quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

A odisséia de Ana

Essa é a história da mãe de uma leitora super querida do blog. Quis dividir com vocês por se tratar de um exemplo de como tudo na vida acontece. E, principalmente para os divorciados como eu, uma prova de como o segundo casamento pode ser especial, melhor do que o primeiro, por que não? Sigamos em frente.


Ana (nome fictício) enfrentou uma separação difícil: foi traída pelo marido com a babá de seus filhos, com quem, aliás, ele se casou logo depois. Precisa dizer o quanto ela sofreu com isso? Pois bem, o tempo passou, ela mudou de emprego e, nessas, conheceu Álvaro. Não demorou muito para as afinidades aparecerem. E a atração também. Acontece que Álvaro era casado.....E, por isso mesmo, demorou para admitir o fim daquela relação e assumir seu amor por Ana. Quando finalmente se decidiu, descobriu que sua mulher estava grávida e optou por ficar com a família. Ana sentiu muitíssimo, mas, claro, respeitou aquela resolução. Relações rompidas, o casal se afastou. Até que, dois anos depois, Álvaro bateu na porta de Ana. Estão juntos até hoje, cinco anos depois do rompimento.


Juntos e felizes, eles cuidam da casa e da família. Para as duas filhas dela, ele é como um pai dedicado e amoroso. Um padrasto gente boa que, todo sábado, aumenta o volume do som e dança com a mãe delas até de noitinha. Um homem que fica agoniado quando chega em casa e não vê a mulher. Tem ciúmes dela. E ela dele. Enfrentaram muitas barreiras para chegar onde chegaram. E sabem que não conseguem mais viver separados.


Um beijo para esse casal. E para a leitora querida que me contou essa odisséia. Que sejam todos muito felizes.


Isabela - A Divorciada

8 comentários:

Nina disse...

Que história legal!

Que seja assim, que o amor e a felicidade cheguem para todos nós!

beijo

17 de fevereiro de 2010 12:56
Andarilho disse...

Uau, parece história de novela mexicana, com indas e vindas. E um final feliz ;)

17 de fevereiro de 2010 13:38
Tânia Tiburzio disse...

Cada vez me convenço mais que o amor quando tem que acontecer, acontece e ponto, mesmo contra tudo, contra todos e mesmo contra o tempo. Beijos!!

17 de fevereiro de 2010 14:09
Evelin disse...

Linda história ;)

17 de fevereiro de 2010 16:24
Giuliana disse...

Linda história!!!! Adoro o blog de vcs!!!! Bjs!!!!

18 de fevereiro de 2010 08:50
SAL disse...

ahhhh Belissima... sabe q eu não consigo prever nem o meu final de semana ne?! mas dpois desse post, comecei a acreditar q o amor (esse danadinho!) gosta mesmo é de passear...

tô querendo acreditar que comigo vai ser assim tbm! tipo, qdo o tempo passar, qdo as flores ficarem mais coloridas, qdo a maturidade colocar mais valor na convenção, qdo a vida se mostrar mais simples... o amor volta! o amor volta (de vitoria p natal, ou de natal p vitoria, vai saber?!) e tudo recomece do zero (ja q o tempo muda mesmo as pessoas).

mas q esse recomeço possa ser tão sincero qto o primeiro começo, e q possa ser mais forte do q nós mesmos!

bjoooo :)

Ass. AÇUCAR

18 de fevereiro de 2010 11:45
3 x Trinta - Solteira, Casada, Divorciada disse...

Oh yes, babies, o mundo gira e a gente não faz a menor ideia do que vai acontecer a cada voltinha.

Que bom que terminou tudo happy!!

bitocas

dedé

18 de fevereiro de 2010 12:42
Albuq disse...

Histórias assim tem que ser contadas sempre, prá nos mostrar que "vale a pena" acreditar!
Linda história!
Ótimo texto meninas!
bjssss

18 de fevereiro de 2010 14:47