quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Meu amigo Supertramp

Se eu tenho uma sorte grande nessa vida são as pessoas que aparecem em meu caminho. E ele eu saquei de cara. Gente boa, eu apostei. Apostei baixo. Porque ele é um grande coração. E isso é ser bem mais que gente boa. Grandão e magrinho ao mesmo tempo, com um rosto meio adolescente por causa das espinhas. Um olho verde que transmite doçura e um humor alinhado com o meu - divertido e crueeeel. O mais legal é que quando a gente começa a resmungar em conjunto, às vezes em trio, já que a Patrícia é parte dessa simbiose, o clima não fica pesado. Pelo contrário, vira farra. É uma tirada atrás da outra.

Também me chamou a atenção a admiração que ele tem pela namorada, que é uma moça batalhadora e muito querida, e o carinho pelos amigos. Já conheço vários deles sem nunca tê-los conhecido.

Que ele escreve bem para caramba ele já sabe. E que às vezes ele se acha um pouco talvez ele não saiba. Mas ele pode. Ele é um bom coração e bons corações não correm o risco de se tornarem arrogantes.

O sonho dele é se embrenhar por uma mata entre o Amazonas e Alaska. E fugir do “jornalismo indoor” que ele tanto critica. É entrar na natureza selvagem e não sair mais.

Aqui entre nós? Acho tudo isso uma grande balela. Ele diz isso só porque é bacana sonhar ser um intrépido repórter da National. Porque o que ele gosta mesmo é de gente. Ver gente, conhecer gente e escrever sobre gente. E quer lugar melhor para respirar gente que São Paulo? Se não fosse verdade, ele não teria criado esse blog aqui.

http://obsdegente.wordpress.com/

Débora

5 comentários:

Albuq disse...

Que massa Deb... tem gente que é muito especial mesmo, cai na vida da gente e brilha. bjssss

1 de setembro de 2010 09:35
O Burro que chora disse...

Adoro o blog de vocês...
Acabei criando coragem e criando um blog também...
http://burrochora.blogspot.com/
Inclui o blog de vcs na lista dos blogs que consquitaram o coração do burro...
bjs

1 de setembro de 2010 11:57
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Adorei!

Dá-lhe, Supertramp!

Beijos procê e para ele,

Bela - La Divorciada

1 de setembro de 2010 15:35
Patricia Digue disse...

Observar a realidade nua e crua de gente é o que me seduz no lugar onde moro, o centro nervoso de São Paulo. Há cenas tristes, como uma mãe ontem pedindo na rua, com três filhos e mais um na barriga.E comoventes, como um casal de mendigos que "moram" no meu caminho pra estação. Eles dormem abraçados ou podem ser vistos trocando carinhos. Amor realmente não vê obstáculos nem tem classe social. Parabéns Julião pelo blog de gente.

1 de setembro de 2010 17:33
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Debs,
E vc é uma amiga fofa que, além de elogiar o amigo, ainda faz propaganda do blog dele.
Beijos,

Irma

1 de setembro de 2010 18:00