quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Depois de 20 anos, o amor chegou para os dois

Ela, 39. Ele, 54. Ela, mãe de dois filhos adultos (ela começou cedo). Ele, pai de uma menina adolescente. Ela, um histórico amoroso turbulento. O pai dos filhos, um desregrado, em estado permanente de bebedeira. Pouco atencioso com as crianças. Ele, uma mulher que não gostava lá tanto assim dele. Pouco atenciosa com a filha. Um belo dia, o inevitável. Ela mandou o ex-marido catar coquinho depois de tantas idas e vindas. E ele saiu de casa. E o dois deixaram o amor acontecer. Já trabalhavam juntos fazia um tempo, mas só então permitiram se conhecer melhor.

Moram em casas separadas, em cidades diferentes, mas estão sempre juntos. Ele a ajuda com a louça, com a comida, com as roupas. Vai com ela ao supermercado – isso ela nunca tinha vivido antes. Ele adora os filhos dela. Ela o ajuda com a rebeldia da filha dele.

O que eu mais gosto nessa história familiar é que às vezes o amor tranqüilo demora mesmo a chegar. Muitas vezes é preciso viver as turbulências e até chegar a ter uma família com os amores turbulentos – como no caso dela – para um belo dia, quando menos se espera, o amor bater à porta.

Débora - A Descasada

16 comentários:

As primas disse...

SE PERMITIR é tão lindo!!!!!


BELA HISTÓRIA
hahahahahahahahha

Olívia

7 de janeiro de 2010 22:47
Silvana Alves disse...

vddd...primeiro a turbulência para que tudo se acalme.. lá na frente
adoro vcs

7 de janeiro de 2010 23:13
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Que história bonita!

Amei.

Beijos,

Bela - A Divorciada

7 de janeiro de 2010 23:39
Lari (larissakarvalho@hotmail.com) disse...

eu acho q acredito tanto q isso possa vir a acontecer q acabo insistindo em relacionamentos turbulentos!!! :o

adoro essas historias... seria capaz de entrevistar essa mulher até q ela se esgotasse com minhas perguntas clichês e mais intimas!! hahaha

beijooo minha Debscasada preferidaaa!!!

obs.to c saudade do nosso "chat-email", mas assim q vc chegar a cidade do sol, nós resenhamos beeeim!!! hehehe

eu to c medo de vcs me acharem carente de amigos, pq to mesmo contando os dias pra chegada de vcs!! \o/

8 de janeiro de 2010 04:15
LetÍCiA... disse...

liindoooo d+!! ^^

8 de janeiro de 2010 05:52
Nina disse...

"Eu quero a sorte de um amor tranquilo"...

Cazuza já sabia tudo!

beijo!

8 de janeiro de 2010 07:39
Andarilho disse...

Caramba, 20 anos... Não acho nem q eu vá viver mais tanto tempo assim.

8 de janeiro de 2010 08:16
Ana Paula Britto disse...

Que história linda! Quer dizer que eu ainda posso ter esperanças.
Beijos...

8 de janeiro de 2010 09:13
Verônica disse...

Que linda história meninas!!! Nada melhor pra começar o ano [meu ano aqui no blog].
Estava com saudade e espero que 2010 seja um ano de realizações pessoais e profissionoais para as três, que o blog continue sendo esse cantinho tão gostoso e reconfortante, esse sucesso. Um beijo no coração de cada uma! Estava com saudade e prometo pôr a leitura em dias.
Beijos, beijos, beijos!!!

8 de janeiro de 2010 09:32
Tiburciana disse...

Espero realmente a sorte de um amor tranquilo
Linda historia

8 de janeiro de 2010 09:57
keila lima disse...

Mais cedo ou mais tarde, coisas boas acontecem pra todo mundo... E encontrar alguém, assim... é sorte!!

8 de janeiro de 2010 11:06
Anônimo disse...

Oi querida,
Realmente um amor tranquilo as vezes demora para acontecer, mas vale cada espera.

Saudades
Beijos
Cris

8 de janeiro de 2010 11:37
Cris Hoffmann disse...

Isso só corrobora a minha teoria (que não é minha, mas como a adotei, passou a ser rsrsrs!):

- Depois da tempestade...

Só desejo não ter que esperar vinte anos, paciência não é uma das minhas virtudes... ;-)

AMO seus posts meninas!!

Beijos!!

9 de janeiro de 2010 12:42
ana carol disse...

uma vez li, não lembro onde, a frase: "é preciso que eu suporte duas ou três larvas se quiser conhecer as borboletas"...
;)

9 de janeiro de 2010 16:51
Jussara Gehrke disse...

pois foi assim comigo... amor tranquilo, gostoso, apaixonado, amigo... só depois dos 50, só depois de muita turbulência, só depois de 2 casamentos e 4 filhos

é isso mesmo, SE PERMITIR.

ás vezes a gente aprende as coisas mais tarde, ainda bem que comigo foi antes tarde do que nunca!...rs

adorei o blog!

bjs
Juju

13 de janeiro de 2010 11:41
Anônimo disse...

História parecida com a minh: ela 39 anos mãe de um adolescente traida pelo ex, ele 51 anos pai de uma filha de 27 anos e avô de uma menina de 7 anos e dois casamentos que não deram certo, o amor aconteceu e vão se casar no final do ano e esperam ser felizes agora de verdade e para sempre amei

22 de abril de 2010 18:27