terça-feira, 18 de outubro de 2011

Série lições do feminino: o começo de tudo


Primeiro eu fiz uma matéria sobre mulheres que louvam a menstruação. Depois, sobre cursos que resgatam a feminilidade perdida. Fui convidada a participar de um deles (próximo post!) e, então, me vi envolvida com um novo e fascinante tema: uma nova mulher que está surgindo.

No começo eu achei isso tudo uma grande babaquice. Sou filha da geração feminista e trabalhadora, que arregaçou as mangas, que se vestiu como homem, engrossou a voz e foi brigar pelo seu espaço. Quem, como eu, nunca ouviu de sua mãe a frase: “Filha, nunca dependa de um homem!”?. Pois elas fizeram um bem danado para a gente. Crescemos independentes, inteligentes e poderosas.

Só que também vimos essas mesmas mulheres – hoje com 50 e 60 anos – frustradas com seus relacionamentos, desapontadas com os homens, que não mudaram e evoluíram na mesma velocidade que elas. Não compartilharam as tarefas domésticas, não cuidaram dos filhos e continuaram reproduzindo o padrão machinho à moda antiga. Só a geração atual masculina começou a mudar isso.

O resultado é que as mulheres entre 20 e 40 anos, hoje, estão formando um novo movimento, que é justamente essa busca pela feminilidade perdida. Na edição da ISTOÉ dessa semana, fiz uma matéria sobre o tema. Mas como o espaço é pequeno e abordagem é leve, fiquei com vontade de compartilhar melhor e com mais profundidade tudo o que aprendi com as mulheres que eu entrevistei.

O mais importante, e já destaco aqui de cara, é que esse movimento não é um retrocesso. Não voltaremos a ser o sexo frágil – se é que um dia fomos. É, sim, um novo entendimento do que é ser mulher.

Começa hoje, minha mais nova série “Lições do feminino”.

Até a próxima terça!

Beijos

Débora - A Divorciada

Na foto acima, clicada pela super fotógrafa Fernanda Preto, uma especialista em clicar mulheres, Claudya Toledo, dona da A2 Encontros, em um dos momentos do workshop Deusas que eu participei

7 comentários:

Giselle Mota disse...

Vou adorar os posts ;)
Bjos

18 de outubro de 2011 08:59
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Curiosíssima.
Vou acompanhar com afinco esta discussão.
Também acho que estamos caminhando para um equilíbrio entre o forte e frágil. E que só agora os homens estão se livrando do machismo também, conceito que oprime não somente as mulheres, mas eles também.

Bjs da Solteira

18 de outubro de 2011 11:58
Tati disse...

Eu já tinha percebido isto, intimamente falando, e estava tentando mudar, tava bem parecida com a Pereirão! Ótimo assunto.

18 de outubro de 2011 12:24
Ácidas e Doces disse...

Dicas? to precisando. Pode mandar descer, Deb.
beijo
kézia

18 de outubro de 2011 17:32
Lédyce Moreira disse...

Por isso e outras q adoro esse blog..rsrs..

19 de outubro de 2011 11:58
Evelin disse...

Aaaa...que legal!

Semana retrasada, uma colega de sala disse para mim: "voce esta ficando mais feminina, estou gostando".

Eis o "novo movimento"

Ansiosa pela série. Fico no aguardo.

beijos

Evelin

19 de outubro de 2011 13:45
Fabio Elias disse...

Tudo isso faz parte do aprendizado/evolução. Grande beijo

19 de outubro de 2011 14:18