quinta-feira, 19 de maio de 2011

Conte seu dilema: detesto a minha sogra

Sou casada há quatro anos, tenho no total nove anos de relacionamento e estou esperando um bebê. Estou muito feliz, mas, com a gravidez, comecei a me dar conta de muitas coisas. Desde que comecei o namoro, a família do meu marido fez de tudo para nos separar.

Ele tinha uma ex que não parava de frequentar a casa dele, de levar presentinhos para a mãe dele e de fazer de tudo para infernizar nosso relacionamento. E tudo que ela fez foi com o aval e permissão de todos da família dele: pai, mãe, irmão e irmã. Durante muito tempo a ex fez parte das conversas nos almoços em família, era inclusive convidada para as festas.

Aguentei isso por dois anos seguidos e cheguei a ouvir da mãe dele que a ex não deixaria de frequentar a casa dela porque era considerada uma filha também. Mais uma vez: problema meu. Se ele fazia alguma coisa? NADA! Era completamente submisso às vontades da mãe e irmãos.

Depois de sofrer bastante e achar que tinha chegado ao limite, eu caí fora e terminei o namoro. Passamos alguns meses separados e cheguei a me envolver com outra pessoa, mas gostava muito dele e, quando ele me pediu para voltar dizendo que tinha saído de casa para morar sozinho, achei que estava ali a prova de que ele me amava.

Não foi fácil aguentar. Perdi minha mãe, fiquei muito mal, superei (em parte) essa perda e me casei. O respeito da família dele em relação a mim melhorou bastante, afinal, agora eu era a oficial.

Já tenho quatro anos e meio de casada e me considerava extremamente feliz com o meu marido, mas pra ser sincera comigo mesma, eu nunca engoli a família dele. Hoje estou grávida e percebo como essa minha "repulsa" a eles ainda é muito forte. Não acho que tudo foi construído por causa da ex, mas do comportamento deles até hoje.

Me vejo tão diferente deles e me pego pensando diversas vezes que essa não era a família que eu queria para mim. Ainda hoje sou obrigada a conviver com o excesso de mimo da irmã dele e com os comentários da minha sogra em relação ao bebê, sempre dando a entender que eu não posso contar com a ajuda dela para nada. Me controlo em respeito ao meu marido.

Cheguei a pensar em me separar, pois a minha vontade de ficar distante deles é muito grande e a sensação que tenho é que cheguei ao limite de novo, mas estou grávida e achei que eu estava ficando louca, então resolvi ficar quieta. Para desabafar, eu choro.
Não sei o que fazer. Já conversei com meu marido, mas ele não muda e eu não sei se consigo suportar por muito mais tempo. Queria não ter que olhar para a cara da minha sogra e da minha cunhada nunca mais, mas sei que isso é impossível...

Algum conselho?

Joana

35 comentários:

João do Espírito Santo disse...

Joana,

Perdoe o texto extenso mas vamos lá.

Quando a gente casa com alguém a família tá inclusa - esquecem de nos avisar. Entretanto, você já pensou que a recíproca pode ser verdadeira? A tolerancia e a compaixão com o outro vamos aprendendo a cada dia, não é mesmo?

Tua sogra diz de não vai ajudar em nada? hahaha. Essas são as que mais fazem. Minha mãe falava isso! Hoje: "como tá o netinho da vovó", "ah! não veio mais aqui ficar com a vovó". Relaxa, é só discurso reticente...

Imagino que você deve estar sentindo uma falta danada da sua mãe nesse momento. No fundo você queria estar com ela te dando esse apoio e segurança, não é? Era para ela tá te ajudando a pensar/cuidar da preparação da chegada do bebê. Uma saudade que deve ferir a alma.

Você vai ser mãe. Como pai não me importo o que a familia da minha ex diz de mim. Minha ex cunhada, por exemplo, é um porre, porém ela é a que mais faz pelo meu filho e isso é o que me importa. Pense no bebê ;-)

O que posso te sugerir? Ore. Parece bobeira mas tem momentos que só Deus para curar nossas feridas, nos consolar. Peça a graça de ter compaixão da tua sogra, curar a ferida da saudade da sua mãe.

Inunde-se de amor, mulher. Sua sogra ama o filho dela, como tua mãe te amou. Elas vão amar o netinho/a delas. Mas são/foram humanas como você: erra/m e acerta/m. Eu tb erro e acerto como pai e você como mãe vai ser o mesmo. A compaixão e amor nos nos liberta desses sentimentos que não nos levam a nada :-)

Espero e oro para você ter uma gravidez serena - seu nenem precisa da sua paz interior - e um parto tranquilo.

Seja feliz.

19 de maio de 2011 08:33
Andarilho disse...

Não conviva com a família dele. Tem alguma coisa na casa da sogra? Manda só o marido e não vai.

Se vc já explicou a situação direito pra ele, mesmo sem fazer nada, talvez ele entenda.

19 de maio de 2011 08:46
Anônimo disse...

Muito bom receber conselhos...

João, vc me fez chorar. Tô muito sensível mesmo e a aproximação da maternidade fez a saudade que sinto da minha mãe ficar insuportável.

A minha sogra é complicada, nunca foi do tipo agregadora, nunca foi de fazer um almoço em família, para ela o mais prático é sair para almoçar fora e pronto. Completamente diferente do modelo que eu tinha com a minha mãe, que adorava cozinhar e reunir a família aos domingos. Eu sabia que estava casando e levando o "pacote" junto, mas sempre temos uma esperança de que as coisas vão melhorar né? Esperança essa que está se acabando ou o meu limite esgotou... Ela me fala coisas do tipo: "só leve o bebê para minha casa com a babá viu? E me ligue antes para saber se eu estou descansada". Pra mim, é muito difícil ouvir essas coisas.
Tento não guardar mágoas, mas tem uma hora que é difícil esquecer...
Vou rezar sim, é o que mais faço! Peço tranquilidade e capacidade de perdoar e esquecer...

