segunda-feira, 22 de agosto de 2011

E estar apaixonado já não seria razão suficiente?

Já abri meu coraçãozinho aqui uma vez – bem mais de uma vez – sobre minha grande paixão que deu tudo errado. Pois outro dia, falando com uma amiga, descobri que ela está vivendo algo parecido. A sorte dela é que o cara tem namorada, o que é bem melhor que o cabra ser casado, com filhos. Mas qual não foi a minha surpresa quando ela me contou que o carinha em questão usa o seguinte argumento para não levar a coisa adiante: “Não tenho motivos concretos para terminar com minha namorada, não brigamos recentemente, não existe DR, só estamos acomodados, o que é normal em qualquer casal”.

Era exatamente essa frase que eu ouvia. Que não existia motivo.

E estar apaixonado já não seria uma razão por si só? Para mim, foi. Eu abri mão de tudo que tinha por amor. Fui meio kamikase, eu sei. Mas estar apaixonada e ter um casamento morno foi, para mim, razão mais que suficiente.

Não existe nada mais broxante aos olhos de uma geminiana intensa como eu que viver no aconchego da zona de conforto.

Às vezes, é claro, “ele só não está tão afim assim de você”. Não o suficiente para se jogar. Mas eu, que já vivi isso e acompanho histórias similares, desconfio que o grande problema é mesmo o medo.

Quanto mais revejo minha história, e ouço outras histórias de amor, concluo que sou a única pessoa que eu conheço que trocou “a segurança do seu mundo por amor”. Só não sei se devo me orgulhar disso ou me sentir uma estúpida.

Corajosa ou idiota, fui coerente com a minha verdade. E faria tudo de novo.

Débora – A Separada

20 comentários:

Mulher de 30 disse...

Debora, adorei o blog de vocês e me identifiquei contigo porque também sou geminiana e jornalista. Entra lá no meu blog www.mulherdetrintaeuns.blogspot.com. Espero que goste! Beijão

22 de agosto de 2011 00:10
Reeducação Postural Global disse...

Lindo e verdadeiro post. Como minha amiga, sabe que é difícil, pois sou um chato que adora discutir, mas concordei com cada palavra que escreveste! Beijão enorme. E manda sua amiga relaxar e aproveitar tudo o que pode, pois dando certo ou não, o "não certo" pode ser o "certo para o momento"...

22 de agosto de 2011 00:20
Paulinha Costa disse...

O medo paralisa quando deixamos que tome conta.
É uma grande contradição que vivemo., Na nossa tranquilidade de vida ansiamos por alguma coisa que nos tire o ar e quando encontramos um amor que nos tira, não só o ar, mas o coração e o pulmão também, é amedrontador, aterrorizante, afugentador... O que não se pode saber até que se vença o medo é que quanto maior ele é, maior será a felicidade de se deixar fluir com o amor.
Já o medo do outro, não podemos sequer prever...

22 de agosto de 2011 00:58
Andarilho disse...

O corajoso é idiota para alguns. Especialmente para aqueles que não têm coragem.

E seja coragem ou seja idiotice, quem se joga se diverte mais.

22 de agosto de 2011 08:47
A. Marcos disse...

Vc foi coerente e é isso que importa.

Estar apaixonado é, não raramente, um estado fugaz de espírito. Ademais, a paixão (que na acepção clássica significa dor, sofrimento) é temerária quando uma das partes já está compromissada.

Logo, se o rapaz em questão não sente segurança para deixar sua namorada por outra pessoa com quem tem saído ele e o está deixando claro, ele também está sendo fiel ao próprio sentimento e está dando uma mensagem expressa de que continuar com ele não trará futuro. Mais corente que isso, impossível.

22 de agosto de 2011 08:59
Patricia Digue disse...

Medo, não pode ser outra coisa mesmo. E, quanto a eles, medo de trocar o certo pelo duvidoso, já que muitas vezes eles conseguem conciliar os dois, tanto o certo quanto o duvidoso. Fácil, mas hipócrita. Nem todos, felizmente.

Bjs da Solteira

22 de agosto de 2011 11:19
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

I agree!!! Tudo vale a pena se a alma não é pequena, afinal.

Estar apaixonado é mais do que motivo suficiente.

Beijos, beijos,

Bela - A Divorciada e A Noiva

22 de agosto de 2011 12:50
Luisa Dias disse...

Débora, acho que você deveria acrescentar na sua assinatura: a corajosa. Ter coragem é um estado de espírito que move o mundo. Para os outros, que não são tocados por esta energia, basta se acomodar e acompanhar. Então, resta aos corajosos alimentar os dias, torná-los diferentes uns dos outros, arriscar, construir, perder e se apaixonar.

22 de agosto de 2011 13:19
Flor °°°Silvinha disse...

