terça-feira, 30 de junho de 2009

Momento de fraqueza

Esse é um desabafo no meio da madrugada. São 3h33 da matina e não consigo dormir. Olho para os lados e sinto um vazio que não tem tamanho. Começo a arrolar todas as pendências profissionais e fico tensa. Hoje me dei conta de que, no meio da confusão toda da separação, aceitei um trabalho insano e mal pago. Não que eu tivesse muita opção - como frila, tenho que pegar o que aparece. E como o tema era “fofinho”, nem parecia dos piores.

Mas aí me dou conta de que ele não exige só tempo e dedicação. Exige também uma série de apetrechos tecnológicos e programas de computador que eu não tenho. Aliás, meu computador está meio debilitado (digito, nesse exato instante, no computador de minha anfitriã). Não é nada complexo, difícil de resolver, eu sei disso. Só que quando se trabalha numa redação ou empresa grande, é só apelar para o boy, a secretária ou o help desk. Na minha vida de frila, eu tinha uma pessoa que resolvia todas essas coisinhas para mim: Charlie!

E de repente olho para o lado e não tenho mais para quem pedir essas coisas bobas do cotidiano. E de repente olho para o lado e vejo que nem tem mais ninguém do meu lado. Me vejo numa cama de solteiro dormindo abraçada ao meu bichinho de pelúcia. Me sinto uma boboca. Tenho 30 anos e não tenho nada. Só um estúpido bichinho de pelúcia do qual eu não consigo me libertar. Tinha tudo e de repente não tenho nada. Um amigo escreveu certa vez que “não deixa de ser libertadora essa noção de que não ter nada é ter tudo”. Nesse momento de chororô na madrugada, essa frase consola.

Só que me sinto impotente por não conseguir lidar com essas coisas simples da vida. Sempre brinco que como boa geminiana que sou, sei tomar decisões grandes (casar, viajar, trocar de emprego, torrar meu FGTS na Espanha, etc). Mas as decisões miúdas me são penosas (que roupa vestir, onde comer, arrumo meu computador onde?) . E nessas horas dói ser sozinha.

Sempre que passo um fim de semana gostoso, cercada de gente bacana e querida, volto revigorada achando que segunda-feira é o dia da revolução! Que vou emagrecer cinco quilos, entregar as matérias atrasadas, escrever um post inspirador no blog e poupar dinheiro suficiente para comprar um carro! Como se fosse possível erguer um castelo num só dia. E aí chegam as buchas. E eu vou ficando atabalhoada. E percebo que não vou conseguir fazer revolução nenhuma. E a segunda vai embora bem diferente daquela planejada.

E mesmo sabendo que tudo passa e que a vida é como as segundas-feiras – sempre diferente do planejado – fica aquele glup na garganta, aquela lágrima no olho e a pergunta: por que tem momentos em que tudo parece tão complicado?

Débora – A chorona

30 comentários:

Maria Teresa disse...

É duro.... Já passei por isto. Consolo: passa, tudo passa. Força, sabedoria e paz para você. Beijos

30 de junho de 2009 07:00
Andarilho disse...

Todo mundo tem momentos de fraqueza. Nesse começo de nova vida, vc vai olhar pra trás muitas vezes ainda. Mas tenho certeza de que vai caminhar mesmo é pra frente. ;)

30 de junho de 2009 08:03
Paloma, a mãe disse...

É difpicil mesmo 9ninguém disse que seria fácil, né?0. Mas, quer saber? Vc supera! Vai conseguir se virar nas pequenas coisas e vai se sentir superpoderosa.
Tô com o Andarilho, vc VAI caminhar pra frente!
Beijos e força!

30 de junho de 2009 08:16
Lu Giusti disse...