Andarilho,

Vc me fez rir... e eu tenho feito isso no último mês, mando ele ir sozinho...

Beijos e obrigada

Joana

19 de maio de 2011 09:16
Iracema Marques disse...

Vamos lá. Se o comentário de João foi grande, você não sabe o que lhe aguarda abaixo... rsrs

Acho que João tocou num ponto bem importante: a sua gravidez + a perda de sua mãe talvez potencializem em muito a sua carência de família, de mãe, a sua expectativa com relação à sogra, com relação ao marido, a necessidade de acolhimento e aconchego. Perceba que eu digo "potencializam", porque esse tipo de sentimento, todas essas carências, são normais em qualquer um dentro de uma relação. Mas vc está grávida. Mas vc perdeu, e não foi há tanto tempo assim, a sua mãe. E vc precisa de seu marido e gostaria de poder contar com sua sogra e essa família toda que veio com ele no pacote.

Veja bem que João é o homem, o marido, e admite que sua própria mãe também foi reticente com relação ao neto. Fazendo uma analogia, a mãe de João é a sogra que agiu mais ou menos da mesma forma que a sua sogra. Aí vamos para o sentimento dessa sogra - não que isso justifique, entenda, estou tentando apenas achar explicações para você poder combater isso -: sua sogra perdeu parcialmente o filho para vc no casamento e agora, que vcs vão ter um filho e, com isso, selar definitivamente uma OUTRA família, um neto que, diga-se de passagem, foi muito desejado por seu marido, sua sogra está apavorada por perder tudo e se utiliza de qualquer artifício para manter seu marido do lado dela, ainda parte da família dela e não responsável por uma nova família.

Óbvio que ela está errada, eu diria até descontrolada e infantil, mas, particularmente, quem não se descontrola e age infantilmente? E mais: e você, o que tem a ver com o descontrole e a infantilidade dela? Você que perdeu a mãe, teve problemas com a ex dele, está grávida e passando por tudo isso, ou seja, tem os seus próprios problemas, o que você tem a ver se ela é uma descontrolada e está agindo tão idiotamente assim?

Imagino que está sendo muito foda. O único que posso dizer é, de onde eu vejo, que você tem duas opções: 1. ser um ser sublime, superior, algo que, na moral, nem sei se existe e agir mais ou menos como a anedota que vou colocar abaixo, ou 2. afastar-se mesmo, como diz Andarilho. Mas afastar-se na paz, sabe? Se ocorrer de atender um telefonema da sogra, tratar bem, quando o marido falar da família, ser condescendente. Em suma, se retirar do palco sem raiva, sem ódio, numa decisão serena de 'cansei mas vou ser feliz e foda-se'. Um dia, quem sabe, você volta à convivência, sempre mantendo a mesma atitude serena.

A anedota: era uma mulher que tinha muitos problemas com uma sogra que era uma cobra e foi perguntar ao Mestre o que fazer. Ele respondeu: “Todos os dias, naqueles momentos de mais estresse da sogra, nos momentos em que ela estiver insuportável, intragável, coloque duas gotinhas desse veneno que te dou e sirva para ela um chá. Aos poucos ela vai adoecer e morrer e não ficarão rastros do que você fez.” A mulher achou estranho aquele conselho, mas se era o Mestre que estava mandando e ele sabia das coisas, a sogra deveria ser mesmo uma cobra e merecia a morte. E assim ela fez: todos os dias, nos piores momentos, a mulher vinha delicadamente, para que a sogra não desconfiasse de nada, e lhe servia o chá com o veneno. Só que os dias passavam e a sogra foi ficando cada vez mais simpática com ela, foi se tornando uma boa sogra, amiga, compreensiva e passou a ficar do lado dela em todas as situações. Enfim, pra resumir, que esse comentário já tá enorme, a mulher já não queria que a sogra morresse e procurou o Mestre desesperada, porque a sogra era ótima e tudo foi um engano. O Mestre, então, disse que, na verdade, aquilo não era veneno e que, apesar da sogra ter realmente sido uma cobra, as atitudes negativas e reativas só faziam piorar e potencializar o problema. O simples ato de servir o chá mudou completamente a relação.

E haja estômago!

Boa sorte, Joana. Desejo que tudo dê certo...

19 de maio de 2011 10:28
Rose disse...

Me vi, te lendo...
Minha família é super unida. E do bem. Não se intrometem em nada, dividem tudo e adotaram meu marido como filho. Mas...eu tive que mudar de cidade, quando me casei e vim morar perto dos sogros.
A família dele é contrária a minha. Desunidas. Intrometidos e visam bens materiais. No ínicio, eu convivia. Tratava bem e fazia ele conviver mais com eles. Convidava pra almoçar, sair junto e tals.
Até que... leio um e-mail da minha sogra me atacando. De graça. E um tempo depois, meu sogro faz a mesma coisa.
Hoje não quero conviver. Não tenho ódio, mas, não é o tipo de pessoa que me faz bem, entende?
Conversei com meu marido, deixei claro que não quero conviver. Em relação a mãe dele ele concorda, mas não em relação ao pai, que ele alega que gosta de mim, mas é bipolar...
Acho que se eu for obrigada a conviver, não darei conta...

19 de maio de 2011 10:41
Anônimo disse...

