quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Meu marido é viciado em sexo

Eu sei que o dia do “Seu dilema” é só amanhã, mas preciso compartilhar esta história com vocês. Já tinha lido matérias sobre pessoas que até se internam em clínicas de recuperação para tratar o vício por sexo, mas nunca havia me deparado com uma história tão próxima. Foi no salão de beleza no último sábado (aliás, estes lugares são verdadeiros “divãs de beleza”). A nova manicure se pôs a me contar dos problemas que enfrenta em seu casamento de oito anos (dois filhos). Mas como algumas partes não se encaixavam e eu tenho mania de saber a história completa, ela acabou me contando qual o real motivo pelo qual não aguenta mais o marido. Ele é viciado em sexo.

Contou-me que são 2 a 4 vezes pela manhã, mais a mesma quantidade à noite, todo santo dia. “Menina, meu relógio desperta todo dia às 6h, mas às 5h, ele me acorda já, não aguento mais. Já tentei mostrar que não quero, finjo que estou dormindo, mas não adianta. Aos domingos, quando nossos filhos ficam com as avós, a gente não sai da cama”.
Segundo a vítima deste louco, há dois anos ela decidiu se separar, mas depende financeiramente dele no momento e teme pelo sustento dos filhos. Por isso, está desesperada, não sabe mais o que fazer. “Eu tenho até nojo dele, mas não posso fazer nada”.

Fiquei pensando sobre isso nos últimos dias. E me choca imaginar que ainda hoje existam tantos homens que acham que as mulheres viram suas propriedades depois de se casarem com elas. “Obrigações de esposa” é coisa da época das nossas avós. Homens, sexo sem consentimento é estupro, portanto, um crime. E falta de libido por parte delas não significa infidelidade. Mulheres, não se submetam a esse tipo de coisa, tem que ter uma saída. O que vocês aconselhariam para a personagem da nossa história? Eu disse para ela se livrar dele o mais rápido possível.

Patrícia, A Solteira

11 comentários:

Andarilho disse...

Eu aconselharia o mesmo que vc. Que ela saia dessa o quanto antes.

5 de outubro de 2011 08:40
Giselle Mota disse...

Cruz credo esse cara...concordo com seu conselho!
E acho engraçado que até hoje, como vc mesma disse, o sexo é considerado "obrigações de esposa" mas, os elogios, cavalheirismo, romantismo...não são considerados obrigações de marido! Quando deveriam ser, SIM!

5 de outubro de 2011 08:51
Evelin disse...

Se ela tem até nojo dele, separação na certa e trabalhar em prol disso.

Agora, que vida heim?! Como sempre, uns com muito e outros com pouco hahaha (brincando)

Tenho um amigo que também não se cansa. Ele diz que não pode ter uma mulher porque ela se cansa, razão pela qual, não namora ninguém. Segundo ele, precisa de pelo menos umas três... Sabe, acho que ele está certíssimo, sabem porque? Porque ele não engana ninguém, joga limpo com as mulheres que ele se envolvem, explicando que não haverá relacionamento e é feliz ao seu modo. E mais, as mulheres que o procuram, 90% são casadas, também é a preferência dele, por motivos óbvios, já que estas estão em busca somente de sexo. Resultado, todo mundo sai feliz hahaha

Beijos

Evelin

5 de outubro de 2011 10:10
Cilo Roberto disse...

TENSO....

Separação já... ninguem merece estar junto de uma pessoa que tem nojo.


bjos

5 de outubro de 2011 11:34
A. Marcos disse...

Chamar o cara de louco porque ele quer fazer sexo com a própria mulher e tem por ela um tesão enorme?

Cada coisa....

5 de outubro de 2011 11:54
Flá disse...

Mas se ela tem NOJO dele, finge q tá dormindo, provavelmente ele não tem um tesão enorme por ela, ele tá nem aí pra ela,só quer gozar... Ele não tá fazendo sexo, no sexo vc se preocupa com a outra pessoa,quer que ela aproveite tanto quanto vc...ele tá eh fazendo masturbação acompanhada,isso sim! Deuzulivre!

5 de outubro de 2011 12:30
A. Marcos disse...