Querida Débora. Acho que todas as pessoas que se separam passam por isso. Me separei após 12 anos de um bom casamento. Não houve nada como traição, etc, etc...apenas foi uma decisão..muito mais minha do que dele. E não me arrependo...nestes 3 anos que passaram, nem por uma fração de segundo me arrependi do divórcio.
Mas...não foi nada fácil.
Tive momentos, que embora tivesse a certeza de um não retorno, bateu o desespero da madrugada.
A sensação de ter perdido tudo. O investimento de uma vida, planos, sonhos, etc, etc
Nesta época, passei literalmente 4 dias sem dormir. Tive que me render e procurar ajuda, antidepressivos...emagreci 10 kg em 1 semana.
Mas...apesar de tudo, não me arrependi e nunca pensei em voltar p/ ele.
Mas...tinha a mim.
A certeza que seria mais feliz longe dele, pois o casamento não me abastecia mais.
Não foi um processo curto. Nem suave.
E por mais que eu achasse que não passaria. Passou.
O que foram as minhas bases?
1. a necessidade de olhar p/ mim naquele momento. Não joguei minhas energias no trabalho...mesmo se jogasse..não tinha a menor condição psicológica para isso.Não me culpei. Apenas respeitei meus limites. Trabalhei como podia e p/ suprir as necessidades financeiras. Sem culpa.
2. Comecei a fazer coisas para mim. Qualquer coisa. Algo como um resgate de identidade.Artesanato, curso disso ou aquilo.
3. Fortaleci minhas amizades.
4. Não procurei qualquer substituição masculina. Acho que esse "tempo" foi importante demais.
Então...acho que temos que viver as dores que nos competem. Nada mais que isso. Como diria Drumond..."a dor é inevitável, o sofrimento opcional".
Escreva nas madrugadas insones.
Chore a perda...sem vergonha.
Se aproprie do que foi a sua vontade em relação ao casamento.
Se foi sua vontade a separação...acredite nesta certeza.
Se foi dele...apenas respeite.
Nunca é de ambos. Pode existir concordância. mas a escolha foi de um apenas.
As coisas vem para nós na medida que podemos trabalhar e compreender.
Então...vou terminar parafrasenado uma musica: tudo é questão de manter a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranquilo".
Beijos e boa sorte.
Vc passará por isso. tenho certeza que ficará bem.
Bj
Lu Giusti

30 de junho de 2009 08:25
Ana Paula Britto disse...

Oi Débora. Nesse momento, lendo o seu post, choro junto com você. A vida não tem sido muito fácil do lado de cá também. O jeito é chorar mesmo, sempre que tiver vontade, para poder esvaziar o peito de tanta dor. E aguardar as 2ª, 3ª, 4ª...feiras passarem e poder enxergar o sol que faz lá fora.
Força para todos!

30 de junho de 2009 09:00
Patrícia Costa disse...

“Confia no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprio entendimento;reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.”
Provérbios 3:5-6

É algo que me conforta nos meus momentos de desespero...

Desejo Paz pra vc!
E um abraço direto de Fortaleza para as 3! rs... :)

30 de junho de 2009 09:28
Marina disse...

Força, amiga. Eu torço muito por você. Tudo na vida tem sua fase ruim e, talvez, você esteja nesta fase...

30 de junho de 2009 09:47
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Amiga Chorona,

O vazio é parte do processo, mas passa, vc vai ver. Não se esqueça de que vc está no olho do furacão, o primeiro mês é trash mesmo.

Nada como o tempo, baby, nada.

Ser livre, desgarrada, assusta mesmo. Mas não há bem mais precioso que a liberdade, é tudo uma questão de ponto de vista.

Força. Estou aqui, vc sabe.

Much love,

Bela

30 de junho de 2009 09:57
Wagner Rengel disse...

Lágrimas são excessos da vida que transbordam de nossa alma. Isso é certo, o tempo passa, para todos. Mas, memória é uma senhora teimosa que não para de falar quando todos já querem dormir. Mais fácil que esquecer é reinventar a vida, as histórias de todos os dias. Mulheres, mulheres, mulheres. A beleza das pequenas coisas, do transbordar de um copo d´água.

30 de junho de 2009 10:02
Cristiane disse...

