sexta-feira, 18 de junho de 2010

Por que nos ajudamos tanto

Sempre achei graça nos posts da Bela sobre leitoras que perderam seus amores. Ela sempre termina dizendo: “deixe mensagens de apoio e carinho para ela”. No começo, temia que nosso blog se tornasse uma espécie de programa da tarde da TV, um muro das lamentações ou um divã online. Com o tempo, acompanhando a diversidade das histórias e, no caso de as leitoras serem blogueiras, lendo os posts em seus blogs, fui percebendo que tudo o que precisamos quando estamos nos sentindo desamparados pela perda de um amor é que alguém nos ouça. Ou nos leia.

Encontrar um eco na história do outro, uma palavra de consolo, de esperança, uma frase de efeito que seja, vale mais que muitas sessões de terapia. Dizem os “ólogos” e “istas” que a dor de uma separação é a que mais se assemelha à dor gerada pela morte. Num ranking de ‘sofrímetro’ seria a segunda pior. E, nos dois casos, o luto se faz necessário.

O fim de um relacionamento é doloroso para as duas partes, para quem termina e para quem é deixado. Ser responsável pelo sofrimento do outro é igualmente terrível. Me lembro do meu segundo namorado. Eu não queria mais estar com ele. Ele falava em casamento e eu sentia coceira pelo corpo. Fui parar na terapia e me sentia imensamente culpada por tê-lo deixado só.

Quando fui deixada pelo meu primeiro namorado, lembro de ter encharcado muitos lençóis e escrito muitas mal traçadas linhas em diários. Mas nada me animou e ajudou tanto quanto o dia em que uma amiga me levou bombons para ver algumas frações de sorriso em meio a tanta choradeira. No ano passado, quando me separei, acho que desabafei até com postes na rua. E assim faço sempre que preciso, encho os meus cadernos e os ouvidos dos amigos. E faço posts.

Portanto, deixo aqui o meu recado carinhoso e de apoio para todo mundo que sabe – e todo mundo sabe – como dói perder alguém que se ama: escreva sempre! Nós estamos aqui para ler você.

Débora – A Recasada

18 comentários:

Cele disse...

Eu concordo! Falar e escrver faz com que a gente ponha pra fora o que tá latejando dentro e a dor vai diminuindo, diminuindo... Até chegar o dia em que é só uma pontadinha. Obrigada, meninas!

18 de junho de 2010 08:39
Nina disse...

É Deb, a dor solidária é bem melhor que a solitária.

E, nossa, num outro blog que eu gosto tem uma postagem justamente sobre a culpa nos momentos de separação, passa lá:

http://robertomarinhoguimaraes.blogspot.com

beijo, linda!

18 de junho de 2010 08:41
Camille Mollona disse...

Bah, como doi perder um amor....mais nada como um novo amor, uma cervejada com os amigos ou uma boa caixa de chocolate pra se recuperar...hehehe

Grande beijo e otimo find pra todas!!!

Desculpa a demora...sei q estou em falta com vcs...prometo voltar com mais frequencia!!!

18 de junho de 2010 09:08
Andarilho disse...

Ler e comentar, pq senão como é que a gente sabe que leu, né? ;)

18 de junho de 2010 09:17
Giovana disse...

Belas palavras Dé. Mille, senti a sua falta por aqui. :O)
beijos, Gio

18 de junho de 2010 10:05
Andrea Pagano disse...

Oiee
Então, outro dia mesmo recebi uma amiga em casa, muito triste e ai fiz um post e pedi que a mesma fizesse uma carta, do que ela estava sentindo, suas aflições...Enfim ela se sentiu aliviada e eu pude exemplificar as dores do amor no post!
Se puder dá uma lida:
http://blogandreapagano.blogspot.com/2010/06/aproveitando-o-post-que-o-rafael-do-bau.html
E minha pergunta foi a mesma, porque sofremos tanto por amor??
Bjs

18 de junho de 2010 10:36
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Adorei!

Olha só, no começo, eu tb pensei no fator "programas da tarde", me questionei se podia ser esse o tom. Mas, ao ler os agradecimentos das leitoras depois, muitas das quais dizendo que se sentiram "abraçadas" por nós e pelos outros leitores, melhores, mais leves, me dei conta de que tudo vale a pena. E que sim, dar uma força a quem está down é parte das atribuições deste blog.Deste grupo de amigos, eu diria. Porque é assim que eu me sinto ao lado de vcs.

Much love,

Bela - A Divorciada

PS: Eu tb falei até para os postes da minha separação, hahaha!!! Não há um sequer na Vila Mariana que não saiba tudo do babado, hahaha!!!

18 de junho de 2010 11:22
Sac do Amor disse...

De facto, separação deixa a pessoa muito para baixo, e dói demais. O meu primeiro amor me deixou, sem falar que, juntos, eu sempre ficava frustrado com o comportamento dele, frio... Já contei em vários posts e blogues como foi, e apesar das palavras de carinho recebidas (não foram poucas) creio que ainda tenho muito a aprender, e a aprender a viver.