Sei não...quem quer só "gozar" faz sexo. Quem se preocupa com o outro faz amor.

E sexo ele não precisa fazer com sua mulher, pode escolher quem quer que o satisfaça, até mesmo só ele pode fazê-lo (masturbação) mas prefere estar com a própria mulher o que pode ser uma atitude sublime.

De uma coisa estou certo: essa característica dele (que tem gente que julga ser uma doença mesmo sem conhecê-lo) provavelmente já existia antes deles casarem e quero crer que ela fosse ciente disso. Por que casou então???

Agora, me desculpe, se alguém está vivendo com outro e mesmo com nojo dele faz sexo "pela dependência econômica" não pode dizer que o faz contra a vontade. Pode não fazer por gosto, mas o faz por conveniência, por comodidade.

Quer ser respeitada, antes se dê ao respeito: saia de casa, se separe, vá viver com dignidade longe do "ser asqueroso" que a mantém ou então pare de reclamar do outro.

Seja feliz com alguém cuja disposição sexual seja como a sua e permita a ele encontrar uma parceira com a qual possa saciar a libido adequadamente.

Faço separações e divórcios dia após dia e sei que mesmo as pessoas menos favorecidas encontram meios quando lhes convém.

A mulher em questão pode usar a lei Maria da Penha caso seja forçada a fazer sexo, pode por o cara pra fora de casa por meio de liminares na Justiça ( o que se consegue com relativa facilidade ), pode cobrar a pensão alimentícia que couber...mas ao permitir o sexo diário (ainda que contra o gosto, não contra a vontade porque caso não fosse sua vontade isso já teria cessado) o sexo é consensual. Não há estupro como sugerido no post e, por outro lado (por uma questão legal) o sexo é - sim - um ônus do casamento quem não quer arcar com ele na proporção da necessidade do parceiro deve encerrar a relação conjugal.

5 de outubro de 2011 16:35
Anônimo disse...

Nossa,existem pessoas que são totalmente exageradas mesmo.Não entende que o orgão genital feminino não é de plástico e muito sexo e atrito podem causar na mulher infecção urinária...Sexo demais é compulsão e não atração pela mulher;a compulsão deve ser tratada e o primeiro passo é a pessoa perceber que se trata de um problema.Tudo na vida é equilíbrio,pessoas compulsivas por sexo sentem uma necessidade tão grande de fazer que na maioria das vezes não se importa se está sendo legal para o outro.Eu que estou de fora diria para vc se separar,mas vc que precisa colocar na balança.Mas acho que se ela decidir continuar com ele,convença-o a se tratar pois pra mim essa compulsão é uma doença.

5 de outubro de 2011 16:53
Marta Melo disse...

Gente,não é porque torta de chocolate é bom q vou comer 15 fatias por dia!!!Com certeza tudo em demasia enche!!!Bjs

5 de outubro de 2011 16:56
A. Marcos disse...

Uma coisa é certa, todo mundo sabe que órgão genital feminino não é feito de borracha. A dona do órgão é que talvez desejasse fazer o próprio marido entender se separando dele.

Afinal, no tópico não há notícia de que ela reclame da dor ou da infecção aventadas, talvez não seja esse o caso dela.

Mas uma coisa é certa, já conheci homens e mulheres compulsivos (viciados) em sexo e homens e mulheres que simplesmente passariam o dia inteiro fazendo sexo por gostar da coisa sem que isso lhes trouxesse o amargor da compulsividade.

Claro que as mulheres que conheci não pensavam em si mesmas como bonecas de plásticos e tampouco se lamuriavam por infecções urinárias decorrentes da frequência sexual.

O gosto e a prática (que para alguns é desmedia) por sexo (assim como por qualquer outra atividade) nem sempre decorre de um transtorno sexual, de uma doença...tampouco significa ser insensível para com o parceiro.

O que é bom para alguns é muito ou é pouco para outros.

Quem não gosta e tem nojo deve, para o bem de ambos, se separar.

5 de outubro de 2011 17:37
Evaldo disse...

Nossa! Ela não deve se separar, deve, sim, tomar Viagra e aproveitar esse macho.

28 de outubro de 2011 16:40