Deb
Essa fase é bem dificil mesmo. Ter alguém para tudo e agora não ter ninguém. Senti e sofri pela mesma coisa. É super complicado, mas tu vai encontrar as respostas. Como boas gemininas sempre podemos voltar a atras e não tenha medo disso. Ouça sempre seu coração.

Beijos
Cris

30 de junho de 2009 10:25
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sheila Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

Oie Deb. Chorei com você. Ainda consigo identificar tão facilmente esse sentimento que transmitisses na madrugada. Quando a gente se separa de alguém que era homem, pai, irmão, amigo, muitas são as madrugadas vazias, muitos são os questionamentos. Mas, acredite, vazios existem para serem vivenciados e preenchidos. Também fazem parte de nós. Irás descobrir que a vida não se resume numa grande revolução de segunda-feira, mas de micro movimentos distribuídos nos 7 dias da semana. O luto é uma fase importante da separação. Porque afinal, sonhos foram desfeitos, juras quebradas, corpos separados. A gente fica sem chão por um tempo, até que volta a sentir as próprias pernas. E o passo outrora tropeço, adquire a firmeza que só o tempo consegue administrar. Quando a dor bater na porta do seu coração, abrace-a, compartilhe-a... depois de um tempo, ela vai embora... ela sempre vai embora. E você vai se descobrir inteira novamente... Beijocas, fica bem!

30 de junho de 2009 11:05
Lih disse...

Nesse mesmo horário eu acordei olhei para o lado e o meu esposo que tinha dito às 20hs que iria beber apenas uma cerveja com um amigo ainda não havia chegado, ligo para o celular dele já preocupada e o safado me diz que iria chegar mais tarde e não estava pensando em voltar para casa nesse horário. Como ele me convenceu de que ainda não estava bêbado, disse que não tinha problema e voltei a dormir. Hoje acordei com uma minhoca na minha cabeça, será que devo confiar tanto assim no meu esposo?

30 de junho de 2009 12:27
Thalita Medeiros disse...

Ontem me peguei nessa dificil situação, aliás, do mesmo jeito... insônia, solidão, vazio.
Hoje, acordei com uma sensação de "nada melhor do que um dia após o outro e levantar a cabeça!"

30 de junho de 2009 12:53
Camille Mollona disse...

Oi gurias!!!

Todo domingo a noite me pego pensando a mesma coisa...preciso emagrecer muitos kgs, amanha começo a dieta, preciso de um namorado lindo, maravilhoso, carinhoso e q goste de praia, preciso viajar para um lugar bem legal com o meu filhote para esquecer o cotidiano com muita praia e sol, preciso de um emprego q ganhe mais pra ter minha propria casa, e preciso...de tantas coisas mais!!!

Ja estamos na terça e vai dando preguiça...quero um namorado q me tire esta preguiça...hehehe. Mais pelo menos ja marquei minha Nutri e Homeopatia...prometo emagrecer...assim quem sabe Papai do Ceu me mande um namorado!!!

Bjao!!!

30 de junho de 2009 13:34
Chris Carvalho disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 30 de junho de 2009 14:38
Chris Carvalho disse...

Deb, já passei por essa fase, e posso afirmar que você precisa de dois sentimentos para atravessar esse momento: Paciência e Esperança.
Pode parecer um chavão, mas não é - O Tempo é o Melhor Rémedio!
Tenha fé!
Beijo Chris

30 de junho de 2009 14:43
Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ Sheila Ƹ̵̡Ӝ̵̨̄Ʒ disse...

"A maior parte das pessoas não sabem que existem anjos cujo único trabalho é verificar se você está acomodado e muito confortável, correndo o risco de adormecer e perder a sua vida". (Brian Andreas)

30 de junho de 2009 15:15
Fernanda, disse...

Débora, tem dias que nos sentimos assim mesmo... com a nossa auto-estima lá embaixo né?
Mas, fique calma.. que tudo se resolverá e você vai conseguir achar um outro Charlie para ajudá-la.

