segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Ambição de Barbie

Loira, alta, magra, tipo modelo. Os olhos são de um azul piscina translúcido e o sobrenome, bem, o tal sobrenome era um daqueles com mais de três sílabas, italiano, e cheio de letras dobradas. Namorada de um piloto de corrida, a bonitona é o destaque das festas e tem um álbum coalhado de cliques, sempre ao lado do às do volante, em todos os cenários possíveis e imagináveis. Savanas, montanhas nevadas, rios selvagens, cachoeiras paradisíacas. Pense num destino, e o casal já esteve lá.

"Pôxa, que bacana essa foto, onde é?", pergunto. Logo soube que é numa cidadezinha cravada nas montanhas austríacas, cenário de uma foto dos dois; bem sorridentes enquanto curtem a alta estação da neve no hemisfério norte.

"Como ela chama mesmo?", continuo o inquérito, e descubro o tal sobrenome de mais de quatro sílabas. "Faz o quê, é modelo?", arrisco. Não, não é....

Fico intrigada.... "Mas o quê essa moça faz da vida?". A resposta não poderia ser mais surrealista. Resumindo, a loira, alta, magra, tipo modelo tem como profissão namorar o tal piloto. Sua agenda é estar perfeita para frequentar as melhores festas, cuidar dos compromissos dele para que as viagens e as responsabilidades profissionais do campeão jamais se interceptem, e nunca faltar a nenhuma corrida. Afinal de contas, o beijo apaixonado após cada vitória sempre rende uma boa foto.

"Mas ela só faz isso? Não é possível!", comento, totalmente impávida. Todas aquelas viagens, as festas, tudo gira em torno do tal relacionamento. Se amanhã os dois terminarem, outra loira, alta, tipo modelo irá ocupar a vaga deixada pela atual, e tudo continuará sendo a mesma coisa. Uma secretária de luxo, uma gatinha para levar a tiracolo... Uma ambição que cabe dentro do sapato da Barbie, a boneca.

"Festas, viagens, eventos....Vida boa essa, né?", comentam ao redor.

"Humm, prefiro o meu cérebro", respondo.

Giovana - A Solteira

16 comentários:

Andarilho disse...

Pior que muita gente quer essa profissão.

1 de fevereiro de 2010 00:23
Karina disse...

Vou discordar só um pouquinho...Só para constar estou longe de ter esse biotipo...E trabalho também, mas fiquei um bom tempo sem trabalhar, como dona de casa. Quer dizer então, que algumas pessoas pensavam isso de mim??? Que eu não tinha cérebro,que ficava em casa na vida boa, só assistindo TV, cuidando apenas do marido (pq ainda não tenho filhos)essas coisas...E se num dia ele se separasse de mim, estaria ferrada, colocaria outra no meu lugar ou uma empregada mesmo...Certo??
Eu tomo muito cuidado em julgar as pessoas.
Bjim Amoooooooooooo o blog

1 de fevereiro de 2010 08:29
Petitinha disse...

Ah vai ver ela acredita que a relação custo benefício vale à pena: se anular em troca de uma vida "glamourosa". É assim mesmo o ser humano aprende errando (na maioria das vezes).
BJOKS

1 de fevereiro de 2010 10:14
Giovana disse...
Este comentário foi removido pelo autor. 1 de fevereiro de 2010 10:20
Giovana disse...

Oi Karina,
tudo bem? É...situação complicada essa...Cada história, uma sentença. Mas, diferente das mulheres que dão um tempo na vida profissional por razões muito especiais, há aquelas que, sim, veem no marido ou namorado um fim em si. E esse é um caminho perigoso.

Neste caso, tenho certeza de que sabemos todas as respostas sobre o que as pessoas pensam, e o que é mais provável que aconteça com elas.

A busca da uma identidade e um caminho próprios jamais devem ser deixados de lado. O seu retorno à uma atividade profissional, por exemplo, é prova disso.

Taí um assunto espinhoso que espero que renda muitas discussões. Isso sempre deixa o blog mais divertido!

Beijos e continue nos acompanhando,

Gio

beijos, Gio

1 de fevereiro de 2010 10:21
Neta da Anastacia disse...

