sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Estrada nova

Eu acordei triste outro dia. E uma amiga virtual, aquisição via 3xtrinta, me mandou um e-mail dizendo que tinha sonhado que eu estava triste. Daí eu contei para ela o que conto aqui para vocês: estou me separando. De novo. Parece até piada, mas não é. Agora a decisão veio dele. E quando a decisão vem do outro, não há o que fazer. É bater em retirada e aceitar a sorte que nos espera. Agora é arrumar as malas (de novo, pela terceira vez em um ano) e seguir meu caminho.

Para me dar uma força, a Carolzinha (que sonhou comigo) me mandou essa música linda do Oswaldo Montenegro chamada Estrada Nova. E como eu sou reincidente em ir embora, eu conheço esse medo. Mas não tenho medo desse medo. Ele faz parte. É aquele frio na barriga com o desconhecido, aquela melancolia de se saber sozinha após ter tentado de novo, é aquela desesperança no peito. Um certo cansaço de tanto sentimento. “Tenho apenas duas mãos e o sentimento do mundo”, como diria Drummond.

Choro a minha perda. E o fim da mais uma ilusão. E busco a minha nova estrada.

Eu conheço o medo de ir embora
Embora não pareça, a dor vai passar
Lembra se puder
Se não der, esqueça
De algum jeito vai passar

Débora – A Separada

32 comentários:

Andarilho disse...

Puxa vida, que pena. Mas a estrada que a gente caminha está cheia de curvas e bifurcações, e assim como o náufrago, a gente nunca sabe o que o mar vai trazer amanhã.

3 de setembro de 2010 00:07
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Amore,

Só não te peço em casamento agora porque Guarda Belo seria capaz de aceitar que a gente casasse a três, hahaha!!!

Mas te dou todo o meu carinho, viu? E bolo no fim da tarde se vc se tornar minha vizinha (tô torcendo para tanto).

Para vc, tudo. Uma nova estrada feita de tijolos de ouro, com um homem de ouro no final. Vc não merece menos do que isso. E não terá menos do que isso, os meus poderes mediúnicos me dizem.

Tô contigo e não abro.

Much love,

Bela - A Divorciada

3 de setembro de 2010 00:28
Paulinha Costa disse...

Eu conheço a esta canção como quem já cantou. Me utilizo dele para te dizer o que sinto:
"Certas canções que ouço
Cabem tão dentro de mim
Que perguntar carece
Como não fui eu que fiz?
Certa emoção me alcança
Corta-me a alma sem dor
Certas canções me chegam
Como se fosse o amor
Contos da água e do fogo
Cacos de vidas no chão
Cartas do sonho do povo
E o coração pro cantor
Vida e mais vida ou ferida
Chuva, outono, ou mar
Carvão e giz, abrigo
Gesto molhado no olhar
Calor que invade, arde, queima, encoraja
Amor que invade, arde, carece de cantar"

Você é tão bela e forte que faz até a dor parecer doce.
Eu tenho certeza que a vida tem muitos presentes para te oferecer.
Um abraço cheio de carinho e luz!

3 de setembro de 2010 00:55
Decor e salteado disse...

A cada clique neste blog, uma oração, um pensamento positivo, dois dedos cruzados... - chame do que quiser -, algo do tipo será feito pela sua felicidade. Estamos todos na torcida por você. E Andarilho disse tudo: a gente nunca sabe o que nos reserva o amanhã.

Bjs

Lu
http://decoresalteado10.blogspot.com

3 de setembro de 2010 01:21
Larissa disse...

Estamos c/ vc querida! Fique bem!
E aceita ser vizinha da Bela, rs
Beijo gde!

3 de setembro de 2010 01:27
Albuq disse...