Débora você não é a única, pode acreditar me sinto exatamente igual a você. Terminei um casamento que parecia perfeito para todos menos para mim. Depois vivi uma grande paixão, que também deu tudo errado, no meu caso a falta de motivo se mostrava em forma de desculpas variadas, e no fim ele acabou mesmo foi com outra.
Me sinto idiota as vezes porque agora sei que se ele agiu assim era porque na verdade não existia paixão, mas enfim em ambos os casos fui coerente com minha verdade lutei pelo que acreditava,uns dizem que sou corajosa outros que sou louca, mas só estou tentando ser feliz.
Um dia a gente acerta...Xêro!!!

22 de agosto de 2011 13:50
Nina disse...

Deb,

"tamo junta"!

Se não for por amor, será por quê?

Beijo

22 de agosto de 2011 14:31
Anônimo disse...

Linda, admiro sua coerencia com todas minhas forcas!!!
Beijos
B.

22 de agosto de 2011 15:23
Lidiane Katiucia disse...

Se a paixão valer a pena e tiver um envolvimento mutuo, vale a pena sim se jogar na relação...http://divasnodiva-lilith.blogspot.com/2011/08/cafajestes.html

22 de agosto de 2011 17:58
Sonolenta disse...

Olá, conheci o blog por intermédio de Sue, minha prima e amigona, por uma homenagem ao meu querido tio Jatanael.
Desde então sou seguidor e simplesmente amo esse cantinho tão feminino!!!
Abraço a todas e parabéns.

22 de agosto de 2011 18:00
Fabio Elias disse...

Há dezenas de mitos e fábulas com a finalidade de exaltar a exclusividade e preferência do caminho do meio; o que não se deve esquecer é que esse caminho pode também ser o da mediocridade. Em nome da sobriedade, da prudência e do comedimento, o máximo que se consegue é uma vida regrada e constantemente refreada. Prima, amo sua autenticidade...quem te conhece sabe que você faria tudo novamente! Bjs,

22 de agosto de 2011 19:32
Diu Mota disse...

Mulheres são meio kamicases mesmo. Sempre reféns de suas verdades. Confortável só a sua própria liberdade. Que seja!
Bjsssdi

22 de agosto de 2011 22:14
Mulherzinha Sim! disse...

Me identifiquei demais com esse post! Este ano, conheci um cara em Pernambuco no mês de janeiro. Nós ficamos durante uma semana, que foi exatamento o período que fiquei na cidade dele. Depois que voltei pro Rio, continuamos nos falando pela internet. Agora, em julho, voltei lá e fiquei um mês exato. Nós ficamos grudados, ele era mega carinhoso, me apresentou para um monte de pessoas do convívio dele...

Eu o convidei para vir ao Rio, mas ele disse que não vem porque detesta cidade grande, disse que tem medo de avião e tal. De início, eu pensei "ele não está tão afim de mim". Mas quando parei para analisar a situação e as opiniões de quem o conhece há tempos, tive a mesma conclusão que você, Débora: "o grande problema é mesmo o medo".

A cidade onde ele mora é pequena, ele é MUITO conhecido, desejado por várias mulheres, tem um bom emprego... Ou seja, ele tem receio de sair da segurança do mundo dele para teoricamente ir para um lugar onde ele vai ser "um zé ninguém". Enfim, só sei que gostei muito dele e isso tá me consumindo. :(

23 de agosto de 2011 00:02
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Luisa, obrigada! =)

Flor, te acompanho faz um tempo e sei bem que vc é das minhas, das que se jogam ;-)

Nina, é o que penso! Se não for por amor, puxa vida, será pela dor?

Diu, é verdade. Mas tem muita mulher acomodada tb, claro, sejamos justas, rs.


PRIMOOOOOOOOOO, QUE HONRA VC COMENTANDO NO MEU BLOG!!!!

Queria July, sei o que vc tá sentindo...e torço para que esse cabra seje macho e voe até vc. Se não acontecer, aparece outro melhor. Sempre aparece!

valeu pessoaaal!

bjks

deb

23 de agosto de 2011 11:21
Anônimo disse...

Aos 56 anos (quase 2x30), conheci um homem de 60 (2x30!), casado, que um dia me disse que eu era, no imaginário dele, a pessoa que ele sempre sonhou conhecer.

Já apaixonado, pulou fora argumentando que ele não tinha motivos para se separar.

Pode? Então, tá.

Como podem ver, esse medo (masculino) não tem idade.

V. Lúcia

24 de agosto de 2011 22:54
Anônimo disse...

Qdo uma pessoa especial sai de nossa vida é pq outra mais especial esta a caminho.

TUDO, absolutamente TUDO, passa.

Nao te arrependa do que fizeste, mas aprenda a lição. Qta coisa precisa ser resgatada dentro de vc? Qta coisa ainda nao esta bem definida? Pq tua autoestima é tão inferior?
Afinal, o que queres e para onde estas indo?

Ficar em silêncio e deixar a mente e o coração conversarem.

Um abraço apertado

26 de agosto de 2011 01:25
Evelin disse...

Tenho a seguinte tese: homem não sabe terminar! Acho até porque não precisa, já que pode ter as duas, principalmente, quando "a outra" esta apaixonada.

Mas, estar apaixonado, é mais que o suficiente.

bjos

Evelin

26 de agosto de 2011 08:51