Foi um ano e 16 dias de vida em comum, anos após termos nos conhecido. No fim, ele me trocou por um cabeleireiro super feio (e sei que ele sabe que ele é feio, fisicamente falando), porém que ganhava muito mais do que eu no fim do mês. Ele mesmo confessou que tinha ficado comigo por uma questão de conveniência, e isso me destruiu, mas enfim, estou a aprender a superar, e acho que a vida continua. Tenho já outro namorado, ele é português, e tenho esperança de que um dia nos conheçamos, e que dê certo entre nós (namoro pela Internet, já faz tempo). Tomara Deus, amor foi pouco na minha vida até hoje.

Bem, quanto ao teu blogue, dou-te os meus parabéns, não é a primeira vez que o leio, e sempre me é um prazer. ASdmiro não só que escrevas tão bem expressado, como que saibas como interagir com teus leitores também.

Li uma vez uma matéria da Revista Vida Simples sobre "blogues que são uma mão na roda", pessoas que desabafam todo tipo de problema em seus espaços virtuais, e conseguem amigos e leitores fiéis e inteligentes, que sempre contribuem com algo real em suas vidas.

O teu seria perfeito para estar lá naquela matéria também.

Bom fim de semana e até mais,
Monsieur Cvet z Juga.

18 de junho de 2010 11:31
Flávio P. disse...

Adorei o post! É sempre bom ser ouvido... desabafar faz um bem danado! Esse é um dos motivos que me faz sempre vir aqui, dar uma olhadinha e algumas vezes dividir minha história com todos vocês!!!

beijo a todos

18 de junho de 2010 11:46
Beth Mello disse...

Certamente em meio ao sofrimento o que desejamos é colocar pra fora, gastar de tanto falar, aprender novas perspectivas sobre nossa própria situação, aprender um novo comportamento com relação á perda...
Me lembro de ter rasgado o verbo quando terminei um namoro, escrevi tanto que esqueci!
rsrssrs

18 de junho de 2010 12:06
Albuq disse...

Que lindo Deb!
Vocês fazem com que seus leitores se sintam muito confortáveis, muito em "casa", e nada melhor do que estar em casa!

bjs e linda atitude!

18 de junho de 2010 12:55
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Adorei Debs e concordo com tudinho!!!!
beijocas,
Mari.

18 de junho de 2010 16:58
Suelen disse...

Oi Débora!
Eu sou uma leitora "fresca" do blog, faz pouquinho que o descobri. E é com muita satisfação que lhes digo que encontrei aqui exatamente o que procurava: compreensão, identificação com os meus problemas. Sou casada há três anos e meio, e estamos vivendo uma crise bem feia... É nas leituras do blog que encontro consolos e também insights de como resolver algumas questões. Quem sabe uma hora dessas eu possa contar minha história num dos "programas da tarde", ajudar outras e ser ajudada também.
Fico muito feliz por vcs!
Beijos!

18 de junho de 2010 21:26
Dilma disse...

Toda mudança é desconfortável, causa transtornos. Não é diferente em uma separação. Nos casos amorosos, muitas vezes, causa feridas difíceis de cicatrizar. Mas de uma coisa temos que estar convictas: esses acontecimentos nos faz crescer e amadurecer. Normalmente este crescimento está ligado ao sofrimento.
Vale lembrar que ,ainda que não admitamos, sejamos honestos ,quando acontece uma separação, as duas partes têm a sua parcela de responsabilidade. Ainda que pequena, mas tem. A separação amorosa não precisa ser definitiva...quem sabe, apenas um período para as duas partes envolvidas perceberem que foram feitas uma para outra e que era necessário um tempo separados afim de finalmente verem o óbvio. Ninguém disse que é fácil a convivência... Que Deus nos dê sabedoria para sermos mulheres virtuosas , prudentes e sábias em todas as áreas de nossas vidas.Super beijos.. com carinho, Dilma.

18 de junho de 2010 23:28
Larissa disse...

Disse tudo! É igualmente difícil. Dos 2 lados... As vzs acho que carregar a "culpa" é ainda pior.

Queridas, quando possível, podem atualizar nosso url na lista de links? O www.casadinhos.com.br/blog ainda funciona, mas só como redirecionamento. Pra ter as atualizações precisa ser o http://blogcasadinhos.blogspot.com

Bjs p/ as 3!

18 de junho de 2010 23:41
Evelin disse...

Confesso que fiquei muito feliz em abrir o blog hoje e encontrar esse post... Ao final, como diria o personagem Sherek "melhor para fora do que para dentro" hehe bjão

19 de junho de 2010 13:02
Ana Paula Britto disse...

Olá meninas tudo bem?
Sim, gosto de escrever, de ler blogs e ver a dor passar. O mais legal de tudo é poder contar uma nova história de amor depois da tempestade e das juras de que "nunca mais fico com ninguém nessa vida!"
Sim! O amor acontece!
Beijo e "much love" como escreve a Bela...

19 de junho de 2010 13:37
Mãe 24hs disse...

Faz um ano que me separei. Ainda vivo um luto. Não vejo a hora de dar a famosa "volta por cima" depois de sofrer uma traíção... Mas só o tempo mesmo pra equilibrar novamente as minhas emoções. Beijos e parabéns pelo blog! Adorei! Vou seguir!

23 de junho de 2010 23:55