Oi Deb,

'fim' é sempre difícil, porque muitas vezes não partem da gente e aí, como você mesmo disse, não há o que fazer, apenas seguir. Mas, como a vida estamos num ciclo que tem começo e fim, que ao terminar algo é sempre difícil... porque precisamos recomeçar. Abandonamos o útero da mãe mesmo contra para a viver a vida aqui fora, abandonamos a fase de brincar com brinquedos para nos deliciar nas descobertas de adolescente, deixamos a vida maravilhosa sem responsabilidades da adolescência para a liberdade cheia de responsabilidades da fase adulta... ou seja, algo termina para uma nova etapa começar... é uma pena que esse relacionamento se foi, mas, começa uma nova etapa e você está pegando uma nova estrada.

Sorte... veja como um ciclo, comece, retome o caminho, força... muita força!

bjs, ótimo fim de semana

3 de setembro de 2010 09:15
Cele disse...

Nossa! Eu também tô com medo! Mas o meu medo é de que a mudança me faça esquecer! Força aí!

3 de setembro de 2010 09:28
Luisa Dias disse...

Querida, recomeçar é o espetáculo da vida... Ser capaz de olhar para frente, ver outro caminho, catar nossos caquinhos e reconstruir. É a certeza de que podemos arriscar e podemos mais ainda, fazer de novo. Seja bem-vinda ao recomeço!

3 de setembro de 2010 09:33
Evelin disse...

Tenho certeza que o melhor virá viu. Paciência, fé e FORÇA.
Tudo de bom. Beijos.
Evelin.

3 de setembro de 2010 09:34
O Escorpião disse...

Oi Débora

Sei como é difícil a separação eu me separei a 2 meses (depois de 9 anos) e a decisão também foi da outra parte, saímos despedaçados e machucados mas nada como um dia após o outro, desejo tudo de bom pra você.

Boa Sorte
Marcos

3 de setembro de 2010 09:40
Eu sem Grande parte de Mim disse...

Também estou recomeçando... ou melhor voltando... e também estou com receio, mas o nosso caminho só nós podemos trilhar... como se diz, pedras no caminho? Guardo todas um dia vou construir um castelo. Beijo e força

3 de setembro de 2010 10:31
Marta Melo disse...

Débora; as dores passam mesmo,é só esperar o tempo.O que vai ficar é o melhor, a experiência , a lembrança dos bons momentos e talvez uma amizade...Vc tem muita coisa boa para viver,muitas alegrias e ótimos momentos virão.Depois da tempestade vem sempre a bonança,acredite!Bjs

3 de setembro de 2010 10:51
Por uma vida simples disse...

Que esta "estrada nova" lhe traga muito aprendizado, mais sabedoria e muita felicidade. Sabe que tem um ombro "físico" aqui. ;)
bjs

3 de setembro de 2010 11:25
Tati disse...

Vai passar, tu sabes que vai passar. Talvez não amanhã, mas dentro de uma semana, um mês ou dois, quem sabe? O verão está aí, haverá sol quase todos os dias, e sempre resta essa coisa chamada ‘impulso vital’. Pois esse impulso às vezes cruel, porque não permite que nenhuma dor insista por muito tempo, te empurrará quem sabe para o sol, para o mar, para uma nova estrada qualquer e, de repente, no meio de uma frase ou de um movimento te surpreenderás pensando algo assim como ‘estou contente outra vez’.

3 de setembro de 2010 11:56
Tati disse...

Caio Fernando Abreu

3 de setembro de 2010 11:57
Anônimo disse...

Minha amiga querida. Estou aqui, SEMPRE! Te amo!

Geo

Um pouco de Fernando Pessoa pra ti. :)

"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo, e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares. É o tempo da travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."

3 de setembro de 2010 13:35
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Débs querida,

Depois de me acabar de chorar aqui, me recompus e escrevi um texto para vc lá no blog. Mais uma vez, vc me surpreende pela coragem. E pra quem tem coragem, os sonhos se realizam.
Sou muito feliz de saber que tenho vc como inspiração! E tenho certeza de que a vida vai te trazer coisas maravilhosas.
Beijo,
Irma

3 de setembro de 2010 13:55
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Oi Debs, ainda não te conheço pessoalmente e já está me dando uma certa inveja da Irma e da Bela!
Vamos marcar todas um dia desses.
Sinto muito, muito mesmo pela sua dor!
Beijão,
Mari.

