segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Eu não sei, mas sei aprender

A autora da frase acima tem dois anos e oito meses e ainda nem aprendeu a falar direito. É a minha sobrinha Marina, que também atende por Nina. Alguém perguntou se ela sabia imitar um cavalo, ou algo assim, e ela deu essa resposta. Além de ter achado muito fofo – afinal, tudo o que uma criança de dois anos diz, trocando o “r” pelo “l”, é fofo – achei sábio. Minha pequena filósofa mostrou que não tem medo de dizer que não sabe. E melhor, que tem disposição para aprender. Uma grande mestra para todos nós, especialmente para os bonitinhos da geração Y que, por terem crescido dentro do computador, acham que já aprenderam tudo.


Faço um parêntese para lembrar uma exceção: Silvioca, minha prima torta, que tem 21, mas não tem o menor medo de perguntar aquilo que não sabe. Admiro. Às vezes tiro um sarrinho, mas ela sabe que no fundo eu admiro esse eterno ar de menina questionadora. Sou de uma área profissional na qual todo mundo sabe tudo. Até quando não sabe. Às vezes cansa.


É demais esperar que a Marina continue assim para sempre. Afinal, um dia a adolescência chega e com ela a arrogância de não querer ouvir a opinião alheia. Depois vem os 20 e poucos anos e a necessidade louca de provar que já somos adultos, profissionais e vomitamos conhecimento. Depois vem os 30 e a pretensão de achar que já viu de tudo nessa vida e de que não se surpreende com mais nada (ha ha ha). Não posso falar pelos 40, 50, 60 etc. Mas garanto que todos vocês conhecem muita gente que continua metida à sabichona independente da idade - inclusive eu mesma nesse post.


Arrogância não tem idade. E disposição de aprender algo novo, fresco, também não. Saber dizer que não se sabe algo ou que desconhece um assunto não é sinal de ignorância. É coragem.


Obrigada, Ninoca, por mais essa lição.



Débora - A Separada

8 comentários:

Olivia disse...

Nina, meu orgulho!!!

Temos muito o que aprender com essa pequena...

Tia Biba te ama mto, e também ama mto a tia da Nina hhahahaha...

AMEI O POST!

.Olívia.

1 de agosto de 2011 08:28
Andarilho disse...

Eu não sei, mas sei usar o google.

1 de agosto de 2011 08:46
Patricia Digue disse...

O que mais me surpreende e até irrita é a mania da pessoas sempre acharem que "na minha época" era melhor. Primeiro que ninguém é dono de época alguma. Segundo que pq uma é melhor que a outra? Admiro quem nunca se fecha para o novo e mantem a curiosidade com o mundo sempre. Triste de quem acha que ele é que tem que se moldar às suas convições, afinal, o mundo já está aí há bilhões de anos e deverá durar mais uns bilhões depois que cada um de nós passar dessa pra melhor.

E viva a filósofa Marina ;-)

Bjs da Solteira

1 de agosto de 2011 11:34
Carol Leão disse...

Mais do que um sinal de coragem, admitir q não conhece é sinal de muuuuuita sabedoria da pequena. Sabedoria essa que por vezes falta a muitos de nós, com nossa arrogância, como bem disse a Débora. Adorei o texto.

Bjnhos.

1 de agosto de 2011 14:08
Carol disse...

Marina é tudooooooo! =D

1 de agosto de 2011 16:36
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Sábias palavras, Marina é maravilhosa. Amei!!!

Beijos para a Nina, para a Silvinha e para a autora do post,

Bela - A Divorciada e A Noiva

1 de agosto de 2011 16:51
Ane disse...

As crianças são sábias, justamente pela inocência, por não terem essa necessidade de superioridade, falam o que passa pela cabeça. Adorei.

1 de agosto de 2011 20:51
Marina disse...

Ai Débs,

Só podia ser Marina...

4 de agosto de 2011 14:28