sábado, 2 de janeiro de 2010

Mulheres que não gostam de...mulheres

É fato, a disputa existe. E, na minha modesta opinião, é mais grave entre nós. Por que algumas mulheres competem tanto entre si? De um jeito que não se vê entre os homens? Com mais ênfase, eu diria?

Certa vez, ao apurar uma reportagem sobre concorrência feminina no trabalho para a revista Nova, ouvi de um psicólogo uma observação interessante. Segundo ele, a origem de tanto bafafá está no fato de que os homens são cobrados pela sociedade basicamente por dois pontos: bom desempenho profissional e sexual, enquanto nós somos exigidas por esses e outros tantos, como beleza, necessidade de ter um par, filhos, etc, etc. Assim, com tantos fatores de pressão em jogo, muitas mulheres terminam por olhar para a fêmea ao lado com ares de “sai fora, inimiga”.

Na mesma matéria, entrevistei uma médica que me disse que, de tanto ser trapaceada pelas colegas, não ia contratar uma profissional do sexo feminino sequer para trabalhar na clínica que pretendia abrir um dia. Só homens.

Polêmicas à parte, me sinto particularmente incomodada por um tipo específico de mulheres competitivas: aquelas que parecem detestar, gratuitamente, todas as outras. As que te olham de cima a baixo quando você passa e, mesmo parecendo gostar da sua roupa, nunca serão capazes de esboçar um sorriso e comentar que aquele visual ficou bacana. Preferem a inveja. E a vontade de eliminar você para a galáxia mais distante.

Gente, para que querer ser a única maravilhosa desse mundo? Não é ótimo ter mulheres incríveis e capazes de nos inspirar por perto? Por que ser tão amarga? E não me venham dizer que, se tiver homem na jogada, a disputa ferrenha está liberada. Não adianta: são eles que escolhem. E nada do que a gente fizer para tentar tirar a fulana de cena vai resolver.

O 3xtrinta defende a união entre as mulheres. E acredita que é melhor ser fofa, elogiar o vestido, aprender com a outra. E seguir em frente com muitas aliadas por perto.

Isabela – A Divorciada

6 comentários:

Catia disse...

Esse negócio de inveja entre mulheres é muito ruim! Já trabalhei em lugares que as mulheres eram verdadeiras cobras e faziam de tudo pra derrubar as outras. E até entre "amigas" rola isso. Eu invejo os homens e sua maneira tranquila de lidar com isso. Bjs! adoro o blog de vcs!

2 de janeiro de 2010 04:09
Andarilho disse...

Bem, como eu trabalho num ambiente quase todo masculino, não vejo muito dessas coisas.

2 de janeiro de 2010 10:44
Paulinha Costa disse...

Olá mulherada do bem! Acho que por aqui tem uma boa amostragem de mulheres do bem, pelo menos espero, já limparia a barra do gênero.
Meus melhores amigos são homens, eu não entendo muito esse negócio de competir, talvez por isso me sinta mais confortável com os meninos.
Mas já vi muita mulher por ai que procura defeito na Angelina Jolie só pra não admitir que ela é maravilhosa, e cá entre nós se ela consegue achar defeito na Jolie, imagina o que não pode fazer com as pobres mortais...só lamento.
Bjsss queridas, vcs são ótimas

2 de janeiro de 2010 13:28
LetÍCiA... disse...

infelismente a competição eh fato... msmo assim nao gosto de me portar como a perfeita, soh a melhor.. rs brincadeirinha... acho, como vcs q essa "concorrencia" tda eh ridicula.. fico ate msmo chatiada por isso existir e tao proximo.. =/ mas o jto eh tentar driblar isso, neh?!! bjo... adoro d+ o blog d vc's

2 de janeiro de 2010 22:49
Mari disse...

Pois é meninas, graças a essa competição idiota, eu sou obrigada a ver e ouvir cada coisa RIDICULA no meu ambiente de trabalho.
Um bando de mulher que ja passou dos 30 parecendo um bando de criança.
Eu ainda tenho 21 e trabalho no meio das moçoilas mais velhas, que me julgam uma pessoa sem experiência e uma concorrente ao mesmo tempo, criando um paradoxo mais absurdo ainda.

Bom...tudo que posso dizer é: Não tenho paciencia para competição feminina, sorry!!

3 de janeiro de 2010 13:38
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Eu adoro as mulheres!!!
E quando elas querem competir demais, eu fujo! haha

Homens também são extremamente competitivos, não se esqueçam. O que a gente tem que aprender com eles é a disfarçar melhor a dorzinha no cotovelo.

beijos!!

dedé

4 de janeiro de 2010 20:41