terça-feira, 14 de julho de 2009

O manual do matador: se ela dança...

Tem mulher que adora reclamar quando o cara não curte muito uma pista. Já algumas adorariam estar no lugar dessas desavisadas, ao invés de carregar a tiracolo um aspirante a dançarino de axé. Agora, quando eles resolvem dançar bem, aí já é outra história. Não é bem a deste post; à exceção da foto acima, claro.

A pista de dança é a prova de fogo do matador. Nada é mais decisivo na hora de provar se o cara tem ou não tem borogodó. E isso também inclui dispensar os quadrados coloridos do chão. O matador com pouca desenvoltura na quebrada sabe que não vai desenrolar, então, nem tenta. Poupa a mulher daquela vergonha alheia que é pior do que quando o negócio é com a gente. Já os que gostam de ser bacanas, no sentido sem critério da palavra, correm sério risco de terminar a noite com duas pizzas de suor debaixo dos braços em vão. Deu para imaginar?

Tá difícil? Então o Manual do Matador vai facilitar o quadro da dor para você. Pensa num cidadão de dois metros de altura, simpático, culto e educado. Era para ser um gato, porém, esconde-se por trás de um par de óculos fundo de garrafa - do naipe vidro temperado a prova de balas. O aparentemente inofensivo acessório, num infeliz efeito ótico, aproxima as têmporas do rapaz. Ou seja, deixa o seu rosto mais estreito só ali, enquanto faz os olhos parecerem três vezes o seu tamanho real. Resumindo: o cara parece usar um aquário na cabeça ao invés de apenas óculos.

Agora, imagine o conjunto da obra arrasando na pista. Movimentando seus dois braços de Golias no sentido horário e antihorário. Sacudindo a cabeça, mãos e pernas, cada um numa direção, enquanto o quadril, vixe, esse não se move um milímetro de jeito nenhum. Nessas horas, um buraco no chão é ou não é uma benção?

Outra desgraça é aquele cara cheio de "molejo", manja? Sacudido, numa saúde e alegria típica de quem samba pra trás sem saber onde vai parar, que pisa no seu pé quando baixa a gafieira e que termina a noite com as famigeradas pizzas, a manga da camisa amarfanhada e alguns botões abertos. E ainda por cima, numa felicidade de dar raiva até em monge, enquanto você fica sem saber o que fazer com aquele demônio da Tasmânia alucinado. E são cinco da manhã!

Isso tudo é para dizer que Matador que é Matador sempre sabe onde lhe aperta o sapato. E se isso inclui a tal pista de dança, ele vai estar ali por perto, quietinho, fora da cena, e por isso mesmo chamando muito a sua atenção.

Giovana - A Solteira (que adora dançar, tá!)

PS: A foto é do filme "Vem dançar comigo" (Strictly Ballroom). Quem não foi ao cinema ver quando era adolescente, que atire a primeira pedra.

PS2: Mais sobre o Manual do Matador: Parte 1, Parte 2, Modo de Usar, Na Cozinha

PS3: Verônica, agora só falta a entrevista com o Solteiro. Aguarde! :O)

11 comentários:

Andarilho disse...

Eu nem chego perto de uma pista de dança.

15 de julho de 2009 08:09
Clévia Sales disse...

Olá!

Estava eu dançando com o mocinho, qdo além de n dançar “essas coisas todas”, cantava o forró errado. N pensei duas vezes. Olhei p ele e disse: limite-se a dançar!

Até hj é motivo de piada, pq ele é amigo da minha melhor amiga, mas eu n sabia.

Bj!

15 de julho de 2009 09:14
EuMesmo disse...

Cara esse texto prendeu minha atenção! digamos que eu me considero meio que um "matador", tipow preciso de uma conversa boa pra matar, mas devido alguns casos ainda me considero um!
No quesito dança, bem... nesse ponto eu nem se quer me atrevo, acontece até de não gostar de certos ritmos pois não curto a dança! nesse ponto em caso de dança eu garanto que nunca vou ser inconveniente....

15 de julho de 2009 10:19
Nikita Ferraz disse...

Giu! Eu também amooooooo dançar e não consigo ficar fora da pista. Costumo caçar os dançarinos para dançar comigo, mas não consigo tirar essa prova se eles são tão matadores assim. Pelo menos até hoje não provei...ahhhhh. Mas um homem que dança, é tudo mesmo!!!

15 de julho de 2009 19:12
Camille disse...

Que vontade me deu de dançar...beijosss

15 de julho de 2009 20:37
Paloma disse...

Ah, pelo menos é divertido de se ver...hehehe...Se eu já ri só de imaginar (e também de lembrar dos figuras que já vi pelas baladas da vida). bjos
Paloma e Isa

15 de julho de 2009 22:01
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Ai, gente, eu adoro homens que dançam....Os bons dançarinos são super sexy, claro, e os esforçados, bem, o que importa é a vontade de se jogar, né? Numa boa.

Abaixo o preconceito, todos para a pista de dança!!!

Beijos,

Bela - A Divorciada

15 de julho de 2009 23:21
conversaatrevida disse...

Lembro que a primeira vez que vi "Dirty Dancing' com o Patrick Swayze eu não conseguia parar de assistir, via compulsivamente...rs

AMO dança e realmente um homem que sabe dançar, que saiba conduzir a parceira no salão é TUDO e mais uma pouco de bom.

Ritmos como salsa então...EU GAMO!!!...rs

Mas tem muito que é TÃO desengonçado que só rindo mesmo...
E rebolar sem parecer 'moça' é pra poucos. Travolta é um ícone nesse quesito.
Além de 'másculo', ainda fica MUITO sexy ao som de staying alive rs

ah, e só pra constar: eu sou uma das inúmeras fãs da "Dança do Faustão' (embora eu confesse que não curta muito aquelas danças onde mais se joga a parceira de um lado pro outro do que se dança com ela)


bjo

16 de julho de 2009 00:50
Verônica disse...

Valeu Gio, sabia q vc ía arrasar nesse post, gostei muito.

Quanto a homem que sabe dançar, nossa... é muito bom!!! Aqui no nordeste rola muito forró comos vcs sabem, quando acho um cara que sabe dançar, afff só falto não largar mais...
Enfim, homem que sabe dançar é muito massa, seja o rítimo que for.

Aguardo a entrevista!!! ;)

16 de julho de 2009 09:15
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Será que meu casamento acabou porque combinamos de sair para dançar em 2001 e depois nunca cumprimos o prometido? HAHAHAHAHA

Só rindo mesmo...

Adoro dançar!!!

beijocas

16 de julho de 2009 09:39
Paloma, a mãe disse...

Ahahaha, adorei! Coincidência ou não, meus namorados nunca foram os ases da pista. E sempre chamaram a minha atenção.

E a vergonha alheia, ah, esta velha conhecida. Realmente, é pior do que quando é com a gente. Sem chances.

16 de julho de 2009 12:12