Minha amiga eu já passei por cada uma com família de marido...já ouvi cada " pérola" hahaha...ELes também bajulavam a ex dele. E a dita cuja se "achava", e aco que o sonho dala era ser da família pois hoje é casada com o irmão dele, ou seja, ela é minha cunhada, hahahaha...seja feliz com uma dessa!!! kkkk
Eu amo minha sogra, quando ela está beeeeeeeeeeeeeem looooooonge!!!!
O que fiz pra superar tanta besteira deles, chatices, idiotices, maldades, fofoquinhas? Fui mais eu!
Quer um conselho? Faz o mesmo!!!
Não seja prepotente, nem soberba , não é isso...mas seja mais você. Não se afete com ela e os outros parentes. Não queira agradar pois nunca irá. Seja educada pois a educação nos pertence, se eles não são o problema é deles.
Você perdeu sua mãe e isso é uma dor enorme, e sei que é algo que te faz falta por tantos motivos já citados. Mas você tem parentes? prima? avó? tia? amigas? isto lhe basta!
Não peça ajuda pra sogra não. Vai por mim...pedindo ajuda estará abrindo a porta do inferno, ela vai querer mandar e desmandar na educação do seu filho e quando você for reclamar vai te jogar na cara o dia que pediu ajuda. Uma vez a minha cunhada disse que eu era orgulhosa pois nunca pedi ajuda pra ela e minha sogra em nada. Eu respondi:_"Mas sabe o que fulana, eu tento me virar como posso. E se vocês não existissem? ou se eu morasse longe? não teria que me virar sozinha? Não é por orgulho não."
Manter a política da boa vizinha é necessário, pois um bebeznho vem aí...e tenta criar um mantra pra te acalmar, ou oração forte mesmo , pois você precisa preparar a paciencia...é amiga...batizado, aniversário do nenem...vai ter que engolir a sogra e cia. Por isso a tal política vai bem.
Eu escreveira um livro sobre esse assunto...rsss...
Beijos e seja feliz minha linda, saúde para o baby!!!
Selma.

19 de maio de 2011 11:03
Anônimo disse...

Eh, Joana,

Sei que não é fácil, sei que conviver com que não nos faz muito bem é muito difícil, mas a gente, quando quer, aprende. Aprende a se defender... a criar uma barreira e não deixar que o mundo externo, seja de que partido for, nos afete tanto assim. O fato deles te afetarem tanto assim é, talvez, um reflexo da sua atual sensibilidade e saudade de sua mãe. Não a compare com ninguém, só você sabe e sente o valor dos ensinamentos de sua mãe, que, daqui a pouco, você estará passando para o seu bebê!!! Você depende ou precisa tanto deles assim a ponto de se machucar tanto com a indisponibilidade ou NEUROSE deles? Sabe de uma coisa: o mundo não é e nunca vai ser examente como a gente quer! O que mais importa: Ser feliz ou ter razão? De algum modo, sua família já está completa, você tem seu marido e seu bebê... O restante da família dele são pessoas muito importantes para ELE, seu marido, e vão ser de algum modo também para o seu bebê, e esse fato deve ser suficiente para você os tratar com respeito e um POUQUINHO de gentileza. Se sua sogra não conseguiu romper o cordão umbilical com seu marido, quem mais sofre com isso é ela, e assim sucessivamente. E daí que sua cunhada é mimada? Você não é mãe dela e nem precisa consertá-la, deixe que a vida e o tempo dá jeito nas coisas. Você deve assistir e pensar assim: não quero que minha filha(o) seja assim!!! Imponha respeito apenas... e não precisa encontrá-los todos os dias, como se dividissem o mesmo teto, dê o ar de sua graça quando for necessário e o momento prometer ser agradável. É mais os menos como disse Gibran Kahlil: "Aprendi o silêncio com os tagarelas; a tolerância com os intolerantes e bondade com os maldosos. Não deveria ser ingrato com esses professores"! Pois é Joana, boa sorte e espero te fazer refletir ao menos um pouquinho... Desculpe o tamanho do texto! Um abraço! Jujuca

19 de maio de 2011 11:32
Anônimo disse...

Querida,
Eu já passei por isso e acho que nesse momento vc deve tentar preencher seu coração com os melhores sentimentos porque eles serão sentidos pelo neném. E digo isso, sinceramente, só pelo neném e por vc! Eu sei que não é fácil. Como é que a gente casa com um homem e finge que não espera amor e acolhimento dele e da família?? Vivo repetindo isso pras minhas amigas, se alguém souber como fazer, por favor, poste aqui!!
É bonito ler as mensagens escritas aqui, são muito racionais e engrandecedoras. (Desculpe se meu post for o único duro e realista, não tenho a menor intenção de te influenciar negativamente). Mas vamos lá, PORQUE somos nós, sempre, que precisamos nos curvar diante do pouco caso dos maridos, dos venenos das sogras, etc, porque?? Estamos em pleno século de mudanças, mulheres modernas e independentes. Abaixo a demagogia. Fiz análise algum tempo e descobri que não estou errada, não é motivo de orgulho não querer me curvar. Acredito em Deus e tenho muita fé na minha vida, então essa história de fingir que nada acontece não dá. Também não concordava com os conflitos, resolvi me distanciar e foi o que fiz. Por um tempo deu certo, bom momento de paz. Eu tinha a minha vida e ele tinha a dele, eu não frequentava a família dele, só de longe. Mas eu continuava me perguntando se aquele era o modelo de casamento que eu tinha sonhado pra mim, e apesar de talvez ele ser o homem no início, precisei encarar de forma dura que às vezes a gente se engana. Porque não casamos com um homem, casamos 2 famílias, por mais distintas que sejam. Sim, é preciso tolerar,mas há um limite. E a vida é muito mais do que isso!Além de ser feita de escolhas. A felicidade da gente é muito mais importante. O casamento foi bom enquanto durou,amadureci, hoje sou muito mais feliz e conto com minha família e amigos, pessoas com quem eu posso contar de olhos fechados. Eu escolhi viver meus dias sem o coração apertado. Ou eu aceitava aquela família engolindo o que não me fazia bem ou eu partia pra minha paz. Não fui capaz de viver a primeira opção, fui capaz de ir em busca de uma felicidade que envolvia a mim e meu filho. No final deu tudo certo. O pai do meu filho é maravilhoso, o meu filho ama a família paterna. E eu vivo na santa paz de Deus, muito feliz e surpresa pelas relações terem se consolidado sem brigas e com muito amadurecimento. Afinal, como diz meu analista, as crianças de hoje são muito mais adaptáveis e preparadas para a vida se são de pais separados.