3 de setembro de 2010 16:40
Amanda Luna disse...

Oi, passei para conhecer seu blog e amei, já estou te seguindo!!
quanto ao post, separação é muito triste mesmo, só posso te desejar toda a boa sorte do mundo nesta fase da sua vida e que muitas surpresas boas te aconteçam para amenizar este sofrimento!!!
beijuu e, quuando estiver melhorzinha venha me conhecer, será um prazer te receber no meu cantinho!!
www.sermulhereomaximo.com.br

3 de setembro de 2010 18:00
Jessy disse...

Tb estou me separando, tb eh pela terceira vez, e tb tah doendo muito... Foi decisao minha, dessa vez... realmente cansei! Cansei da indecisao, cansei do eterno ~em cima do muro~, cansei de sempre ser deixada como a ultima das prioridades... Cansei tb dos homens e dos relacionamentos falidos e ilusorios q eles nos oferecem... Se quiser meu ombro, choremos juntas com um bom copo de chopp pra acompanhar... Tb nao sei o q o amanha me trara, mas tenho certeza q nao quero relacionamentos por um boooom tempo...
Fica bem, viu...

(PS? alguem sabe como configurar um teclado... nem o ponto de interrogacao nao aparece...)

3 de setembro de 2010 21:01
Eliana disse...

"...Hoje eu acordei com medo. Mas não chorei, nem reclamei abrigo.
Do escuro, eu via o infinito, sem presente, passado ou futuro.
Senti um abraço forte, já não era medo. Era uma coisa sua que ficou em mim. E que não tem fim.
De repente, a gente vê que perdeu ou está perdendo alguma coisa. Morna e ingênua, que vai ficando no caminho, que é escuro e frio, mas também bonito porque é iluminado pela beleza do que aconteceu há minutos atrás".

Trecho de "Poema" pra você, de Cazuza e Frejat. Tenha generosidade com os próximos dias, seja paciente consigo. Grande abraço!

3 de setembro de 2010 22:05
Ana disse...

Débora, achei o blog de vcs há pouco tempo e visito algumas vezes. Ao ler seu texto de hoje só lembrei de uma música que nos meus momentos de perda eu gosto de ouvir: Tocando em frente - Almir Sater
"Ando devagar
Porque já tive pressa
Levo esse sorriso
Porque já chorei demais

Hoje me sinto mais forte,
Mais feliz, quem sabe,
Só levo a certeza
De que muito pouco sei,
Ou nada sei
(...)
Penso que cumprir a vida
Seja simplesmente
Compreender a marcha
E ir tocando em frente
(...)
Todo mundo ama um dia,
Todo mundo chora
Um dia a gente chega
E no outro vai embora

Cada um de nos compõe a sua historia
Cada ser em si
Carrega o dom de ser capaz
E ser feliz"

Boa sorte nesse seu novo caminho...

3 de setembro de 2010 22:45
Aline Fonseca disse...

Visito o blog há muito tempo, mas acho que é a primeira vez que deixo comentário.

"Amanhã há de ser outro dia" e você vai passar por isso com alguns arranhões mas, certamente, com graça e força.

Fique bem! Você merece tudo de melhor que há no mundo!

Beijos!

4 de setembro de 2010 00:16
O Burro que chora disse...

Minha linda...
Cada pessoa em nossa vida significa aprendizado...
E tenha sempre esperança de um dia encontrar um homem diferente...
Esses que fazem promessas enganosas, que no inico é a perfeiçao e depois se transformam em sapos, devem mesmo sair das nossas vidas...
E estaremos por aqui torcendo pela sua felicidade...
No texto do blog abaixo tem um texto sobre casamento...
http://burrochora.blogspot.com/2010/07/o-suficiente-para-alguem.html
um beijo no seu coração...

