sábado, 8 de maio de 2010

Mind the gap...mas não tanto também

O primeiro passo foi meio claudicante, com voz baixa e olhar no chão. Os ombros também estavam meio encolhidos, parecia fazer um pedido completamente fora de propósito. Mas o lugar era propício. Uma festa do outro lado do Atlântico, pessoas não tão conhecidas ao redor. A pista cheia e bem escura. Quer cenário melhor? "Ótimo, assim ninguém comenta nada no dia seguinte".

Lembrou dos tempos de escola. As festinhas adolescentes tinham esse efeito colateral. Um simples beijo virava manchete no dia seguinte. Mais algumas bitocas na frente dos fofoqueiros de plantão e a menina era alçada à categoria de "fácil" sem dó nem piedade. Ah se ela encontrasse este pessoal novamente hoje...

O climinha dos últimos dias foi divertido. Nada como um avião para deixar para trás o que não interessa, ou investir no que pode ficar melhor. Não teve dúvidas e, mesmo tímida, puxou o rapaz e pediu um beijo.

Só devolveu a frase que ouviu do sujeito dias antes, quando ele estava trôpego e ela surpreendida. Agora, ela estava decidida. Já ele ficou vermelho, sorriu e atendeu ao pedido que, também, lhe pertencia. Em comum tinham aquela circunstância como algo especial. Um passo adiante para os dois. Quanto aos próximos eles tem todo o tempo do mundo, decidem depois.

Giovana - está solteira

PS: este post é especialmente para a super leitora Sal.

4 comentários:

Andarilho disse...

Dou toda a força pras mulheres tb tomarem a iniciativa!

8 de maio de 2010 07:28
Albuq disse...

Oi Giovana!

Bem, acho que o primeiro passo é sempre mui complicado kkkk
A gente tem todas as sensações do mundo em um segundo, mil coisas passa na cabeça e pronto, terminou, resta agora o depois... mas, esse passo é determinante e alguém tem de tomar, e acho muito legal, quando a mulher quer e vai atrás, tenta, não deixa passar.

bjs

Ps.> meu tempo de escola era exatamente assim como você descreveu, ohhhhhhhh saudade kkkkk

8 de maio de 2010 08:42
Marcos disse...

Outro dia li um post de uma menina reclamando que ficava somente tendo que esperar... como um artigo de prateleira...

Helou... seculo XXI!!!

Go for it"

bjs

8 de maio de 2010 19:54
SAL disse...

ARRASOOOOOOOOOOOOOOOOU!!!!!

Então... Eu acho certíssimo a mulher poder dar o primeiro passo... E se o fofolético não corresponder (ou disser que se assustou como tal situação, possivelmente inusitada pra ele) ... ESSE, ta eliminado!!!

Se tiver "medo" de mulher que toma iniciativa, não vai servir neeem pra matar barata!!!

Eu acredito até que, não é uma questão apenas cultural não... é mais ainda uma questão de coração/ intuição/ paixão (e vamos combinar, o felling feminino é normalmente, bem mais apurado)!!!

Gio, obrigada master pela dedicatoria viu!? Sou sua fã!!!

Bjo :)

9 de maio de 2010 09:25