3x30 amo vcs.
Querida, boa sorte e siga seu coração.

Juju Pina

19 de maio de 2011 11:43
Anônimo disse...

Amigos blogueiros e minha queridíssima amiga Iracema,

Estou eufórica com os relatos e conselhos de vcs. Não sei se trabalho, se leio, se respondo, se paro para ir almoçar...

Estou realmente adorando todos os comentários, TODOS, sem exceção!

Preciso aprender muito, preciso aprender com o silêncio, preciso de um mantra, preciso tolerar, mas concordo com Juju Pina: tudo tem um limite!!! E sou mais o tipo de mulher que não fica a vida inteira "engolindo" sapos.

Por enquanto e por algum tempo vou continuar tentando preservar meu casamento e me manter com uma distância necessária do "pacote", mas as comemorações estão vindo aí né? E haja coração e paciência!

Vou ler tudo depois, e de novo, e várias vezes com bastante calma... preciso mesmo refletir.

Agora preciso almoçar pois minha baby já está reclamando...

Muitos beijos e obrigada,

Joana

19 de maio de 2011 12:06
Tati disse...

Vou ler os comentários com calma depois, pq tbém estou adorando.
Bom oq aconteceu comigo foi parecido.
1- preferência pela ex
2- inferninhos para terminar
3- o mais baixo de todos, foi desprezar a minha filha q é sangue dela(as).
Depois deste último rodei a baiana e falei para o meu marido se eu estivesse errada ele poderia ir..kk
Vc foi? nem ele.

Tbém fico triste pq não era esta família que eu queria dar para ela.

Cortei convivência, somos vizinhas e não coloco anônimo, pq quero reforçar meu ato. Sogra rima com oq?

P.s: Desculpa o desabafo!!

19 de maio de 2011 12:40
A. Marcos disse...

Conselho eu não dou, mas me digno a fazer 03 observações elucidadoras:
a. Não foi a ex, os irmãos, a mãe ou o pai dele que estavam errados em aceitarem a presença da ex-dele na casa da família. Se alguém estava errado esse alguém era ou você ou ele. Você porque se sentia invadida pela presença de alguém que já estava superada na vida dele e que, bem ou mal, fez parte da vida dele de modo que não me parece sensato extirpá-la para satisfazer aquilo que parece ser sua insegurança. E ele porque nem se opôs à família e nem se opôs a você. Ficando em cima do muro, como ficou, não passou a mensagem certa nem para a família e nem para você. Ele parece ser submisso a ambos e sem personalidade ou, simplesmente, negligente.

b) quando se casa com uma pessoa na verdade se casa com toda a família dela. Não se pode gostar só dele, assim como não se pode gostar só da família. Casando-se com um casa-se com todos.

c) Por fim, amor é construção. Se vc até agora não conseguiu construir a base sobre a qual se erigirá essa construção ou se até agora a construção se erigiu em terreno instável, acredite, é questão de tempo para essa relação ruir.

Me parece que refletindo sobre esses três pilares você poderá chegar a alguma conclusão sobre sua vida.

19 de maio de 2011 12:45
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Eu acho que você tem que evitar o convívio para não se estressar. Se impor. Afinal, já fez de tudo e eles continuam uns escrotos. Vc não é obrigada a casar com a família do marido. Situação difícil mesmo, te desejo sorte e tranquilidade para lidar com isso.

Bjs da Solteira

19 de maio de 2011 13:27
Jú... disse...

Bem... como eu me vi nas suas palavras,... nao posso dar conselhos... muito pelo contrario, lerei tbm todos os conselhos pra ver se com a próxima sogra,, se eu passar por isso de novo, eu saiba como agir...
Mas, boa sorte... é horrivel sogra que se mete, que mima os filhos e a familia que fica se metendo no seu relacionamento... enfim...
deixa eu ler tbm pra ver se eu aprendo tbm como lidar com isso... ;)

19 de maio de 2011 15:03
Marta Melo disse...

Nossa Joana!É uma situação muito difícil...Primeiro tb acho que nesse período que vc está grávida,vc deve está sentindo ainda mais a falta da sua mãe e com isso qualquer coisa que sua sogra diga, mesmo sem intenção de te magoar, adquire uma maior proporção pelo fato de vc está fragilizada.Acho que se seu marido é muito amado por vc,vc deve ter educação com sua sogra e se vc sentir que está sendo muito destratada ,tentar abstrai´-lá pois tem gente que é perda de tempo tentar querer ser "amigo"...Acho que vc deve tratá-la bem educadamente e na sua cabeça colocar que não pode contar com ela pois o que vier é lucro.Seja feliz e conte com outras pessoas,pois neste mundo nunca estamos sozinhos!Bjs

19 de maio de 2011 15:27
Flavia Werlang disse...

Só tem uma coisa pior que sogra: pseudo-sogra. A avó da sua filha. A mãe do pai do seu filho. Pior se vcs nunca foram casados e ela ADORAVA uma outra namorada!! Acredite!!!!

19 de maio de 2011 18:23
Anônimo disse...

Adorei os conselhos. Preciso refletir e muito. Acho que o melhor mesmo é me manter distante dentro do possível. Tratar com educação sempre, mas me submeter aos joguinhos dela (deles) não dá.

