quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Não, eles não são todos iguais

Inspirada na coluna da Miriam Goldenberg de ontem, na Folha, decidi somar minha opinião à dela. Ela fala sobre essa mania insuportável de nós, mulheres, reforçarmos certos estereótipos masculinos - e cita vários deles como "homem é tudo galinha" e "homem só quer sexo". Eu também não curto isso (claro que em algum momento de raiva ou decepção, me afogando nas lágrimas, eu já devo ter feito e-xa-ta-men-te isso). Quando o mulherio se exalta de raiva da homarada e começa a dizer essas coisas, sempre fico pensando se é justo tal ataque. Nós não somos iguais, por que eles seriam?

Eu mesma, entre amigos, primos, paixonites e amores, conheci cada peça rara que não se encaixa em nenhuma dessas frases. Meus dois namorados e meu ex-marido estavam bem longe da galinhagem. Conheci um cara que não dava a muita pelota para sexo (uma pena, aliás) e apesar de ter em meu histórico homens com várias características em comum, eles eram todos bem diferentes entre si. Em tudo.

Então, como diz dona Miriam (uma figura, adoro entrevistá-la), bora tomar cuidado com esses chavões? Nós, que brigamos tanto para que o mundo olhasse para a gente de forma mais cuidadosa, podemos retribuir fazendo o mesmo.

Débora - A Separada


9 comentários:

Giselle Mota disse...

Concordo plenamente!
Na hora em que eu acreditar que sao todos iguais, no sentido ruim que os chavoes propoem, deixo de acreditar no amor!
Existem homens que prestam simmmm! Gracas a Deus! rsrs

31 de agosto de 2011 01:22
Andarilho disse...

Quem diz isso nunca lembra que se os homens são todos iguais, as mulheres também são todas iguais.

31 de agosto de 2011 08:45
Evelin disse...

Ainda bem que não são todos iguais!

=)

Um amigo, casado e bem casado quase 20 anos, disse que uma mulher inteligente, educa o homem.

Evelin

31 de agosto de 2011 09:20
Anônimo disse...

Uau, concordo com a frase de seu amigo, Evelin... :)

31 de agosto de 2011 09:25
A. Marcos disse...

As pessoas não são todas iguais é bem verdade. Mas têm certos padrões, sim.

Não fosse isso, psicologia aplicada no campo publicitário não levaria a lugar algum.

Agora, essa história de mulher educar homem, só se for a mãe do cara....

31 de agosto de 2011 09:42
Patricia Digue disse...

Diversas vezes me pego falando para uma amiga que está fazendo alguma reclamação sobre o comportamento masculino: "Mas vc já fez a mesma coisa!"
É, pimenta no dos outros não dói...", desculpem a frase chula.

E não aos estereótipos.

Bjs da Solteira

31 de agosto de 2011 11:04
Vera Helena disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 31 de agosto de 2011 13:59
Marta Melo disse...

Adorei esse texto e concordo plenamente que há muita diversidade na espécie masculina mas tb posso dizer que já falei que "são todos iguais" várias vezes na hora da raiva.Bjs!!!

31 de agosto de 2011 18:20
Vera Helena disse...

Retificando: Adorei, Dé. Bora lá! Não aos estereótipos. Bela, assisti ao curta do seu irmão ontem no CCSP. Incrível1

Beijos,

31 de agosto de 2011 21:47