quarta-feira, 11 de maio de 2011

They don't know how long it takes waiting for a love like this

Me perdoem o título gigante e em “ingreis”. É que era exatamente sobre esse trecho da música fofinha e chicletinha do Jason Mraz que eu queria falar. Um parêntese: ah, é tão legal falar sobre o amor quando não se está amando! Voltemos ao chão. Sou geminiana, sabem? Às vezes vou longe. Meu ponto com esse post estranho é que eu acho que o amor é coisa rara de se achar. E talvez “eles” não saibam disso. Na verdade, nós todos não sabemos tão rápido. Demora um tempo para se descobrir isso. Quando a gente é novinha e muito romântica, todo sapo parece príncipe e cada beijinho é uma promessa de romance. Conforme a gente cresce, ama, amadurece e se ferra, as coisas mudam um pouco de perspectiva. Aí você começa a separar encantamento de paixão, paixão de tesão, tesão de casinho, casinho de beijinho e passa a perceber que amooor, amor mesmo, aquele que começa na paixão e vira flor bonita de ser ver, é coisa rara nessa vida. Eu não tenho mais dedos para contar quantos beijei e transei (vadia! Ó!), mas uso só três dedinhos para contar os amores de minha vida. São poucos.

É por isso que sempre me parte o coração quando vejo um amor, desses raros, não ir adiante. Seja pela distância, pela fraqueza de uma das partes, pelo impedimento, pela morte prematura, pelo medo. E não consigo acreditar muito naquela frase que diz: “Se não se realizou, não era amor de verdade”. Só quem sabe que amor se conta em alguns poucos dedinhos é que sabe quando acontece um grande encontro.

Mas não sou a favor de ninguém se lamuriando pelo que não foi. Não mesmo! Não rolou, toca em frente que sempre tem um monte de gente. Agora, amoooor, amor mesmo, a gente sabe que talvez demore um pouco a acontecer de novo. Enquanto não acontece, bora se beijar, transar, se encantar, se apaixonar. Curtir.

Quer um conselho de tia velha? Se você sente que está amando uma pessoa de forma diferente de tudo que já viveu, não deixa ela escapar não.

Afinal, vai saber quanto tempo leva para se conseguir um novo amor como esse.

Débora - A Separada

19 comentários:

nanda disse...

Ai que saudades de posts como estes!!
Amei, Déb!
Penso como você ( olhem, não sou tia velha!! hahaha) e também não estou amando ainda!!
O amor tem me rondado. Tem rondado meus amigos também. Não me flechou, mas confesso que estou louca para que aconteça.
Porque AMAR DE VERDADE acontece poucas vezes... E mesmo que se "finde" (sendo um sentimento sem medida), é AMOR.
E a gente sente que é diferente sim! "e eu não desisto assim tão fácil, meu amor..."
Beijocas!!
Lindo e lindo o post!

11 de maio de 2011 00:39
Andarilho disse...

E não se esquecer que cada amor, é diferente. É amor, mas diferente.

btw, olhem que texto bonito:

http://www.slate.com/id/2292956/

11 de maio de 2011 08:42
Olívia disse...

Nossa...

Eu ainda me sinto sem saber ao certo se amei um dia de verdade!

Mas se tem uma coisa que preciso aprender é não sofrer por aquilo que não foi.

Muitas vezes me apaixono demais, acredito que aquilo pode virar algo mais legal e qdo levo tal pé na bunda, choro e sofro como se estivesse perdendo a vida.

A merda é que sou MUITO intensa.

Mas mesmo assim, sou feliz dessa forma.

QUERIA TER UMA BOLA DE CRISTAL PARA SABER SE ESTOU AMANDO OU TOTALMENTE APAIXONADA!!!

Como eu confundo tudo isso.

ADOREI O POST Velha!!!!

rsrsrsrsr

.Olívia.

11 de maio de 2011 09:10
Carol Leão disse...

Que post gostoso Deb! Adoro seu jeito peculiar, bem levinho de escrever.

Uso só um dedo pra contar os amores da minha vida. Ele não foi adiante, mas enquanto não experimento essa maravilhosa sensação de novo, sigo aproveitando a vida!

Bjks.

11 de maio de 2011 10:28
Patricia Digue disse...

Adorei. Os meus também só dá pra contar em uma mão. E ai que triste matar um amor, depois de tanto tempo procurando. E ai que medo de não encontrar outro. Quanto a não deixar escapar, às vezes é a outra parte que escapa com a gente, aí não tem jeito...

Bjs da Solteira

11 de maio de 2011 11:39
João do Espírito Santo disse...

Uau Deb... sem palavras.

Nem sei o que escrever hoje, sabia? rsrsrs

Sabe o que vinha a minha cabeça enquanto lia? Concordo. Verdade, condordo.

Será que é coisa que aprendemos após os 30, "velhinha"? rsrsrs

Enfim, acho que só posso dizer: parabéns! Lindo texto.

11 de maio de 2011 11:51
Carol disse...

Que coisa biita, ídala minha!

Xi, acho que nunca amei, mas, sei que uma hora, em algum lugar, tchãram...=D

But,seguirei seu conselho, enquanto não aparece o certo, "se diverto" com os errados!

Beijos

11 de maio de 2011 12:05
Anônimo disse...

Eu ja passei por isso mas tive que deixar ir embora, pq ele é casado...
Acho que nunca mais vou amar dessa forma...

11 de maio de 2011 13:20
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Como diria Paulinho da Viola, na minha música predileta dele (Foi um rio que passou em minha vida):

"Amor não é fácil de achar..."