Preciso fazer algumas considerações sobre o comentário do A. Marcos, pois me pegou de jeito...
1- A ex já passou! Se foi insegurança, negligência, falta de personalidade minha ou dele eu não sei. Só não tentei extirpá-la e disso eu me arrependo muito, aguentei quase 1 ano o contato frequente deles e ela sempre ligava aos sábados a noite. Quem aguentaria tanto tempo?
2- Concordo com Pati (a solteira), não casei com a família toda e nem tenho que me obrigar a amar pessoas tão diferentes de mim.
3- Não é que vc deve estar certo!Tenho mesmo medo de chegar a essa conclusão e acho q essa é a base de todo meu dilema. E se com o passar do tempo a relação ruir??? E se nosso terreno for mesmo instável?

Vou continuar com esses inúmeros questionamentos...

Abraços e obrigada a todos! Foi uma ótima terapia em grupo :-)

Joana

19 de maio de 2011 22:16
Melzuca disse...

Joana, seja forte.Parece fácil dizer isso, mas sei que não é, pois tb passo por algo bem parecido.Mas durante minhas conversas com Deus, percebi que temos a família que merecemos ter e o melhor que podemos fazer é a cada dia melhorarmos como pessoa e passarmos a enxergar tudo isso como uma provação que Deus esta nos dando a oportunidade de vencer.Quem disse que viver é fácil, mas nossa felicidade construimos aqui muitas vezes com nossa paciência e amor.Dê sempre seu melhor e não desista, pois quem planta uva doce, só poderá colher uva doce.Tenho feito isso e mesmo não havendo a mudança esperada do outro lado, o melhor aconteceu pois tudo melhorou dentro mim.Bjos

19 de maio de 2011 23:36
Anônimo disse...

Linda, defeitos qualquer relacionamento vai ter.
Ele poderia ser alcoolatra, drogado, mentiroso.. Mas o defeito dele eh a familia.
Aprenda a abstrair e seja feliz.
Faça terapia, saiba lidar com isso da melhor forma sem prejudicar vc e/ou seu relacionamento.
Nao acho q familia seja motivo para se separar. Muito menos agora c/ uma criança a caminho.
Seja fez com o marido q vc tem!

Bjs

19 de maio de 2011 23:56
Anônimo disse...

querida, minha sogra é insuportavelmente louca. só a vejo quando é indispensável. do contrário, o filho dela que vá sozinho.
na verdade, na verdade , moesmo, só apareço lá umas 2 ou 3 vezes no ano. e dá-lhe chá de camomila + rivotril antes e depois. aí não sinto nada!
e, se ela quiser ver o neto quando nascer, ela que venha até sua casa.

20 de maio de 2011 09:29
Anônimo disse...

Será que o problema no seu relacionamento é realmente sua sogra ou a família do seu marido? Será que você não está transferindo para a família, a culpa ou responsabilidade que talvez seja do seu marido ou sua?
Lembre-se que em qualquer situação, não existe só um culpado, vc tb deve ter contribuido para isso. Enfrente os problemas sem se colocar no papel de vítima.
Se você acha que a sua relação está ruindo, a culpa é de vcs dois e não da família dele.
Conheço casais que são muito felizes, vivem muito bem, mesmo tendo sogros terríveis.
É preciso separar o joio do trigo!!!

20 de maio de 2011 13:24
Anônimo disse...

Oi menina. Sabe o que eu acho? Assim que seu filho nascer, tudo vai mudar, todos vão se derreter com o bebê e vão é querer estar perto, recebê-lo em casa, provavelmente melhorem com você, como melhoraram depois que casou. Sim, é difícil conviver com gente que não suportamos...mas casar inclui levar o pacote...infelizmmente. Ou felzimente? Eu também sou casada, tenho um filhote e acho que, se me separasse do meu marido, do que mais sentiria falta é da família dele, pq é super carinhosa, simples, faz estes almoços de domingo como vc falou, sem falar das minhas cunhadas, que são amigonas e parceiras. Mas eu alguns momentos, apesar disso, já me incomodou a presença demasiada deles ao redor do meu filho e acho que acabei demonstrando isso, indiretamente. Hoje me conhecem e respeitam muito mais meu espaço. Será que não é hora de vc mostrar um pouco as unhitas, fazer sua sogra perceber que ela está sendo fria falando assim do bebê, como se fosse um estorvo, etc...? Beijocas e sorte! (ah: filho é para sempre, mas marido pode não ser! não esqueça disso!)

20 de maio de 2011 18:18
Paula disse...

Oi Joana, tudo bem??

Bah guria, olha só, tenho um problema MUITO similar.

Eu sou divorciada, tenho um filho de 05 anos e namoro meu atual namorado há um ano e três meses. A gente se gosta muito, pretendemos nos casar e ter filho.

Acontece que minha sogra ME ODEIA... e o motivo é INVEJA, joana.

Ela não é uma boa pessoa. Toda vez que fala com meu namorado, fala sobre a ex-namorada dele, com quem ela faz QUESTÃO de manter convivência. Fala dela, fala das noticias, que está solteira, que está assim, que está assado.

A diferença entre eu e você é que minha sogra é falsa... Então, na minha frente, ela trata normal, com educação. Mas nas costas, tenta de toda forma me derrubar e me apunhalar.

O engraçado é que, como você, eu fiz de tudo para ter uma boa convivência, sabe!? E não foi possível. E, depois desse fim de semana, eu realmente DESISTI de toda e qualquer possibilidade de convivência com ela.

Eu me preocupo, porque tenho medo de casar e ter filho, assim como você, numa situação TAO ruim...

Mas, o que eu acho é que voce deve sim MANTER DISTÂNCIA, Joana.