Sucesso, Querida!

Beijos,
Fernanda.

30 de junho de 2009 18:00
A JARDINEIRA disse...

Gatona,
vc é poderosa e corajosa. E vamos lá: em frente. E, que saco ter de resolver certas coisas do dia-a-dia mesmo...Eu não sou boa nisso, nem quero ser...Hehehe. O que acontece é que a gente sempre acaba dando um jeito. Chora mesmo, se tiver vontadde. Isso é importante, faz bem, faz parte do 'humano demasiado humano'. No dia seguinte vai ver que o dia tá lindo... Beijos. Clau

30 de junho de 2009 19:07
mulherpolvo disse...

Ai querida...
Sei direitinho o que vc está passando, e, nessas horas de extrema fossa, o Nando Reis é quem me dá a maior força: "Quando não se têm mais nada
Não se perde nada
Escudo ou espada
Pode ser o que se for... Livre do temor"

Deixa, Debs, tudo acabar à sua volta. E do nada tanta coisa renasce... A sua ess~encia, essa sobrevive até mesmo à sua vida!!

beijinhos...

Chris

30 de junho de 2009 19:39
Luciana (vulgo Frô) disse...

Deb,

Você não precisa ser forte o tempo todo. Você é humana e momentos como esse acontecem mesmo. Que bom que os outros momentos, aqueles que te deixam revigorada, também existem.

30 de junho de 2009 22:18
Larissa disse...

É uma fase de confusão... mistura sentimentos, euforias, novidades, alegrias, tristezas, desespero. Mas PASSA.

Aliás, copiei essa da Ana, lá do nosso blog:

Chico Xavier costumava ter em cima da sua cama uma placa escrita:
ISSO TAMBÉM PASSA!
Então perguntaram a ele o porquê disso... Ele disse que era para que quando estivesse passando por momentos dificeis, se lembrar de que eles iriam embora, iriam passar e que ele estava vivendo isso por algum motivo.

Mas essa placa também era para lembra-lo de que quando estivesse muito feliz, não deveria deixar tudo para trás e se deixar levar, porque esses momentos também iriam passar e momentos dificeis viriam novamente. É exatamente disso que a vida é feita, "MOMENTOS".
Momentos que temos que passar, sendo bons ou não, para o nossa própria aprendizagem, nunca esquecendo do mais importante:

NADA NESSA VIDA É POR ACASO!

30 de junho de 2009 23:40
conversaatrevida disse...

Ops...
Peraí...
EU PERDI ALGUMA COISA, né?

Separada?!?!?!?

Poxa, e eu nem passei por aqui pra te dar uma abraço, uma força 'virtual' nesses dias.

Pois é...
A vida está em constante mudança mesmo, seja porque mudamos de emprego, por que vamos pra outra cidade, porque nos separamos, casamos, amamos, 'desamamos'..Deixamos de ser amados, somos amados...
Sofremos acidente, descobrimos fora da teoria que a vida é frágil, descobrimos que somos mais fortes do que nossa fragilidade aparentemente nos deixaria ser...

Descobrimos que 'o até que a morte os separe' é uma possibilidade que não necessariamente será verdade...

Descobrimos que não tem outro jeito de se viver que não seja um dia de cada vez e que, se cada minuto depois do outro pode ser surpreendente, um dia inteiro tem inúmeras possibilidades de ser simplesmente e inexplicavelmente um suceder de possibilidades que só descobrimos quando acontecem...

Verdade é que a gente vai vivendo e fazendo as coisas sem se dar muito conta de como isso acontece, mas as vezes uma mudança de como se fazer acontece e aí a gente se dá conta no real das mudanças que muitas vezes a gente sabe, sente...Mas não ‘materializava’.

Acontece.
Às vezes a gente simplesmente tem que reaprender a viver novamente.

