sexta-feira, 24 de julho de 2009

A Retirada

E finalmente, com um certo atraso, aí vai o texto prometido no post A hora certa de se retirar. O autor é o Bert Hellinger, que criou a constelação.

Para começar esse fim de semana friiiiio e chuvoso (afe, isso não tem fim não?) com um texto-reflexão.

Bom fim de semana a todos!

Bitocas no coração

Débora - A Descasada


Retirar-se significa retroceder diante do que se mostra mais forte que nós. Com isso, nos subtraímos a seu influxo e poder, enfraquecendo-o e impondo-lhe limites. Esta retirada é, portanto, estratégica e temporária. Ela serve para conservar e concentrar as próprias forças. Faz parte de um movimento mais amplo, que não exclui um avanço posterior.

A retirada também pode ser necessária quando avançamos e invadimos indevidamente. Então retrocedemos diante de algo que orgulhosamente queríamos competir e que, com razão, se manifesta como maior e mais forte que nós. Esta retirada nos purifica. Através dela, recuamos para os nossos próprios limites e ficamos modestamente dentro deles.

Retiramo-nos também quando algo se completa, uma tarefa, um trabalho. Então o deixamos entregue ao seu próprio movimento e à sua própria força. Não o seguramos e não deixamos que nos segure por mais tempo. Essa maneira de retroceder recolhe para dentro o que estava sendo dirigido para fora: para outras coisas, para outras pessoas. No interior, isso se acalma, pode se renovar, ordenar e concentrar para um novo movimento ou uma nova tarefa.

A retirada também é oportuna quando algo foi superado – um saber, uma experiência, uma conquista – por mais útil, impulsionador e importante que tenha sido; o apego se converte num obstáculo para o novo – para um novo saber, uma nova experiência, um desafio inesperado. Abandonar o que foi, soltar o que guardávamos nos liberta para o definitivo e para o possível.

Também nos retiramos quando não somos mais necessários, quando outros tomam o nosso lugar, quando se aproxima e se impõe a despedida definitiva. Ela é a última retirada, o retorno ao centro, no qual torna a cair tudo o que se expandiu. Essa retirada, quando bem sucedida, é a recolhida entrada no definitivo.

8 comentários:

Judith disse...

"Retirar-se significa retroceder diante do que se mostra mais forte que nós. Com isso, nos subtraímos a seu influxo e poder, enfraquecendo-o e impondo-lhe limites. Esta retirada é, portanto, estratégica e temporária. Ela serve para conservar e concentrar as próprias forças. Faz parte de um movimento mais amplo, que não exclui um avanço posterior."

Então acho que sempre estive certa na maneira de agir e pensar a esse respeito... rs.
Ótimo texto. Bom fim de semana!

24 de julho de 2009 23:52
alessandra rocha disse...

Acredito no texto...Infelizmente há momentos que mesmo que a gente sinta que o melhor caminho é a retirada, algo não nos deixa sair.
Eu me sinto assim às vezes. Bjos

25 de julho de 2009 00:23
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Está certíssimo, saber retirar-se é preciso. Adorei.

Beijão e bom finde procê pra todo mundo,

Bela - A Divorciada

25 de julho de 2009 00:29
Tati disse...

Nossa q texto lindo!! Profundo e intrigante. Só tenho uma pena nisto tudo é q este "retirar-se", a iniciativa geralmente tem q ser nossa, deixando no ar se foi certo ou errado, e deixando os outros sem entender, oq nem a gente entendeu. Pq a sinceridade q esperamos do outro lado não vem.

Pegou meu raciocínio? rs
Bjs.

26 de julho de 2009 11:06
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Este texto cai como uma luva e se aplica a muitas circunstâncias. Inclusive e especialmente, quando se trata de um momento difícil, quando alguém que amamos muito vai embora porque é chegada a hora de continuar a sua própria jornada.
beijo carinhoso, Gio

26 de julho de 2009 23:02
Patrícia Costa disse...

Estava esperando por esse texto... Adorei...
"o apego se converte num obstáculo para o novo – para um novo saber, uma nova experiência, um desafio inesperado."
E acredito muito nisso, a vida é uma caixinha de surpresa e sempre nos oferece desafios inesperados...

Bjos E otima Semana!!

27 de julho de 2009 10:05
Verônica disse...

Nossa que texto incrivel! Tenho uma amiga que rprecisa muito ler esse texto, nesse momento que ela está atravessando.
Parabéns Deb, Lindo post!

27 de julho de 2009 17:47
consultoria empresarial disse...

Ótima reflexão! Valeu

30 de julho de 2009 15:54