Voce está gravida, e nao pode se estressar e passar nervoso... Faça como eu, DESISTA de tentar, afaste-se, veja e convivo O MINIMO possível, e trate com mera educação. E deixe isso bem claro para os eu marido: que você não quer convivência, e que também evitará AO MAXIMO que seu filho(a) conviva com sua sogra, enquanto ela mantiver essa postura.

Veja bem, quem está perdendo É SOMENTE ELA, que será privada da convivência com o neto....

Faça isso, para evitar estresse para você nesse momento tão sublime e especial que é a sua gravidez... vai por mim, EVITE...

Boa sorte querida. Um grande beijo no seu coração... se quiser me mandar um e-mail, podemos nos ajudar... eu te passo meu e-mail dai.

Beijos!

24 de maio de 2011 10:58
Fê disse...

Vi o seu comentário em um post sobre sogra onde você indica este blog aqui.

Como também passo problemas com a família do meu marido resolvi vir aqui e li todas as mensagens. Quanta opinião diferente né?

Torço por você e pra que o seu amor pelo seu marido e o dele por você possa ser mantido e que esse amor blinde vocês e sua filhinha de qualquer influência externa.

Sei de vários casais que perduram num relacionamento amoroso e estável buscando forças um no outro, mesmo que a família seja contra o relacionamento.

Por isso acredito que vocês podem conseguir!

Mas caso ele não consiga se libertar da influência da família pra te apoiar e te amparar, então torço pra que você seja feliz, mesmo que escolha se separar.

Que Deus ilunime e abençôe você e a sua família!!!

Um abraço!!!

9 de junho de 2011 16:56
Anne disse...

Oi Joana, passo por um dilema com minha sogra também, aliás com a família do meu marido.
Depois de 2 meses de namoro, resolvemos morar juntos... ai começou o inferno... (não sou de uma família com muitas posses - como se isso importasse) e ela adorava falar isso pra quem quizesse ouvir; uma vez ela falou na minha frente e na frente do meu marido, naquela época namorado, que ele não sabia escolher mulher, só gostava de quem não tinha dinheiro) a família do meu marido tinha muito dinheiro e acabaram botando tudo fora, é como diz o ditado, tudo que vem fácil, vai... pois bem, pra completar minha sogra é dependente química, e completamente sem noção e descontrolada, gastaram tudo o que tinham, e vivem na maior pindaiba... sobre pra quem ajudar, quem, quem???? O meu marido... o dinheiro que ela pega, como parte dos pagamentos das terras que vendeu, ela gasta tudo em bobagens, e não no que realmente importa. Ela vive dizendo pra todo mundo que os filhos sugam ela (coisa que não é verdade), quando viaja pra terra dela, passa só em hotel e fazendo compras, até terminar o dindim... dai volta pra infernizar a vida de todo mundo!!!
As conversas dela comigo, são só queixas de brigas com o ex-marido (que moram juntos na mesma casa)e falando mal de todo mundo... eu não aguento mais ela, ja briguei outras vezes por causa disso, mas não adinata. Todos passam a mão na cabeça dela, dizendo que ela é doente, que tenho que ter paciencia e tals... ja ficou internada não sei quantas vezs em clinicas particulares, mas acabava fugindo... estou no meu limite. Meu marido e eu brigamos muito por causa disso, ele vive dizendo que tenho que ser tolerante com a familia dele, pois eles ja ajudaram bastante ele no passado, e eu com isso, nem casada comigo ele era! Vivemos sempre apertados, o dinheiro da alí, meu pai ajuda no que pode também a gente, e agora eu ter que bancar quem não tem noção e não sabe se controlar, era só o que me faltava...
Meu marido foi casado por 9 anos, antes de conhecer ele, me dou bem com a ex dele, pois eles tem um filho em comum, é o mínimo que posso fazer né, e em uma conversa com ela, ela me falou que tinha o mesmo problema e que isso contou muito para que o casamento deles não desse certo.
Hoje, me descontrolei, quando a "mãe do meu marido", veio até a loja, que era do pai dele, e que agora ele administra, pedir dinheiro pra comprar remédio e reclamar que os filhos não ajudam ela...dai disse pra ela que ao invés de ter colocado um mega hair no cabelo de 1.000,00, que tivesse feito a cirurgia de érnia, na qual ela sempre está se quiexando, sem parar. Nisso ela começou a me encher de coisas, dai eu acabei voando nela e mandando ela embora da loja (olha o que eu fui capaz de fazer por não aguentar mais essa siituação, que ja vem se arrastando por uns 3 anos)... meu marido me tirou de cima dela e levou ela embora.
Sei que agi mal e perdi o controle na hora, pois estou cansada de tudo isso, e ainda depois o meu marido vem me dizer que eu tenho que ter paciencia... me poupe, pois a minha acabou... não sei agora o que faço, estou com vontade de dar um basta na relação, só não dei ainda porque temos um filho de 2 anos.... o que devo fazer pessoal, alguém de de uma luz????

10 de novembro de 2011 16:17
Anônimo disse...

Amiga, vc n precisa olhar para cara da sua cunhada, nem muito menos da sogra, essa família é do seu marido e n sua. A minha história n é nem um pouco menos cruel do que a sua. A mãe e a avó do meu noivo fizeram de tudo para me separar dele, fizeram da minha vida um inferno, inventaram mentiras para ele, para minha família, foi uma verdadeira loucura, ele me questionava de mentiras que eu n tinha nem como me defender, era minha palavra contra as delas, coisas que n vale nem a pena relembrar, demoníacas, eu o amava demais, mas mesmo assim cheguei a desistir de tudo, mas ele n deixou eu ir embora... enfim, ate hj tenho ódio mortal delas e n frequento a casa dela nem muito menos ela a nossa casa, deixo bem claro pra ele q o mal que ela me fez n dá pra perdoar, foi muito sofrimento, ele diz que eu tenho q ser uma pessoa melhor e perdoar, mas ou ele aceita a minha decisão ou pega o beco, afinal o coracao é meu, quem sofreu fui eu e a decisão é minha. Ele n tem argumentos para terminar essa relação, primeiro pq ele me ama, segundo pq ele n quer me deixar e terceiro pq ele sabe q eu fui a vítima da situação e ele estaria sendo injusto comigo. Eu sei que ele sofre com essa situação, mas mesmo assim n vou passar por cima de mim por causa dele, pois ele n tinha nem um pouquinho de dó de mim quando acreditava nas mentiras que elas inventavam. Enfim... sei q ódio n faz bem a ninguém, mas engolir esse tipo de gente para agradar aos outros faz menos bem ainda. Um beijo!