E não é mesmo!!! Vou ouvir a música que vc indicou, não conheço. Adoro posts musicais!!!

Beijos,

Bela - A Divorciada

11 de maio de 2011 13:59
Silvia disse...

Me emocionei, esse texto mexeu comigo pois estou tentando desistir do maior amor da minha vida, mas não consigo. Se vc se acha velhinha imagine eu aos 48 amando um de 28, é complicado pra ajudar no meio da história tem meu filho, eles treinam juntos capoeira. Ele é solteiro mas tem problemas de auto-estima eu separada e bem resolvida, ele nem terminou a faculdade. E por ai vai as barreiras que nos afastam. Mas depois de quase um ano não tenho dúvidas é amor daqueles capazes de cometer qualquer loucura...
BJKSSSS Meninas e parabéns!!!

11 de maio de 2011 14:29
Silvia disse...

Adorei o comentário de Olivia, como ela também sou muito intensa e decidida também,acho esse meu jeito acabou assustando ele.
Mas quando é amor Olivia a gente sabe é diferente, eu só tive dois amores, meu ex marido e agora meu Diamante Negro meu menino.

11 de maio de 2011 14:33
Sara Caroline disse...

Debora sabe o que é foda?
Qd vc encontra esse amor, vive-o loucamente, fica fora de si, sonha, faz milhões de planos de uma vida a 2, escolhe alianças, o lugar da lua-de-mel, nome dos filhos que terão (e briga por conta disso), e de repente o outro simplesmente te diz de uma hs pra outra que "não dá mais", te apresenta uma desculpa esfarrapada e acredita que vc vai engolir, assim, de qq jeito mesmo.

Eu tive esse amor e vivi td isso ae, e até agora não engoli a desculpa esfarrapada desse muleque (pq isso não pode ser homem nem aqui nem na Lua), que quer viver na barra da saia da mãe, fingindo ser um eterno adolescente sem responsabilidades ou ao menos respeito pelo coração do outro, o meu coração =/

Esse tipo de amor, que eu senti com tamanha intensidade e entrega pela primeira vez na minha vida eu não quero NUNCA MAIS! porque ser destruida em tantos pedaços e não saber como começar a catá-los, espalhados dentro de si, é a pior dor que um dia eu poderia sentir.

Foda viu.

11 de maio de 2011 15:18
Fabiane Siqueira disse...

Delícia de post...
Com essa vibe, já, já vc encontrará um amor gostoso assim...
My wish for you!!!

11 de maio de 2011 16:53
Anônimo disse...

Essa eh a 1° vez que deixo um comentário meu aqui... Amei o post!
Quando amamos acontece um turbilhão de sentimentos e emoções, e quando esse mesmo amor se torna uma dor, é onde temos que recomeçar e tentar viver um novo amor e como é dificil... assim como o Andarilho falou: kd amor é um amor diferente! Conto em apenas 1 dedo o Homem que amei, e já tem 2 anos e meio que não encontro um novo amor, ou seria me permitir a voltar amar! Tenho ctz que acontece ou já aconteceu com milhares de pessoas espalhadas por esse mundão de meu Deus!! Amar é um dos sentimentos mais puros que eu pude provar!

Beijos meninas!!

Parabéns

Aninha *.*

11 de maio de 2011 17:56
Marta Melo disse...

Simplesmente perfeito!!!

11 de maio de 2011 18:42
Belly disse...

Olá meninas,


amei o post!!! No momento estou tentando decifrar meus sentimentos, mas isso fica para outra hora. Por enquanto, qria dividir com vcs uma frase da crônica de amor do Arnaldo Jabor que eu adora:

- ..." Ama-se pelo cheiro, pelo mistério, pela paz que o outro lhe dá, ou pelo tormento que provoca"...

Bjss e parabéns!

11 de maio de 2011 19:50
Anônimo disse...

Nossa, me emocionei muito com esse post..

Sua conta está no plural e eu ainda estou no singular, só tive um amor de verdade.

Desde que me entendo por gente eu amo essa pessoa, entre idas e vindas 12 anos, nos amamos muito, mas sei que a partida é inevitável pois além de fraco é casado....

Já tentei provar por A+B que amor de verdade não cai do céu, mas .......Vá entender a vida!!!

12 de maio de 2011 14:51
Águia disse...

adorei o post, realmente é uma dádiva encontrar um grande amor.... até hoje acho que não vivi algo tao intenso que possa chamar de amor, mas há de vir.. o que resta é não perder as esperanças, justamente o que vem me acontecendo ultimamente!uma pena...=/

13 de maio de 2011 21:08
日月神教-任我行 disse...

ssd固態硬碟 外接式硬碟 餐飲設備 製冰機 洗碗機 咖啡機 冷凍冷藏冰箱 蒸烤箱 External Storage Solid State Drives 關島機加酒 關島婚禮 關島蜜月 花蓮民宿 彈簧床 床墊 獨立筒床墊 乳膠床墊 床墊工廠 巴里島旅遊 巴里島spa推薦 巴里島機票 巴里島行程推薦 記憶體 情趣用品 情趣用品USB Flash DrivesMemory Cards 產後護理之家 月子中心 坐月子中心 坐月子 月子餐 投資美國物業 美國租金報酬 美國房屋買賣 房地產投資說明會 美國房地產 美國置產須知 美國房屋物件 SD記憶卡 隨身碟 高雄當舖 高雄汽車借款 高雄機車借款 高雄房屋二胎貸款 高雄汽機車免留車

18 de junho de 2015 07:05