Se vc se surpreende com a vida de uma "namorada profissional" de um piloto de corridas, que vivem, digamos, do fruto do suor do trabalho dele proporcionado pelos altissimos valores que envolvem a formula 1... o que vc me diz da esposa de um diplomata que vive de uma forma nabanesca proporcionada pelo altissimo salario pago pelos nossos cofres publicos????
veja um exemplo:

http://vilamulher.terra.com.br/uma-embaixatriz-para-se-inspirar-5-1-37-330.html

e como ela age quando precisam dela:
http://lacitadelle.wordpress.com/2010/01/16/nossa-embaixatriz-notas-sobre-a-atuacao-diplomatica/#comments

1 de fevereiro de 2010 10:41
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Pô, pq não nasci loira e alta??? kkkkkk

just joking!

bjss

debss

1 de fevereiro de 2010 12:26
Fernanda Gomes de Sá Paulo Poli disse...

A Karina que me desculpe, mas, a não ser que ela estivesse em casa por estar sem emprego momentaneamente, muita gente deve ter pensado que ela não tinha lá muito cérebro. Hoje em dia, quem larga tudo para ser dona de casa, principalmente quem já tem profissão e formação, é criticado porque entra em um negócio bastante arriscado...
Não julgo ninguém, mas, na minha humilde opinião, mulher tem que ser independente. Ter controle da vida para poder exercer o livre arbítrio e não ficar casada eternamente pq não tem como se sustentar. Ou, pior ainda, passar a viver de pensão alimentícia, se humilhando e atrapalhando a vida de um cara que não a quer mais. Prá mim isso não dá prá digerir...Tb prefiro meu cérebro.

1 de fevereiro de 2010 15:35
Camille Mollona disse...

Ando tão cansada e querendo q chegue logo dia 12 pra começar as as minhas ferias q no momento queria ser mulher de um desses pilotos...hehehehe

Beijos gurias!!!!

1 de fevereiro de 2010 16:00
Denise disse...

Ola, não escrevo em nenhum blog pq o q mais gosto de fazer é ler,gosto muito mesmo de ler, e ler blogs então... mais só volto naqueles q de alguma forma marcaram ou pelo titulo ou pelo conteudo. De fato qd vi o nome desse blog achei q eram tres mulheres falando mal de homens ( o q não seria nada mal), mais é um blog falando de como é ser mulher mais não qq mulher, como ser uma mulher normal em um mundo onde q na maioria das vezes o tamanho da bunda conta mais q o cerebro. Parabés pelo trabalho de vcs.
Bjus x 3...

1 de fevereiro de 2010 16:23
Por uma vida simples disse...

"Não há felicidade mais preciosa que a liberdade, que ser um mestre de seu próprio destino."
OSHO

Precisa falar mais alguma coisa?
bjs

1 de fevereiro de 2010 18:49
Patrícia Costa disse...

mais uma profissão no mercado!

;)

1 de fevereiro de 2010 22:41
mulherpolvo disse...

Dá pena, ´né não? Bem, eu fico... Posso não ser tão loura, tão alta, nem tão magra. Mas sou dona da minha vida, das minhas aventuras, do meu pensamento. Se gosto de festas, viagens, roupas caras? Adorro! Mas não poderia, jamais, ser sombra de homem.

2 de fevereiro de 2010 09:33
keila lima disse...

Não consigo imaginar isso como sendo uma boa vida! Uma hora não pensar em nada cansa, até mesmo para quem pouco se preocupa em pensar e o mais importante, um dia a beleza vai, ou você estica tanto ela que parece mais um monstro de filme de terror antigo... e o que fazer com tempo ocioso quando essa idade ou fase chegar??! Preocupante!
Eu tenho pena de gente assim.

2 de fevereiro de 2010 11:39
Melanie B. disse...

Mulher é morena,o esto é prolema!!
auhsuahsuahs




(eu sei é horrivel!)

3 de fevereiro de 2010 10:36
Azedinha Doce disse...

Adorei este post... É bem por aí mesmo... Existem muitas mulheres que tem como profissão ser "mulher de famoso"... Existem e sobrevivem de badalação. E só!!! É o que elas têm pra oferecer... E só nos resta lamentar. Beijos Azedinha Doce

3 de fevereiro de 2010 18:54