21 de setembro de 2013 12:53
Anônimo disse...

É bem complicado, eu sei... Atualmente moro a 1ano com minha sogra, depois que meu sogro faleceu eu e meu marido decidimos vender nossa casa que estava inacabada e construir outra no mesmo terreno dela, pois é bem grande e ficariamos mais perto para ela não ficar tão só. Enquanto a casa não está pronta moro junto com ela, o que tem feito da minha vida uma tristeza imensa. Ela é uma pessoa muito difícil, mal educada, grosseira, extremamente individualista, amargurda e sempre procura algum problema pra que haja discussão e brigas. Sabe, uma pessoa que é infeliz mesmo. Me sinto muito só em relação a isso, meu marido sabe como as coisas acontecem, sofre também ataques constantes desse gênio ruim que ela tem, e com a predileção que chega a ser doentia que ela tem pelo filho mais novo, mas já nem escuta mais minha reclamações. Diz que em relação a ela não pode fazer nada, pra mim aceitar que dói menos e que a situação não será eterna, que está fazendo o possível pra mudarmos logo pra nossa casa. Mas pra mim é super difícil, as vezes sinto vontade de sumir, jogar tudo pro alto e ir pra bem longe desses dias infernais. E o pior de tudo é que me tornei cínica, porque com tudo o que ela faz e diz, me sinto muito magoada e muitas vezes quando queria mais era mandar ela pro inferno, fico quieta pra não tornar nossa convivência mais insuportável ainda. Isso tá me deixando acumulada de um sentimento ruim... Nunca pensei que passaria por isso.

1 de novembro de 2014 15:10
Anônimo disse...

Oi João
li o que a Joana escreveu e passo pelo mesmo problema, porém com uma diferença, minha sogra nunca ligou para meu marido. Quando namorávamos eu que tinha que passar roupas para ele sair, minha mãe que fazia comidas que ele gostava, etc...agora não entendo parece que ele se esqueceu de tudo e minha sogra e minhas cunhadas que também infernizam, viraram santas...

14 de abril de 2015 09:38
日月神教-任我行 disse...

ssd固態硬碟 外接式硬碟 餐飲設備 製冰機 洗碗機 咖啡機 冷凍冷藏冰箱 蒸烤箱 External Storage Solid State Drives 關島機加酒 關島婚禮 關島蜜月 花蓮民宿 彈簧床 床墊 獨立筒床墊 乳膠床墊 床墊工廠 巴里島旅遊 巴里島spa推薦 巴里島機票 巴里島行程推薦 記憶體 情趣用品 情趣用品USB Flash DrivesMemory Cards 產後護理之家 月子中心 坐月子中心 坐月子 月子餐 投資美國物業 美國租金報酬 美國房屋買賣 房地產投資說明會 美國房地產 美國置產須知 美國房屋物件 SD記憶卡 隨身碟 高雄當舖 高雄汽車借款 高雄機車借款 高雄房屋二胎貸款 高雄汽機車免留車

17 de junho de 2015 22:38
Anônimo disse...

Minha sogra esta fazendo da minha vida um inferno, ja me disse tantas coisas (em meu 5 anos de namoro com meu marido) que nem caberia ak e agora que casei so tem piorado. Ela se faz de vitima pra meu marido e disse para ele que ele tem que cuidar dela e nao pode esquecer da mamae poq casou, e q eu quero separar ele da familia dele, e ele acreditou. Vai na casa da mae quase td dia e acha q eu sou a vila, mesmo que sempre insistindo (quand namoravamos) para ele ver mais sua mae. Tudo ela se intromete na minha vida e qr saber td q faco em minimos detalhes e faz de td para eu e meu marido brigarmos.
Eu fico triste pq sempre tratei ela com amor e respeito, nunca nem retruquei ela em minha vida e ela qr acabar com meu casamento e do proprio filho. Nao entendo o motivo de alguem ser tao malvada e nao sei oq fazer pq ela manipulou meu marido de tal jeito q se falo da mae, mesm com jeito, ele acha que eu odeio ela e quero fazer intriga, mesmo sabendo q nunca briguei com ninguem na vida.

24 de julho de 2015 10:16
Anônimo disse...

Acho mais fácil lidar com o próprio demônio do que com a minha sogra.Ela faz de tudo pra tirar meu marido de perto de mim. Ela namora um rapaz de 29 anos. Moramos ate meio longe dela, graças a Deus. Ai uma lampada queima ela liga p ele ir la trocar, sendo que ela tem homem dentro de casa. Tudo bem a mãe amar seu filho, mais eu penso que ela queria estar no meu lugar com o filho dela. É muito estranho... no mundo que vivemos hoje tudo pode acontecer... mais serei feliz mesmo quando ela partir pra outro mundo... ou meu casamento vai acabar. Eu ainda não tenho filhos e não imagino vê-la perto deles.

