é ficar só, sem o cobertor de orelha, sem o sexo que, mal ou bem, estão ali. Talvez como indicaram, tente um sexo casual com um cara que só pensa no seu corpo e no prazer dele. Acho que depois você terá mais condições colocar na balança e discernir.

Eu faria assim, o que você acha? Tens coragem?

Boa sorte e seja feliz!

5 de maio de 2011 16:56
Eduardo Alexandre Rodrigues disse...

Amigos...amigos...
Minha sugestão é sair do cenário para avaliar melhor! Seja uma viagem, seja pedindo a ele uns dias para reflexão colocando seu ponto de vista de forma calma e natural. NÃO TOME DECISÃO ALGUMA! Eu aposto que você vai se arrepender!
Ocorreu comigo. Há seis meses tomei a decisão de comprar uma casa e noivar. Um relaciomento que na minha cabeça era conturbado devido a brigas e outras coisas. Amava-a mesmos assim. E a amo até hoje! Por infortúnio, fomos morar juntos...e nos separamos. E confesso, ela viveu o que vc está vivendo, pois eu tinha as minhas bebedeiras que lhe causavam mal. Hj entendo perfeitamente.
Moral da história...hoje me arrependo e ela está magoada. Conversar e analisar antes de qualquer decisão. Na iminencia da perda....as pessoas se transformam.
Vou mandar minha história para este Blog...
http://tomejeitonavida.blogspot.com/
Eduardo Rodrigues

5 de maio de 2011 17:49
Alynne disse...

Rotina faz parte de tudo na vida: trabalho, estudo, família e, lógico, casamento. Aprender a conviver com ela faz parte do nosso amadurecimento como pessoa. Por isto, acho que saber lidar com a rotina e com os defeitos de quem está próximo é mais do que necessário, é vital. Afinal ninguém é perfeito.

Acho que enquanto existe dúvidas não se deve tomar nenhuma decisão. Foi isto que fiz quando meu primeiro casamento entrou em crise. Parei, pensei, conversei, mudei, gritei, surtei, parei de novo, pensei e decidi. Não houve arrependimentos, apesar da dor ter sido imensa.

Sugiro se acalmar, avaliar a situação com o binônio pensamento e sentimento e só depois decidir.

Boa sorte!

6 de maio de 2011 09:21
Por uma vida simples disse...

Vida a dois não é fácil, mas saiba que a única pessoa que pode te destruir ou te colocar em dúvida é você mesma. Casamento não deixa de ser um projeto, como quase tudo na vida, logo, mesmo que você decida abandonar este "projeto" vá consciente que o próximo será uma delícia no começo, mas depois... será que vale a pena abandonar?

Sucesso nesse desafio, se conselho fosse bom... eu viajaria ;)

6 de maio de 2011 10:22
Naty disse...

Oi galera ... muito obrigada por todos os toques e conselhos
Gostei bastante da idéia da viagem ... também temos conversado muito ...
Enquanto existem dúvidas , melhor refletir mais para que a decisão seja acertada
Bjo da Naty ... ( a encrencada do dilema ... rs )

7 de maio de 2011 12:45