sábado, 27 de dezembro de 2008

A Famigerada Lista de Natal

Ho ho ho!

Ok, a Ceia já passou. Mas a Famigerada Lista de Natal sempre encontra espaço para persistir. Nunca ouviu falar dela? Duvido! Certamente, você já foi vítima de uma. Ou o autor deste momento tão constrangedor. Nossa amiga Casada, mais recente alvo, ganhou uma raquete elétrica para matar mosquitos!?! Coitado de quem estiver por perto da nossa aikidoca em dias de fúria. Não sobrará pedra sobre pedra.

A Famigerada Lista de Natal não tem dono e escolhe suas vítimas independente de sexo, cor, idade, raça e status social. É quase como um ardil do destino. Quem recebe um presente odioso morre de raiva já que encontra-se impotente em evitar tal infortúnio. Nestas horas, só resta urrar dentro de um saco de pão, de preferência trancado no banheiro. Não há outra atitude que alivie a sensação de injustiça; já que o "presenteador" sempre o faz com a melhor das intenções. No mínimo, acredita piamente não causar mal a ninguém.

Bom, chega de lero lero. Curiosos em conhecer alguns flagrantes da Famigerada Lista de Natal? Que é, sim, com maiúscula como toda a instituição que se preza exige. Afinal, a Famigerada aí está desde os tempos imemorais do Papai Noel. Ou vocês acreditam que o bom velhinho nunca deu uma mancada com as pobres crianças?

Com vocês, a Famigerada Lista de Natal:

- Meias: um clássico famigerado. Típico presente impessoal, que se passa adiante. Adquirido por motivo de pressa e/ou por não se conhecer bem quem será presenteado. Afinal, meias são meias...

- Caixinha de lenços de pano: presente nojento, por isso, famigerado. Quem, em pleno século 21, ainda faz uso deste artifício abominável para limpar coriza, nunca ouviu falar em Kleenex e suas caixinhas divertidas. Lenço de pano é um criadouro de bactérias, pobre bolso de quem os usa! Presente de grego, famigeradíssimo;

- Vale-presente: a cara dos indecisos. Famigerado, pois ao presenteado não restará outra opção diferente de sair de casa e ir na loja escolher algo. Detalhe: sofrendo de ressaca do vinho, do peru, do tender, do panetone, da farofa de frutas secas e tudo mais servido em nome da orgia gastronômica natalina. Ai, que preguiça!! Se for de amigo próximo é ainda mais triste, já que é prova cabal de que a pessoa definitivamente não te conhece.

- Roupas: roupas é roubada. Ou fica grande, ou fica pequena e certamente você terá que trocar. Se ganhar junto com vale-presente aí danou-se. É bateção de perna no shopping, lotado de pessoas com os mesmos problemas que você.

- CD/DVD da Celine Dion: famigerado ataque ao bom-gosto e aos ouvidos. Celine Dion é um fenômeno recente da Famigerada Lista de Natal. Seu congênere brasileiro é Simone. Quem não se lembra da estrofe "Hiróshima, Nágásáqui.." cantado por nossa intérprete no mais puro "sótaque sótérópólitano". Celine não fica atrás. Muitos vibratos, letras melosas, bailarinos alucinados simulando sofrer um ataque de abelhas assassinas no palco, e um telão explodindo em labaredas, numa alegoria ao fogo da paixão de suas músicas. Isso que Celine é canadense; lugar de neve, pinheiro, e agora também de Celine. Credo.............

- Meias: opa, olha elas aí de novo, as meias. Afinal, meias são meias..

- Cuecas: pobres homens! Como se não bastassem as meias, também são vítimas das caixinhas de cuecas, todas branquinhas, enroladinhas iguais toalhas de hotel. Pior que isso só se forem pequenas.

- Óleo de banho fedido: geralmente vendido em farmácias. Vem em caixinhas bonitinhas, mas os aromas são um tanto capciosos. Framboesa com alecrim, Uva com abacate, ou uma enigmática Vanilla... Se diz que sai com enxágue é mentira! O cheiro é enjoativo e gruda no chão do box. Está formada a cena de um homérico tombo no banheiro. Não há o que fazer com este presente a não ser jogá-lo diretamente no lixo.

- Traquitanas chinesas: uma famigerança que cruzou os oceanos. Reloginhos, trolhas que piscam, objetos decorativos de um mau-gosto atroz, acessórios inúteis tipo porta-batons com motivos florais ou de dragão. É sempre um dos dois. Se o orçamento está apertado, não caia nesta cilada. Dê uma rosa vermelha de três reais com um Sonho de Valsa e escape deste vexame tão imenso quanto a Grande Muralha.

Esqueci de alguma coisa? Comentários para este post.

A Solteira

5 comentários:

Bê, Beta... disse...

http://chegadebagunca.blogspot.com/2007/12/dicas-de-presentes-anti-tralha-clutter.html

manda pros amigos...hehehehe

Feliz ano novo

27 de dezembro de 2008 15:11
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Sôrtera,

eu tenho uma lista de presentes desse tipo. Mas isso inclui tb aniversários. Como faço aniversário no frio, é um tal de ganhar cachecol!! Tenho uma coleção. Pq é barato e bonitinho. Todas as minhas amigas já me deram um pelo menos uma vez na vida. (vc não, ufa!)

E o pior é que eu tenho alergia e dificilmente uso um troço desses. Coça a garganta e tal. Um horror. Eu acho lindo, mas usei pouquíssimo os que ganhei.

E não tem jeito, quando Maio chega, já sei que vou ganhar mais um cachecol.

Será que guardo para dar no Natal? hahaha

beijossss

A Casada

ps: sou aikidoca, não carateca :-)
ps2: já me livrei da raquete!!

29 de dezembro de 2008 10:07
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

(eu quis dizer "sortêra" e não "sôrtera" - acho que já estou ficando tensa com essa reforma ortográfica que chega com o ano novo!! )

29 de dezembro de 2008 10:09
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Corrigido no post, aikidoca.
beijos, A Sortêra!

29 de dezembro de 2008 11:13
per Irene Cardoso disse...

Recebi um liovro daqueles de como montar seu visual... fiquei sem graça.. minha amiga me chamou de desarrumada...ela não entendeu que meu visual é opcional, eu só não sou perua!

30 de dezembro de 2008 01:08