28 de julho de 2015 10:09
Anônimo disse...

me ajudem rsrsrs nao aguento mais a minha cunhada esta gravida e de cara percebo que me:odio e eu no inicio fiz de tudo para agrada e ela sempre cara de fechada um dia rir outro dia nem fala e eu nao guento essa situaçao me:dou me com os meus sogros sao uma amor de:pessoa mais a irma e insuportavel e sinceramente nao tenho paciente tenho vontade de subir em cima dela pra bate muito cinismo dela se faz de vitima o que faço me ajudem obrigada

14 de setembro de 2015 12:59
Anônimo disse...

Ja passei por isso... 3 nos de namoro e minha sogra me roubando dinheiro. Toda segunda quando ia pagar as contas via q faltava 500,00, 600,00 da minha bolsa. Comentei com ele que estava sumindi dinheiro ai ele me disse "ah nao ela voltou a fazer isso..." ai fui saber que o isso q ela voltou a fazer foi roubar para se drogar. Eu passava os fds na cidade dele e dese ai peguei birra. Descobrimos q quando meu marido estava trabalhando ela botava homem pra dentro de casa.... troca de favores por drogas sabe.... tudo q eu dava pro meu.marido sumia. Resolvi mudar pra cidade dele e aluguei um apto. Ele queria q ela viesse morar junto pq a velha nao podia viver sozinha. Bom ele veio morar comigo e a velha foi pro irmao. La ela eh explorada diariamente pra cuidar dos 4 netos. Eles precisavam de uma otaria pra isso. Moramos juntos e em 6 meses descobri q estava gravida de gemeos. O sonho do meu marido era ser pai.... ele ja havia sido noivo 3x antes. A velha (do candomblé ainda por cima) virou pra mim e disse: caralho as outras eu botei pra correr facil... mas tu nao larga e ainda ta com dois no bucho. Contei isso pro meu marido e ele disse: nao quero saber isso eh problema seu e da minha mae. Vcs que resolvam. Em a semana fui com hemorragia pro hospital... perdi os 2 bebes com 4 meses. Liguei pra minha sogra mandei ela tomar no cú e ir pro diabo que a carregasse. Que era pra ficar bem longe de mim e da minha casa. Meu marido nao gostou mas avisei q se quisesse era só juntar as malinhas e ir com ela. No meu caso fiz o q ele pediu.... resolvi. E com essa familia de loucos nunca vou ter filhos. Gosto do meu marido que eh uma boa pessoa. Minha familia eh otima abraçaram ele como filho. Quando ele quer visitar a mae ele vai e nem fico sabendo.pq eh só merda que vem de la.... sempre q ele vai eh pq tao precisando de dinheiro.... mas eh problema dele. Por mim ja esta mais do q resolvido
.... bem longe de mim

13 de outubro de 2015 00:14
Anônimo disse...

--->>> Só quero deixar um conselho para todas as mulheres que passarem por aqui e ainda não tiverem casado:

EM HIPÓTESE ALGUMA casem se não gostarem da sogra! Nunca!!! Jamais!!!
Sou casada há quase 20 anos e garanto que NÃO HÁ COISA PIOR!
É um martírio, uma péssima escolha, uma burrice sem tamanho!
Por mais que eu ame meu marido, se pudesse voltar o tempo, teria recuado desde o namoro, assim que percebi que a mãe dele era complicada. Mas era novinha e burra, sentimental, não era racional, me dei mal.

Meninas, vão por mim: NÃO VALE A PENA!!!!!!

Nada melhor no mundo que paz de espírito. Se você tiver uma sogra do mal, nunca mais terá.

ACREDITE: VOCÊ CASA COM A FAMÍLIA E NÃO SOMENTE COM O HOMEM QUE VOCÊ AMA.

OBS: Todas as sogras anteriores me amavam, eu as amava, eram pessoas normais, boas, amáveis etc. Infelizmente a mãe do meu esposo é uma cobra venenosa.

Se você tem uma sogra assim, pule fora enquanto é tempo!!! Vá por mim!

2 de abril de 2016 11:18
Lucia disse...

Olá acho que preciso desabafar....
Minha vida está muito difícil, estou com uma pessoa a quatro anos, é a mãe dele me odeia por que ele não quis mais ficar com a ex dele.... e diz que foi por minha causa que ele a deixou eles tem uma filha pequena e ela não acha certo e pra ajuda a ex e complemente apaixonado pelo meu namorado aí ela vive enfiada na casa da mãe dele chama ela de sogra é todos os irmãos dele de cunhadinho..... aí gente é o fim, fico com muita raiva e meu namorado não faz nada parece que ele tem medo de arrumar briga com a mãe da filha dele, ela liga toda hora pra encher o saco, ela não deixa ele sai com a filha se eu estiver junto aí de verdade não sei o que fazer já até terminei com ele por isso, mais ele diz que me ama e que as coisas vão ser diferente eu acredito é volto e tudo continua igual eu o amo, mais estou infeliz....

1 de agosto de 2016 13:34
Lucia disse...

Olá acho que preciso desabafar....
Minha vida está muito difícil, estou com uma pessoa a quatro anos, é a mãe dele me odeia por que ele não quis mais ficar com a ex dele.... e diz que foi por minha causa que ele a deixou eles tem uma filha pequena e ela não acha certo e pra ajuda a ex e complemente apaixonado pelo meu namorado aí ela vive enfiada na casa da mãe dele chama ela de sogra é todos os irmãos dele de cunhadinho..... aí gente é o fim, fico com muita raiva e meu namorado não faz nada parece que ele tem medo de arrumar briga com a mãe da filha dele, ela liga toda hora pra encher o saco, ela não deixa ele sai com a filha se eu estiver junto aí de verdade não sei o que fazer já até terminei com ele por isso, mais ele diz que me ama e que as coisas vão ser diferente eu acredito é volto e tudo continua igual eu o amo, mais estou infeliz....

1 de agosto de 2016 13:36