4 de setembro de 2010 01:22
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Meninas e meninos,

muito obrigada pela força virtual!

Todas as canções que me foram recomendadas como "pílulas de afeto" para minha alma são da minha máxima preferência, da suavidade rural do Almir Sater, passando pela poesia de Cazuza e chegando à força bruta de Milton.

Também me afaga o coração o Caio Fernando Abreu e o Fernando Pessoa.

Mas o mais bonito de tudo isso são as manifestações de todos vocês, das minhas amigas queridas de longa data aos desconhecidos que passam por aqui. Alguns desconhecidos que já me conhecem bem, inclusive.

Obrigada, obrigada, obrigada

A vocês, todo meu amor.

beijos

Débora

4 de setembro de 2010 09:36
Paloma, a mãe disse...

ô, Deb, que pena. Mas pelo menos vcs viveram e esgotaram todas as possibilidades. Se o sofrimento é inevitável, pense nele como um novo recomeço, muita coisa boa há de pintar por aí. Se permita!
Beijão

4 de setembro de 2010 16:55
Mima D. disse...

Debora,
Já faz algum tempo que visito o blog e quando li seu post fiquei pensando nas muitas coisas que acontecem em nossas vidas e não sabemos como agir diante delas
Mesmo sendo, como vc falou, uma 'desconhecida' decidi escrever para que tenha sempre a certeza de que haverá mais uma pessoa torcendo por vc, e que como muita gente já disse: Tudo Vai Dar Certo!
Bjs
Mima D.

4 de setembro de 2010 21:18
Carolina disse...

Débora, engraçado essa capacidade de nos sincronizarmos com a vida do outro. Quando voce separou no começo do ano, eu estava separada também, tinha sido um motivo parecido com o seu, queria saber se valia a pena continuar,ele era mais novo e não conseguia entender a dinamica de casamento, chorei muito lendo o post que tinha a música drão. Voltamos ficamos mais 4 meses,e agora separamos de novo, dessa vez a decisão foi dele, queria viver a vida e admitiu que não estava disposto a viver uma relação. Dois meses de separação, estou me recuperando,senti esse estranhamento da estrada nova, mas recentemente me descobri gostando de ser sozinha, e achei bom, pois nunca tinha vivido isso. Enfim, sabemos que essa dor cada dia fica menos latente e que uma dia passa...

Carolina

5 de setembro de 2010 13:22
Nina disse...

Deb, querida...

Sumi da net por uns tempos, só li agora esse seu texto...

Montão de beijo, abraço, força, luz e paz para você!

Estou aqui, viu? Escreve, telefona, aparece!

Bjo

6 de setembro de 2010 20:08
Vanessa Fagundes disse...

cheguei ao seu blog por acaso e gostei bastante! gostei da sinceridade e da leveza com que trata o fim de um relacionamento.. sou autora de um livro sobre isso e no momento ele está sendo sorteado no blog viajenaleitura...se quiser dá uma passada lá pra ver se gosta... muita luz nessa nova fase da sua vida e tenha certeza que o melhor acontece pra vc.. bjok

7 de setembro de 2010 23:13
Marina disse...

Dé,

Nada no mundo vai tirar seu brilho e alegria de viver. Você é iluminada, querida por todos e tenho certeza que dias muito melhores virão. Te adoro muitão e os italianos que se cuidem!!!

Beijos

8 de setembro de 2010 19:07
Helaine disse...

Ei Débora,
Vira e mexe venho ler os posts e vi este seu... Tem uma música da Rita Lee que eu acho que vc devia ouvir. Chama-se Cartão Postal:
"Pra quê sofrer com despedida. Se quem partiu não leva nem o sol nem as trevas. E que fica não esquece tudo o que viveu. Sei... Alguém qd parte é pq outro alguém vai chegar. Num raio de lua, na esquina, no vento ou no ar...Pra que querer ensinar a vida? Pra que sofrer? ... Você sofre, se lamenta
Depois vai dormir..."

17 de setembro de 2010 21:38