segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Já vestiu seus óculos 3D?

Naquele dia fez um sol de rachar e o trabalho foi fora do endereço de costume. De volta à civilização, o lado caxias chamava para umas horas extras no escritório. Ainda bem que os pés não obedeceram. Seguiram direto para a bilheteria do cinema, sessão das 20h40 de "Avatar". E ainda deu tempo de ir em casa para tomar um banho antes da sessão.

Logo na chegada, o passaporte para outro mundo: os óculos 3D. Acho que foi o primeiro filme assim que assisti. Pois não me lembro de usar coisa tão desconfortável e ridícula. Meu Deus, será que o Giorgio Armani ou o Ralph Lauren nunca pensaram neste filão? Antes de me sentir uma completa idiota, olhei para o lado e vi um casal, cada um com o seu oclinhos. Mais uma virada de cabeça, e uma família inteira, cada um de posse do seu. Todos estavam vestindo seus óculos, mesmo com as luzes acesas ainda. Tá bom, vamos nessa.

Antes do filme começar, todod os trailers também eram em 3D. Que divertido ver o Johnny Depp nesta perspectiva inédita, no novo filme sobre "Alice no país das maravilhas". Sabiam que vai ter um "Shrek" inédito em 3D? Eu não vou perder a chance de vestir os tais óculos de novo.

No final, aquele bode que dá quando um filme que você curtiu termina ficou mais claro. Os óculos 3D concretizam esta sensação. Críticas de cinema à parte, as três horas de "Avatar" passaram voando. E permaneceu uma ideia na cabeça: fora da sala de cinema, também podemos lançar mão dos nossos óculos de efeitos especiais. Dependendo da lente, uma situação cria novas perspectivas, revela outras que não percebemos num primeiro instante, ou esconde as que não queremos enxergar, apesar de tão óbvias.

Saindo do cinema, depois de tanto tempo com aquela engenhoca na vista, tudo ficou esquisito. Parece a mesma história quando enxergamos algo com os olhos da realidade, de forma nua e crua, depois de um tempo vivenciando uma situação complemente única, diferente - seja boa ou ruim. Foi preciso se segurar nas paredes um tempo, prestar atenção no caminho, dar um passo de cada vez, até recobrar o equilíbrio.

Um blockbuster também tem lá as suas metáforas fora do cinema....

Giovana - A Solteira

3 comentários:

Andarilho disse...

Pior é quando vc já usa óculos, que nem eu. Aquele óculos 3d por cima do óculos normal fica o ó.

25 de janeiro de 2010 00:10
Por uma vida simples disse...

vc já ouviu a expressão: "colocar os óculos do outro"?

Visão interessante

25 de janeiro de 2010 13:48
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Taí uma experiência que me deixa meio zureta...não curto muito não.

Vi Avatar sem óculos 3D mesmo, rs

bjs

deb

26 de janeiro de 2010 11:17