Mas se puder dar uma força, mesmo que o oferecimento seja no virtual, saiba que o oferecimento e o carinho é real viu?

bjo

1 de julho de 2009 00:35
lets disse...

não é de Fraqueza! é mais uma fase do treinamento de auto estima elevada.
Exige muita paciência e calma. mas vc se supera e qndo acaba, fica o sabor de ter começado a andar de novo, mesmo sem saber pra onde ir.

1 de julho de 2009 01:37
Judith disse...

Vim, mais uma vez, agradecer pelo carinho, Bela. E deixar um beijo enorme, com gosto de "muito obrigada".

Débora, você já assistiu "PS Eu te amo"? Não pela história do casal em si, mas pela moça, Holly, em particular. Eu assisti ontem, na madrugada também [provavelmente enquanto vc escrevia]. Se não viu, arrisque e dê uma olhada. Se viu, relembre da personagem. Depois me diga oq achou.
Um beijo.

1 de julho de 2009 02:21
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Hoje eu acordei sorridente (principalmente porque eu dormi!!) e animada com mais um dia!

Em grande parte por causa dos comentários super fofos de todos vocês!!

Como muitos de vcs disseram, nada como um dia após o outro...

:-)

beijão

deb

1 de julho de 2009 14:39
Mari )O( disse...

Ééé Debora...é dificil...
Mas sabe, as soluções muitas vezes estão na nossa frente, tudo que precisamos é tirar uma venda dos nossos olhos e enxerga-las.
Esse é um momento de revolução e Evolução, e isso faz toda a diferença.

Se queremos algo, precisamos desejar, ter a vontade e ir a luta.
Estou aprendendo isso também... em certos momentos caimos em um profundo e rápido "momento chororô", mas que logo passa, e vemos que só precisávamos desabafar por alguns minutos e enxergamos a luz no fim do túnel.

Eu desejo uma boa sorte e muita luz no seu caminho.

Beijinhos =)

2 de julho de 2009 17:20
Flavia Werlang disse...

Oi Deb, sou jornalista, passei anos como frila no Rio de Janeiro, sou carioca e hj sou correspondente no sul, em SC, no interior.
Mas trabalho de casa e dependo só do meu note, do meu cel, de mim. Sei o que é solidão. Tenho ascendente em Gêmeos e lua em sagitário. Me vanglorio da minha versatilidade, da minha liberdade, de "carregar minha mudança no bolso de trás" e da minha sede de desbravar o mundo, de conhecer novas pessoas e sair de casa ou da relação quando aquilo não me faz mais feliz. Mas pago um preço alto por isso. Cortar os cordões e nos deparar com a natureza exata do nosso tamanho tem seu preço. É doloroso, mas acredito que a recompensa é muito maior. Acredito que a grande revolução é esta. Não começa instantaneamente na segunda-feira. A revolução ocorre após estas madrugadas insones que nos tiram o sono. E que precisam ser vivenciadas sozinhas. E em uma segunda, terça ou mesmo em uma sexta, sem querer, você vai perceber que a revolução já foi feita. E se alguém entrar na sua vida, não é porque está faltando um boy, a secretária ou a ajuda do help desk, mas sim porque esta pessoa merece estar compartilhando aquele momento com você.
Estou escrevendo para você, mas é o que desejo para mim e para todas as pessoas que lerem este post.

Bons frilas pra ti, pra nós!

Bjs

Flavia

4 de julho de 2009 14:46
***Irreplaceable*** disse...

Não sou separada, não sou casada. Tenho as mesmas sensações. A gente supera. Bjus

5 de julho de 2009 13:54
Anônimo disse...

Oi Deb.
estou assim, ainda nao sai da cama hoje sao 1 hora da tarde,peguei o LapTop e comecei a procurar ajuda pela net...e cheguei aqui no seu Blog depois de uma busca de 4 hrs. Choro muito,mas sei que vamos vencer,so nao sei como...por onde comecar...o que fazer hoje...o que fazer amanha?? sorte amiga seu blog e amigos iram ajudar muitas de nos
Bjkas
Meyre

6 de novembro de 2009 15:08