quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Seu dilema: será que para ele também mudou?

Eu tenho 33 anos, não sou o tipo de mulher que se envolve, e fiquei assim depois de uma desilusão muito grande. Me fechei como uma concha, sempre que me envolvia com algum homem, eu já era a primeira a deixar claro que não passaria de sexo. E consegui aguentar essa vida por 8 anos, até uns meses atrás.
Foi quando conheci o João. Ele tem 22 anos e nos tornamos muito amigos. Ele chamou minha atenção aos poucos, mas eu nunca quis admitir isso. Nem nunca quis admitir que eu também tinha chamado a atenção dele, mesmo ele tendo comentado com uma grande amiga nossa. Sempre tivemos muito carinho entre nós, do tipo que dorme junto, que anda abraçados. Fiquei bem apreesiva e dei uma pirada, porque mesmo me atraindo, não queria pensar nele dessa forma, com medo da nossa amizade mudar.
No último final de semana, nós viajamos com mais um casal de amigos e tudo aconteceu. Ficamos muito juntos, muito mesmo. Antes de tudo, conversamos e combinamos que a amizade não mudaria de forma nenhuma. Mas não foi só sexo, houve muito carinho entre nós, mas principalmente da parte dele, pois eu a todo momento me policiava, apesar de ter em mente que ia aproveitar ao máximo o final de semana sem pensar no depois. Ele foi além das minhas expectativas, se preocupava comigo, me tratou muito bem, fez até cena de ciúmes e sempre me lembrava que não podiamos nos envolver (como se dissesse para si mesmo). Trocamos muitos olhares significativos e nos conhecemos muito.
Enfim, o final de semana passou....a amizade não mudou, mas algo dentro da gente sim, temos nos falado todos os dias, sempre sobre alguma coisa irrelevante - jamais sobre o que aconteceu.
Eu tenho me sentido sufocada, pois não sei lidar com essa situação, queria poder sumir um pouco da vida dele, mas sei que não posso, pois jurei que não mudaríamos nada.
Acontece que eu não esqueço o que passou e queria muito saber se ele também se sente assim. Como não tenho coragem de perguntar para ele, pergunto para vocês: será que para ele também mudou?

Preciso de vocês, quero opiniões.
Grande beijo e obrigado por lerem meu dilema,

Denise

5 comentários:

Giselle Mota disse...

Por tudo o q vc comentou, acho que pra ele tb deve ter mudado sim...Ja sofri uma decepcao muito grande e sei que nao eh facil "nos deixar" levar novamente...mas, tem tantas historias felizes, pq nao pode acontecer com vc tb? Da um voto de confianca pra vida, pro amor...nao precisa mergulhar de cabeca, mas aos pouquinhos, tenta...ele parece ser uma pessoa legal!
PS: Talvez dizer que sente saudade do tal fim de semana, ou que as vezes vc se pega lembrando, faca ele soltar alguma coisa que indique se mudou pra ele tb ;)
Beijos e boa sorte

27 de outubro de 2011 02:17
Andarilho disse...

Será que eu virei vidente ou eu já li esse mesmo relato antes?

Bem, de qualquer modo, provavelmente deve ter mudado pro cara também. Ou não, pelo relato, o rapaz parece que tinha ficado empacado na zona da amizade, mas provavelmente queria mais.

O negócio é saber primeiro o que a Denise sente. Ela gosta dele? Então tenta, vai em frente. Pq se ficar esperando a chance certa, aquela que é garantida (o que é normal depois que a gente se machuca em uma desilusão grande), não vai rolar com ninguém, nunca.

Tudo que vale a pena na vida precisa de um pouco de risco.

27 de outubro de 2011 08:35
Evelin disse...

Denise, pelo que você contou, parece ter mudado para ele também, e que talvez, esteja com o mesmo dilema que você, já que houve um acordo, certo. Agora saber mesmo, só ele para dizer.

O que fazer? Dê chance para o que há de melhor. Ora, oito anos tentanto "não se envolver" e agora "se envolver", porque já aconteceu, deve ter muito sentimento aí... eu tentaria.

Sorte.

Beijos

Evelin

27 de outubro de 2011 14:38
Lília disse...

Sei que é difícil esquecer a dor que causou uma cicatriz profunda, mas eu te pergunto do que adianta sobrevida? Do que adianta se proteger tanto para não sofrer e deixar de viver um amor? A minha mãe costuma me dizer que quem tem medo de cagar não come! rs.

Acho que vc deve tocar no assunto como quem não quer nada e ver no que vai dar...

A vida não tem rascunho...

27 de outubro de 2011 18:27
Evaldo disse...

Mulher, solta-te! Aproveita esse garoto e goza até exaurir-se. Gozar é o que tens de fazer. Gozar é viver

28 de outubro de 2011 16:43