quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Programando mudanças

Não há termômetro melhor que o guarda-roupa para sinalizar mudanças em pleno processo. Sim, há os cabelos, há o peso, há a mudança de emprego, de cidade e de estado civil. Mas nada oferece resultados tão imediatos como o guarda-roupa. O primeiro passo é se desfazer do que não lhe serve mais, mesmo tendo sido importante um dia. Aquele sapato que era a sua cara mas, coitado, já está pelas tabelas. E hoje também não tem mais nada a ver contigo.

Aquela blusa linda que, faz tempo, foi promovida para sair do armário somente durante aquelas idas ao supermercado no final de semana. A calça jeans de mil e uma utilidades que, hoje, de tão puída, só serve para ir até a esquina e voltar. Agora, tudo isso ocupa espaço precioso onde não devia mais. É preciso botar esta energia para circular. Experimente encher sacolas e sacolas do que não lhe serve mais. A cada peça de roupa encostada que você se desfaz, um piano sairá das suas costas. Faça o teste.

Faça e exerça o desapego na sua totalidade. Não usa mais e está em bom estado, doe ou pendure num brechó se a peça tiver bom corte e etiqueta de grife. Uns caraminguás para coçar a carteira não fazem mal a ninguém. Renovar o guarda-roupa é divertido e faz a gente divagar sobre outros aspectos que também estão ali, parados, quase virando entulho; sejam eles roupas, sentimentos ou relações.

Guarda-roupa revirado é bom indicativo para confusão mental. Sabem aquelas pessoas que nunca acham nada? Será que elas já se acharam ou vivem engolidas num suceder de fatos sobre os quais não detém o menor controle? Há também aquelas que, de tão organizadas, devem adorar uma ilha quadrada. Nem tanto ao céu, nem tanto à terra. Nada como aquela bagunça organizada no canto das calcinhas. Pode estar uma bagunça, mas ali só podem haver as suas calcinhas. Pronto, já é um bom começo.

O guarda-roupa é o reflexo do que acontece com a gente. É a melhor sessão de análise a custo zero, basta um olhar apurado e uma boa dose de auto-crítica. Toda a vez que se mergulha nele e se desfaz de boa parte podem estar certos de que a roda vai girar mais rápido; e a seu favor certamente.

Giovana - está solteira

15 comentários:

Desbaguncando disse...

posso colocar no blog?
concordo plenamente com suas palavras Gio!

Beijinhos

29 de setembro de 2010 08:08
Giovana disse...

Oi! Pode compartilhar sim, a vontade. Bjs Gio

29 de setembro de 2010 08:28
Andarilho disse...

Eu acho que esse lance de guarda roupa é uma coisa quase que exclusivamente feminina.

29 de setembro de 2010 08:49
Michelle disse...

Nossa!!!!!! O texto veio bem a calhar!!!

Ando me sentindo estressada, sem enegia, sem vontade!!! E meu guarda-roupa está uma bagunça tremenda....daquelas de abrir a porta esegurar as peças que estão lá jogadas!!! Preciso sair da procrastinação!!! Obrigada por ter me feito perceber!!!

Bjus

29 de setembro de 2010 09:04
Bruna Angeli disse...

Sem duvidas dá um grande alivio essa arrumação, é algo engraçado você arruma um armário e outras coisas na sua vida vão se arrumando ...

29 de setembro de 2010 09:43
Ana disse...

Preciso arrumar meu guarda-roupa!!! Ou será que preciso dar uma arrumada na minha confusão mental???
Acho que os dois...
Adorei o texto.
Bjs

29 de setembro de 2010 10:03
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Nem fale. Mais uma mudança de casa, mais um monte de roupa doada.

E eu sou a rainha do siricutico com a limpeza de armário!

E aí exagero e fico com quase nada...

=S

Vou buscar o equilíbrio, rs.

bjss

deb

29 de setembro de 2010 11:46
Giardia disse...

AH!


Amei sei espaço, tão bonito!

29 de setembro de 2010 14:30
Frô disse...

Eu fui mais radical: me mudei pra China com duas malas, o resto eu "doei TUDO". Foi bom, reconstruir meu guarda-roupa - uma sensação boa de poder começar de novo.

29 de setembro de 2010 14:55
Flávio P. disse...

Bacana o texto. Já havia escutado muito isso...

Já ouvi também que o guarda roupa esta para a mulher assim como o carro esta para o homem.

beijo

29 de setembro de 2010 15:42
Paula Li disse...

Ultimamente meu guarda-roupa anda uma confusão só, não consigo me achar nele e muito menos organizá-lo. Fico pensando que é por falta de espaço,mas quem sabe não é "confusão mental"!?
Antes a bagunça era orgunizada, agora virou só bagunça mesmo!!!
bjs

29 de setembro de 2010 22:27
Yasmim disse...

Bom segundo os comentários aqui minha vida estaria a mil, meu guarda roupa está bem organizado. Porém já faz algum anos venho exercitando essa prática de duas vezes por ano faço uma faxina geral nos armários e na casa e me desfaço de tudo que perdeu sua utilidade, minha dificuldade está em romper os vínculos emocionais. Mas um dia eu chego lá. E digo mais essa prática funciona "destralhe-se" livre-se de tudo que perdeu a utilidade ou do que lhe faz mal.
Gio adorei seu texto e desejo-lhe boa sorte nessa nova fase que você tenha muito sucesso, mudar é bom e estou começando a ficar expert nisso.
Xêro !!!!

30 de setembro de 2010 01:50
Gavetas Insanas By Nira Alves disse...

amei seu post. tenho um brecho virtual, se me permitires gostaria de posta-lo, nao como incentivo a venda, mas como incentivo a mudanças e atitudes. me tocou bastante e numa hora bem confusa. Adorei. vou acompanha-las. super abraço. Nira Alves - Gavetas Insanas
gavetasinsanas@gmail.com
www.gavetasinsanas.blogspot.com

3 de outubro de 2010 10:21
Blog Sozinha ou Acompanhada disse...

Adorei o post, e concordo com tudo!
Parabéns pelo novo formato está maravilhosos. Afinal é Giovana ou Patrícia????
beijocas,
Mari

3 de outubro de 2010 19:01
Giovana disse...

Oi Nira,
claro, pode compartilhar à vontade. Fico feliz que o texto tenha te inspirado. :O)

Mari, a Pati assumiu a partir do dia 01 de outubro. Aliás, hoje tem texto novo dela no blog, dá uma conferida.

Beijos, Gio

5 de outubro de 2010 10:09